A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Estatística – Aula 02 IMES – Fafica Curso de Psicologia Prof. M.S.c. Fabricio Eduardo Ferreira

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Estatística – Aula 02 IMES – Fafica Curso de Psicologia Prof. M.S.c. Fabricio Eduardo Ferreira"— Transcrição da apresentação:

1 Estatística – Aula 02 IMES – Fafica Curso de Psicologia Prof. M.S.c. Fabricio Eduardo Ferreira

2 Tabelas Uma tabela consiste de um quadro onde várias observações são feitas possibilitando ao leitor uma interpretação precisa do fato analisado. Os elementos mais notáveis das tabelas são: Título: que deve ser o mais claro possível e traduzir convenientemente o intuito do estudo; Cabeçalho: que deve informar sobre o conteúdo das colunas e linhas; Coluna indicadora: que é o local onde serão especificados os conteúdos da tabela; Corpo: que é o conjunto de linhas e colunas que comporão as células da tabela; Rodapé: onde indicamos informações para validar os dados (fonte de pesquisa).

3 Um pouco mais sobre tabelas O corpo da tabela deverá conter colunas (verticais) e linhas (horizontais) que se interceptarão compondo as células para inserirmos os dados. De acordo com o I.B.G.E. devemos colocar:  um traço horizontal ( – ) quando o valor é zero;  três pontos (... ) quando não temos dados;  um ponto de interrogação ( ? ) quando temos dúvidas quanto à exatidão de determinado valor;  zero ( 0 ) quando o valor é muito pequeno para ser expresso pela unidade utilizada.

4 Exemplo de tabela Produção (1.000 t)Anos Produção de Café no Brasil Título Cabeçalho Linhas FONTE: I.B.G.E. Célula Corpo Rodapé Coluna numérica Coluna indicadora

5 Séries estatísticas Caso uma tabela apresente uma distribuição de dados estatísticos em função de uma característica específica (tempo, local, espécie) a denominaremos série estatística. As séries estatísticas podem ser: Temporais (históricas, cronológicas, marchas): quando descrevem valores em função de intervalos de tempos discretizados. Geográficas (espaciais, territoriais, localização): quando descrevem valores em função de localidades num determinado instante temporal. Específicas (categóricas): quando descrevem valores sobre determinada espécie ou categoria representando um determinado local e instante. Conjugadas (dupla–entrada): quando combinam em seu corpo tipos variados de séries. Por exemplo, enquanto as linhas representam séries geográficas as colunas representam séries temporais. Distribuição de frequência: consiste numa série específica onde os dados levantados são apresentados em sua totalidade.

6 Séries temporais Descrevem os valores da variável, em determinado local, discriminados segundo intervalos de tempos constantes. Preço médio (US$)Anos ,24 2,73 2,12 1,89 2,62 Preço do Acém no Varejo – São Paulo FONTE: A.P.A.

7 Séries geográficas Descrevem os valores da variável, em determinado instante, discriminados segundo regiões, localidades ou territórios. Número de AnosPaíses Itália Alemanha França Holanda Inglaterra 7,5 7,0 5,9 Menos de 4 Duração Média dos Estudos Superiores FONTE: Revista Veja

8 Séries específicas Descrevem os valores da variável, em determinado tempo e local, discriminado segundo especificações ou categorias. Qtde. (1000 cabeças)Espécies Bovinos Suínos Ovinos Caprinos Outros , , , , ,5 Rebanhos Brasileiros FONTE: I.B.G.E.

9 Séries conjugadas Combinam em seu corpo tipos variados de série. Terminais Telefônicos em Serviço Regiões Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste FONTE: Ministério das Comunicações

10 Distribuição de frequência Consiste numa série específica onde os dados levantados são apresentados em sua totalidade. Dias de gestação f 017 ├ ├ ├ ├ ├ ├ ├ Σf = 42 Tempo de gestação de alguns mamíferos (dias) FONTE: Matemática E. M. V. 2 SMOLE & KIUKAWA

11 Dados e informações Caso os dados reflitam diretamente a realidade sem algum tratamento matemático os chamaremos de dados absolutos, enquanto dados que mereçam uma comparação através de razões são denominados dados relativos. Entre os dados relativos destacam-se: as porcentagens: que comparam as informações pertinentes ao denominador 100; os índices: que comparam informações, na forma de razão, independentes entre si; os coeficientes: que comparam informações, na forma de razão, interligadas entre si; as taxas: uma outra forma de apresentar os coeficientes na forma de produto de potência de base 10.

12 Tabela primitiva Uma tabela cujos elementos não foram numericamente organizados, denomina-se tabela primitiva. Por exemplo, uma professora organizou os resultados obtidos em uma avaliação da seguinte forma. Notas obtidas por 25 alunos do Colégio X 4,09,06,09,07,0 9,05,09,04,09,0 6,09,04,08,09,0 8,04,07,09,05,0 9,0 5,07,04,0

13 R.O.L. Organizando os dados através de uma ordenação crescente ou decrescente. A tabela obtida após esta ordenação de dados recebe o nome de rol. Notas obtidas por 25 alunos do Colégio X 4,05,07,09,0 4,05,07,09,0 4,05,07,09,0 4,06,08,09,0 4,06,08,09,0

14 Amplitude total Observando o R.O.L. podemos verificar a variação entre o menor e o maior valor apresentado. A esta diferença chamamos de Amplitude Total. No caso 9,0 – 4,0 = 5,0. Distribuição de frequência Colocando ao lado da variável nota o número de vezes que aparece repetida, estaremos determinando a frequência absoluta (f) desta nota. Dispondo estas frequências numa tabela, obtemos assim, o que chamamos de distribuição de frequência.

15 Frequência absoluta (f) 4,05,07,09,0 4,05,07,09,0 4,05,07,09,0 4,06,08,09,0 4,06,08,09,0 NotaFrequência (f) 4,05 5,03 6,02 7,03 8,02 9,010 Total25

16 Frequência relativa (f r ) NotaFrequência (f)Frequência relativa (f r ) 4,0520 5,0312 6,0208 7,0312 8,0208 9,01040 Total25100 Caso queiramos podemos determinar o percentual que cada nota representa no total dos alunos. Neste caso estaríamos calculando a frequência relativa (f r ) com que as notas aparecem. A frequência relativa é a razão entre a frequência absoluta e o total dos dados.

17 Frequência acumulada (f a ) Notaffafa frfr 4, , , , , , Total25100 Se considerarmos até um certo dado numa distribuição de frequência e somarmos as frequências dos dados anteriores, estaremos determinando a frequência acumulada (f a ) até este dado.

18 Frequência acumulada relativa (f ar ) Notaffafa frfr f ar 4, , , , , , Total25100 A frequência acumulada relativa (f ar ) de um dado é a razão entre a frequência acumulada até um certo dado e o total de dados.

19 Frequência acumulada relativa (f ar ) Notaffafa frfr f ar 4, , , , , , Total25100 A frequência acumulada relativa (f ar ) de um dado é a razão entre a frequência acumulada até um certo dado e o total de dados.

20 Para Refletir 1)Qual a importância das tabelas na estatística? Quais são os elementos fundamentais nas tabelas? 2)Numa das células de uma tabela encontra-se o valor zero (0). Isto significa que não havia dados daquela espécie? 3)Qual diferença entre as fontes diretas e as fontes indiretas? 4)O que são séries estatísticas? Classifique-as de acordo com seus tipos. 5)Diferencie dados absolutos de dados relativos. 6)Diferencie tabela primitiva de rol. 7)Como calcula-se a amplitude total de uma distribuição de dados? 8)Diferencie frequência absoluta de frequência relativa. Como calcula-se a frequência relativa. 9)Para quê serve a frequência acumulada? E a frequência acumulada relativa?


Carregar ppt "Estatística – Aula 02 IMES – Fafica Curso de Psicologia Prof. M.S.c. Fabricio Eduardo Ferreira"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google