A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Programa Nacional de Controle da Tuberculose Departamento de Vigilância Epidemiológica Secretaria de Vigilância em Saúde Teste Rápido Molecular (TRM-TB):

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Programa Nacional de Controle da Tuberculose Departamento de Vigilância Epidemiológica Secretaria de Vigilância em Saúde Teste Rápido Molecular (TRM-TB):"— Transcrição da apresentação:

1 Programa Nacional de Controle da Tuberculose Departamento de Vigilância Epidemiológica Secretaria de Vigilância em Saúde Teste Rápido Molecular (TRM-TB): uma nova tecnologia para o diagnóstico da tuberculose

2 Baciloscopia Exame realizado há mais de 100 anos Rápido e barato Principal limitação: sensibilidade muito baixa (60- 70%) Diagnóstico de Tuberculose

3 Descrição Baciloscopia

4 Descrição

5 Baciloscopia

6 Amplificação DNA TRM – TB: que nova tecnologia é esta? Método molecular para diagnóstico da TB (Reação em Cadeia da Polimerase – PCR em tempo real) Detecta: DNA do Mycobacterium tuberculosis Resistência à Rifampicina (RIF) Material: Amostras respiratórias (escarro, escarro induzido) 01 amostra Tempo: 2 horas Energia elétrica estável e ar condicionado Geladeira Não exige profissional especializado Point of care

7 TRM-TB: preparação da amostra

8 2 hs

9 Cartucho e Equipamento

10

11 1.Mycobacterium tuberculosis: Não Detectado. 2.Mycobacterium tuberculosis: Detectado. Rifampicina: Não Detectada 3. Mycobacterium tuberculosis: Detectado. Rifampicina: Detectada 4.Mycobacterium tuberculosis: Indeterminado → solicitar novo exame 5.Mycobacterium tuberculosis: Detectado. Rifampicina: indeterminado → solicitar novo exame Resultados TRM-TB

12 TRM-TBBaciloscopiaCultura líquida* Cultura sólida* 2 horas1 dia5 a 12 dias (+) 42 (-) Mín 28 dias (+) Até 60 (-) TS LJ: + 28 dias (+), 42 dias (-) TS Líquido: + 5 a 13 dias Tempo para resultados dos exames

13 Para o diagnóstico da TB pulmonar em casos novos TRM-TB x Baciloscopia Para controle do tratamento, continuaremos a realizar a baciloscopia O TRM-TB NÃO vai substituir totalmente a baciloscopia!

14 Para diagnóstico de MNT continuaremos a realizar a baciloscopia Para diagnóstico de TB extrapulmonar continuaremos a realizar a baciloscopia Para diagnóstico de TB pulmonar em crianças < 10 anos continuaremos a realizar a baciloscopia TRM x Baciloscopia

15 A ficha de notificação do SINAN-TB será modificada para incluir o resultado do TRM-TB Notificar no campo “baciloscopia” e manter registros no laboratório GAL (Gerenciamento de Ambiente Laboratorial): para solicitação do exame e obtenção online dos resultados, com proposta de implantação inclusive nas unidades de saúde Ficha de notificação do SINAN-TB

16 Custo-efetividade do TMR-TB Estudo de Implementação do TRM-TB Objetivo Estimar, em condições programáticas, de rotina, o impacto da implementação do Xpert MTB/Rif na: –Taxa de detecção de casos de TB pulmonar –Detecção de TB-MDR

17 Controle: 2 baciloscopias Intervenção: no laboratório Rio de Janeiro: 100% laboratórios da AB (11 máquinas) Manaus: laboratórios que fazem 70% dos diagnósticos (4 máquinas) Estudo de Implementação do TRM-TB

18 Fev 2012 Set 2012 Randomizado tipo stepped-wedge Estudo de Implementação do TRM-TB

19 CONCLUSÕES TRM-TB aumenta confirmação laboratorial em 60% comparado à baciloscopia Detecção da resistência à RIF é uma vantagem Impacto no tempo para início do tratamento e na notificação (SINAN) Implantação fácil Estudo de Implementação do TRM-TB

20 CONCLUSÕES TRM-TB é custo-efetivo Bem aceito pelo laboratório apesar da mudança nas rotinas Melhora detecção e antecipa diagnóstico de resistência Estudo de Implementação do TRM-TB

21 Teste Custo médio (US$) Baciloscopia (1)7,20 TRM-TB17,80 Custo médio total (US$/2012) * Custo subsidiado TRM-TB US$ 9,98 Estudo de Implementação do TRM-TB

22 ↓ número de casos tratados erroneamente ↓ transmissão da doença ↓ morbimortalidade Melhorias esperadas Aumento da detecção casos de TB pulmonar confirmados Maior agilidade no diagnóstico da TB (sensível e resistente) e no tratamento

23 Coordenação Geral do Programa Nacional de Controle da Tuberculose /DEVEP Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Implantação da Rede de Teste Rápido para a Tuberculose no SUS (RTR-TB) Treinamento para Multiplicadores Locais em Teste Rápido Molecular para Tuberculose

24 Mais de laboratórios públicos realizam baciloscopias Cerca de 300 realizam cultura para Mycobacterium tuberculosis Aproximandamente 40 realizam teste de sensibilidade (em dois estados os Lacen não realizam – Rondônia e Tocantins). Somente dois dos que realizam testam para medicamentos de 2ª linha Teste rápido em fase de implantação Rede Laboratorial

25 ● Out/2012: finaliz. do “Estudo Piloto” (RJ e Manaus) ● Nov/2012: reunião/ definições Grupo de Trabalho (PNCT) ● Mar/2013: aprovação final da CONITEC/MS ● Mai/2013: finaliz. da pactuação c/ estados e município ● Jun/2013: início do processo de aquisição ● Out/2013: início das capacitações p/ profiss. de saúde Jan/2014: início das capacitações para profissionais de laboratório da “RTR-TB” Mar-Abr/ início da ● Fase 2 Abr-Mai/ início ● da Fase 3/3 Abri/ início ● do monitoramento e avaliação da “RTR-TB” Mar/2014: Início da Implantação da rede Cronograma de Implantação

26 Estratégia de Implantação da RTR-TB

27 Implantação da rede, critérios de seleção dos municípios e algoritmos aprovados pelo Comitê Técnico Assessor do PNCT Estratégia de Implantação da RTR-TB

28 Critérios de seleção dos municípios Capitais e Municípios com mais de 130 casos novos de TB em 2012 Municípios sede de presídios com estrutura de laboratório e demanda significativa de baciloscopia Municípios de fronteira e/ou com população indígena (> 50 casos novos notificados em 2011) Laboratórios Centrais de Saúde Pública (LACEN) que tenham demanda significativa de baciloscopia Estratégia de Implantação da RTR-TB

29 Pactuações Programas Estaduais e Municipais de Tuberculose dos municípios selecionados para compor a RTR-TB Laboratórios Municipais LACEN Estratégia de Implantação da RTR-TB

30 Pactuações Quantidade de baciloscopias diagnósticas de primeira amostra realizadas no ano de 2012 Estrutura física, recursos humanos, turnos de trabalho e fluxo de recebimento de amostras/entrega de resultados Prioridade estratégica para a Coordenação Estadual do Programa de Controle da Tuberculose (PCT). Estratégia de Implantação da RTR-TB

31 Número de testes rápidos moleculares realizados por dia e ano segundo horas de trabalho do laboratório e número de módulos disponíveis

32 Estratégia de Implantação da RTR-TB

33

34 Laboratórios: 125 Municípios selecionados e pactuados: 92 Esses municípios contribuem com mais de 55% do total de casos novos e retratamentos de TB notificados por ano Estratégia de Implantação da RTR-TB

35 Algoritmos Estratégia de Implantação da RTR-TB

36 Sintomático Respiratório Realizar TRM (1 amostra escarro) MTB detectado Paciente com TB Resistência a Rifampicina Detectada Realizar cultura +TSA automatizados Iniciar EB e encaminhar para Referência Terciária Resistência a Rifampicina Não Detectada Realizar Cultura + TSA Iniciar Tratamento para TB com EB MTB não detectado Mantém sintomas Não Excluído Diagnóstico de TB Sim Realizar Cultura + TSA Continuar investigação Investigação de TB em possíveis casos novos (nunca antes tratados para TB)

37 Investigação de TB em populações mais vulneráveis (PS, PVHA, PPL, PSR, Indígenas e contatos de TBDR) Sintomático Respiratório Realizar Teste Rápido Molecular + Cultura +TSA MTB detectado por teste rápido Paciente com TB Resistência a Rifampicina Detectada Iniciar EB e encaminhar para Referência. Aguardar cultura e TSA Resistência a Rifampicina Não Detectada Iniciar tratamento para TB com EB (aguardar cultura e TSA) MTB não detectado por teste rápido Mantém sintomasNão Aguardar cultura e TSA Sim Aguardar cultura e TSA e Continuar investigação

38 Investigação de TB em retratamentos (recidiva ou retorno após abandono) Sintomático Respiratório Realizar TRM +baciloscopia + Cultura + TSA MTB detectado por TRM e Baciloscopia positiva Paciente com TB Resistência a Rifampicina Detectada Iniciar EB e encaminhar para Referência Terciária. Resistência a Rifampicina Não Detectada Iniciar tratamento para TB com EB (aguardar cultura e TSA) MTB não detectado por TRM e baciloscopia positiva TB provável – Iniciar EB e aguardar cultura e TSA 1 MTB não detectado por TRM e baciloscopia negativa Mantém sintomas Não Aguardar cultura e TSA Sim Continuar investigação Aguardar cultura e TSA MTB detectado por TRM e baciloscopia negativa 2 Sem Resistência: encaminhar para referência secundária Com resistência: encaminhar para referência terciária Aguardar Cultura e TSA 1- Afastar MNT 2- Possibilidade de detecção de bacilos inviáveis

39 Cultura Racional/Universal até 2015

40 Fonte: MS/SINAN * Dados preliminares, sujeitos a revisão. Realizados = positivo + negativo Em 2012 apenas 17,4% dos casos novos de tuberculose notificados no SINAN realizaram o exame de cultura de escarro, Nas populações vulneráveis:  20,9% dos pacientes com HIV  32,6% da população privada de liberdade  26,3% dos indígenas 5 Cultura Racional/Universal até 2015

41 Realização de cultura entre os casos de retratamento de TB (%). Brasil, 2001 a 2012* Fonte: MS/SINAN. * Dados preliminares, sujeitos a revisão. Realizados = positivo + negativo Cultura Racional/Universal até 2015

42 Semeadura em cultura padronizada (Ogawa - meio sólido) p/ laboratórios do nível municipal (inicialmente nos municípios prioritários) Cultura automatizada (MGIT – meio líquido) Identificação de espécie (M. tuberculosis) Teste de sensibilidade LACENs Cultura Racional/Universal até 2015

43 AMPLIAÇÃO DO ACESSO À CULTURA “Cultura Racional/Universal até 2015”

44 AMPLIAÇÃO DO ACESSO À CULTURA “Cultura Racional/Universal até 2015” Obs.: *Quando o teste molecular rápido for negativo em populações mais vulneráveis, contatos de TBDR e retratamento, a cultura em meio sólido deve ser realizada. Teste Rápido Molecular

45 AMPLIAÇÃO DO ACESSO À CULTURA “Cultura Racional/Universal até 2015” Obs.: *Quando o teste molecular rápido for negativo em populações mais vulneráveis, contatos de TBDR e retratamento, a cultura em meio sólido deve ser realizada. Teste Rápido Molecular

46 OBRIGADO! Visite o site do PNCT:

47


Carregar ppt "Programa Nacional de Controle da Tuberculose Departamento de Vigilância Epidemiológica Secretaria de Vigilância em Saúde Teste Rápido Molecular (TRM-TB):"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google