A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Taxonomia Classificação Internacional para Segurança do Paciente (ICPS) Organização Mundial de Saúde (OMS)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Taxonomia Classificação Internacional para Segurança do Paciente (ICPS) Organização Mundial de Saúde (OMS)"— Transcrição da apresentação:

1 Taxonomia Classificação Internacional para Segurança do Paciente (ICPS) Organização Mundial de Saúde (OMS)

2 O que é? Quais são os objetivos? Quais as principais definições, palavras-chave e termos preferidos?

3 Taxonomia Com origem na língua grega, o termo taxonomia significa arranjo sistemático de objetos ou entidades do mundo real ordenados em grupos.

4 Taxonomia A Classificação Internacional para a Segurança do Paciente (ICPS) foi desenvolvida pela OMS para facilitar a comparação, medição, análise e interpretação de informações para melhorar o cuidado do paciente.

5 Padronização A elaboração de uma taxonomia da área da Segurança do Paciente permite: –O uso consistente de termos e conceitos relacionados à área; –A disponibilização de uma classificação acessível, compreensível e adaptável. –Melhor entendimento dos trabalhos publicados; –Facilitação de organização sistemática e análise de informação relevante sobre o tema em todas as fontes de pesquisa disponíveis.

6 ICPS Dentre os critérios subjacentes à classificação, destacam-se:  Identificação e definição de conceitos-chave da área de Segurança do Paciente;  Adequação linguística e cultural das definições;  Conformidade com outras classificações da OMS.

7 Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos A ICPS apresenta 48 conceitos-chave e termos preferidos. Dado seu caráter dinâmico, essa lista tende a aumentar, acompanhando o crescimento da área de Segurança do Paciente. –Certos qualificadores devem ser considerados implícitos quando esses termos são usados no contexto da ICPS.  Exemplo: O termo “incidente” refere-se a um incidente relacionado à segurança do paciente, implicando em dano ou dano potencial.

8 Esquema conceptual da ICPS Setas tracejadas: fluxo da informação. Setas: relações semânticas entre as classes. Estrutura hierárquica com 10 classes principais

9 Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos Paciente: pessoa que recebe cuidado de saúde.  ICPS: o termo paciente é usado no lugar de consumidores ou clientes, pois é mais abrangente que esses termos. Cuidado de saúde: serviços recebidos por indivíduos ou comunidades para promover, manter, monitorar ou restaurar a saúde.  ICPS: Cuidado de saúde não é limitado ao cuidado prestado por outros; inclui também o auto-cuidado.

10 Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos Saúde: estado de bem-estar físico, mental e social completo e não apenas ausência de doença ou enfermidade (consistente com a definição da OMS). Doença: disfunção fisiológica ou psicológica.

11 Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos Segurança: redução, a um mínimo aceitável, de risco de dano desnecessário. Perigo [hazard]: circunstância, agente ou ação que pode causar dano. –Circunstância: situação ou fator que pode influenciar um evento, agente ou pessoa.

12 Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos Evento: algo que acontece com ou envolve o paciente. Agente: substância, objeto ou sistema que age para produzir mudança.

13 Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos Segurança do paciente: redução, a um mínimo aceitável, do risco de dano desnecessário associado ao cuidado de saúde.

14 Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos Fatores contribuintes: circunstâncias, ações ou influências que desempenham um papel na origem ou no desenvolvimento de um incidente ou no aumento do risco de incidente.  Podem ser externos, organizacionais, estar relacionados ao staff ou a um fator individual do paciente.

15 Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos Incidente: evento ou circunstância que poderia ter resultado, ou resultou, em dano desnecessário ao paciente.  ICPS: Certas formas de dano, como uma incisão para laparotomia, são necessárias, não sendo, portanto, consideradas incidentes. Já erros, violações, abusos ao paciente e atos deliberadamente inseguros ocorridos no cuidado de saúde são incidentes.

16 Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos Incidentes podem ser oriundos de atos intencionais ou não-intencionais. Erros são, por definição, não-intencionais, enquanto violações são intencionais, embora raramente maliciosas, e podem se tornar rotineiras e automáticas em certos contextos.

17 Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos Erro: definido como uma falha em executar um plano de ação como pretendido ou aplicação de um plano incorreto. –Pode ocorrer por fazer a coisa errada (erro de ação) ou por falhar em fazer a coisa certa (erro de omissão) na fase de planejamento ou na fase de execução.

18 Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos Violação: divergência deliberada de um procedimento cirúrgico, um padrão ou uma regra.  Tanto erros quanto violações aumentam o risco, até mesmo se um incidente não ocorre realmente. Risco: probabilidade de um incidente ocorrer.

19 Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos Incidente Circunstância notificável Near missIncidente sem dano Incidente com dano Houve potencial significativo para o dano, mas o incidente não ocorreu Incidente que não atingiu o paciente Incidente que atingiu o paciente, mas não causou dano Incidente que resulta em dano ao paciente (Evento Adverso)

20 Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos Dano: dano da estrutura ou função do corpo e/ou qualquer efeito deletério dele oriundo. Inclui doenças, dano ou lesão, sofrimento, incapacidade ou disfunção e morte, e pode, assim, ser física, social ou psicológica. Dano associado ao cuidado de saúde: dano surgido por ou associado a planos ou ações realizadas durante o cuidado de saúde ao invés de a uma doença de base ou lesão. –O dano associado ao cuidado de saúde reconhece que o cuidado de saúde é prestado por diversos indivíduos, incluindo pacientes, em locais diversos (ambulatório, casa, entre outros).

21 Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos Circunstância notificável (incidente notificável): circunstância em que houve potencial significativo para o dano, mas o incidente não ocorreu.  Exemplo: um desfibrilador presente na sala de emergência que não funciona, apesar de não ter sido necessário o seu uso.

22 Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos Near miss: incidente que não atingiu o paciente.  Erro que não se concretiza no paciente.  Exemplo: unidade de sangue conectada ao paciente de forma errada; erro detectado, porém, antes do início da transfusão.

23 Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos Incidente sem dano: o evento atingiu o paciente, mas não causou dano discernível.  O erro se concretiza no paciente, mas não causa dano. Quase lesão.  Exemplo: a unidade de sangue acabou sendo transfundida para o paciente, mas não houve reação.

24 Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos Incidente com dano (Evento adverso): incidente que resulta em dano ao paciente.  Erro que se concretiza no paciente e causa dano.  Exemplo: é feita infusão na unidade errada de sangue no paciente e este morre por reação hemolítica.

25 Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos Detecção: ação ou circunstância que resulta na descoberta de um incidente. –Mecanismos de detecção podem ser parte do sistema ou podem resultar de um processo de checagem, de vigilância ou de “consciência” da situação.

26 Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos Fator de mitigação: ação ou circunstância que previne ou modera a progressão de um incidente de causar dano a um paciente. –O mecanismo que pode causar o dano [damage] começou, mas este ainda não ocorreu ou não chegou ao dano [harm] máximo possível.

27 Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos Resultado do cuidado [patient outcome]: impacto em um paciente que é total ou parcialmente atribuível a um incidente. –Lesão: dano para os tecidos causado por um agente ou um evento. –Sofrimento: experiência de algo subjetivamente desagradável. Inclui dor, mal-estar, náusea, vômito, depressão, agitação, medo e aflição. –Incapacidade: qualquer tipo de limitação relacionada à estrutura ou função do corpo, limitação de atividade e/ou restrição de participação na sociedade, associado a um dano passado ou presente.

28 Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos Resultado na organização [organizational outcome]: impacto em uma organização que é total ou parcialmente atribuível a um incidente. Ação de melhoria: ação realizada ou circunstância alterada para melhorar ou compensar qualquer dano [harm] depois de um incidente.

29 Conceitos-chave, Definições e Termos Preferidos Ações tomadas para reduzir o risco: ações tomadas para reduzir, administrar ou controlar qualquer dano futuro, ou a probabilidade de dano, associado a um incidente. Essas ações podem ser pró-ativas ou reativas. –Ações pró-ativas: podem ser identificadas por técnicas como análises de efeito e análise probabilística de risco. –Ações reativas: são aquelas tomadas em resposta aos aprendizados (insights) ganhos depois de um incidente ocorrido.

30 Outros conceitos relevantes Qualidade: grau com o qual os serviços de saúde aumentam a probabilidade de resultados de saúde desejados e são consistentes com o conhecimento profissional atual.

31 Falha no sistema: refere-se a uma falta, desarranjo ou disfunção no esquema operacional, processos ou infra-estrutura de uma organização. Melhoria no sistema: resultado de cultura, processos e estruturas que estão relacionadas à prevenção de falha no sistema e à melhoria da segurança e da qualidade. Outros conceitos relevantes

32 Análise das causas: processo sistemático segundo o qual os fatores que contribuem para um incidente são identificados pela reconstrução da sequência de eventos e pelo constante questionamento do porquê da ocorrência do incidente até a sua elucidação.

33 Comentários finais Alguns conceitos foram excluídos da ICPS por: –seus significados variarem entre as áreas (ex.: negligência); –apresentarem significados específicos em uma determinada área; –já serem usados com significados específicos em classificação da OMS (ex.: sequela); –suas definições conceituais não poderem ser universais. O uso consistente dos termos relacionados à área de segurança do paciente permite não só um maior e melhor diálogo entre as pesquisas desenvolvidas como também a elaboração de soluções para um melhor resultado do cuidado prestado.

34 Priscilla Mouta Marques Assistente de Pesquisa - Fiocruz Doutoranda em Linguística - UFRJ Produção Realização PROQUALIS

35


Carregar ppt "Taxonomia Classificação Internacional para Segurança do Paciente (ICPS) Organização Mundial de Saúde (OMS)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google