A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

“Estai sempre prontos a responder para vossa defesa a todo aquele que vos pedir a razão de vossa esperança, mas fazei-o com suavidade e respeito.” (1Pe.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "“Estai sempre prontos a responder para vossa defesa a todo aquele que vos pedir a razão de vossa esperança, mas fazei-o com suavidade e respeito.” (1Pe."— Transcrição da apresentação:

1

2 “Estai sempre prontos a responder para vossa defesa a todo aquele que vos pedir a razão de vossa esperança, mas fazei-o com suavidade e respeito.” (1Pe. 3,15)

3 Aborto Várias perspectivas: – Eugenia (Governador Sergio Cabral e Edir Macedo) – Feminismo (Ongs e Intelectuais) – Governo e PT – Fundação Rockefeller

4 EUGENIA FRASES DO INÍCIO DO FILME GATTACA: Reflita sobre a obra de Deus: quem pode endireitar o que Ele criou torto? Eclesiastes 7:13

5 EUGENIA Willard Gaylin (EUA): Psiquiatra e Especialista em Bioética).

6 EUGENIA Termo criado em 1883 por Francis Galton ( ); Significando "bem nascido". É o estudo dos agentes sob o controle social que podem melhorar ou empobrecer as qualidades raciais das futuras gerações seja física ou mentalmente. Complicações: eugenia nazista, (ideologia de pureza racial) resultando no Holocausto. Usado ser aplicado genético usadas atualmente em plantas e animais, ainda existem questionamentos éticos quanto a seu uso com seres humanos, chegando até o ponto de alguns cientistas declararem que é de fato impossível mudar a natureza humana. Desde seu surgimento até os dias atuais, diversos filósofos e sociólogos declaram que existem diversos problemas éticos sérios na eugenia, como a discriminação de pessoas por categorias, pois ela acaba por rotular as pessoas como aptas ou não- aptas para a reprodução.

7

8

9 REPERCUSSÃO DA FALA DE SERGIO CABRAL FONTE:

10 LEGALIZAÇÃO DO ABORTO

11 Sem entrar no mérito da questão, é evidente que esse tema importantíssimo e capital para a saúde pública no Brasil precisa ser tratado com cuidado, com respeito, com discernimento, algo que a classe política brasileira não conseguido fazer, lamentavelmente!

12 MOVIMENTOS FEMINISTAS Católicas pelo Direito de Decidir Secretaria de Políticas para as Mulheres Sempreviva Organização Feminista (SOF) Marcha Mundial das Mulheres Articulação de Mulheres Brasileiras

13

14

15 O Movimento Nacional da Cidadania pela Vida – Brasil Sem Aborto defende a “preservação a vida desde sua concepção” X

16 Conforme havia sido anunciado pela senadora Marta Suplicy, as organizações que promovem o reconhecimento do aborto como um direito humano no Brasil, pesadamente financiadas por um conglomerado de fundações norte americanas, estão voltando o foco de suas atenções para o Senado Federal. Dois dias após o término das eleições de 2010, ao ser questionada por uma repórter sobre “AS CHANCES, DEPOIS DO QUE ACONTECEU NAS ELEIÇÕES DE 2010, DO PT RETOMAR BANDEIRAS HISTÓRICAS COMO O DIREITO AO ABORTO E AO CASAMENTO GAY” a senadora Suplicy respondeu: “CERTAMENTE A PRIORIDADE DO GOVERNO PASSARÁ LONGE DISSO, E A PRESIDENTE DILMA SE COMPROMETEU E NÃO FARÁ NENHUM GESTO NESTE SENTIDO. PORÉM O CONGRESSO É OUTRA COISA, E PROVAVELMENTE DEVERÁ RECUPERAR [O TEMA]”.

17 Senadora Lídice da Mata (PSB – BA) Vice-presidente da Subcomissão em Defesa dos Direitos da Mulher Senadora Ângela Portela (PT-RR) Presidente da Subcomissão em Defesa dos Direitos da Mulher Senadora Ana Rita (PT-ES) Presidenta da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa do Senado

18 No dia 18 de agosto de 2011, a Frente Nacional contra a Criminalização das Mulheres e pela Legalização do Aborto, reuniu em Brasília, nas dependências do Congresso Nacional, as representantes de diversas ONGs que promovem a legalização do aborto no Brasil, para a realização de uma plenária. Em seguida as representantes das organizações seguiram para uma audiência pública, convocada pela senadora Lídice da Mata, do PT da Bahia, com o apoio da senadora Ângela Portela, do PT de Roraima, e da senadora Ana Rita, do PT do Espírito Santo, realizada no Auditório Petrônio Portela do Senado Federal.

19 Não apreciam a proposta de plebiscito sobre o aborto pois sabem que o povo é contra e perderiam de forma vexatória. Evitam se expor no período eleitoral pois sabem que muitos candidatos não foram eleitos por esse posicionamento. O POVO BRASILEIRO É CONTRA O ABORTO. Muitos religiosos também não apreciam o plebiscito por acharem imoral: Não se pode perguntar se somos contra ou favor de matar a presidente Dilma Rousseff. O governo do PT vai aprovar o aborto porque eles compromisso internacionais e ideológicos com a legalização do aborto, pois faz parte da proposta socialista de desbancar a moral burguesa. PADRE PAULO RICARDO SOBRE O DIA 18 DE AGOSTO DE 2011

20 MULHERES DO MUNDO UNI-VOS AUTONOMIA ÀS MULHERES JÁ! NÃO DEIXEM QUE OS OUTROS DECIDAM O QUE VOCÊS DEVEM FAZER DE SEUS CORPOS!

21 lola aronovich Doutora em literatura em língua inglesa na cidade de Fortaleza, Ceará, Professora da UFC, doutora em Literatura em Língua Inglesa pela UFSC e, na definição genial de um troll, ingrata com o patriarcado. Espero que os homens que chamem mulheres que abortam de vagabundas e irresponsáveis saibam que 1) essas mulheres não fizeram o filho sozinhas, e 2) se fosse o homem quem ficasse grávido, o aborto seria legalizado. Sério. Não há a menor dúvida disso, porque ninguém ousaria dizer a um homem que seu corpo não é dele. A questão inteirinha do aborto é uma questão sobre o controle do corpo da mulher. Convém pintar a mulher como um ser alterado, nada confiável, fraco das ideias, que precisa ser controlado. Os reaças que são contra a legalização do aborto acreditam que, sendo contra, não existem abortos. Eles somem, pluft, num passe de mágica! Acontece que eles seguem acontecendo, sempre em número maior que em países onde o aborto é legalizado. E abortos ilegais acabam matando a mulher. Mas esse é um efeito colateral que os pró-vida até gostam, né? Pena de morte pra mulher que aborta! Pois bem, ao não legalizar o aborto, vocês assinam essa sentença.

22 Sílvia Maria Camurça Articulação das Mulheres Brasileiras (AMB) Sobre o Plano Nacional de Políticas para Mulheres, considero oportuna a decisão do governo federal, sustentada pela ministra Nilcéa Freire, de rever a legislação sobre o aborto no Brasil. Esperamos que a cobertura da imprensa, mais do que lançar polêmicas e confrontar opiniões, possa lançar luzes sobre o assunto, tirando-nos do obscurantismo, do conservadorismo moral e da hipocrisia em que estamos mergulhados. Fonte: Jornal Folha de São Paulo, 12/12/04. Painel do Leitor

23

24 GRANDE DEBATE: QUANDO COMEÇA A VIDA HUMANA? O fato é que se legalizarem o aborto as mulheres pobres continuarão sem acesso aos atendimentos básicos da rede pública e vítimas da precariedade do sistema de saúde, que não dá conta das demandas existentes. Na realidade, os que querem a despenalização do aborto têm outros interesses, nada humanitários. O discurso sentimentalista é demagógico e perverso, porque oculta outras intenções.

25 FUNDAÇÃO ROCKEFELLER A quem interessa o aborto? Os organismos que estão trabalhando internacionalmente pela aprovação do aborto são Fundações (que planejam e financiam ações) e organizações não governamentais (que executam), por interesses econômicos, políticos, demográficos e eugênicos. A pressão para a legalização do aborto faz parte de uma estratégia e existe por causa de ações que se originam fora do Brasil.

26 A legalização do aborto cria um ambiente onde é possível desenvolver a pesquisa com clonagem que produzirá resultados espetaculares na reengenharia da sociedade humana. Hoje, porém, são financiadas sem expectativa imediata de lucro, mas aparentemente uma meta poder. Esta relação do aborto com a clonagem somente existe, na mente dos grandes condutores das Fundações, como constatamos, por exemplo, o envolvimento da Fundação Rockefeller com a Biologia Molecular. De modo imediato, a legalização do aborto é desejada por ser o meio mais rápido e eficiente de controle populacional.

27 Um pouco após a II Guerra Mundial houve um plano interno para o controle da população dos Estados Unidos. Uma vez alcançado o objetivo, voltaram a atenção para o chamado Terceiro Mundo. Seria possível reduzir de modo significativo o crescimento populacional de qualquer país, em um período de cinco anos, utilizando métodos convencionais como a esterilização e em apenas dois anos se pudesse ser utilizado o aborto. ______________________________________ No final dos anos 70, quando os dirigentes deste plano perceberam que sua apresentação como um plano norte-americano de controle populacional começava a ser questionado pelos demais países, o magnata do Petróleo John Rockefeller III, juntamente com uma cientista social que então trabalhava na Fundação Ford, resolveu introduzir o conceito de emancipação da mulher e dos direitos sexuais e reprodutivos, para que se pudesse impor a mesma coisa sem que se despertassemmesmas reações.

28 Com isso, organizações como a Fundação Ford e Organizações Rockefeller passaram a financiar ativamente redes de OnGs feministas, o movimento homossexual, a educação sexual liberal, a dissidência dentro da Igreja Católica, através de organizações como Católicas pelo Direito de Decidir, e outras similares. Além da introdução destes novos conceitos dentro da Organização das Nações Unidas para pressionar Nações em desenvolvimento e, especialmente,da América Latina a legalizarem o aborto.

29

30 FINALIZANDO... TAREFA PARA O LAR: Pesquisem sobre os diversos aspectos apresentados brevemente aqui para um aprofundamento deste tema e sua complexidade. Uma dica especial é assistir no youtube Um testemunho de grande relevância de uma militante ex- feminista chamada “Amparo Medina”

31 Extra, Extra: Ex- funcionária da ONU faz revelações bombásticas acerca do aborto!

32


Carregar ppt "“Estai sempre prontos a responder para vossa defesa a todo aquele que vos pedir a razão de vossa esperança, mas fazei-o com suavidade e respeito.” (1Pe."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google