A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Consequências da presença de espécies exóticas, com ênfase nos ecossistemas aquáticos Europeus Elaborado por: Alicia Aguilar Erasmus Eloise de Sá nº: 24984.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Consequências da presença de espécies exóticas, com ênfase nos ecossistemas aquáticos Europeus Elaborado por: Alicia Aguilar Erasmus Eloise de Sá nº: 24984."— Transcrição da apresentação:

1 Consequências da presença de espécies exóticas, com ênfase nos ecossistemas aquáticos Europeus Elaborado por: Alicia Aguilar Erasmus Eloise de Sá nº: Davide Reis nº:

2 O que são?  Espécie, subespécie ou grupo taxonómico menor  Introduzida fora de sua distribuição natural  Dispersão acidental ou intencional  Sobrevivência e reprodução  Ameaça à diversidade biológica

3 Problema Ecológico global:  Extinção de espécies  Destruição de habitats  Perda de biodiversidade  Uniformização global  Comunidades monoespecíficas

4 Introdução e Estabelecimento Características biológicas da espécie:  Variabilidade genética  Tamanho corporal  Abundância  Nível trófico  Tipo de alimentação  Tolerância fisiológica  Estratégias reprodutivas  Capacidade de dispersão  Interacções benéficas

5 Condições do habitat:  Condições climatéricas  Ausência de predadores  Competição com espécies nativas  Disponibilidade de alimento  Grau de perturbação do ecossistema

6 Fixação

7 Vantagens?  Restauração ambiental Características:  Alta adaptabilidade a qualquer condição do meio  Reprodução fácil  Produção de sementes elevada  Crescimento rápido  Período juvenil curto

8 Problemas  Falta de acompanhamento intensivo  Custos/falta de conhecimento  Intensificação do nível de degradação  Tempo de recuperação  Biodiversidade  Alteração do ecossistema Conversão do sistema natural em outro sistema completamente alterado

9 Micropterus salmoides Procambarus clarkii Gambusia holbrooki

10 Impactos:

11 Biótopo Aquático  Instabilidade elevada  Aumento de invasões – aumento de oportunidades  Partilha de recursos  Resistência por competição directa pelos recursos  Predação  Habitats costeiros europeus - riqueza específica baixa e teia ecológica aberta

12  Máximo em zonas estuarinas, lagoas, portos e canais O ratio entre espécies não nativas e nativas:  1:40 em águas marinhas europeias  1:20 nas zonas da costa  1:5 nas zonas de estuarinas e lagunares Mais de metade das espécies introduzidas são invertebrados betónicos e macrófitas. Mais de metade das espécies introduzidas são invertebrados betónicos e macrófitas.

13 Espécies Invasoras marinhas Ameaça:  Biodiversidade  Indústrias marinhas (incluindo pesca e turismo)  Saúde humana  Alteração do ambiente  Águas de lastro

14 Vectores de transporte ou introdução  Principal vector actual são as águas de lastro, seguido pelo transporte com fins de aquacultura.  Alguns vectores transportam taxa específicos, outros tem um cariz mais geral.  Diversos factores responsáveis pela introdução de espécies exóticas marinhas, mas uns transportam espécies com efeitos mais danosos que outros.

15 Vectores de transporte ao longo do tempo Desde 1750  Vectores antigos ligados a:  Vasilhas de madeira utilizadas em navios para armazenamento  Os próprios navios Melhores condições de transporte actuais Áreas expostas a elevado fluxo de organismos invasores Passado Presente e Futuro 120 organismos marinhos 30 espécies invasoras Melhores condições para os viajantes invasores, o que se espera que se agrave no futuro Aumenta a oportunidade de transporte e estabelecimento de espécies não nativas

16 Efeitos benéficos da introdução de plantas exóticas:  Espécies introduzidas podem assumir papéis benéficos nos ecossistemas aquáticos:  Complementam as espécies nativas, aumentando a capacidade de resposta do ecossistema a mudanças climáticas.  Juntas, as espécies nativas e as não nativas podem permitir uma maior diversidade funcional do ecossistema.

17 O que fazer ? Como actuar?  Necessário implementar legislação nacional, criar condições de quarentena, controlar o fluxo de espécies, e evitar alterações severas de habitat.  A perda de biodiversidade e a extinção de espécies são um factor de crise. Principais ferramentas legais:

18 Discussão/Conclusões  Ecossistemas robustos e saudáveis e saudáveis Uma vez que a espécie invasora entre no novo ambiente marinho provavelmente ficará para sempre Espécies invasoras interagem com as comunidades já existentes, e no processo modificam os habitats nativos  5 a 10% das espécies introduzidas tornam-se invasivas Graves consequências ecológicas e/ou económicas Grande capacidade de oposição a estas invasões.

19 Discussão/Conclusões È fulcral entender as ligações que existem entre os distúrbios provocados pela actividade humana e a natural, e o impacto desses na desenvolvimento massivo de espécies não nativas em novos habitats É também necessário distinguir a importância de diferentes grupos funcionais nas extinções Causadoras do declínio das nativas Causadoras do declínio das nativas Espécies invasoras Alterações no habitat? Alterações no habitat?

20 Considerações Finais: Espécies invasoras marinhas Principais motores de alterações ecológicas nos ecossistemas marinhos A maioria da vezes são irreversíveis Necessário determinar as fontes de risco e o tipo de localização para elaborar respostas de gestão mais eficazes.

21 Considerações Finais: Crescente globalização dos mercados mundiais, exploração e fragmentação dos ecossistemas naturais e o turismo, Aumento dramático da distribuição das espécies exóticas, tanto local como globalmente Criação de um mundo uniforme, onde faltará a identidade local de cada habitat


Carregar ppt "Consequências da presença de espécies exóticas, com ênfase nos ecossistemas aquáticos Europeus Elaborado por: Alicia Aguilar Erasmus Eloise de Sá nº: 24984."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google