A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO  A MULHER NO MERCADO DE TRABALHO  A MULHER NO RAMO METALÚRGICO  PERFIL DA MULHER DIRIGENTE METALÚRGICA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO  A MULHER NO MERCADO DE TRABALHO  A MULHER NO RAMO METALÚRGICO  PERFIL DA MULHER DIRIGENTE METALÚRGICA."— Transcrição da apresentação:

1

2 ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO  A MULHER NO MERCADO DE TRABALHO  A MULHER NO RAMO METALÚRGICO  PERFIL DA MULHER DIRIGENTE METALÚRGICA

3 A MULHER NO MERCADO DE TRABALHO

4 Estimativa das pessoas da PIA por sexo Estimativa da população economicamente ativa (PEA)  Crescimento do número de mulheres em 13,3%, acima do crescimento dos homens de 12,9%  Ganho de importância que as mulheres conquistaram no período. - Crescimento do número de mulheres em 18,8%, acima do crescimento dos homens de 11,3% - Resultado da inclusão de 7 milhões de trabalhadoras no mercado de trabalho nacional, com uma participação de 44%.

5 - Índice de desocupação das mulheres além de ser maior que dos homens no período de 2002 e 2009 variou apenas 0,5%, enquanto dos homens teve uma queda de 0,9%; - Diferença de 58,38% de ganho a mais nos salários dos homens em 2002, essa diferença cai para 50,74% em Taxa de desocupação por sexoRemuneração média por sexo

6 A MULHER NO RAMO METALÚRGICO

7 - Embora pequena a participação das mulheres, o ritmo do crescimento da ocupação feminina foi de 68,31%, acimas da dos homens que foi de 47,70% - O impacto da crise mundial afetou de forma diferente as mulheres com redução da ocupação em 2,09%, ficando a redução da ocupação masculina em 6,89%. Participação no ramo metalúrgico por sexo Remuneração média no ramo metalúrgico por sexo - o bom momento vivido pela indústria metalúrgica brasileira não refletiu em melhora substancial da remuneração das mulheres, em 2002 elas recebiam em média 44% a menos que os homens e em 2009 praticamente 39% a menos.

8 PERFIL DA MULHER DIRIGENTE METALÚRGICA

9 METODOLOGIA  a aplicação do questionário foi feita via telefone;  em 2010 foram acrescentadas novas perguntas;  o questionário visava abordar diversos aspectos da vida da mulher dirigente, a saber:  Bloco A: identificação da entrevistada;  Bloco B: características pessoais;  Bloco C: características do domicílio;  Bloco D: saúde;  Bloco E: vida profissional; e  Bloco F: trabalho sindical.

10 PAINEL ENTREVISTADAS  82,7% das dirigentes responderam o questionário em 2010, em 2002 foram 71,4%; e  10 Unidades da Federação representadas;  o Sudeste conta com 61,1% das dirigentes entrevistadas, em 2002 eram 47,0%; e  São Paulo continua sendo o Estado com mais dirigentes, 21,2% em 2002 e 44,4% em 2010.

11 PERFIL PESSOAL  merece destaque:  passa de 37,2% para 43,1% o percentual de mulheres chefes de família;  o número de dependentes diminuiu, 40,3% tem apenas 1 dependente; e  passa de 48,2% para 54,2% o percentual de mulheres com ensino médio.

12 PERFIL PROFISSIONAL  merece destaque:  a faixa de 16 a 24 anos de tempo de trabalho continua sendo a de maior incidência;  idade média de 40 anos em 2010;  69,4% começou a trabalhar antes dos 18 anos de idade e;  cresce o tempo como metalúrgica e o tempo de casa.

13 PERFIL DO DOMICÍLIO  merece destaque:  diminui o número de residentes, 48,6% dos domicílios possuem de 2 a 3 pessoas;  79,2% dos domicílios são próprios (74,5% em 2002);  69,4% dos domicílios tem entre 4 e 6 cômodos (57,1% em 2002);  83,3% não possuí coleta seletiva;  48,6% possuem computador com internet;  44,4% possuem carro de passeio (25,6% em 2002);

14 SAÚDE  merece destaque:  passa de 56,8% para 72,2% o número de dirigentes que possuem plano de saúde subsidiado pela empresa; e  41,7% das dirigentes utilizam clínica odontológica particular.

15 REMUNERAÇÃO  merece destaque:  remuneração média de R$ 1.260,00;  23,6% das dirigentes (17 mulheres) recebem entre R$ 510,00 e R$ 750,00;  a região nordeste concentra os menores salários;  todas as dirigentes que recebem acima de R$ 2.000,00 são de São Paulo;  apenas 5 dirigentes (7% das entrevistadas) recebem acima de R$ 3.000,00.

16 FUNÇÃO NA FÁBRICA  merece destaque:  cresce a proporção de mulheres na área administrativa (de 8,2% para 11,1%);  apenas no sudeste há ocorrência de dirigentes na área administrativa;  também cresce a proporção nas atividades de produção (de 37,6% para 55,6%); e  em todas as UFs há mulheres na produção (considerando também os cargos auxiliares).

17 FUNÇÃO X REMUNERAÇÃO  merece destaque:  os maiores salários estão na produção, administrativo e serviços de apoio qualificados  é na produção que a média é mais elevada;

18 VIDA PROFISSIONAL  merece destaque:  58,3% das dirigentes nunca receberam promoção (54,1% em 2002);  19,4% foram promovidas, entretanto demorou mais que para os homens;  63,9% das dirigentes não pretendem mudar de profissão, em 2002 eram 52,9%.

19 VIDA PROFISSIONAL  merece destaque:  o percentual de dirigentes contentes com o trabalho atingiu 90,3% (85,9% em 2002);  diminuiu a proporção de dirigentes que ingressaram no ramo metalúrgico porque foi o que apareceu (de 58,8% para 47,2%);  passou de 7,1% para 19,4% o percentual de dirigentes atraídas pela remuneração

20 TRABALHO SINDICAL  merece destaque:  as mulheres permanecem por mais tempo na direção dos sindicatos, 55,6% já participaram de outra gestão (em 2002 eram 49,4%);  a faixa de tempo de maior ocorrência, dentre as que já participaram de outra gestão, foi de 6 a 10 anos de trabalho sindical;  33,3% sente dificuldade para exercer o trabalho sindical (55,3% em 2002);  os principais problemas são de ordem pessoal (29,2% do total, em 2002 era 27,0%);

21 TRABALHO SINDICAL  51,4% ocupam cargos na diretoria executiva, geral ou tesouraria (38,8% em 2002);  1 presidenta (nenhuma em 2002);  entre 2002 e 2010 observa-se:  as mulheres estão mais presentes nas negociações, formações sindical, comunicação e organização de mulheres;  menos presentes em OLT, panfletagens, assembléias, reuniões em geral e CIPA;

22 AVALIAÇÃO DO SINDICATO  merece destaque:  em 2002 os dois problemas apontados foram organização (51,8%) e politização dos dirigentes (51,8%); já em 2010, politização dos dirigentes (48,6%) e contato insuficiente com os trabalhadores (34,7%).

23 POLÍTICA PARTIDÁRIA  merece destaque:  diminui a proporção de dirigentes filiadas a partidos políticos; e  diminuiu a proporção de dirigentes que julgam existir relação entre o trabalho sindical com a política partidária.

24 COMENTÁRIOS FINAIS  Apesar dos avanços identificados ainda há um longo caminho pela frente;  Apesar de estarem mais presentes que em 2002, as mulheres são minoria no ramo metalúrgico;  A igualdade de oportunidades ainda não é uma realidade:  as mulheres são mais escolarizadas, porém possuem remuneração inferior;  a mobilidade profissional é maior entre os homens;  somente duas mulheres ocupam o cargo de presidenta em sindicatos de metalúrgicos; e  o machismo, assim como questões familiares, continuam sendo citados como problemas para o trabalho sindical.


Carregar ppt "ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO  A MULHER NO MERCADO DE TRABALHO  A MULHER NO RAMO METALÚRGICO  PERFIL DA MULHER DIRIGENTE METALÚRGICA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google