A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

III-118 - Impactos ambientais e sociais decorrentes da disposição dos resíduos sólidos na área do Aterro da Muribeca município de Jaboatão dos Guararapes-PE.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "III-118 - Impactos ambientais e sociais decorrentes da disposição dos resíduos sólidos na área do Aterro da Muribeca município de Jaboatão dos Guararapes-PE."— Transcrição da apresentação:

1 III Impactos ambientais e sociais decorrentes da disposição dos resíduos sólidos na área do Aterro da Muribeca município de Jaboatão dos Guararapes-PE e Aterro de Aguazinha município de Olinda – PE Autora: Elvira Cristina Carneiro Mergulhão Recife, junho 2012

2 INTRODUÇÃO REVOLUÇÃO INDUSTRIAL REGIÃO METROPOLITNA DO RECIFE (RMR) PROBLEMÁTICA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS Produção de objetos de consumo em larga escala Introdução de novas embalagens no mercado Aumento do volume e diversidade de resíduos Enfrenta sérios problemas causados pela disposição de resíduos sólidos urbanos Pesquisadores dedicam-se na busca de soluções para a problemática de resíduos sólidos afim de minimizar os impactos ambientais

3 OBJETIVO Analisar os impactos ambientais e sociais existentes na área do Aterro da Muribeca no município de Jaboatão dos Guararapes e Aterro de Aguazinha no município de Olinda, PE

4 ÁREAS ESTUDADAS: ATERRO DA MURIBECA

5 Entrou em funcionamento em 1985, como lixão ATERRO DA MURIBECA

6 Em 1994 inicia-se um programa de recuperação ambiental ATERRO DA MURIBECA

7 Em 1994 inicia-se um programa de recuperação ambiental ATERRO DA MURIBECA

8 Programa de Recuperação Construção: 9 células Células: 200m x 200m Altura: 20 a 70m Aterro da Muribeca Localização: Região Metropolitana do Recife Área: 60 ha Volume diário: t/dia

9 Estação de tratamento de lixiviado, entra em funcionamento em 2002 ATERRO DA MURIBECA

10 Monitoramento realizado pelo GRS/UFPE ATERRO DA MURIBECA

11 Associação dos recicladores Conta com a colaboração da ONG SOS Brasil (Belga) ATERRO DA MURIBECA Catadores cadastrados: 1914 Catadores Associados : 50 Concentrados na frente de serviço: 1864

12 Foto: Cecília Lins (2004) ATERRO DE AGUAZINHA Localização: Município de Olinda –RMR Área: 19 ha. Volume diário: 420 ton/dia Início das operações: 1986 (como vazadouro a céu aberto (lixão) Recuperação: 1998 / 2004 Catadores cadastrados:300 Catadores Associados : 50 Concentrados na frente de serviço: 250

13 ATERRO DE AGUAZINHA Entrou em funcionamento em 1986, como lixão Fotos: Cecília Lins (2004)

14 ATERRO DE AGUAZINHA Em 2004, inicia-se um programa de recuperação ambiental Cecília, 2004

15 Projeto para construção da ETC Célula Tratamento primário: recirculação de 50% do chorume gerado Tratamento secundário: Lagoa de Equalização e Filtro Biológico Tratamento terciário: Barreiras reativas de solo e fitorremediação ATERRO DE AGUAZINHA Fonte: Cecília Lins (2004)

16 ATERRO DE AGUAZINHA Monitoramento realizado no Aterro de Aguazinha (GRS/UFPE) Foto: Cecília Lins (2004 )

17 Associação dos recicladores ATERRO DE AGUAZINHA Foto: Cecília Lins (2004)

18 Levantamento bibliográfico Visitas às áreas comuns aos dois aterros Obtenção in loco de informações e registros referentes a impactos ambientais e sociais comuns aos dois aterros Registros fotográficos Visitas às associações Contato com a área administrativa e operacional comuns aos dois aterros METODOLOGIA UTILIZADA

19 Aplicação de questionário aos catadores da frente de serviço e da associação de ambos Aterros (fevereiro a março 2005) Entrevistas com funcionários de ambos os Aterros (fevereiro a março 2005) Entrevista com o coordenador do Grupo de Resíduos Sólidos e do programa de monitoramento dos aterros da Muribeca e Aguazinha (GRS/UFPE) Os métodos estatísticos são necessários a todas aquelas situações em que os resultados não podem ser reproduzidos com exatidão, como é o caso de pesquisas que envolvem uma população A coleta dos dados foi efetivada através de questionários contendo perguntas objetivas METODOLOGIA UTILIZADA

20 Para o dimensionamento das amostras referenciadas neste trabalho fez-se uso da estatística descritiva e inferencial ESTATÍSTICA APLICADA Onde: N = tamanho da população d = erro amostral Z = abscissa da normal padrão = estimativa da proporção (1 – estimativa de proporção) Os cálculos estatísticos utilizados para o dimensionamento das amostras conferiram nesta pesquisa uma confiabilidade concreta e fiel de 90% nos resultados finais com uma margem de erro de 10%

21 Dimensionamento das amostras LocalidadeSituação Total de catadores Total da /Amostra MuribecaAssociados5025 Não Associados AguazinhaAssociados5024 Não Associados25033 Total ESTATÍSTICA APLICADA

22 Demonstrativo da faixa etária dos catadores do Aterro da Muribeca RESULTADOS E DISCUSSÃO Ativa Perfil dos catadores do Aterro da Muribeca Falta de oportunidade no mercado de trabalho (desemprego)

23 RESULTADOS E DISCUSSÃORESULTADOS E DISCUSSÃO Muitos catadores nasceram e foram criados dentro do próprio aterro, permanecendo neste ambiente Presença de mulheres Facilidade das moradias estarem no entorno do aterro Perfil dos catadores do Aterro de Aguazinha

24 RESULTADOS E DISCUSSÃO Associados: melhor remuneração em relação aos não associados Presença dos atravessadores, também chamados de deposeiros, presentes nas frentes de serviço do aterro Associados: forma de trabalho mais organizada e assistida (renda superior a um salário mínimo) <

25 RESULTADOS E DISCUSSÃO Renda mensal tanto para os catadores da frente de serviço quanto os associados faixa de menos a um salário mínimo Constatada em virtude do próprio interesse dos catadores em vincular-se a associação Onde o que prevalece é a lei da oportunidade, ou seja, se a necessidade do momento exigir, os catadores mesmo associados, vendem seu material no próprio local de coleta Fatores básicos para falta de interesse e vinculação à associação : competitividade falta de confiança entre si geração imediata do capital Vinculação em associação ainda é muito pequena Associação ainda não possui uma organização em nível de associativismo <

26 RESULTADOS E DISCUSSÃO Satisfação  100% associados: virtude da organização e da infra-estrutura em que se encontra a associação Não associados:  50% de satisfação.Um dos maiores problemas: atravessadores que compram o material por um preço inferior ao negociado na associação

27 RESULTADOS E DISCUSSÃO Índice de insatisfação dos catadores da frente de serviço é evidenciado com um percentual de 62,9% Relacionado a presença dos deposeiros, atravessadores que se utilizam da necessidade diária dos catadores para manipular preços inferiores aos praticados na associação Associados apresentam-se divididos :50% satisfeitos. Percentual equilibrado justificado em virtude do catador mesmo sendo associado não sentir obrigação em vender seu material exclusivamente através da associação, dependendo da necessidade diária, o catador vende seu material no próprio local de coleta

28 Alguns critérios: tempo de funcionamento como aterro controlado limite diário de resíduos sólidos recebido quantidade de catadores presentes em cada aterro capacidade física da área estrutura administrativa disponibilidade de recursos financeiros dos municípios projetos já concluídos e em fase de conclusão Análise comparativa da situação dos dois aterros

29 Trabalho de recuperação é evidenciado na parte operacional Os caminhões levavam cerca de 40min para descarregar os resíduos, atualmente esse tempo está em torno de 15min (volume 3000ton/dia) No aspecto de impactos ambientais, o maior problema ainda se reverte para minimização dos poluentes líquidos e gasosos Dentro das observações realizadas, é evidente a urgência da construção da usina de triagem Análise comparativa dos dois aterros Aterro da Muribeca Aspectos, físicos, operacionais e ambientais

30 Tem menor capacidade física, recebendo uma média diária de 400 ton/dia de resíduos, conta com uma verba municipal inferior ao Aterro de Muribeca e representa o único receptor de lixo da cidade de Olinda A Prefeitura de Olinda preocupada com os impactos ambientais e sociais, inicia no Aterro de Aguazinha um projeto de recuperação ambiental, visando aumentar a vida útil do Aterro Devido a processos de interdição os projetos foram paralisados e só voltaram ser retomados no ano de 2004 Hoje o impacto visual que outrora era visível já foi minimizado porém um fator ainda preocupante são os poluentes líquidos e gasosos Análise comparativa dos dois aterros Aterro de Aguazinha Aspectos, físicos, operacionais e ambientais

31 Os dois aterros possuem programas de erradicação do trabalho infantil, onde os menores e adolescentes são encaminhados as respectivas secretarias e introduzidos em projetos sociais Muribeca x Aguazinha Análise comparativa dos dois aterros A questão social é um agravante para ambos os aterros, tornando-se um dos maiores problemas enfrentados pelas administrações Aspectos sociais

32 CONSIDERAÇÕES FINAIS Com os resultados obtidos neste trabalho evidencia-se que as atividades de disposição de resíduos: geram empregos a diferenciadas faixas etárias renda variável entre um a dois salários mínimos a maioria dos catadores do sexo masculino (Muribeca) presença significativa de mulheres (Aguazinha) Os impactos ambientais e sociais observados nos aterros são diferenciados em virtude de: tempo de trabalho de recuperação ambiental tecnologias já aplicadas área útil de cada aterro projetos já executados principalmente pela parte orçamentária que cada prefeitura dispõe para operacionalidade e tratamento dos seus resíduos

33 AGRADECIMENTOS  Grupo de Resíduos Sólidos (GRS / UFPE).  Faculdade Frassinetti do Recife (FAFIRE).  Prefeitura Municipal do Recife (PMR).  Prefeitura Municipal de Olinda (PMO).

34 Praia de Porto de Galinhas -PE


Carregar ppt "III-118 - Impactos ambientais e sociais decorrentes da disposição dos resíduos sólidos na área do Aterro da Muribeca município de Jaboatão dos Guararapes-PE."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google