A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A AMPLIAÇÃO DO ENSINO FUNDAMENTAL PARA NOVE ANOS E SEUS REFLEXOS NA ORGANIZAÇÃO ESCOLAR.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A AMPLIAÇÃO DO ENSINO FUNDAMENTAL PARA NOVE ANOS E SEUS REFLEXOS NA ORGANIZAÇÃO ESCOLAR."— Transcrição da apresentação:

1 A AMPLIAÇÃO DO ENSINO FUNDAMENTAL PARA NOVE ANOS E SEUS REFLEXOS NA ORGANIZAÇÃO ESCOLAR

2 - O ensino fundamental de 9 anos foi implantado através da Lei n.º de 2006; - O ensino fundamental passou a abranger a classe de alfabetização, fase anterior à 1ª série, com matrícula obrigatória aos seis anos; - Isso ampliou o período de alfabetização de um para dois anos;

3 - Isso não se fez sem polêmica, pois há argumentos a favor e contra a medida. - Argumentos contrários: a) A implantação da medida exige modificações na infra-estrutura da escola e em muitos casos apenas abrir vagas para crianças mais jovens significaria antecipar a experiência da repetência e do fracasso escolar para crianças mais imaturas;

4 b) Os professores que assumem as classes de crianças menores são geralmente aqueles com menor experiência; c) Nas escolas de ensino fundamental convivem turmas de idades muito diferentes, o que pode provocar constrangimentos aos alunos menores em momentos como o recreio, a merenda, a ida ao banheiro, as entradas e saídas da escola, etc.

5 d) Os métodos de ensino utilizados nas primeiras séries ainda encontram-se bastante defasados em relação ao que já se acumulou de conhecimento sobre o desenvolvimento infantil e os processos de aprendizagem nessa faixa etária;

6 d) A inclusão de crianças de seis anos de idade não deverá significar a antecipação dos conteúdos e atividades que tradicionalmente foram compreendidos como adequados à primeira série. Assim, há a necessidade de se construir uma nova estrutura e organização dos conteúdos em um ensino fundamental, agora de nove anos.

7 - Argumentos favoráveis: a) Boa parte das crianças brasileiras não conta com atendimento escolar até os 7 anos e a repetência na 1ª é altíssima. O ingresso de alunos em idade mais precoce é por isso uma providência acertada; b) Um ano a mais de escolarização pode contribuir para corrigir os índices de repetência, porque manter os alunos por um longo período no ensino fundamental provoca custos adicionais aos sistemas de ensino.

8 c) As turmas de 6 anos seriam mais facilmente ampliadas, beneficiando-se da estrutura de funcionamento já existente: prédios, sistemas de supervisão, quadros de magistério, programas de merenda escolar, material didático e transporte escolar, etc; d) Na maioria dos países, 6 anos é a idade de ingresso na escola. O Brasil era o único país da América Latina em que as crianças ingressavam aos 7 anos. Na Argentina, Colômbia e Equador iniciam aos 5 anos.

9 c) O dados do INAF - Indicador Nacional de Alfabetismo Funcional e dos censos, permite perceber que as crianças que ingressam aos 6 anos no ensino fundamental possuem melhor desempenho relacionado à escrita, devido ao maior tempo de escolarização; d) Os resultados de avaliações nacionais (SAEB, PISA, prova Brasil) demonstram os índices insatisfatórios e até constrangedores em relação à qualidade do ensino brasileiro;

10 - O art. 5° da Lei n.º de 2006 estabeleceu prazo até 2010 para os sistemas de ensino implantarem o ensino fundamental de 9 anos; - Entretanto, em SC a Resolução CEE/SC/ nº. 110 de 12/12/2006 implantou o ens. fund. de 9 aos a partir de 2007;

11 OBSERVAÇÕES - As escolas e a comunidade têm autonomia de definir as propostas pedagógicas mais adequadas ao seu currículo; - F az-se necessário elaborar nova proposta curricular coerente com as especificidades, não só da criança de 6 anos, mas também das demais crianças do ensino fundamental. - As escolas deverão reelaborar a proposta pedagógica e atualizar seu Projeto Pedagógico;

12 - QUAIS SÃO OS PROBLEMAS E DESAFIOS QUE ESSA NOVA REALIDADE NOS IMPÕE?

13 - QUAIS SÃO OS PROBLEMAS E DESAFIOS? a) Novo conceito de alfabetização; b) Letramento ocorre na escola; c) Nova concepção de infância: as crianças de seis anos se distinguem das demais, sobretudo pela imaginação, curiosidade, movimento e desejo de aprender de forma lúdica; d) Exigência de metodologia - ludicidade

14 DESAFIOS – Por isso, não é adequado transferir para esse novo público os conteúdos e atividades da 1ª série, para não provocar impactos negativos no processo de escolarização; – e) Ausência de material adequado para esse novo segmento;

15 DESAFIOS - Novos conteúdos e práticas adequadas à idade devem ser concebidos: jogos, danças, contos e brincadeiras espontâneas devem ser usadas como instrumentos pedagógico.


Carregar ppt "A AMPLIAÇÃO DO ENSINO FUNDAMENTAL PARA NOVE ANOS E SEUS REFLEXOS NA ORGANIZAÇÃO ESCOLAR."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google