A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Introdução do processo em enfermagem no curso técnico em enfermagem Enfermeiro: João Carlos Alves dos Santos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Introdução do processo em enfermagem no curso técnico em enfermagem Enfermeiro: João Carlos Alves dos Santos."— Transcrição da apresentação:

1 Introdução do processo em enfermagem no curso técnico em enfermagem Enfermeiro: João Carlos Alves dos Santos

2 Objetivos Identificar o processo de enfermagem Identificar a sua fundamentação Identificar as suas etapas

3 Processo em enfermagem A implementação da SAE e o processo em enfermagem são fundamental por contribuir para a melhoria da qualidade da assistência de enfermagem (Marques; Carvalho, 2005), para a caracterização do corpo de conhecimentos da profissão (Jesus, 2002) e por trazer implicações positivas para o paciente e para equipe de enfermagem (Mendes; Bastos, 2003).

4 Teoria O uso das teorias de enfermagem oferece estrutura e organização ao conhecimento da enfermagem, proporciona um meio sistemático de coletar dados para se descrever, explicar e prever prática, promover a prática relacional e sistemática, torna a prática direcionada para metas, resultados, determina a finalidade da prática de enfermagem e promove um cuidado coordenado e menos fragmentado. (Mcewen, 2009).

5 Uma teoria sugere uma direção de como ver fatos ou eventos De modo que se possa responsabilizá-los pelos cuidados a serem prestados aos pacientes, não mais executados de maneira empírica (Hickman, 2000).

6 Escolha de uma teoria 1.Precisa conhecer a realidade do setor que trabalha 2.Perfil dos enfermeiros dessa unidade 3.Clientela atendida Ex: Enfermeiro de ESF 1.Deve sistematizar a assistência utilizando marco conceitual uma teoria que conceitue pessoa como o indivíduo, a família e/ou comunidade 2.Que conceitue ambiente em que a pessoa vive 3.Que conceitue saúde de acordo com as diretrizes do Programa de Saúde da Família 4.Que conceitue Enfermeiro como um agente de promoção da

7 As teorias são classificadas em quatro níveis de acordo com sua finalidade Nível I- Isolamento de fatores : Ex Enfermeiro descreve aparecimento de hiperemia na região sacral do paciente Nível II – Relacionamento de fatores: Ex. Enfermeiro associa a hiperemia aos fatos de o paciente estar acamado, ser obeso e estar fazendo uso de fármacos vasoativos. Nível III – Relacionamento de situações (preditivas) Ex. Enfermeiro prevê que é necessária uma intervenção rápida para que haja a regressão dessa hiperemia; caso contrário a evolução será prejudicial ao paciente. Nível IV – Produtora de situações (prescritiva). Ex. O Enfermeiro atua prescrevendo ações para a minimizar a evolução dessa lesão, entre elas mudança de decúbito, uso de colchão especial, hidratação da pele...

8 Em 1960 Wanda de Aguiar Horta com base em sua teoria apresentou os passos: 1.Histórico de enfermagem 2.Diagnóstico de enfermagem 3.Plano assistencial 4.Plano de cuidados ou prescrição de enfermagem 5.Evolução 6.Prognóstico de Enfermagem

9 Processo em enfermagem Artigo 3º o Processo em enfermagem deverá ser registrada formalmente no prontuário do paciente/cliente/usuário, devendo ser composta por: Investigação de enfermagem Diagnóstico de Enfermagem Planejamento da assistência Implementação/Prescrição da Assistência de Enfermagem Evolução da Assistência de Enfermagem

10 Investigação de Enfermagem Consiste em uma coleta de dados contínua, planejada e sistemática de informações, por meio de um roteiro para levantamento de dados de um indivíduo, família ou comunidade sobre o estado de saúde, a fim de monitorar evidências de problemas de saúde e fatores de risco que possam contribuir para os problemas de saúde.

11 Investigação de Enfermagem Processo deliberado, sistemático e contínuo, realizado com o auxílio de métodos e técnicas variadas, que tem por finalidade a obtenção de informações sobre a pessoa, família ou coletividade humana e sobre suas respostas em um dado momento do processo saúde e doença.

12 Diagnóstico de Enfermagem Enfermeiro após ter analisado os dados colhidos no histórico e exame físico, identificará os problemas de enfermagem, as necessidades básicas afetadas e grau de dependência, fazendo julgamento clínico sobre as respostas do indivíduo, da família e comunidade, aos problemas, processos de vida vigentes ou potenciais.

13 Diagnóstico de Enfermagem Título do diagnostico: padrão respiratório ineficaz Conceito: inspiração e/ou expiração que não proporciona ventilação adequada Título diagnóstico: amamentação interrompida Conceito: quebra na continuidade do processo de amamentação de incapacidade ou de não ser aconselhável colocar a criança no peito para mamar. Título diagnóstico: risco de aspiração Conceito: estar em risco de entrada de secreções gastrintestinais, secreções orofaríngeas, sólidos ou fluidos nas vias traqueobrônquicas.

14 Padrão da terminologia em enfermagem Atualmente, organizações de enfermagem por todo o mundo tem reforçado a necessidade de um padrão de terminologia em enfermagem para descrever, comparar, comunicar os cuidados de enfermagem (OPAS, 2001.

15 Alguns sistemas de classificação 1. Diagnóstico de Enfermagem (North American Nursing Diagnosis Association - NANDA ) 2. Classificação das Intervenções de Enfermagem ( Nursing |Interventions Classification – NIC) 3. Classificação de resultados de Enfermagem ( Nursing Outcomes Classification – NOC) 4. Classificação Internacional para a prática de Enfermagem - CIPE

16 3- Planejamento da Assistência Plano de ações para se alcançarem resultados em relação a um diagnóstico de enfermagem (Bachion,2002). Determinação dos resultados que se espera alcançar; e das ações ou intervenções de enfermagem que serão realizadas face às respostas da pessoa, família ou coletividade humana em um dado momento do processo saúde e doença, identificadas na etapa de Diagnóstico de Enfermagem.

17 4. Implementação Prescrição de Enfermagem Classificação– NIC- NOC É o conjunto de medidas decididas pelo Enfermeiro, que direciona e coordena a assistência de Enfermagem ao paciente de forma individualizada e contínua, objetivando a prevenção, promoção, proteção, recuperação e manutenção COFEN (2008) 4. Implementação Prescrição de Enfermagem Classificação da intervenções de enfermagem – NIC- NOC NIC foi criada pela necessidade da classificação das intervenções de enfermagem para padronizar a linguagem usadas pelos enfermeiros

18 Evolução de Enfermagem É o registro realizado após a avaliação do estado geral do paciente Tem como objetivo nortear o planejamento da assistência a ser prestada e informar o resultado das condutas implementadas A evolução mostra os efeitos, as repercussões e as conseqüências dos cuidados prestados em relação a determinados parâmetros preestabelecidos e indica a manutenção, a modificação ou a suspensão da prescrição anterior, é onde ocorre a avaliação propriamente dita.

19 Evolução de Enfermagem É feita exclusivamente pelo enfermeiro. É realizada em impresso próprio e sempre precedida de data e horário e finalizada com assinatura e COREN do enfermeiro. A data deve ser colocada na primeira evolução de entrada. Para elaborar a evolução, deve ser realizada a entrevista, exame físico e consultar: evolução e prescrição médica e de enfermagem anteriores, listagem de problemas, pedidos e resultados de exames complementares

20 Anotações de Enfermagem São todas as informações relatadas pelos pacientes além das observações realizadas pela equipe de enfermagem quanto aos sinais e sintomas que conduzem a alternativas para solucionar os problemas identificados, direcionar o planejamento das intervenções de enfermagem e, posteriormente, avaliar os resultados. Devem conter informações descritivas, completas, claras e objetivas

21 Considerações Metodologia científica que vem sendo cada vez mais implementada na prática assistencial conferindo maior segurança aos pacientes, melhoria da qualidade da assistência e maior autonomia aos profissionais de enfermagem. organiza o seu trabalho registra as atividades realizada demonstra quantidade e qualidade do serviço da equipe valoriza seu trabalho dar respaldo sobre o seu atendimento prestado amplia sua visão sobre o cuidado

22 REFERÊNCIAS CIANCIARULLO TI et al. Sistema de Assistência de Enfermagem: evolução e tendências. São Paulo: Icone Diagnósticos de enfermagem da NANDA: definições e classificação – 2001 – 2002 / organizado por North American Nursing Association; trad. Jeanne Liliane Marlene Michel – Porto Alegre: Artmed, Johnson M, Maas M, Moorhead S. Classificação dos resultados de enfermagem; trad. Regina Garcez. 2 ed. Porto Alegre: Artmed, McCloskey JC, Bulechek GM. Classificação das intervenções de enfermagem; trad. Regina Garcez. 3 ed. Porto Alegre: Artmed, TANNURE, Meire Chucre; GONÇALVES, Ana Maria Pinheiro. Sistematização da Assistência de Enfermagem: guia prático. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, Horta, W. Processo de Enfermagem.


Carregar ppt "Introdução do processo em enfermagem no curso técnico em enfermagem Enfermeiro: João Carlos Alves dos Santos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google