A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Marcin Krzysztof Wlodek Conjuntivo (BR Subjuntivo)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Marcin Krzysztof Wlodek Conjuntivo (BR Subjuntivo)"— Transcrição da apresentação:

1 Marcin Krzysztof Wlodek Conjuntivo (BR Subjuntivo)

2 Marcin Krzysztof Wlodek Modo Conjuntivo / Subjuntivo 1. Uma situação considerada: → incerta → duvidosa → eventual → irreal 2. Um facto apresentado de uma forma subjectiva: o falante exprime próprios sentimentos acerca de uma situação real

3 Marcin Krzysztof Wlodek Conjuntivo PresentePassadoFuturo Pretérito Perfeito Pretérito Imperfeito Pretérito Mais-que- perfeito Futuro Imperfeito Futuro Perfeito

4 Marcin Krzysztof Wlodek Presente do Conjuntivo - Formas O Presente do Conjuntivo forma-se a partir do Tema do Presente (1. a pessoa do singular do Presente do Indicativo, a que se retira a desinência –o): Presente do Indicativo, 1. a pes. do singular Tema do presente falarfalofal- comercomocom- abrirabroabr- odiarodeioodei- tertenhotenh- vestirvistovist-

5 Marcin Krzysztof Wlodek Presente do Conjuntivo – Verbos regulares -ar-er-ir eufalecomaparta tufalescomaspartas você ele ela falecomaparta nósfalemoscomamospartamos vósfaleiscomaispartais vocês eles elas falemcomampartam

6 Marcin Krzysztof Wlodek Presente do Conjuntivo – Verbos irregulares darestarhaverirquerersaberser eudêestejahajaváqueirasaibaseja tudêsestejashajasvásqueirassaibassejas você ele ela dêestejahajaváqueirasaibaseja nósdemosestejamoshajamosvamosqueiramossaibamossejamos vósdeisestejaishajaisvaisqueiraissaibaissejais vocês eles elas dêemestejamhajamvãoqueiramsiabamsejam

7 Marcin Krzysztof Wlodek Conjuntivo Orações Principais Orações Subordinadas Substantivas (completivas) Adjectivas (relativas) Adverbiais Finais Condicionais TemporaisConsecutivasConcessivasComparativasCausais

8 Marcin Krzysztof Wlodek Presente do Conjuntivo – Emprego A. O Presente do Conjuntivo nas orações principais 1. Nas frases imperativas positivas (imperativo positivo) na 3.ª pessoa do singular, na 1.ª e na 2.ª pessoas do plural: Fale! Entremos! Cantem! Nas frases imperativas negativas (imperativo negativo) em todas as pessoas: Não grites! Não fale! Não entremos! Não cantem!

9 Marcin Krzysztof Wlodek 2. Nas frases optativas/exclamativas – que exprimem um desejo possível de se concretizar: Sejam felizes! Oxalá sejam felizes! Viva Benfica! Tomara consiga passar no exame. 3. Nas frases dubitativas, depois do advérbio talvez em vez do Presente ou Futuro do Indicativo: Talvez seja verdade. mas: É / será, talvez, verdade.

10 Marcin Krzysztof Wlodek B. O Presente do Conjuntivo nas orações subordinadas → ideia de sobreposição ou posterioridade → o verbo da oração principal num dos tempos do grupo do presente – Presente, Pretérito Perfeito Composto, Imperativo, Futuro: Quero que venhas amanhã. Lamento que estejas doente. amanhã) (sobreposição:lamento→agora,estejas doente→agora) (posterioridade: quero→agora,venhas→

11 Marcin Krzysztof Wlodek 1. O Conjuntivo nas orações substantivas: este tipo de orações completa o sentido do predicado da oração principal, podendo funcionar como sujeito ou complemento 1.1. dependentes de expressões impessoais (completivas do adjectivo, do verbo e do substantivo) É possível que os assaltantes já estejam no estrangeiro. É uma pena que tu não possas vir connosco ao cinema. Basta que você chegue às nove horas.

12 Marcin Krzysztof Wlodek Expressões impessoais que exigem o uso do Conjuntivo na oração completiva: basta que convém que é conveniente que é admissível que é bom que é duvidoso que é difícil que é espantoso que é estranho que importa que é impossível que é justo que é lógico que é mau que é melhor que é necessário que é pena que é pior que pode ser que é possível que é preciso que é provável que é raro que é uma vergonha que

13 Marcin Krzysztof Wlodek Expressões impessoais que exprimem certeza e evidência constroem-se com o verbo no Indicativo: É certo / claro / evidente / verdade que a criança tem febre. negação→Conjuntivo: Não é certo / claro / evidente / verdade que a criança tenha febre.

14 Marcin Krzysztof Wlodek 1.2. nas orações que dependem de verbos que exprimem desejo e ordem: Diga à Maria que ela venha cá ter comigo. O professor quer que os alunos façam o exercício. Verbos que exprimem desejo e ordem e que exigem o uso do Conjuntivo na oração subordinada (completiva do verbo): aconselhar conseguir consentir deixar desejar dizer (= mandar) exigir evitar fazer (com que) impedir mandar ordenar pedir permitir proibir propor querer recomendar resolver sugerir suplicar

15 Marcin Krzysztof Wlodek 1.3. nas orações que dependem de verbos e expressões que exprimem sentimento (verbos avaliativos): Lamento que não possas vir. Receio que eles se percam na cidade. Verbos e expressões que exprimem sentimento e que exigem o uso do Conjuntivo na oração subordinada (completivas do verbo e do substantivo): admirar-se de que agradecer que esperar que estar à espera de que estimar que estranhar que gostar que lamentar que preferir que recear que sentir que temer que ter esperança de que ter medo que

16 Marcin Krzysztof Wlodek 1.4. nas orações que dependem dos verbos de opinião com um modificador (que podem ser considerados verbos avaliativos): Acho bem que tu vás fazer um curso de português no Brasil. Acho estranho que trates assim os teus irmãos.

17 Marcin Krzysztof Wlodek 1.5. nas orações que dependem de verbos que exprimem dúvida - o verbo duvidar ou expressões equivalentes (ter dúvidas de que): Duvido que o Bruno venha à festa. Tenho dúvidas de que o Bruno venha à festa. negação→Indicativo: Não duvido que o Bruno virá à festa.

18 Marcin Krzysztof Wlodek 1.6. nas orações que dependem dos verbos de opinião e expressões de certeza e evidência na negativa: Não acho que a criança esteja com febre. → Acho que a criança não está com febre. Não julgo que vá nevar. → Julgo que não vai nevar. Não é certo que o Pedro seja bom aluno. → É certo que o Pedro não é bom aluno. Não é verdade que a Sofia coma mais que o irmão. → É verdade que a Sofia não come mais que o irmão.

19 Marcin Krzysztof Wlodek Verbos de opinião e expressões de certeza e evidência que exigem o uso do Conjuntivo na oração subordinada (completivas do verbo, adjectivo e substantivo): não achar que não crer que não julgar que não parecer que não pensar que não ser certo que não ser evidente que não ser verdade que

20 Marcin Krzysztof Wlodek 2. O Conjuntivo nas orações relativas: 2.1. com um antecedente indefinido ou indeterminado (não sei se a entidade referida existe ou não sei identificá-la): Precisamos de uma secretária que fale húngaro. Compra-me um bolo que tenha muito creme. Há aqui alguém que saiba alemão?

21 Marcin Krzysztof Wlodek 2.2. com um antecedente negativo (para se referir a uma entidade que não existe): Não há ninguém que me possa ajudar. Não conheço ninguém que fale tantas línguas como ele sem o antecedente expresso depois de expressões do tipo: há quem, não falta quem, aparece quem, encontra-se quem etc.: Há quem coma caracóis. Não falta quem me ajude. mas: Há pessoas que comem caracóis.

22 Marcin Krzysztof Wlodek 2.4. nas orações introduzidas por onde/ como/ quem/ quando/ o que quer que e qualquer / quaisquer que O que quer que coma, fico com dores de estômago. Onde quer que vás, eu quero ir contigo.

23 Marcin Krzysztof Wlodek 3. O Conjuntivo nas orações adverbiais: 3.1. Nas orações finais introduzidas por conjunções e locuções finais que indicam a finalidade da oração principal a fim de que, para que Vão de táxi para que não se atrasem.

24 Marcin Krzysztof Wlodek 3.2. Nas orações condicionais introduzidas por conjunções e locuções condicionais que indicam uma hipótese ou uma condição de que depende a acção expressa na oração principal a menos que, a não ser que, caso, com a condição de que, contanto que, desde que, sem que Temos aulas, desde que venha o professor. Não podemos sair sem que o professor nos dê autorização.

25 Marcin Krzysztof Wlodek 3.3. Nas orações temporais introduzidas por conjunções e locuções temporais que exprimem uma ideia de tempo, indicando anterioridade e sobreposição: antes que até que logo que, mal Temos de ficar em casa até que voltem os pais.

26 Marcin Krzysztof Wlodek antes que: →sempre Conjuntivo até que / logo que / mal:acção habitual ou passada = realidade →Indicativo acção futura = eventualidade →Conjuntivo Hoje, temos de ficar em casa até que voltem os pais. (acção futura = eventualidade → Conjuntivo) Temos de arrumar a casa antes que voltem os pais. Ficamos sempre em casa até que voltam os pais. (acção habitual = realidade → Indicativo) Mal o vejas, diz-lhe que venha ter comigo. (acção futura = eventualidade → Conjuntivo) Mal me viu, o rapaz fugiu. (acção passada = realidade → Indicativo)

27 Marcin Krzysztof Wlodek 3.4. Nas orações consecutivas introduzidas por conjunções e locuções consecutivas que iniciam uma oração em que se indica a consequência daquilo que foi declarado na oração anterior de (tal) modo que, de (tal) maneira que, de (tal) sorte que, de (tal) forma que, de tal jeito que, tal que, tão...que, tanto...que O professor vai falar de modo que todos o compreendam. (finalidade e probabilidade → Conjuntivo) O professor fala de modo que todos o compreendem. (realidade → Indicativo)

28 Marcin Krzysztof Wlodek 3.5. Nas orações concessivas introduzidas por conjunções e locuções concessivas que indicam um facto que poderia contrariar a realização da acção expressa na oração principal embora, mesmo que, ainda que, se bem que, nem que, conquanto, posto que Se bem que ele não saiba português, nunca tem problemas quando está no Brasil.

29 Marcin Krzysztof Wlodek nas orações concessivas introduzidas pelas locuções por mais que, por muito que, por pouco que: Por pouco que beba, a cerveja provoca-me sono. Por mais dinheiro que me ofereçam, não faço esse trabalho. Por muito cansada que esteja, a Luísa nunca se deita antes da meia-noite.

30 Marcin Krzysztof Wlodek no primeiro dos verbos nas orações concessivas com repetição do mesmo verbo: Seja quem for, não abram a porta. Ouças o que ouvires, não acredites naquilo que te dizem nas orações concessivas introduzidas pela conjunção alternativa quer...quer... (duas alternativas não importantes para o resultado final): Quer faça sol quer faça mau tempo, dou sempre um passeio.

31 Marcin Krzysztof Wlodek 3.6. Nas orações causais nas orações causais introduzidas por não que, não porque (para negar a causa): Não posso ir contigo ao cinema: não porque não queira, mas porque não tenho tempo.


Carregar ppt "Marcin Krzysztof Wlodek Conjuntivo (BR Subjuntivo)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google