A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

REVISANDO... SAÚDE DA FAMÍLIA PSF  Reorganizar a Atenção Básica (Porta de Entrada)  Consolidação do SUS. Ações Individuais e Coletivas  Promoção,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "REVISANDO... SAÚDE DA FAMÍLIA PSF  Reorganizar a Atenção Básica (Porta de Entrada)  Consolidação do SUS. Ações Individuais e Coletivas  Promoção,"— Transcrição da apresentação:

1

2 REVISANDO...

3 SAÚDE DA FAMÍLIA PSF  Reorganizar a Atenção Básica (Porta de Entrada)  Consolidação do SUS. Ações Individuais e Coletivas  Promoção, Prevenção e Reabilitação. Mudança de Modelo  Família  Compreensão da realidade sócio- econômico-cultural  Vínculo e Acessibilidade dos serviços. Considera a Saúde Bucal como componente de QUALIDADE DE VIDA. PSF  Reorganizar a Atenção Básica (Porta de Entrada)  Consolidação do SUS. Ações Individuais e Coletivas  Promoção, Prevenção e Reabilitação. Mudança de Modelo  Família  Compreensão da realidade sócio- econômico-cultural  Vínculo e Acessibilidade dos serviços. Considera a Saúde Bucal como componente de QUALIDADE DE VIDA.

4 Atenção Básica PSFPACSUBSOUTROS

5 MODELOSRECURSOS HUMANOS FOCOPROCEDIMENTOS REALIZADOS UBS Médicos, enfermeiros, dentistas e auxiliares Indivíduo Atendimento ambulatorial, PACS Agentes Comunitários de Saúde Família Educação em saúde e visita domiciliar PSF 1 Médico, 1 enfermeiro, 1 dentista e auxiliares Família Atendimento ambulatorial, Educação em saúde, visita domiciliar

6 1 - PRINCÍPIOS GERAIS A estratégia de Saúde da Família visa à reorganização da Atenção Básica no País, de acordo com os preceitos do Sistema Único de Saúde. Além dos princípios gerais da Atenção Básica, a estratégia Saúde da Família deve: I - ter caráter substitutivo em relação à rede de Atenção Básica tradicional nos territórios em que as Equipes Saúde da Família atuam; II - atuar no território, realizando cadastramento domiciliar, diagnóstico situacional, ações dirigidas aos problemas de saúde de maneira pactuada com a comunidade onde atua, buscando o cuidado dos indivíduos e das famílias ao longo do tempo, mantendo sempre postura pró-ativa frente aos problemas de saúde-doença da população; Saúde da Família

7 1 - PRINCÍPIOS GERAIS A estratégia de Saúde da Família visa à reorganização da Atenção Básica no País, de acordo com os preceitos do Sistema Único de Saúde. Além dos princípios gerais da Atenção Básica, a estratégia Saúde da Família deve: III - desenvolver atividades de acordo com o planejamento e a programação realizados com base no diagnóstico situacional e tendo como foco a família e a comunidade; IV - buscar a integração com instituições e organizações sociais, em especial em sua área de abrangência, para o desenvolvimento de parcerias; e V - ser um espaço de construção de cidadania. Saúde da Família

8 SAÚDE DA FAMÍLIA Programa Saúde da FamíliaPrograma Saúde da Família * Histórico - PACS * Implementação - Implantação do PSF - Implantação do E. S. Bucal Programa Saúde da FamíliaPrograma Saúde da Família * Histórico - PACS * Implementação - Implantação do PSF - Implantação do E. S. Bucal

9 BASES DAS AÇÕES DO PSF Planejamento de ações Saúde, Promoção e Vigilância Trabalho interdisciplinar em equipe Abordagem integral da família Planejamento de ações Saúde, Promoção e Vigilância Trabalho interdisciplinar em equipe Abordagem integral da família

10 PLANEJAMENT O DAS AÇÕES Conhecer os fatores determinantes do processo saúde-doença na comunidade Estabelecer prioridades entre problemas e traçar estratégias para superação Conhecer o perfil epidemiológico da população de seu território Garantir estoque regular de todos os insumos para o funcionamento das ESF Conhecer os fatores determinantes do processo saúde-doença na comunidade Estabelecer prioridades entre problemas e traçar estratégias para superação Conhecer o perfil epidemiológico da população de seu território Garantir estoque regular de todos os insumos para o funcionamento das ESF

11 BASES DAS AÇÕES DO PSF Planejamento de ações Saúde, Promoção e Vigilância Trabalho interdisciplinar em equipe Abordagem integral da família Planejamento de ações Saúde, Promoção e Vigilância Trabalho interdisciplinar em equipe Abordagem integral da família

12 SAÚDE, PROMOÇÃO E VIGILÂNCIA À SAÚDE Conhecer os fatores que determinam a qualidade de vida da comunidade Articular com outros setores da sociedade (Intersetorialidade) Estimular a participação da comunidade no planejamento, execução e avaliação das ESF Articular ações integradas para a melhoria constante da qualidade de saúde da população Conhecer os fatores que determinam a qualidade de vida da comunidade Articular com outros setores da sociedade (Intersetorialidade) Estimular a participação da comunidade no planejamento, execução e avaliação das ESF Articular ações integradas para a melhoria constante da qualidade de saúde da população

13 BASES DAS AÇÕES DO PSF Planejamento de ações Saúde, Promoção e Vigilância Trabalho interdisciplinar em equipe Abordagem integral da família Planejamento de ações Saúde, Promoção e Vigilância Trabalho interdisciplinar em equipe Abordagem integral da família

14 TRABALHO INTERDISCIPLINA R Conhecer e analisar o trabalho de toda a ESF na Unidade, no domicílio e na comunidade Compartilhar conhecimentos e informações para o desenvolvimento do trabalho em equipe Participar da formação e do treinamento de pessoal auxiliar, voluntários e estagiários. Conhecer e analisar o trabalho de toda a ESF na Unidade, no domicílio e na comunidade Compartilhar conhecimentos e informações para o desenvolvimento do trabalho em equipe Participar da formação e do treinamento de pessoal auxiliar, voluntários e estagiários.

15 BASES DAS AÇÕES DO PSF Planejamento de ações Saúde, Promoção e Vigilância Trabalho interdisciplinar em equipe Abordagem integral da família Planejamento de ações Saúde, Promoção e Vigilância Trabalho interdisciplinar em equipe Abordagem integral da família

16 ABORDAGEM INTEGRAL DA FAMÍLIA Compreendê-la de forma integral e sistêmica, como espaço de desenvolvimento individual e de grupo, dinâmico e passível de crises Identificar a relação da família com a comunidade Identificar processos de violência no meio familiar e abordá-los de forma integral Compreendê-la de forma integral e sistêmica, como espaço de desenvolvimento individual e de grupo, dinâmico e passível de crises Identificar a relação da família com a comunidade Identificar processos de violência no meio familiar e abordá-los de forma integral

17 EQUIPE MULTIPROFISSIONAL NO PFS Equipe do PSFEquipe do PSF * ACS * Médicos, Enfermeiras, Auxiliares Equipe de Saúde BucalEquipe de Saúde Bucal * Modalidade tipo I * Modalidade tipo II Equipe do PSFEquipe do PSF * ACS * Médicos, Enfermeiras, Auxiliares Equipe de Saúde BucalEquipe de Saúde Bucal * Modalidade tipo I * Modalidade tipo II

18 ATRIBUIÇÕES COMUNS Conhecer a realidade; Identificar os problemas de saúde; Valorizar relação com o usuário e sua família; Realizar visitas domiciliares; Resolver os problemas da atenção básica; Conhecer a realidade; Identificar os problemas de saúde; Valorizar relação com o usuário e sua família; Realizar visitas domiciliares; Resolver os problemas da atenção básica;

19 Garantir a Integralidade (continuidade); Prestar assistência integral; Organizar grupos de educação para a saúde; Promover ações intersetoriais; Fomentar participação popular; Garantir a Integralidade (continuidade); Prestar assistência integral; Organizar grupos de educação para a saúde; Promover ações intersetoriais; Fomentar participação popular; ATRIBUIÇÕES COMUNS

20 Realizar mapeamento de sua área Cadastrar as famílias Identificar áreas e grupos de risco Orientar a comunidade quanto ao atendimento, educação e prevenção para a saúde Traduzir para a ESF a dinâmica social da comunidade Realizar mapeamento de sua área Cadastrar as famílias Identificar áreas e grupos de risco Orientar a comunidade quanto ao atendimento, educação e prevenção para a saúde Traduzir para a ESF a dinâmica social da comunidade ATRIBUIÇÕES DO AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE

21 O ACS – base da ESF

22

23 Realizar consultas clínicas Executar ações de assistência integral: criança, adolescente, mulher, adulto e idoso. Aliar atuação clínica com saúde coletiva Fomentar formação de grupos de patologias específicas: diabéticos e hipertensos. Realizar consultas clínicas Executar ações de assistência integral: criança, adolescente, mulher, adulto e idoso. Aliar atuação clínica com saúde coletiva Fomentar formação de grupos de patologias específicas: diabéticos e hipertensos. ATRIBUIÇÕES DO MÉDICO

24 Realizar consultas de enfermagem Executar ações de assistência integral: criança, adolescente, mulher, adulto e idoso. Fomentar formação de grupos de patologias específicas: diabéticos e hipertensos. Coordenar ações para capacitação de ACS e auxiliares de enfermagem. Realizar consultas de enfermagem Executar ações de assistência integral: criança, adolescente, mulher, adulto e idoso. Fomentar formação de grupos de patologias específicas: diabéticos e hipertensos. Coordenar ações para capacitação de ACS e auxiliares de enfermagem. ATRIBUIÇÕES DO ENFERMEIRO

25 Realizar procedimentos de enfermagem Preparar o usuário para as consultas e exames Zelar pela ordem e limpeza do ambiente de trabalho Realizar busca ativa de casos Realizar procedimentos de enfermagem Preparar o usuário para as consultas e exames Zelar pela ordem e limpeza do ambiente de trabalho Realizar busca ativa de casos ATRIBUIÇÕES DO AUXILIAR DE ENFERMAGEM

26 Realizar levantamento epidemiológico Realizar procedimentos clínicos básicos (quais?) Realizar tratamento integral Coordenar ações coletivas de saúde bucal Capacitar as ESF no que se refere às ações de saúde bucal Realizar levantamento epidemiológico Realizar procedimentos clínicos básicos (quais?) Realizar tratamento integral Coordenar ações coletivas de saúde bucal Capacitar as ESF no que se refere às ações de saúde bucal ATRIBUIÇÕES DO CIRURGIÃO DENTISTA

27 Realizar procedimentos preventivos, individuais ou coletivos, sob supervisão do CD Realizar procedimentos reversíveis. Zelar pela manutenção e conservação dos equipamentos odontológicos. Realizar procedimentos preventivos, individuais ou coletivos, sob supervisão do CD Realizar procedimentos reversíveis. Zelar pela manutenção e conservação dos equipamentos odontológicos. ATRIBUIÇÕES DO TÉCNICO DE SAÚDE BUCAL

28 Proceder às ações de biossegurança no consultório odontológico Realizar procedimentos educativos e preventivos Instrumentalizar o CD e o TSB Agendar pacientes e orientá-lo quanto ao retorno. Proceder às ações de biossegurança no consultório odontológico Realizar procedimentos educativos e preventivos Instrumentalizar o CD e o TSB Agendar pacientes e orientá-lo quanto ao retorno. ATRIBUIÇÕES DO AUXILIAR DE SAÚDE BUCAL

29 PRINCIPAIS AÇÕES DE SAÚDE NA ATENÇÃO BÁSICA Saúde da Criança Saúde da Mulher Controle de Hipertensão Controle da Diabetes Melittus Controle da Tuberculose Eliminação da Hanseníase Saúde Bucal Saúde da Criança Saúde da Mulher Controle de Hipertensão Controle da Diabetes Melittus Controle da Tuberculose Eliminação da Hanseníase Saúde Bucal Fonte: internet, não me lembro o site... :/

30 SAÚDE DA CRIANÇA Imunização: Esquema vacinal básico, busca de faltosos Assistência a diarreia, desnutrição e outras doenças prevalentes Saúde Bucal: prevenção e cura, focalizando o desenvolvimento neurolinguistico (fonoaudiologia e ortodontia preventiva) Imunização: Esquema vacinal básico, busca de faltosos Assistência a diarreia, desnutrição e outras doenças prevalentes Saúde Bucal: prevenção e cura, focalizando o desenvolvimento neurolinguistico (fonoaudiologia e ortodontia preventiva)

31 SAÚDE DA MULHER PCCU: Rastreamento, coleta de material para exame de citopalogia e consultas Planejamento Familiar: Fornecimento de anticoncepcionais. Saúde Bucal: Atenção integral, estímulo ao AME, orientação sobre hábitos bucais nocivos e prevenção da “cárie de mamadeira” PCCU: Rastreamento, coleta de material para exame de citopalogia e consultas Planejamento Familiar: Fornecimento de anticoncepcionais. Saúde Bucal: Atenção integral, estímulo ao AME, orientação sobre hábitos bucais nocivos e prevenção da “cárie de mamadeira”

32 CONTROLE DE HIPERTENSÃO Cadastramento e tratamento dos portadores Diagnóstico precoce das complicações Medidas preventivas (Dieta, Sedentarismo e Tabagismo) Saúde Bucal: prevenção de agravamentos. Cadastramento e tratamento dos portadores Diagnóstico precoce das complicações Medidas preventivas (Dieta, Sedentarismo e Tabagismo) Saúde Bucal: prevenção de agravamentos.

33 CONTROLE DE DIABETES Diagnóstico de casos Cadastramento e tratamento dos portadores Busca ativa de casos Diagnóstico precoce das complicações Medidas preventivas (obesidade, sedentarismo) Saúde Bucal: prevenção de agravamentos. Diagnóstico de casos Cadastramento e tratamento dos portadores Busca ativa de casos Diagnóstico precoce das complicações Medidas preventivas (obesidade, sedentarismo) Saúde Bucal: prevenção de agravamentos.

34 CONTROLE DE TUBERCULOSE Busca ativa de casos Diagnóstico e notificação Cadastramento e tratamento dos portadores Medidas preventivas: vacinação com BCG, pesquisa de comunicantes, quimioprofilaxia e ações educativas. Busca ativa de casos Diagnóstico e notificação Cadastramento e tratamento dos portadores Medidas preventivas: vacinação com BCG, pesquisa de comunicantes, quimioprofilaxia e ações educativas.

35 CONTROLE DE HANSENÍASE Busca ativa de casos Diagnóstico e notificação Cadastramento e tratamento dos portadores Controle das incapacidades físicas Medidas preventivas: divulgação de sinais e sintomas, pesquisa de comunicantes, prevenção de incapacidades físicas e ações educativas. Busca ativa de casos Diagnóstico e notificação Cadastramento e tratamento dos portadores Controle das incapacidades físicas Medidas preventivas: divulgação de sinais e sintomas, pesquisa de comunicantes, prevenção de incapacidades físicas e ações educativas.

36 SAÚDE BUCAL Identificação das necessidades e expectativas Construção de mapas inteligentes Processo de trabalho de acordo com as diretrizes do PSF, do SUS e do Plano Municipal Ações Intersetoriais para Promoção de Saúde Bucal. Identificação das necessidades e expectativas Construção de mapas inteligentes Processo de trabalho de acordo com as diretrizes do PSF, do SUS e do Plano Municipal Ações Intersetoriais para Promoção de Saúde Bucal.

37 Como implementar? estrategia_saude_da_familia. php estrategia_saude_da_familia. php estrategia_saude_da_familia. php

38 Implementação Saúde Bucal

39 ETAPAS DA REORGANIZAÇÃO: 1ª Etapa: Planejamento da implantação. 2ª Etapa: Treinamento Introdutório com os Profissionais de Saúde Bucal e do PFS. 1ª Etapa: Planejamento da implantação. 2ª Etapa: Treinamento Introdutório com os Profissionais de Saúde Bucal e do PFS.

40

41

42 3ª Etapa: Realização do Levantamento das Condições de Saúde Bucal da População 3ª Etapa: Realização do Levantamento das Condições de Saúde Bucal da População ETAPAS DA REORGANIZAÇÃO:

43 4ª Etapa: Treinamento dos Agentes Comunitários de Saúde ETAPAS DA REORGANIZAÇÃO:

44 5ª Etapa: Ações de Promoção de Saúde Bucal Acesso gradual e Progressivo Prioridade de gestantes e <6anos Visitas domiciliares e Reuniões Atividades nas creches ETAPAS DA REORGANIZAÇÃO:

45 Próximas etapas: Ações nas escolas (crianças >5anos e adolescentes) Ações com Pacientes Especiais, Hipertensos e Diabéticos Avaliação continuada das Ações. ETAPAS DA REORGANIZAÇÃO:

46

47 Exercício do Genograma


Carregar ppt "REVISANDO... SAÚDE DA FAMÍLIA PSF  Reorganizar a Atenção Básica (Porta de Entrada)  Consolidação do SUS. Ações Individuais e Coletivas  Promoção,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google