A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Conceito e Classificação dos Riscos Ambientais Conceito e Classificação dos Riscos Ambientais Enfª do trabalho Jamilie Sena.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Conceito e Classificação dos Riscos Ambientais Conceito e Classificação dos Riscos Ambientais Enfª do trabalho Jamilie Sena."— Transcrição da apresentação:

1 Conceito e Classificação dos Riscos Ambientais Conceito e Classificação dos Riscos Ambientais Enfª do trabalho Jamilie Sena

2 RISCOS AMBIENTAIS São aqueles que possam trazer ou ocasionar danos à saúde ou à integridade física do trabalhador nos ambientes de trabalho, em função de sua Natureza: É essência física, química ou biológica (o urânio é prejudicial em quase todas as dosagens). Concentração: É o grau de presença do elemento (muito gás carbônico cria problemas respiratórios). Intensidade: É capacidade de causar efeitos (temperaturas baixas e altas produzem danos). Exposição: É a submissão do trabalhador às suas consequências (vibração afeta o ser humano).

3  Perigo: Riscos? Perigo: “Estado ou situação que inspira cuidado”. Risco: “Perigo ou possibilidade de perigo”. Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa, 2009  RISCO OCUPACIONAL Depende da intensidade e da concentração; Depende do tempo de exposição; Geralmente os fatores de risco estão relacionados entre si; E eliminação de um dos fatores pode eliminar todo risco;

4 Risco x Perigo Risco - É a probabilidade de ocorrer um evento bem definido no espaço e no tempo, que causa dano à saúde, às unidades operacionais ou dano econômico/financeiro. Perigo - É a expressão de uma qualidade ambiental que apresente características de possível efeito maléfico para a saúde e/ou meio ambiente.

5

6 É a combinação da probabilidade de ocorrência de danos e a magnitude de um evento indesejado: RISCO = Probabilidade de dano x Gravidade do dano Os eventos ocorridos anteriormente aos dano são denominado causas, uma vez que apresentam alguma relação de casualidade(causa-efeito). Uma causa pode gerar várias consequências; Causas – fatores ou condições de risco;

7 Risco x Perigo É importante que fique clara a diferença entre risco e perigo. Existe perigo na manipulação de determinados produtos químicos ou biológicos. Porém o risco dessa atividade pode ser considerado baixo se forem observados todos os cuidados necessários e utilizados os equipamentos de proteção adequados.

8 Alto Risco, Risco presente. Controle do Risco, Risco ainda presente. Eliminação/controle do risco, “Risco isolado” Eliminação do Risco / Perigo Controle do Risco Risco / Perigo

9 Gerenciamento de Risco A avaliação de risco é o processo de estimar a magnitude do risco para um indivíduo, grupo, sociedade ou meio ambiente e decidir se o risco é ou não tolerável ou aceitável.  AVALIAÇÃO IDENTIFICAÇÃO ESTIMATIVA DO RISCO DESENVOLVIMENTO DE OPÇÕES ANÁLISE  GERENCIAMENTO TOMADA DE DECISÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORIZAÇÃO E AVALIAÇÃO

10 Desenvolvimento de opção Comparar riscos x benefícios; Analisar o problema do ponto e vista individual e da sociedade; Percepção de risco do público; Viabilidade das ações, impactos econômicos e ambientais; Estudar as implicações sociais, culturais e políticas.

11 RISCOS OCUPACIONAIS  Risco: probabilidade de ocorrência de um evento não desejado (acidente de trabalho).  Ocupacional: relacionado aos procedimentos específicos à profissão desempenhada. Incapacidade para trabalho Incapacidade para trabalho Danos pessoais:  Lesão corporal  Perturbação funcional  Doença

12

13 Risco Físico RUÍDO - É uma sensação sonora desagradável, não desejado ou inútil, podendo ser intermitente ou continuo. Pode ser mensurado através do dosimetro. NÍVEL DE RUÍDO dBMÁXIMA EXPOSIÇÃO DIÁRIA PERMISSÍVEL 858h 904h 1001h 1157min

14 Riscos Físicos VIBRAÇÃO - se caracteriza pela oscilação de um corpo sólido em torno de uma posição de referencia. RADIAÇÕES - são formas de energia que se transmitem por ondas eletromagnéticas, podendo ser de dois tipos: ionizantes e não ionizantes. PRESSÕES ANORMAIS - São as que se situam acima da pressão atmosférica normal. Ocorrem em trabalhos realizados em tubulações de ar comprimido, máquinas de perfuração, caixões pneumáticos e trabalhos executados por mergulhadores.

15 Riscos Químicos Divisão Gases e Vapores Líquidos Sólidos Irritantes Asfixiantes Anestésicos Nevoas Neblina Poeiras Fumos Minerais Vegetais Alcalinas

16 Riscos Químicos  Se dividem em: Gases- estado físico normal de uma substância. Vapores – fase gasosa de uma substância que é líquida ou sólida. Líquidos Sólidos: poeiras e fumos Estes podem formar Aerossóis ou Aerodispersóides – dispersão no ar de partículas de tamanho inferior a 100 micra.

17 Riscos Químicos Gás: Substancia que em condições normais de temperatura e pressão, permanece sempre no seu estado gasoso. Ex: GLP, hidrogênio, ácido nítrico, butano, etc. Vapor: É uma fase gasosa de uma substância que em condições normais de temperatura e pressão tem estado sólido ou líquido. Ex: vapor d’água, vapor de mercúrio metálico, vapor de naftalina, etc.

18 Riscos Químicos Névoas – substâncias que resultam da desagregação mecânica de um líquido por atomização (spray, aerossol) com tamanho variando de 0,01 a 10 micra. Neblinas – substâncias que resultam da condensação de vapores líquidos facilmente visíveis, seu tamanho oscila entre 2 e 60 micra. Fumos - Partículas sólidas geralmente com tamanho menor que 0,1 micra originados por processo de combustão incompleta. EX: fumos de chumbo, cobre, etc.

19 Riscos Químicos  Definição: São partículas sólidas geradas mecanicamente por ruptura de partículas maiores cujo tamanho varia entre 0,1 e 25 micra. As poeiras são classificadas em: a) Poeiras minerais Ex: sílica, asbesto, carvão mineral. b) Poeiras vegetais: Ex: algodão, bagaço de cana-de-açúcar. c) Poeiras alcalinas: Ex: calcário

20 Riscos Químicos  Classificação: Irritantes Asfixiantes Anestésicos ou narcóticos Alérgicos Cancerígenos Pneumoconióticos

21 Riscos Biológicos Considera-se Risco Biológico a probabilidade da exposição ocupacional a agentes biológicos: microrganismos, geneticamente modificados ou não; as culturas de células; os parasitas; as toxinas e os príons. Definição dada pela NR 32.

22 Riscos Ergonômicos A Organização Internacional do Trabalho (OIT) define a ergonomia como " a aplicação das ciências biológicas humanas em conjunto com os recursos e técnicas da engenharia para alcançar o ajustamento mútuo, ideal entre o homem e o seu trabalho, e cujos resultados se medem em termos de eficiência humana e bem-estar no trabalho".

23 Riscos Ergonômicos Video

24 NR 15 - Insalubridade  Acima dos limites de tolerância previstos, Nas atividades : RUÍDO CONTÍNUO OU INTERMITENTE EXPOSIÇÃO AO CALOR RADIAÇÕES IONIZANTES TRABALHO SOB CONDIÇÕES HIPERBÁRICAS RADIAÇÕES NÃO-IONIZANTES VIBRAÇÕES FRIO UMIDADE POEIRAS MINERAIS PRODUTOS QUÍMICOS

25 NR 16  Atividades ou operações perigosas executadas com explosivos,  Operações de transporte de inflamáveis líquidos ou gasosos liquefeitos, Exclusão para o transporte em pequenas quantidades, até o limite de 200 litros para os inflamáveis líquidos e 135 quilos para os inflamáveis gasosos liquefeitos.  Atividades executadas com radiações ionizantes  Atividades realizadas com eletricidades (Lei 7.369/1986)


Carregar ppt "Conceito e Classificação dos Riscos Ambientais Conceito e Classificação dos Riscos Ambientais Enfª do trabalho Jamilie Sena."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google