A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

COLÉGIO CEME Profº Bergson Morais Vieira Disciplina: História Aula: 09/03/2013.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "COLÉGIO CEME Profº Bergson Morais Vieira Disciplina: História Aula: 09/03/2013."— Transcrição da apresentação:

1 COLÉGIO CEME Profº Bergson Morais Vieira Disciplina: História Aula: 09/03/2013

2 Revisão: Colonização do absolutismo e do sist. mercantilista O Século das Luzes A França revolucionária Revolução Inglesa

3 (Uece 2008) Sobre as Revoluções Burguesas, são feitas as seguintes afirmações: I. Consolidam o liberalismo e marcam mudanças nas estruturas econômicas, políticas e sociais de suas respectivas sociedades. II. Têm como base a defesa do Antigo Regime e iniciam a transição do feudalismo para o capitalismo. III. Seus exemplos mais expressivos são: Revolução Inglesa (1644), Revolução Americana (1776) e Revolução Francesa (1789). Assinale o correto. a. ( ) Apenas as afirmações I e II são verdadeiras. b. ( ) Apenas as afirmações I e III são falsas. c. ( ) Apenas as afirmações I e III são verdadeiras. d. ( ) Apenas as afirmações II e III são falsas.

4 (Uece 2008) Sobre as Revoluções Burguesas, são feitas as seguintes afirmações: I. Consolidam o liberalismo e marcam mudanças nas estruturas econômicas, políticas e sociais de suas respectivas sociedades. II. Têm como base a defesa do Antigo Regime e iniciam a transição do feudalismo para o capitalismo. III. Seus exemplos mais expressivos são: Revolução Inglesa (1644), Revolução Americana (1776) e Revolução Francesa (1789). Assinale o correto. a. ( ) Apenas as afirmações I e II são verdadeiras. b. ( ) Apenas as afirmações I e III são falsas. c. ( ) Apenas as afirmações I e III são verdadeiras. d. ( ) Apenas as afirmações II e III são falsas.

5 (Pucrs 2007) Responder à questão com base nas afirmativas sobre o Iluminismo, uma revolução intelectual que se efetivou na Europa, no século XVIII. I. As ideias iluministas surgiram como resposta a problemas concretos enfrentados pela burguesia, como, por exemplo, a intervenção do Estado na economia, que impunha limites à expansão dos negócios empreendidos por essa camada social. II. As bases do pensamento iluminista - o racionalismo, o liberalismo e o desenvolvimento do pensamento científico - foram estabelecidas a partir das ideias de pensadores do século XVII, como René Descartes, John Locke e Isaac Newton. III. Os iluministas, em suas obras, criticavam os resquícios feudais, como a servidão, assim como o regime absolutista e o mercantilismo, que limitavam o direito à propriedade. IV. A filosofia iluminista incentivava a influência da Igreja Católica sobre a sociedade, principalmente no âmbito da educação e da cultura, o que resultou no aumento do poder político da Igreja, pela emergência da teoria do direito divino. Estão corretas apenas a. ( ) I e II. b. ( ) I e IV. c. ( ) III e IV. d. ( ) I, II e III. e. ( ) II, III e IV.

6 (Pucrs 2007) Responder à questão com base nas afirmativas sobre o Iluminismo, uma revolução intelectual que se efetivou na Europa, no século XVIII. I. As ideias iluministas surgiram como resposta a problemas concretos enfrentados pela burguesia, como, por exemplo, a intervenção do Estado na economia, que impunha limites à expansão dos negócios empreendidos por essa camada social. II. As bases do pensamento iluminista - o racionalismo, o liberalismo e o desenvolvimento do pensamento científico - foram estabelecidas a partir das ideias de pensadores do século XVII, como René Descartes, John Locke e Isaac Newton. III. Os iluministas, em suas obras, criticavam os resquícios feudais, como a servidão, assim como o regime absolutista e o mercantilismo, que limitavam o direito à propriedade. IV. A filosofia iluminista incentivava a influência da Igreja Católica sobre a sociedade, principalmente no âmbito da educação e da cultura, o que resultou no aumento do poder político da Igreja, pela emergência da teoria do direito divino. Estão corretas apenas a. ( ) I e II. b. ( ) I e IV. c. ( ) III e IV. d. ( ) I, II e III. e. ( ) II, III e IV.

7 (Pucpr 2007) As práticas mercantilistas, ocorridas na Idade Moderna, estiveram relacionadas com: a. ( ) a exploração de impérios coloniais e a regulamentação do comércio exterior. b. ( ) o surgimento das Corporações de Ofícios. c. ( ) a ideia de liberdade de produção, de concorrência e de circulação de mercadorias. d. ( ) o surgimento das doutrinas iluministas. e. ( ) o final dos regimes absolutistas e os princípios liberais surgidos nas chamadas revoluções burguesas.

8 (Pucpr 2007) As práticas mercantilistas, ocorridas na Idade Moderna, estiveram relacionadas com: a. ( ) a exploração de impérios coloniais e a regulamentação do comércio exterior. b. ( ) o surgimento das Corporações de Ofícios. c. ( ) a ideia de liberdade de produção, de concorrência e de circulação de mercadorias. d. ( ) o surgimento das doutrinas iluministas. e. ( ) o final dos regimes absolutistas e os princípios liberais surgidos nas chamadas revoluções burguesas.

9 (Puc-rio 2006) Em , a sociedade inglesa vivenciou o episódio então denominado de Revolução Gloriosa. Entre suas características, destaca-se a promulgação do "Bill of Rights", uma espécie de declaração de direitos que passava a regulamentar os poderes do monarca e do Parlamento. Sobre a importância e os significados do "Bill of Rights", assinale a única afirmativa CORRETA. a. ( ) Houve o fortalecimento das atribuições do Parlamento frente ao poder decisório do monarca, instaurando um conjunto de leis que regulavam, inclusive, a atuação do soberano. b. ( ) Houve a deposição de Guilherme III, sob a acusação de ter elevado impostos sem o consentimento prévio do Parlamento, como era previsto pelo "Bill of Rights". c. ( ) Instituiu-se a tolerância religiosa, estabelecendo severas punições para qualquer tipo de discriminação ou perseguição, em especial com relação aos que professassem a religião católica. d. ( ) Houve a ascensão política da burguesia comercial, destituindo progressivamente dos cargos ministeriais os representantes dos "landlords" e demais grupos aristocráticos. e. ( ) Instituiu-se o direito de propriedade e, de forma complementar, promulgaram-se leis que garantiram a defesa do trabalho livre e dos pequenos proprietários frente a ameaças tais como a servidão por dívidas.

10 (Puc-rio 2006) Em , a sociedade inglesa vivenciou o episódio então denominado de Revolução Gloriosa. Entre suas características, destaca-se a promulgação do "Bill of Rights", uma espécie de declaração de direitos que passava a regulamentar os poderes do monarca e do Parlamento. Sobre a importância e os significados do "Bill of Rights", assinale a única afirmativa CORRETA. a. ( ) Houve o fortalecimento das atribuições do Parlamento frente ao poder decisório do monarca, instaurando um conjunto de leis que regulavam, inclusive, a atuação do soberano. b. ( ) Houve a deposição de Guilherme III, sob a acusação de ter elevado impostos sem o consentimento prévio do Parlamento, como era previsto pelo "Bill of Rights". c. ( ) Instituiu-se a tolerância religiosa, estabelecendo severas punições para qualquer tipo de discriminação ou perseguição, em especial com relação aos que professassem a religião católica. d. ( ) Houve a ascensão política da burguesia comercial, destituindo progressivamente dos cargos ministeriais os representantes dos "landlords" e demais grupos aristocráticos. e. ( ) Instituiu-se o direito de propriedade e, de forma complementar, promulgaram-se leis que garantiram a defesa do trabalho livre e dos pequenos proprietários frente a ameaças tais como a servidão por dívidas.

11 (Ufpi 2007) Analise as afirmações a seguir acerca da Revolução Inglesa do século XVII. I. Significou o rompimento com um passado pré-industrial e a construção de um modelo econômico baseado na exportação de capitais para as nações menos desenvolvidas. II. Representou a instalação de uma ordem política marcada pela destruição do absolutismo monárquico e pela afirmação de um regime dominado pela burguesia. III. Manifestou, com a Revolução Gloriosa, a constituição de uma aliança entre a monarquia parlamentar e os interesses da burguesia inglesa. Assinale a alternativa correta. a. ( ) Somente I e II são verdadeiras. b. ( ) Somente I e III são verdadeiras. c. ( ) Somente II e III são verdadeiras. d. ( ) Somente I é verdadeira. e. ( ) Somente III é verdadeira.

12 (Ufpi 2007) Analise as afirmações a seguir acerca da Revolução Inglesa do século XVII. I. Significou o rompimento com um passado pré-industrial e a construção de um modelo econômico baseado na exportação de capitais para as nações menos desenvolvidas. II. Representou a instalação de uma ordem política marcada pela destruição do absolutismo monárquico e pela afirmação de um regime dominado pela burguesia. III. Manifestou, com a Revolução Gloriosa, a constituição de uma aliança entre a monarquia parlamentar e os interesses da burguesia inglesa. Assinale a alternativa correta. a. ( ) Somente I e II são verdadeiras. b. ( ) Somente I e III são verdadeiras. c. ( ) Somente II e III são verdadeiras. d. ( ) Somente I é verdadeira. e. ( ) Somente III é verdadeira.

13 (Ufv 2010) Sobre as Revoluções Inglesas do século XVII, é CORRETO afirmar que: a. ( ) Oliver Cromwell evitou a centralização do poder quando se tornou o Lorde Protetor da Inglaterra em 1653, pois repudiava o poder absolutista. b. ( ) após a guerra civil da década de 1640, o rei Carlos I foi executado e a República na Inglaterra foi estabelecida temporariamente. c. ( ) Guilherme de Orange, um dos líderes do Exército Revolucionário que lutou na década de 1640 contra o poder absolutista do rei Carlos I, foi coroado como o novo rei inglês. d. ( ) a Revolução Gloriosa (1688) representou a ascensão ao poder dos grupos sociais mais radicais que aboliram a propriedade privada.

14 (Ufv 2010) Sobre as Revoluções Inglesas do século XVII, é CORRETO afirmar que: a. ( ) Oliver Cromwell evitou a centralização do poder quando se tornou o Lorde Protetor da Inglaterra em 1653, pois repudiava o poder absolutista. b. ( ) após a guerra civil da década de 1640, o rei Carlos I foi executado e a República na Inglaterra foi estabelecida temporariamente. c. ( ) Guilherme de Orange, um dos líderes do Exército Revolucionário que lutou na década de 1640 contra o poder absolutista do rei Carlos I, foi coroado como o novo rei inglês. d. ( ) a Revolução Gloriosa (1688) representou a ascensão ao poder dos grupos sociais mais radicais que aboliram a propriedade privada.

15 10. (Unesp 2012) A Revolução Puritana (1640) e a Revolução Gloriosa (1688) transformaram a Inglaterra do século XVII. Sobre o conjunto de suas realizações, pode- se dizer que a. ( ) determinaram o declínio da hegemonia inglesa no comércio marítimo, pois os conflitos internos provocaram forte redução da produção e exportação de manufaturados. b. ( ) resultaram na vitória política dos projetos populares e radicais dos cavadores e dos niveladores, que defendiam o fim da monarquia e dos privilégios dos nobres. c. ( ) envolveram conflitos religiosos que, juntamente com as disputas políticas e sociais, desembocaram na retomada do poder pelos católicos e em perseguições contra protestantes. d. ( ) geraram um Estado monárquico em que o poder real devia se submeter aos limites estabelecidos pela legislação e respeitar as decisões tomadas pelo Parlamento. e. ( ) precederam as revoluções sociais que, nos dois séculos seguintes, abalaram França, Portugal e as colônias na América, provocando a ascensão política do proletariado industrial.

16 10. (Unesp 2012) A Revolução Puritana (1640) e a Revolução Gloriosa (1688) transformaram a Inglaterra do século XVII. Sobre o conjunto de suas realizações, pode- se dizer que a. ( ) determinaram o declínio da hegemonia inglesa no comércio marítimo, pois os conflitos internos provocaram forte redução da produção e exportação de manufaturados. b. ( ) resultaram na vitória política dos projetos populares e radicais dos cavadores e dos niveladores, que defendiam o fim da monarquia e dos privilégios dos nobres. c. ( ) envolveram conflitos religiosos que, juntamente com as disputas políticas e sociais, desembocaram na retomada do poder pelos católicos e em perseguições contra protestantes. d. ( ) geraram um Estado monárquico em que o poder real devia se submeter aos limites estabelecidos pela legislação e respeitar as decisões tomadas pelo Parlamento. e. ( ) precederam as revoluções sociais que, nos dois séculos seguintes, abalaram França, Portugal e as colônias na América, provocando a ascensão política do proletariado industrial.

17 (PUC-RJ 2013) “A Revolução Francesa constitui um dos capítulos mais importantes da longa e descontínua passagem histórica do feudalismo ao capitalismo. Com a Revolução (científica) do século XVII e a Revolução Industrial do século XVIII na Inglaterra, e ainda com a Revolução Americana de 1776, a Grande Révolution lança os fundamentos da História contemporânea”. [Mota, C. G. A Revolução Francesa]. Entre as transformações promovidas pela Revolução na França, iniciada em 1789, é CORRETO afirmar que: a) os privilégios feudais e o regime de servidão foram abolidos destruindo a base social que sustentava o Antigo Regime absolutista francês. b) a Revolução aboliu o trabalho servil e fortaleceu o clero católico instituindo uma série de medidas de caráter humanista. c) os revolucionários derrubaram o rei e proclamaram uma República fundamentada no igualitarismo radical na qual a propriedade privada foi abolida. d) a Revolução rompeu os laços com a Igreja católica iniciando uma reforma de cunho protestante que se aproximava dos ideais da ética do capitalismo moderno. e) a Revolução, mesmo em seu momento mais radical, não foi capaz de romper com as formas de propriedade e trabalho vigentes no antigo regime.

18 (PUC-RJ 2013) “A Revolução Francesa constitui um dos capítulos mais importantes da longa e descontínua passagem histórica do feudalismo ao capitalismo. Com a Revolução (científica) do século XVII e a Revolução Industrial do século XVIII na Inglaterra, e ainda com a Revolução Americana de 1776, a Grande Révolution lança os fundamentos da História contemporânea”. [Mota, C. G. A Revolução Francesa]. Entre as transformações promovidas pela Revolução na França, iniciada em 1789, é CORRETO afirmar que: a) os privilégios feudais e o regime de servidão foram abolidos destruindo a base social que sustentava o Antigo Regime absolutista francês. b) a Revolução aboliu o trabalho servil e fortaleceu o clero católico instituindo uma série de medidas de caráter humanista. c) os revolucionários derrubaram o rei e proclamaram uma República fundamentada no igualitarismo radical na qual a propriedade privada foi abolida. d) a Revolução rompeu os laços com a Igreja católica iniciando uma reforma de cunho protestante que se aproximava dos ideais da ética do capitalismo moderno. e) a Revolução, mesmo em seu momento mais radical, não foi capaz de romper com as formas de propriedade e trabalho vigentes no antigo regime.

19 (FUVEST 2013) Oh! Aquela alegria me deu náuseas. Sentia-me ao mesmo tempo satisfeito e descontente. E eu disse: tanto melhor e tanto pior. Eu entendia que o povo comum estava tomando a justiça em suas mãos. Aprovo essa justiça, mas poderia não ser cruel? Castigos de todos os tipos, arrastamentos e esquartejamentos, tortura, a roda, o cavalete, a fogueira, verdugos proliferando por toda parte trouxeram tanto prejuízo aos nossos costumes! Nossos senhores colherão o que semearam. Graco Babeuf, citado por R. Darnton. O beijo de Lamourette. Mídia, cultura e revolução. São Paulo: Companhia das Letras, 1990, p. 31. Adaptado. O texto é parte de uma carta enviada por Graco Babeuf à sua mulher, no início da Revolução Francesa de O autor: a) discorda dos propósitos revolucionários e defende a continuidade do Antigo Regime, seus métodos e costumes políticos. b) apoia incondicionalmente as ações dos revolucionários por acreditar que não havia outra maneira de transformar o país. c) defende a criação de um poder judiciário, que atue junto ao rei. d) aceita os meios de tortura empregados pelos revolucionários e os considera uma novidade na história francesa. e) caracteriza a violência revolucionária como uma reação aos castigos e à repressão antes existentes na França

20 (FUVEST 2013) Oh! Aquela alegria me deu náuseas. Sentia-me ao mesmo tempo satisfeito e descontente. E eu disse: tanto melhor e tanto pior. Eu entendia que o povo comum estava tomando a justiça em suas mãos. Aprovo essa justiça, mas poderia não ser cruel? Castigos de todos os tipos, arrastamentos e esquartejamentos, tortura, a roda, o cavalete, a fogueira, verdugos proliferando por toda parte trouxeram tanto prejuízo aos nossos costumes! Nossos senhores colherão o que semearam. Graco Babeuf, citado por R. Darnton. O beijo de Lamourette. Mídia, cultura e revolução. São Paulo: Companhia das Letras, 1990, p. 31. Adaptado. O texto é parte de uma carta enviada por Graco Babeuf à sua mulher, no início da Revolução Francesa de O autor: a) discorda dos propósitos revolucionários e defende a continuidade do Antigo Regime, seus métodos e costumes políticos. b) apoia incondicionalmente as ações dos revolucionários por acreditar que não havia outra maneira de transformar o país. c) defende a criação de um poder judiciário, que atue junto ao rei. d) aceita os meios de tortura empregados pelos revolucionários e os considera uma novidade na história francesa. e) caracteriza a violência revolucionária como uma reação aos castigos e à repressão antes existentes na França.

21 (Upe 2012) A Revolução Francesa marcou a ascensão da burguesia ao poder, acabando com o absolutismo francês. Sobre a França revolucionária, assinale a alternativa correta. a) A burguesia atuava também no campo, em especial no sul da França, onde dominava o comércio de tecido. b) Os grupos políticos urbanos se restringiam ao apoio da nobreza reformada, a qual, assim como o clero, clamava por reformas econômicas. c) A burguesia parisiense contestava o alto índice de impostos que era obrigada a pagar. d) O drástico corte de gastos da Corte de Luís XVI diminuiu a crise econômica da França no fim do século XVIII. e) Os camponeses ficaram alheios ao processo revolucionário, colhendo depois os frutos das conquistas burguesas.

22 (Upe 2012) A Revolução Francesa marcou a ascensão da burguesia ao poder, acabando com o absolutismo francês. Sobre a França revolucionária, assinale a alternativa correta. a) A burguesia atuava também no campo, em especial no sul da França, onde dominava o comércio de tecido. b) Os grupos políticos urbanos se restringiam ao apoio da nobreza reformada, a qual, assim como o clero, clamava por reformas econômicas. c) A burguesia parisiense contestava o alto índice de impostos que era obrigada a pagar. d) O drástico corte de gastos da Corte de Luís XVI diminuiu a crise econômica da França no fim do século XVIII. e) Os camponeses ficaram alheios ao processo revolucionário, colhendo depois os frutos das conquistas burguesas.

23 (Udesc 2011) Entre 1789 e 1799, a França atravessou um período profundamente transformador conhecido por Revolução Francesa. Em relação às características desse processo revolucionário e seus desdobramentos, analise cada proposição e assinale (V) para verdadeira ou (F) para falsa. ( ) A França foi inovadora, pois não havia notícias de uma Revolução de Caráter Burguês e Liberal na Europa do século XVIII. ( ) Durante os dez anos do processo revolucionário, houve uma série de acordos que garantiram uma transição tranquila e pacífica da Monarquia Absolutista para a República Federativa. ( ) A Revolução Francesa pode ser subdividida em quatro momentos: a Assembleia Constituinte, a Assembleia Legislativa, a Convenção e o Diretório. ( ) A Revolução Francesa disseminou nova concepção política e organizacional do Estado; suas ideias influenciaram a disseminação de guerras e conflitos e seus ideais de Liberdade, Igualdade e Fraternidade passaram a ser buscados por quase todas as nações do mundo contemporâneo. Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta, de cima para baixo. a) V – F – V – F b) V – V – F – F c) F – V – V – V d) V – V – V – V e) F – F – V – V

24 (Udesc 2011) Entre 1789 e 1799, a França atravessou um período profundamente transformador conhecido por Revolução Francesa. Em relação às características desse processo revolucionário e seus desdobramentos, analise cada proposição e assinale (V) para verdadeira ou (F) para falsa. ( F ) A França foi inovadora, pois não havia notícias de uma Revolução de Caráter Burguês e Liberal na Europa do século XVIII. ( F ) Durante os dez anos do processo revolucionário, houve uma série de acordos que garantiram uma transição tranquila e pacífica da Monarquia Absolutista para a República Federativa. ( V ) A Revolução Francesa pode ser subdividida em quatro momentos: a Assembleia Constituinte, a Assembleia Legislativa, a Convenção e o Diretório. ( V ) A Revolução Francesa disseminou nova concepção política e organizacional do Estado; suas ideias influenciaram a disseminação de guerras e conflitos e seus ideais de Liberdade, Igualdade e Fraternidade passaram a ser buscados por quase todas as nações do mundo contemporâneo. Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta, de cima para baixo. a) V – F – V – F b) V – V – F – F c) F – V – V – V d) V – V – V – V e) F – F – V – V

25 (UEG 2012) Em 1804, Napoleão Bonaparte recebeu o título de Imperador, mediante um plebiscito. Durante sua cerimônia de coroação, ele retirou do Papa a coroa e colocou-a em sua cabeça com as próprias mãos. Esse gesto ousado representou a) o rompimento entre a Igreja Católica Romana e o novo Estado Revolucionário Francês. b) que Napoleão, símbolo máximo da força da burguesia, considerava-se mais importante que a tradição da Igreja. c) que Napoleão estava assumindo todas as responsabilidades do Poder Moderador na França. d) a criação de uma religião de Estado, tendo como figura central o Imperador, a exemplo do Anglicanismo inglês.

26 (UEG 2012) Em 1804, Napoleão Bonaparte recebeu o título de Imperador, mediante um plebiscito. Durante sua cerimônia de coroação, ele retirou do Papa a coroa e colocou-a em sua cabeça com as próprias mãos. Esse gesto ousado representou a) o rompimento entre a Igreja Católica Romana e o novo Estado Revolucionário Francês. b) que Napoleão, símbolo máximo da força da burguesia, considerava-se mais importante que a tradição da Igreja. c) que Napoleão estava assumindo todas as responsabilidades do Poder Moderador na França. d) a criação de uma religião de Estado, tendo como figura central o Imperador, a exemplo do Anglicanismo inglês.

27 (UNESP 2011) Artigo 5.º — O comércio de mercadorias inglesas é proibido, e qualquer mercadoria pertencente à Inglaterra, ou proveniente de suas fábricas e de suas colônias é declarada boa presa. (...) Artigo 7.º — Nenhuma embarcação vinda diretamente da Inglaterra ou das colônias inglesas, ou lá tendo estado, desde a publicação do presente decreto, será recebida em porto algum. Artigo 8.º — Qualquer embarcação que, por meio de uma declaração, transgredir a disposição acima, será apresada e o navio e sua carga serão confiscados como se fossem propriedade inglesa. (Excerto do Bloqueio Continental, Napoleão Bonaparte. Citado por Kátia M. de Queirós attoso. Textos e documentos para o estudo da história contemporânea ( ), 1977.) Esses artigos do Bloqueio Continental, decretado pelo Imperador da França em 1806, permitem notar a disposição francesa de: a) estimular a autonomia das colônias inglesas na América, que passariam a depender mais de seu comércio interno. b) impedir a Inglaterra de negociar com a França uma nova legislação para o comércio na Europa e nas áreas coloniais. c) provocar a transferência da Corte portuguesa para o Brasil, por meio da ocupação militar da Península Ibérica. d) ampliar a ação de corsários ingleses no norte do Oceano Atlântico e ampliar a hegemonia francesa nos mares europeus. e) debilitar economicamente a Inglaterra, então em processo de industrialização, limitando seu comércio com o restante da Europa.

28 (UNESP 2011) Artigo 5.º — O comércio de mercadorias inglesas é proibido, e qualquer mercadoria pertencente à Inglaterra, ou proveniente de suas fábricas e de suas colônias é declarada boa presa. (...) Artigo 7.º — Nenhuma embarcação vinda diretamente da Inglaterra ou das colônias inglesas, ou lá tendo estado, desde a publicação do presente decreto, será recebida em porto algum. Artigo 8.º — Qualquer embarcação que, por meio de uma declaração, transgredir a disposição acima, será apresada e o navio e sua carga serão confiscados como se fossem propriedade inglesa. (Excerto do Bloqueio Continental, Napoleão Bonaparte. Citado por Kátia M. de Queirós attoso. Textos e documentos para o estudo da história contemporânea ( ), 1977.) Esses artigos do Bloqueio Continental, decretado pelo Imperador da França em 1806, permitem notar a disposição francesa de: a) estimular a autonomia das colônias inglesas na América, que passariam a depender mais de seu comércio interno. b) impedir a Inglaterra de negociar com a França uma nova legislação para o comércio na Europa e nas áreas coloniais. c) provocar a transferência da Corte portuguesa para o Brasil, por meio da ocupação militar da Península Ibérica. d) ampliar a ação de corsários ingleses no norte do Oceano Atlântico e ampliar a hegemonia francesa nos mares europeus. e) debilitar economicamente a Inglaterra, então em processo de industrialização, limitando seu comércio com o restante da Europa.

29 (UFTM 2011) A cada um a sua função e o seu lugar na terra. No topo estão os religiosos, intermediários indispensáveis entre a cidade terrestre e a cidade celeste (...). Depois vêm os nobres, que receberam da Providência a qualidade de guerreiros e estão, portanto, investidos da missão de manutenção da ordem. Finalmente, para o último lugar são relegados os trabalhadores, destinados ao trabalho e ao sofrimento para o bem comum. (Pierre Bonnassie. Dicionário de história medieval, Adaptado.) O texto faz referência: a) a um tipo de organização social que se apoiava nas diferentes aptidões dos seres humanos. b) às crenças milenaristas, segundo as quais apenas os pobres alcançariam o reino dos céus. c) à igualdade social, que caracteriza a sociedade ocidental desde a Antiguidade. d) ao antropocentrismo, que reservava lugar de destaque para a vontade dos indivíduos. e) à divisão da sociedade em três ordens, colocada em xeque pela Revolução Francesa.

30 (UFTM 2011) A cada um a sua função e o seu lugar na terra. No topo estão os religiosos, intermediários indispensáveis entre a cidade terrestre e a cidade celeste (...). Depois vêm os nobres, que receberam da Providência a qualidade de guerreiros e estão, portanto, investidos da missão de manutenção da ordem. Finalmente, para o último lugar são relegados os trabalhadores, destinados ao trabalho e ao sofrimento para o bem comum. (Pierre Bonnassie. Dicionário de história medieval, Adaptado.) O texto faz referência: a) a um tipo de organização social que se apoiava nas diferentes aptidões dos seres humanos. b) às crenças milenaristas, segundo as quais apenas os pobres alcançariam o reino dos céus. c) à igualdade social, que caracteriza a sociedade ocidental desde a Antiguidade. d) ao antropocentrismo, que reservava lugar de destaque para a vontade dos indivíduos. e) à divisão da sociedade em três ordens, colocada em xeque pela Revolução Francesa.

31 (IFSP 2011) Antes de 1789, inúmeros problemas devastavam a França, o que a levou à grande revolução de 14 de Julho. Assinale a alternativa que contém os fatores que propiciaram o surgimento da Revolução. a) O enorme déficit causado por altos gastos com a Corte e o pagamento de dívidas aliado às baixas receitas, recaindo todo o ônus dos impostos sobre o Terceiro Estado. Além disso, o ideário iluminista adotado pela burguesia fez com que esta se dispusesse a lutar por uma igualdade jurídica. b) A coroação de Luis XIV como o “rei Sol”. Monarca vaidoso e perdulário, construiu Versalhes, solapando as finanças francesas, o que levou o país a imensos deficits. Descontentes com a situação, filósofos iluministas pregavam a substituição da Monarquia por uma República e a luta entre monarquistas e republicanos levou ao início da Revolução. c) O decreto do Bloqueio Continental por Napoleão Bonaparte, o que levou praticamente toda a Europa a uma guerra. Esta, fazendo milhares de vítimas entre os franceses, trouxe um colapso à economia (pela diminuição da mão de obra) o que levou o país à revolução de 14 de julho. d) A França estava devastada pelas guerras de religião, havendo perseguições e assassinatos de huguenotes pelos católicos. Buscando a paz social, o rei Luis XIV estabeleceu o Edito de Nantes, trazendo a liberdade religiosa. Descontentes com a medida real, os católicos depuseram e aprisionaram o rei, o que deu início à revolução. e) O surgimento da Revolução Industrial na França, o que levou milhares de camponeses às cidades, em busca de melhores condições de vida. Não encontrando trabalho (não conheciam o trabalho fabril), vivendo nas ruas e lançados à miséria, grande parte da população de Paris invadiu a Bastilha, buscando um teto para se abrigar do rigoroso inverno francês. O rei reagiu expulsando os invasores, o que deu início à revolução.

32 (IFSP 2011) Antes de 1789, inúmeros problemas devastavam a França, o que a levou à grande revolução de 14 de Julho. Assinale a alternativa que contém os fatores que propiciaram o surgimento da Revolução. a) O enorme déficit causado por altos gastos com a Corte e o pagamento de dívidas aliado às baixas receitas, recaindo todo o ônus dos impostos sobre o Terceiro Estado. Além disso, o ideário iluminista adotado pela burguesia fez com que esta se dispusesse a lutar por uma igualdade jurídica. b) A coroação de Luis XIV como o “rei Sol”. Monarca vaidoso e perdulário, construiu Versalhes, solapando as finanças francesas, o que levou o país a imensos deficits. Descontentes com a situação, filósofos iluministas pregavam a substituição da Monarquia por uma República e a luta entre monarquistas e republicanos levou ao início da Revolução. c) O decreto do Bloqueio Continental por Napoleão Bonaparte, o que levou praticamente toda a Europa a uma guerra. Esta, fazendo milhares de vítimas entre os franceses, trouxe um colapso à economia (pela diminuição da mão de obra) o que levou o país à revolução de 14 de julho. d) A França estava devastada pelas guerras de religião, havendo perseguições e assassinatos de huguenotes pelos católicos. Buscando a paz social, o rei Luis XIV estabeleceu o Edito de Nantes, trazendo a liberdade religiosa. Descontentes com a medida real, os católicos depuseram e aprisionaram o rei, o que deu início à revolução. e) O surgimento da Revolução Industrial na França, o que levou milhares de camponeses às cidades, em busca de melhores condições de vida. Não encontrando trabalho (não conheciam o trabalho fabril), vivendo nas ruas e lançados à miséria, grande parte da população de Paris invadiu a Bastilha, buscando um teto para se abrigar do rigoroso inverno francês. O rei reagiu expulsando os invasores, o que deu início à revolução.

33 (UFC 2007) Leia o texto a seguir. "Tanto o liberalismo quanto a revolução social, tanto a burguesia quanto, potencialmente, o proletariado, tanto a democracia (em qualquer de suas versões) quanto a ditadura encontram seus ancestrais na extraordinária década que começou com a convocação dos Estados-Gerais, a Tomada da Bastilha e a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão." HOBSBAWM, Eric. "Ecos da Marselhesa. Dois séculos reveem a Revolução Francesa". São Paulo: Companhia das Letras, 1996, p. 81. A partir do texto e dos seus conhecimentos, assinale a alternativa correta: a) A Revolução Francesa teve como consequência a derrota da classe burguesa e de seus valores liberais. b) Os princípios democráticos inspiraram os países que invadiram a França logo após a revolução de c) A Tomada da Bastilha representou, simbolicamente, a revanche da nobreza frente ao avanço da revolução popular. d) Os 'sans-culottes', que formavam o grupo mais radical da Revolução Francesa, podem ser considerados os ancestrais do proletariado. e) A 'Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão', aprovada na França em 1789, apesar de formalmente democrática, defendia a legitimidade das ditaduras.

34 (UFC 2007) Leia o texto a seguir. "Tanto o liberalismo quanto a revolução social, tanto a burguesia quanto, potencialmente, o proletariado, tanto a democracia (em qualquer de suas versões) quanto a ditadura encontram seus ancestrais na extraordinária década que começou com a convocação dos Estados-Gerais, a Tomada da Bastilha e a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão." HOBSBAWM, Eric. "Ecos da Marselhesa. Dois séculos reveem a Revolução Francesa". São Paulo: Companhia das Letras, 1996, p. 81. A partir do texto e dos seus conhecimentos, assinale a alternativa correta: a) A Revolução Francesa teve como consequência a derrota da classe burguesa e de seus valores liberais. b) Os princípios democráticos inspiraram os países que invadiram a França logo após a revolução de c) A Tomada da Bastilha representou, simbolicamente, a revanche da nobreza frente ao avanço da revolução popular. d) Os 'sans-culottes', que formavam o grupo mais radical da Revolução Francesa, podem ser considerados os ancestrais do proletariado. e) A 'Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão', aprovada na França em 1789, apesar de formalmente democrática, defendia a legitimidade das ditaduras.

35 (UFV 2004) Na noite de 14 de julho de 1789, em Paris, Luís XVI recebeu do duque de La Rochefoucauld-Liancourt a notícia da queda da Bastilha e da deserção das tropas reais frente ao ataque popular. O famoso diálogo que se travou entre o rei e seu mensageiro é breve e revelador. O rei, segundo consta, exclamou: "Isto é uma revolta"; e Liancourt corrigiu-o: "Não, Senhor, isto é uma revolução". (Adaptado de: ARENDT, Hannah. "Da Revolução". São Paulo: Ática; Brasília: Editora da UNB,1988, p.38). Com base nesse diálogo e nos seus conhecimentos sobre a Revolução Francesa, responda a) Por que os populares investiram contra a Bastilha? b) Diferencie, do ponto de vista conceitual, "revolta" e "revolução".

36 (UFV 2004) Na noite de 14 de julho de 1789, em Paris, Luís XVI recebeu do duque de La Rochefoucauld-Liancourt a notícia da queda da Bastilha e da deserção das tropas reais frente ao ataque popular. O famoso diálogo que se travou entre o rei e seu mensageiro é breve e revelador. O rei, segundo consta, exclamou: "Isto é uma revolta"; e Liancourt corrigiu-o: "Não, Senhor, isto é uma revolução". (Adaptado de: ARENDT, Hannah. "Da Revolução". São Paulo: Ática; Brasília: Editora da UNB,1988, p.38). Com base nesse diálogo e nos seus conhecimentos sobre a Revolução Francesa, responda a) Por que os populares investiram contra a Bastilha? Os milhares de populares franceses tomaram a Bastilha em busca de pólvora após terem tomado as armas do Arsenal dos Inválidos e por ser um símbolo do absolutismo monárquico francês, pois nela eram encarcerados os opositores da realeza. b) Diferencie, do ponto de vista conceitual, "revolta" e "revolução". Uma revolta, limita-se à reação violenta de um ou mais grupos a uma situação opressora conjuntural e com características muito peculiares. Uma revolução, significa alterações profundas nas estruturas econômicas, sociais, políticas e culturais em uma determinada sociedade, levando a rupturas e fazendo surgir novas formas de organização, novos valores e conceitos.


Carregar ppt "COLÉGIO CEME Profº Bergson Morais Vieira Disciplina: História Aula: 09/03/2013."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google