A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO FACULDADE DE EDUCAÇÃO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA A DISTÂNCIA - CEDERJ DISCIPLINA: SEMINÁRIO 7 Aluno: Isabel.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO FACULDADE DE EDUCAÇÃO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA A DISTÂNCIA - CEDERJ DISCIPLINA: SEMINÁRIO 7 Aluno: Isabel."— Transcrição da apresentação:

1 UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO FACULDADE DE EDUCAÇÃO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA A DISTÂNCIA - CEDERJ DISCIPLINA: SEMINÁRIO 7 Aluno: Isabel Cristina Cantelmo dos Anjos Matrícula: / Polo: Paracambi 2013 / 1

2

3 A Síndrome de Down é um distúrbio genético, causado pela formação do cromossomo 21. Mesmo sendo um caso genético que ocorre em todas as raças e classes sociais, ainda há muita falta de informação e preconceito, um deles é considerá-lo como doença. SÍNDROME DE DOWN

4 CARACTERÍSTICAS Hipotonia Flacidez muscular Comprometimento intelectual, Aparência física Anomalias congênitas Cardiopatia

5 O DESENVOLVIMENTO NA LINGUAGEM As crianças portadoras da síndrome devido ao atraso do desenvolvimento na linguagem, e as dificuldades na produção da fala acarretam um vocabulário mais reduzido, o que causa dificuldades em se expressar com a mesma proporção em compreender o que é falado, levando a ser subestimado quanto o seu processo cognitivo.

6 A estimulação desde o nascimento é a forma mais eficaz de promover o desenvolvimento da criança com Síndrome de Down. A ESTIMULAÇÃO PRECOCE

7 No Brasil, desde 1988, foi estabelecida por Lei a inclusão de pessoas com necessidades especiais, e há várias regulamentações que garantem os direitos de alunos com necessidades especiais na sala de aula regular, uma delas é a Constituição Federal, que estabelece o direito das pessoas com necessidades especiais de receberem educação, preferencialmente na rede regular de ensino.

8 É direito das crianças Down frequentar uma escola regular que lhe ofereça um ensino de qualidade com currículo organizado com adaptações coerentes ao seu desenvolvimento e deve ser assim compreendido e não como um privilégio. ESCOLA : TODA CRIANÇA TEM DIREITO

9 O PAPEL DA ESCOLA A escola deve se empenhar ao máximo para desenvolver a capacidades e potencialidades dos alunos, pois todos têm condições de aprender, mesmos com mais lentidão no seu desenvolvimento. Para isto é importante que a escola: Conheça as dificuldades e habilidades das crianças, Identifique suas atitudes, motivação, interesse, E use estratégias que mais convêm para o seu aprendizado. Trabalhe em parceria com a família

10 É fator importante que o professor crie em sala de aula situações para serem trabalhadas em grupo, onde possa permitir a criança à interação e participação com os outros alunos. AMBIENTE ESCOLAR

11 A inclusão das crianças com Down é uma experiência agradável e bem sucedida, tanto para as crianças com Down, que aprende de forma agradável e prazerosa desenvolver atividades físicas, emocionais e cognitivas que possibilitam a elaboração do pensamento à interação, quanto para as outras crianças, que aprende desde cedo a conviver com as diferenças aceitando-as e respeitando-os.

12 Vinícius Cantelmo da Silva / Vítor Cantelmo dos Anjos Arquivo pessoal

13 Referências Bibliográficas MILANI, Denise. Down, Síndrome De: Como, Onde, Quando, Porque – São Paulo: Livro pronto, 2004 Síndrome de Down: Estudo Exploratório da Memória no Contexto de Escolaridade &script=sci_arttext acesso em 30/05/12 às 22h: 41min &script=sci_arttext SILVA Maria de Fátima Minetto Caldeira. Andréia Cristina dos Santos KLEINHANS Processos Cognitivos e Plasticidade Cerebral na Síndrome De Down Disponível em acesso em 31/05/12 às 22h: 57min


Carregar ppt "UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO FACULDADE DE EDUCAÇÃO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA A DISTÂNCIA - CEDERJ DISCIPLINA: SEMINÁRIO 7 Aluno: Isabel."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google