A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Uma realidade possível para as nossas comunidades.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Uma realidade possível para as nossas comunidades."— Transcrição da apresentação:

1 Uma realidade possível para as nossas comunidades.

2 Eu penso que os sofrimentos do tempo presente não têm proporção com a glória que há de ser revelada em nós. (...)Sabemos que toda a criação, até o presente, está gemendo como que em dores de parto, e não somente ela, mas também nós, que temos as primícias do Espírito (...).

3 Da mesma forma, o Espírito vem em socorro de nossa fraqueza. Pois não sabemos que pedir nem como pedir; é o próprio Espírito que intercede em nosso favor, com gemidos inefáveis. Sabemos que tudo contribui para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu desígnio. (cf. Rom. 8, 18-30)

4

5 O trabalho Pastoral Familiar divide-se em 3 setores: PRÉMATRIMONIALPÓSMATRIMONIALCASOSESPECIAIS

6 Recém- casados Gestação A educação dos filhos Ação transformadora Formação

7 VAMOS VER O QUE PODEMOS FAZER COM ESSES JOVENS.

8 Aplicar uma determinada vacina ajuda a prevenir o mal que pode ou não contaminar uma pessoa. Remédios aplicados após a “doença” se manifestar: – Podem curar totalmente; – Podem curar, mas deixar sequelas; – Podem não mais curar. Mt. 7, 26-27: não ouviu e arruinou-se.

9 CINCO PONTOS: 1.O que são os Encontros para Novos Casais? 2.Por que trabalhar com os Novos Casais? A Igreja e a sociedade realmente precisam desses encontros? 3.Quais os objetivos desse trabalho? 4.Como funciona o trabalho? 5.Como são os encontros?

10

11 1.São o fruto de uma experiência pessoal: quem é chamado mais cedo e levado a conhecer a Verdade (Mt. 19, 4-6) permanece no Amor Conjugal e o cultiva. 2.São o resultado de uma grande preocupação com os jovens casais. Experiência vivida há 12 anos no acompanhamento de casais nas paróquias. 3.São o atendimento ao pedido de Cristo (Mc. 16, 15) e ao apelo da Igreja. 4.São a preocupação e o cuidado com os filhos e filhas de toda a comunidade.

12 Dessa preocupação nasceram os encartes da Revista Família Cristã, publicados entre julho/07 e junho/09.

13 grupos de acompanhamento matrimonial orientar os recém-casados primeiros anos de casamento Os encontros são um trabalho da Pastoral Familiar, que organiza grupos de acompanhamento matrimonial para orientar os recém-casados, em seus primeiros anos de casamento. ligação estreita entre os Setores Pré e Pós- matrimônio É um trabalho que promove uma ligação estreita entre os Setores Pré e Pós- matrimônio da Pastoral Familiar. trabalho pastoral Dentro da estrutura da Igreja, é um trabalho pastoral (busca, acolhe, cuida e conduz) e não um movimento eclesial.

14

15 1.Urgência e necessidade de uma evangelização e catequese pré e pós- matrimoniais, feitas por toda a comunidade cristã. (cf Familiaris Consortio, 68) 2.Olhar para as famílias jovens que vivem num contexto de novos valores e responsabilidades e estão mais expostas a eventuais dificuldades.” (cf. Familiaris Consortio, 69)

16 construir uma comunidade paroquial viva capaz de acolher os novos esposos e testemunhar os valores da família 3.É preciso construir uma comunidade paroquial viva, capaz de acolher os novos esposos e testemunhar os valores da família, com agentes de pastoral preparados. (cf. Diretório da Pastoral Familiar, 280)

17 organize equipes de apoio para desencadear um processo pedagógico de aproximação ou manutenção do vínculo dos novos casais com a comunidade eclesial 4.“A ação pastoral organize equipes de apoio para desencadear um processo pedagógico de aproximação ou manutenção do vínculo dos novos casais com a comunidade eclesial. Seja por meio de visitas domiciliares e conversas, seja por meio de reuniões de grupo, retiros e encontros.” (cf. Diretório da Pastoral Familiar, 282)

18 projetos que promovam famílias evangelizadas e evangelizadoras 5. Estimular projetos que promovam famílias evangelizadas e evangelizadoras. (item b) Estimular e promover a educação integral dos membros da família Estimular e promover a educação integral dos membros da família, (...) incluindo a dimensão do amor e da sexualidade. (item e) (cf. Documento de Aparecida, 437)

19 Porque queremos que todos os jovens casais amadureçam juntos e vivam o Amor até que a morte os separe.

20

21 1.Solidificar as bases para a construção da vida matrimonial, que passa por problemas. má propaganda em torno do matrimônio, o consumismo, o utilitarismo cada vez maior, entre outras. 2.Encontrar caminhos para o diálogo permanente, pois somente com ele os primeiros anos da vida matrimonial poderão ser superados. A conversa a dois é importantissima para a caminhada de vida e a construção de um lar verdadeiro.

22 3.Refletir sobre as deficiências de cada cônjuge, principalmente as que foram adquiridas durante o período do namoro. Ajudar no reparo de namoros vividos na superficialidade. Mostrar que existe um lado “difícil” no outro. 4.Formar pequenas comunidades ou grupos de famílias interessados na construção de uma nova realidade social. 5.Motivar para a participação ativa na comunidade eclesial.

23

24 não é um livro de regras fixas O subsídio não é um livro de regras fixas e imutáveis. Ali, cada agente encontrará informações para entender um pouco mais sobre cada um dos temas e algumas dicas de como fazer para que o trabalho seja realizado da melhor forma possível.

25 Ter o material de apoio é importante para o aprofundamento dos temas. Os mais importantes: –o Catecismo da Igreja; –o Diretório da Pastoral Familiar; –a Missão da Família Cristã no Mundo de Hoje (Familiaris Consortio); –E o Documento de Aparecida.

26

27

28

29 Casais e outros agentes interessados (senhores viúvas, religiosos, etc.) recebem das equipes de noivos indicações de casais. Os casais são contatados pelo agente que passa a ser o dirigente daquele grupo

30 MENSALMENTE Com a presença dos dirigentes. 1 Encontro de espiritualidade e catequese na casa de um dos casais. 1 Encontro de integração e confraternização só entre eles com uma tarefa a ser feita.

31 A CADA 6 MESES OU FINAL DE CICLO A CADA 6 MESES OU FINAL DE CICLO Realiza-se um encontro de integração entre os grupos da paróquia (Encontro de Recém-casados)

32 PORQUE NO LIVRO DO AGENTE estão as informações necessárias para que o dirigente do grupo possa informar-se sobre o tema e ter outras referências. PORQUE NO LIVRO DO AGENTE estão as informações necessárias para que o dirigente do grupo possa informar-se sobre o tema e ter outras referências. E NO LIVRO DO CASAL, estão as orações e os encontros prontos para serem aplicados nos grupos.

33 DIRIGENTES CASAIS

34

35 São realizados de forma missionária, sempre indo pelas casas dos recém- casados. Pretende acolhê-los e catequizá-los fazendo o encontro da VIDA com a ESPIRITUALIDADE, mostrando que somos seres integrais. Para isso preparam-se 24 encontros personalizados (nas casas) e 4 encontros na paróquia.

36 1.Casamos. E agora? É o começo? 2.“Eu não aprendi a fazer isso assim!” Dois mundos que se encontram. 3.Guerra dos sexos no lar: perigo à vista. 4.Os seus amigos... os nossos amigos! 5.Meu, seu e nosso? A partilha. 6.Quando o silêncio não ajuda.

37 7.Queremos ter ou queremos ser? Quais são os valores que nos interessam? 8.Interferências familiares: o que fazer? 9.“Até que a morte nos separe” é muito tempo? 10.Fidelidade se aprende praticando. 11.Conversar com Deus a dois e a sós: a oração. 12.“Eu sou seu. Você é minha.” Verdadeiro ou falso?

38

39 Livro do agente Volume 2 Livro do agente Volume 2 Livro dos casais Volume 2 Livro dos casais Volume 2 SERÃO LANÇADOS MAIS DOIS LIVROS (VOLUME 2), COM MAIS 12 ENCONTROS, PARA QUE O TRABALHO ACONTEÇA POR 2 ANOS. SERÃO LANÇADOS MAIS DOIS LIVROS (VOLUME 2), COM MAIS 12 ENCONTROS, PARA QUE O TRABALHO ACONTEÇA POR 2 ANOS.

40 13.Entre quatro paredes: a intimidade conjugal. 14.Esfriou a relação: “Mas quando nós namorávamos... O que mudou agora?” 15.Um dia ruim e, depois, outro pior. Será que vai melhorar? A esperança nos contratempos da vida.

41 16.E quando alguém erra?A prática do perdão. 17.Quem é o melhor? 18.Segredos ou apenas "esquecimentos"? 19.Como planejar os filhos? Planejamento familiar no dia-a-dia. 20.As outras realidades conjugais e familiares que vemos por aí.

42 21.Estamos preparando um mundo novo? 22.E quando chegarem os filhos? 23.A quem iremos, Senhor? 24.Família, imagem de Deus.

43

44 Disponibilidade ao serviço. Perseverar sempre. Os agentes devem manter contato com o(s) grupo(s). Pode acontecer de pular um mês entre um encontro e outro, mas não há problemas. O importante é sempre adequar as necessidades do grupo à reunião.

45 É um trabalho totalmente missionário, pois além de ir de casa em casa, é preciso exercitar a acolhida, a misericórdia, a compreensão... Os jovens casais não são catequizandos na concepção tradicional, portanto é importante observar a forma que são tratados.

46

47

48 DEUS Pai de bondade, que, por Amor, criastes o homem e a mulher à Sua imagem e semelhança e que desejastes, desde o princípio, unir duas pessoas distintas em uma só carne, ajudai-nos a manter firme e inquebrantável a nossa Aliança Conjugal, fazendo com que a terceira pessoa do nosso matrimônio seja sempre o Vosso Espírito Santo.

49 Que convosco possamos trilhar nosso caminho, como novos casais, testemunhando a todos tudo o que nos fazeis de bom em Vossa Misericórdia. Não permitais, Senhor, que nos afastemos de Vós e de Vosso projeto, para que possamos cumprir a missão que nos destes, no dia de nosso casamento.

50 Abençoai-nos, Pai de Amor, e que, por Jesus Cristo, possamos buscar a santidade como casal, para alcançarmos, um dia, juntos, a Graça dos Céus. Amém! Sagrada Família, rogai por nós.

51 Encontros para Novos Casais

52


Carregar ppt "Uma realidade possível para as nossas comunidades."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google