A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

TUBERCULOSE SAÚDE COLETIVA - 4 a série de Medicina

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "TUBERCULOSE SAÚDE COLETIVA - 4 a série de Medicina"— Transcrição da apresentação:

1 TUBERCULOSE SAÚDE COLETIVA - 4 a série de Medicina
VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA das Doenças Respiratórias Crônicas TUBERCULOSE Maria Lúcia Machado Salomão/DESC/2010 FAMERP - HB

2 Tuberculose – problema de saúde pública.
Brasil e 21 países em desenvolvimento 80% dos casos mundiais ! MLMS - FAMERP

3 Doença em Estado de Urgência a Nível Mundial (OMS, 2005)
Mundo - 1/3 população infectada pelo M. tuberculosis - 9 milhões de casos novos / ano - 3 mihões mortes / ano pessoas infectadas com M. tuberculosis e HIV MLMS - FAMERP

4 Doença em Estado de Urgência a Nível Mundial (OMS, 2005)
Brasil - 90 mil casos novos / ano - 10 novos doentes / hora - 14 óbitos / dia óbitos MLMS - FAMERP

5 Estimativa da Organização Mundial de Saúde (OMS, 2005)
1995 2000 2005 Casos novos Óbitos MLMS - FAMERP

6 Cadeia de Adoecimento 5% dos casos bacilos no parênquima pulmonar ou linfonodos – TBC 1ária
Via Aerógena Partículas secas – Núcleos de Wells Estado Bacteriológico - Bacilífero = baciloscopia do escarro (+) > 5000 bac./m Não bacilífero = baciloscopia do escarro ( - ) Intensidade do contato: Intradomiciliar Extradomiciliar Manual de Normas / Minist. Saúde, MLMS - FAMERP

7 MLMS - FAMERP

8 Etiologia Mycobacterium tuberculosis
Robert Koch (1882): identifica o agente responsável pela Tuberculose Bastonete fino, mede 0,4 x 3um, aeróbio, álcool-ácido resistente. Rico em lípídeos (ac. micólico) – crescimento lento. Jawetz et al., 1991; Kendig, E.L., MLMS - FAMERP

9 MLMS - FAMERP

10 Criança – Muito susceptível - Raram. Foco de Infecção (Paucibacilar)
Cadeia do Adoecimento Foco de Infecção Criança – Muito susceptível - Adulto Doente - Foco - Raram. Foco de Infecção (Paucibacilar) Meio Ambiente Manual de Normas / Minist. Saúde, MLMS - FAMERP

11 MLMS - FAMERP

12 Acometimento de outros Órgãos
Sinais e Sintomas + Freqüentes Adulto – forma pulmonar mais frequente Criança – parênquima e ganglios Comum a todos grupos etários - Assintomtico - Tosse persistente - Mal estar geral - Febre baixa prolongada - Apatia - Perda de peso - Sudorese noturna - Hemoptise Lactentes e Pré-escolares - Convulsão Diarréia e vômitos - Alt. do sensório Insuf. Respiratória Escolares - Dor torácica Acometimento de outros Órgãos Benites e col., MLMS - FAMERP

13 Exame Físico Aparelho Respiratório: - Normal
- Sinais de condensação - Roncos e/ou sibilos Sistema Reticuloendotelial em criança - Adenomegalia – cervical é + comum Benites e col., MLMS - FAMERP

14 Achados Diagnósticos da Tuberculose
Grupos etários RN, lactentes, pré-escolares Escolares, adolescentes e adultos Clínica Febre prolongada Sintomas gerais: inapetência, parada de crescimento, irritabilidade, emagrecimento Sintomas respiratórios : tosse, expectoração, hemoptise Rx Contágio Intradomiciliar, vizinhos próximos Passado, desconhecido, escola Ars Cvrandi, 17(6):80, MLMS - FAMERP

15 Profilaxia MLMS - FAMERP

16 PROFILAXIA Quimioprofilaxia 1 ária e 2 ária
BCG Obrigatória em < 1 ano Quimioprofilaxia 1 ária e 2 ária Interceptar a Cadeia de Transmissão Evitar o adoecimento dos infectados Descoberta e tratamento da fonte de contágio Proteção contra a Primo Infecção Manual de Normas / Minist. Saúde MLMS - FAMERP

17 MLMS - FAMERP

18 “ A persistência da Tuberculose apesar do tratamento de baixo custo, difundido, efetivo e acessível, representa a maior falência da saúde pública no século XX” Jeffrey R. Starke Seminars in Pediatric Infectous Diseases, Vol. 4, nº (October), 1993: pg MLMS - FAMERP

19 MLMS - FAMERP

20 Tratamento Princípios Gerais
Doença grave curável em 100% dos casos novos. É necessário que se obedeça os princípios da moderna quimioterapia. Associação medicamentosa e uso regular por tempo suficiente. Manual de Normas / Minist. Saúde, MLMS - FAMERP

21 Manual de Normas / Minist. Saúde, 1994 MLMS - FAMERP
Tratamento Esquema I – 2RHZ/4RH* - indicado nos casos novos de todas as formas de tuberculose pulmonar e extrapulmonar, exceto meningite Fase do Tratamento Drogas Peso do Doente Até 20kg + 20kg até 35kg + 35kg até 45kg + 45kg mg/kg/dia mg/dia 1ª fase (2 meses) R H Z 10 300 450 600 200 400 35 1000 1500 2000 2ª fase ( 4 meses) R H Manual de Normas / Minist. Saúde, MLMS - FAMERP

22 Tratamento Princípios Gerais
Regime Ambulatorial próximo da residência do doente. Terapêutica supervisionada competência dos Serviços de Saúde. Drogas só ingestão diária, em jejum, de manhã Crianças uso de xaropes ou suspensão Manual de Normas / Minist. Saúde, MLMS - FAMERP

23 Tratamento Indicações de Hospitalização
Meningite Tuberculosa; Complicações graves da tuberculose; Intolerância medicamentosa incontrolável em ambulatório; Estado geral que não permita tratamento em ambulatório; Intercorrências clínicas e/ou cirúrgicas graves; Casos sociais sem residência fixa, possibilidade de abandono, casos de retratamento ou falência. Manual de Normas / Minist. Saúde, MLMS - FAMERP

24 MLMS - FAMERP

25 “ A Tuberculose, contra a qual existe intervenção eficaz, permanece abandonada e o mundo deveria envergonhar-se” De Cock, KM: Am J Public Health, 1996; 86:1701-3 MLMS - FAMERP

26 MLMS - FAMERP

27 Vigilância Epidemiológica Objetivos transmissão da TBC
Notificação – DNC Definição de caso – sint resp por 3 ou mais semanas MLMS - FAMERP

28 Busca de sintomáticos respiratórios Vacinação com BCG
Medidas de controle Busca de sintomáticos respiratórios Vacinação com BCG Controle de contatos Isolamento respiratório em pacientes internados Quimioprofilaxia Educação em saúde MLMS - FAMERP

29 Obrigada! BOM DIA! MLMS - FAMERP


Carregar ppt "TUBERCULOSE SAÚDE COLETIVA - 4 a série de Medicina"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google