A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Professora: Regina Lima Alunos: Jessé Andrade Marcio Dias Comunicação, cultura e sociedade. Universidade Federal do Pará.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Professora: Regina Lima Alunos: Jessé Andrade Marcio Dias Comunicação, cultura e sociedade. Universidade Federal do Pará."— Transcrição da apresentação:

1 Professora: Regina Lima Alunos: Jessé Andrade Marcio Dias Comunicação, cultura e sociedade. Universidade Federal do Pará

2 A televisão e os receptores na Ilha de Cotijuba

3 A história da Televisão no Pará  A emissora tinha como objetivo exaltar e promover a cultura regional, este era o sonho de Frederico Barata, seu fundador e pai da televisão paraense.  Tudo feito ao vivo, contando com pouca tecnologia, mas com o talento de profissionais.  A inauguração da TV Marajoara – Canal 2, em 1961, marcou o começo da modernidade em Belém

4  O Canal 2 foi a maior emissora de televisão que já existiu no Pará, nunca nenhum veículo televisivo local produziu tantos programas e novelas quanto a TV Marajoara.  No início, a TV Marajoara contava com bastante programação local que contava desde telejornais e até novelas produzidas em seus estúdios e no Teatro da Paz, no centro da cidade. Entretanto com o tempo, a programação local foi sendo substituída pela da TV Tupi de São Paulo e do Rio de Janeiro

5  TV Marajoara era filiada a Rede Tupi, pertencente aos Diários Associados de Assis Chateaubriand.

6  "E nas plagas distantes, neste Brasil imenso. Ninguém mais poderá menosprezar a nossa cultura e o nosso desenvolvimento, porque, quando alguém quiser apoucarnos, logo redarguiremos com orgulho que somos uma cidade em tão franco progresso que até televisão já possuímos [...] Está inaugurada no Pará a era da televisão." (trecho do discurso de Frederico Barata durante a inauguração da TV Marajoara, 30/09/1961)

7  A TV buscou nas rádios, profissionais e artistas que já faziam sucesso e estavam familiarizados com o improviso, assim foi com a TV Marajoara que trouxe da Rádio Marajoara uma leva de atores e atrizes, jornalistas e locutores para compor o seu quadro de elenco.

8  O monopólio como única emissora do estado foi quebrado com a entrada no ar em 1967, da TV Guajará, no canal 4.  A emissora retransmitiu a Rede Tupi até seu fechamento em 1980, quando teve sua concessão cassada. Como as demais emissora da rede, a TV Marajoara foi extinta em 18 de julho de 1980.

9 O divisor de águas tanto no Brasil como no Pará

10 A televisão então não para de crescer em todo país e já consolidou o seu espaço!

11 A recepção deficiente  A televisão, no inicio, não chegou aos lugares mais distantes devido ao baixo poder aquisitivo da população e os problemas de infra-estruturas, em função da geografia do estado.  As pessoas que tinham um poder aquisitivo maior levaram a televisão para os lugares mais distantes graças ao motor movido a diesel que supria a falta da energia elétrica.

12 Na Ilha de Cotijuba

13

14 Antes da Televisão  Antes da chegada da Televisão os jovens se reunião em torno dos habitantes mais velhos da ilha para ouvirem histórias;  As festas que tinham nos fim de semana arrastavam grande número de pessoas;  A igreja era um dos lazeres que atraia muitas pessoas durante toda a semana, não só aos domingos.

15  Os rádios eram amontoados e sintonizados na mesma frequência.

16  As primeiras transmissões da televisão, para um grande público da ilha de Cotijuba, aconteceu na época da copa. Donos de uma casa de festas, colocaram um retroprojetor para que todos pudessem assistir os jogos da seleção brasileira, mas isso ocorreu antes da chegada da energia, pois foi utilizado um motor a diesel para ligar os aparelhos.

17  A comunicação mediada é sempre um fenômeno social contextualizado: é sempre implantada em contextos sociais que se estruturam de diversa maneiras e que, por sua vez, produzem impacto na comunicação que ocorre. (Thompson, John B. 1998: 20) Com o advento da popularização da TV o contexto social da ilha de Cotijuba mudou, trazendo impactos no cotidiano.

18 As mudanças ocorridas  As práticas religiosas foram deixadas de lado pela nova geração, a igreja local deixou de ter o grande publico que tinha no período que não havia a TV

19 Os gêneros de televisão formam uma parte integrada e constitutiva das culturas contemporâneas e influencia sua organização de tempo, espaço e relações sociais, não apenas dentro da esfera privada do lar, mas na comunidade. (TUFTE, Thomas 1997: 18)

20 Com a televisão há uma mudança na questão do tempo-espaço.  Você não precisa está em um determinado local para conhecê-lo. A mídia o apresenta a você.

21  As pessoas se integraram mais com o centro de Belém, as noticias são mais divulgadas e repercutem com maior facilidade entre os receptores.  A juventude da ilha sai mais cedo para o centro de Belém, pois graças a divulgação das oportunidades de emprego, que são dados através da televisão, as práticas agrícolas que sustentaram a região por muito tempo agora são colocadas em segundo plano.  E por mais que alguns fiquem na ilha, a ampla integração com o centro de Belém se dar por causa dos cinemas, parques, shows, e todos esses eventos que se tornam amplamente conhecidos graças a divulgação que a televisão oferece.

22  O doutor em História Social Marcos Napolitano diz que a escola deve procurar "alfabetizar" visualmente os alunos e os ensinar a "ler" televisão. Segundo ele, é a leitura e o domínio da palavra escrita que dão um repertório linguístico mais amplo ao aluno e o habilita a ser um espectador crítico.

23 Obrigado!!!!


Carregar ppt "Professora: Regina Lima Alunos: Jessé Andrade Marcio Dias Comunicação, cultura e sociedade. Universidade Federal do Pará."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google