A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Ano letivo 2012-2013 CURSO EFA DE TÉCNICO DE INFORMÁTICA E SISTEMAS Docente: Ana Batista EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS Curso EFA – Sec. Turma C - 2012.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Ano letivo 2012-2013 CURSO EFA DE TÉCNICO DE INFORMÁTICA E SISTEMAS Docente: Ana Batista EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS Curso EFA – Sec. Turma C - 2012."— Transcrição da apresentação:

1 Ano letivo CURSO EFA DE TÉCNICO DE INFORMÁTICA E SISTEMAS Docente: Ana Batista EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS Curso EFA – Sec. Turma C / 2013 Módulo 787 – Administração de Bases de Dados

2  Bases de Dados - Uma base de dados é um sistema cuja finalidade é: registar, atualizar, manter e disponibilizar informação relevante para a atividade de uma organização e é constituída por um conjunto de objetos, tais como tabelas, consultas, formulários, relatórios e módulos. CONCEITO DE BASES DE DADOS

3 Um sistema de bases de dados tem dois componentes fundamentais:  A estrutura lógica e física, através do qual a informação é organizada (definição dos campos de uma tabela e relações entre tabelas e forma como são guardados os dados num suporte de armazenamento informático: discos, disquetes, etc.);  O sistema de gestão de bases de dados (SGBD) que assegura a gestão da informação (constitui o interface entre os dados e os utilizadores). COMPONENTES

4  O modelo atualmente dominante é o chamado Modelo Relacional, baseado na teoria matemática de conjuntos.  Sinteticamente, o modelo relacional pode ser descrito do seguinte modo:  No modelo relacional a informação é organizada em tabelas (cada tabela deve ser normalizada, ou seja, eliminar a redundância e reduzir aos elementos mais simples);  Cada tabela é estruturada de forma a conter os dados referentes a entidades ou relacionamentos que, na situação prática, produzem informação que a base de dados deve registar, atualizar e manter. Os relacionamentos entre os diferentes conjuntos de informação são estabelecidos por intermédio de campos comuns, campos que reúnem certas características para serem considerados como índices (da tabela ou ficheiro em questão); Modelos de bases de dados

5  Por conseguinte, uma base de dados relacional é um sistema de organização da informação em que esta se agrupa em tabelas de dupla entrada (tabelas de dados) e em que é possível estabelecer relacionamentos entre duas ou mais dessas tabelas através de campos comuns. EM RESUMO…

6  O modelo ER é igualmente utilizado e procura criar uma simulação da realidade, que é vista como um conjunto de entidades, interagindo umas com as outras, através de um conjunto de associações ou relacionamentos de vários tipos.  Com efeito, o modelo relacional não retira espaço de utilização do modelo ER, antes permite uma articulação com esse modelo, pois obtém-se uma visão geral do problema e facilmente se constrói a base de dados. MODELOS DE BASES DE DADOS

7 RELACIONAMENTO ENTRE ENTIDADES

8 TIPOS DE RELACIONAMENTOS/RELAÇÕES

9

10  Na teoria das bases de dados, os objetos que pretendemos representar tomam o nome de entidades.  Uma entidade é, por conseguinte, um conjunto de objetos do mesmo tipo (concretos, abstractos ou acontecimentos), acerca dos quais se pretende recolher e registar informação.  Por exemplo: pessoas, firmas, produtos, facturas, livros, cidades, rios, viagens, acidentes, etc., podem ser entidades num sistema de base de dados.  Uma entidade, na prática, corresponde a uma tabela da base de dados. ENTIDADES

11  Ao recolhermos e registarmos informação acerca de uma determinada entidade ou associação, podemos ter essa informação organizada por categorias ou itens a que se dá o nome de atributos (ou dados).  Os atributos são os diferentes elementos ou itens de informação caracterizadores de uma determinada entidade ou associação. Na prática, os atributos de uma entidade vão dar origem aos vários campos de uma tabela na base de dados.  Por exemplo, podemos definir a entidade CLIENTE de uma instituição bancária, mediante os seguintes atributos (campos): CLIENTE(Nome, NºBI, Endereço, NºConta) ATRIBUTOS

12  Ao conjunto de todos os valores elementares de um atributo dá-se o nome de domínio, e só serão considerados válidos, os valores que pertençam ao domínio definido.  Como exemplo, poderíamos considerar que para determinado aluno os valores assumidos por esses atributos seriam os seguintes: Número 25 Nome Telmo Silva Ano 12º Turma K Morada Rua das Flores, 34 Código Postal 8500 Localidade Portimão Data de Nascimento 18/12/1977 Encarregado de Educação Domitília Silva DOMÍNIO

13  Devemos distinguir ocorrências ou registos relativamente a entidades.  Por exemplo: O cliente de nome António Ramos, com o nº de B.I , residente em Coimbra, com a conta nº , é um registo da entidade CLIENTE. Se, por hipótese, a agência bancária tem 250 clientes, não diremos que tem 250 entidades, mas sim que tem 250 registos na entidade CLIENTE. REGISTOS

14  Uma tabela da base de dados consiste tipicamente numa tabela de duas entradas, em que as colunas definem os campos e as linhas consistem em registos ou conjuntos de dados elementares formando uma unidade básica de informação significativa.  Uma tabela da base de dados é, portanto, um conjunto de registos, todos do mesmo tipo, sobre uma determinada entidade, estruturados em forma de campos. TABELAS

15 EXEMPLO DE UMA TABELA

16 TIPOS DE CHAVES


Carregar ppt "Ano letivo 2012-2013 CURSO EFA DE TÉCNICO DE INFORMÁTICA E SISTEMAS Docente: Ana Batista EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS Curso EFA – Sec. Turma C - 2012."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google