A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Caros alunos, Em anexo, os slides que foram utilizados na aula de hoje, 13-11-09, sobre a Farmacoterapia da Asma. Envio, ainda, um arquivo com as recomendações.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Caros alunos, Em anexo, os slides que foram utilizados na aula de hoje, 13-11-09, sobre a Farmacoterapia da Asma. Envio, ainda, um arquivo com as recomendações."— Transcrição da apresentação:

1 Caros alunos, Em anexo, os slides que foram utilizados na aula de hoje, , sobre a Farmacoterapia da Asma. Envio, ainda, um arquivo com as recomendações atualizadas da GINA para o tratamento/manejo da Asma. Fiquem à vontade para me procurarem (fico na sala da Profa. Aurigena...) caso tenham dúvidas ou queiram discutir sobre algo. Abraços e ótimo final de semana, Vanessa

2 Farmacoterapia da Asma Universidade Federal do Rio Grande do Norte Curso de Graduação em Medicina DBF Farmacologia Aplicada II Professora Vanessa de Paula Soares

3 Global Iniciative for Asthma (GINA), 2008 DEFINIÇÕES doença inflamatória crônica hiperresponsividade das vias aéreas obstrução do fluxo de ar

4 Global Iniciative for Asthma (GINA), 2008 DEFINIÇÕES doença inflamatória crônica

5 DEFINIÇÕES hiperresponsividade das vias aéreas Global Iniciative for Asthma (GINA), 2008 tosse, aperto no peito e chiado estímulos broncoconstritores (exercício, exposição ao ar frio ou outros irritantes ambientais, estimulação mecânica das vias aéreas) aumento no grau de estreitamento das vias aéreas

6 obstrução do fluxo de ar Global Iniciative for Asthma (GINA), 2008

7 FATORES Relacionados ao indivíduo Genéticos Obesidade Sexo

8 FATORES Genéticos predisposição à alergia predisposição à hiperresponsividade Dolovich et al, 2005

9 Relacionados ao ambiente Alergênios Infecções Sensibilizadores ocupacionais Tabaco Poluição do ar Dieta

10 MECANISMOS Inflamação das vias aéreas Persistente Células inflamatórias e estruturais (mastócitos, eosinófilos, linfócitos, macrófagos, nervo) Mediadores inflamatórios (quimiocinas, leucotrienos, citocinas, histamina, óxido nítrico, protaglandinas)

11 MECANISMOS Alterações estruturais Céls. musculatura lisa: hiperplasia e hipertrofia Vasos sanguíneos Hipersecreção de muco

12

13 DIAGNÓSTICO Histórico Exame físico Testes

14

15

16 Pico de Fluxo Expiratório (PFE) PFE L/min

17 Histamina (mg/mL) Metacolina (mg/mL) CP20 % declínio VEF1 Normal Leve Moderada Grave Responsividade das vias aéreas

18 DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL Crianças (≤5 anos) Crianças (>5 anos) e adultos Idosos Asma ocupacional Asma x COPD (Chronic Obstrutive Pulmonary Disorder)

19

20 J Bras Pneumol. 2006;32(Supl 7):S 447-S 474 CLASSIFICAÇÃO (SEVERIDADE)

21 J Bras Pneumol. 2006;32(Supl 7):S 447-S 474 CLASSIFICAÇÃO (CONTROLE)

22 FARMACOTERAPIA Controle ou alívio Inalação, Oral ou Parenteral

23

24 FARMACOTERAPIA PARA CONTROLE GLICOCORTICÓIDES (inalado, oral, parenteral) AGONISTAS β 2 -ADRENÉRGICOS (inalado ou oral)

25 FARMACOTERAPIA PARA CONTROLE GLICOCORTICÓIDES

26 MECANISMO DE AÇÃO

27 FARMACOTERAPIA PARA CONTROLE GLICOCORTICÓIDES INALADOS

28

29 FARMACOTERAPIA PARA CONTROLE J Bras Pneumol. 2006;32(Supl 7):S 447-S 474

30 Beclometasona – Aldecina, Alerfin, Beclosol, Clenil; Budesonida – Budecort, busonid, cortasm, pulmicort; Ciclesonida – Alvesco; Flunisonida – Flunitec.

31 FARMACOTERAPIA PARA CONTROLE GLICOCORTICÓIDES INALADOS EFEITOS ADVERSOS candidíase orofaringeal disfonia tosse por irritação* * ciclesonida catarata supressão adrenal redução densidade mineral óssea

32 FARMACOTERAPIA PARA CONTROLE AGONISTAS β 2 -ADRENÉRGICOS

33

34 FARMACOTERAPIA PARA CONTROLE AGONISTAS β 2 -ADRENÉRGICOS INALADOS

35 FARMACOTERAPIA PARA CONTROLE (ADJUVANTE) Formoterol molécula lipofílica e hidrofílica início: 1-3min, duração: 12h Adultos: 1-2 jatos ou 12-24µg (1-2 cápsulas) Salmeterol início: 5-10min, duração: 12h Adultos: µg (2 vezes/d)

36 Formoterol Fluir, Foradil, Formocaps Salmeterol Serevent

37 FARMACOTERAPIA PARA CONTROLE AGONISTAS β2-ADRENÉRGICOS INALADOS EFEITOS ADVERSOS tremores estimulação cardiovascular hipocalemia

38 FARMACOTERAPIA PARA CONTROLE GLICOCORTICÓIDES ORAIS

39 FARMACOTERAPIA PARA CONTROLE Índice terapêutico

40 FARMACOTERAPIA PARA CONTROLE GLICOCORTICÓIDES ORAIS EFEITOS ADVERSOS

41 FARMACOTERAPIA PARA CONTROLE AGONISTAS β 2 -ADRENÉRGICOS ORAIS

42 FARMACOTERAPIA PARA CONTROLE Salbutamol início: 30min, duração: >6h Adultos: 2-4mg, 3-4 vezes/d Terbutalina início: 30min, duração: 4-8h Adultos: 2,5-5mg (3 vezes/d)

43 FARMACOTERAPIA PARA CONTROLE Bambuterol pseudocolinesterases - terbutalina pico: 2-6h, duração: 24h Adultos: mg/d

44 Salbutamol Aerolin, Asmaliv, Aerotrat Terbutalina Bricanyl Bambuterol Bambec

45 FARMACOTERAPIA PARA CONTROLE AGONISTAS β2-ADRENÉRGICOS ORAIS EFEITOS ADVERSOS tremores estimulação cardiovascular hipocalemia

46

47 FARMACOTERAPIA PARA CONTROLE OUTROS FÁRMACOS

48 FARMACOTERAPIA PARA CONTROLE FÁRMACOS QUE ATUAM NA SÍNTESE/RECEPTORES DE LEUCOTRIENOS

49 FARMACOTERAPIA PARA CONTROLE Zileutona

50 FARMACOTERAPIA PARA CONTROLE

51

52 FÁRMACOS INIBIDORES DA SÍNTESE/RECEPTORES DE LEUCOTRIENOS EFEITOS ADVERSOS algumas alterações nas provas de função hepática

53 FARMACOTERAPIA PARA CONTROLE TEOFILINA e derivados

54 FARMACOTERAPIA PARA CONTROLE receptores adenosina fosfodiesterases (↑AMPc, GMPc) mediadores inflamatórios

55 FARMACOTERAPIA PARA CONTROLE

56

57 Ação em vias parenteral, oral e retal (são irritantes da vias respiratórias); Teofilina é bem absorvida pelo trato gastrointestinal e sofre metabolismo hepático;

58 Teofilina - Codrinan

59 FARMACOTERAPIA PARA CONTROLE Distúrbios gastrintestinais (anorexia, náuseas e vômitos), cefaléia, agitação e tremor. EFEITOS ADVERSOS

60 FARMACOTERAPIA PARA CONTROLE CROMONAS Cromoglicato (Intal) Nedocromil (Tilade)

61 FARMACOTERAPIA PARA CONTROLE

62 dose inalatória: 10 a 20mg/4 vezes ao dia pode ser inalado 10 minutos a 1 hora antes das atividades físicas.

63 FARMACOTERAPIA PARA CONTROLE CROMONAS EFEITOS ADVERSOS Gosto desagradável quando inalado Tosse Dor de cabeça Lacrimejamento

64 FARMACOTERAPIA PARA CONTROLE ANTI-IgE

65 FARMACOTERAPIA PARA CONTROLE

66

67

68 Administração a cada 4 semanas Peso corporal (kg) IgE basal (UI/ml) > 20-25> 25-30> 30-40> 40-50> 50-60> 60-70> 70-80> 80-90> > > > > ADMINISTRAÇÃO A CADA 2 SEMANAS > > > >

69 Administração a cada 2 semanas Peso corporal (kg) IgE basal (UI/ml) > 20-25> 25-30> 30-40> 40-50> 50-60> 60-70> 70-80> 80-90> > > ADMINISTRAÇÃO A CADA 4 SEMANAS > > > > > NÃO ADMINISTRAR >

70 FARMACOTERAPIA PARA CONTROLE OMALIZUMAB EFEITOS ADVERSOS Não relatados Contra-indicado: < 12 anos

71 FARMACOTERAPIA Controle ou alívio Inalação, Oral ou Parenteral

72 J Bras Pneumol. 2006;32(Supl 7):S 447-S 474

73 FARMACOTERAPIA PARA ALÍVIO AGONISTAS β 2 -ADRENÉRGICOS INALADOS

74 FARMACOTERAPIA PARA ALÍVIO Salbutamol Terbutalina Fenoterol Levalbuterol Reproterol Pirbuterol Formoterol

75 FARMACOTERAPIA PARA ALÍVIO AGONISTAS β2-ADRENÉRGICOS INALADOS EFEITOS ADVERSOS Taquicardia Tremores

76 FARMACOTERAPIA PARA ALÍVIO AGONISTAS β 2 -ADRENÉRGICOS ORAIS

77 FARMACOTERAPIA PARA ALÍVIO Idosos Crianças Salbutamol 2-4mg, 3-4 vezes/d Comprimidos/xarope

78 FARMACOTERAPIA PARA ALÍVIO AGONISTAS β2-ADRENÉRGICOS ORAIS EFEITOS ADVERSOS Taquicardia Tremores

79 FARMACOTERAPIA PARA ALÍVIO GLICOCORTICÓIDES ORAIS

80 FARMACOTERAPIA PARA ALÍVIO Prednisolona 40-50mg/d durante 5-10 dias Início: 4-6h

81 FARMACOTERAPIA PARA ALÍVIO GLICOCORTICÓIDES ORAIS EFEITOS ADVERSOS Metabolismo glicose Aumento apetite Retenção líquidos Ganho peso Face redonda Alterações humor Hipertensão Úlcera

82 FARMACOTERAPIA PARA ALÍVIO ANTAGONISTAS MUSCARÍNICOS

83 FARMACOTERAPIA PARA ALÍVIO

84 M3

85 FARMACOTERAPIA PARA ALÍVIO Brometo de ipratrópio 5-15min, duração 3-5h

86 FARMACOTERAPIA PARA ALÍVIO Ipratrópio: Atrovent Duovent

87 FARMACOTERAPIA PARA ALÍVIO ANTAGONISTAS MUSCARÍNICOS EFEITOS ADVERSOS Boca seca Gosto amargo na boca

88 FARMACOTERAPIA PARA ALÍVIO TEOFILINA

89 FARMACOTERAPIA PARA ALÍVIO 4-6 mg/Kg a cada 4-8h (ataque) 1-2 mg/Kg a cada 6-12h (manutenção)

90 FARMACOTERAPIA PARA ALÍVIO TEOFILINA EFEITOS ADVERSOS cefaléia, palpitação, tontura, náuseas, hipotensão, dor, agitação, inquietude, taquicardia, vômitos

91 J Bras Pneumol. 2006;32(Supl 7):S 447-S 474

92

93

94


Carregar ppt "Caros alunos, Em anexo, os slides que foram utilizados na aula de hoje, 13-11-09, sobre a Farmacoterapia da Asma. Envio, ainda, um arquivo com as recomendações."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google