A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

. PRODUÇÃO DE PEIXES REDONDOS E SEUS HIBRÍDOS V ENAq Manaus, 28/11/2013 GERALDO BERNARDINO

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: ". PRODUÇÃO DE PEIXES REDONDOS E SEUS HIBRÍDOS V ENAq Manaus, 28/11/2013 GERALDO BERNARDINO"— Transcrição da apresentação:

1 . PRODUÇÃO DE PEIXES REDONDOS E SEUS HIBRÍDOS V ENAq Manaus, 28/11/2013 GERALDO BERNARDINO

2 CONCEITOS Cadeias produtivas Conjunto de componentes interativos, compreendendo os sistemas produtivos, fornecedores de serviços e insumos, indústrias de processamento e transformação, distribuição e comercialização, além de consumidores finais do produto e subprodutos da cadeia. Sistema produtivo Conjunto de componentes interativos visando a produção de alimentos, É um subsistema da cadeia produtiva e refere-se às atividades produtivas "dentro da porteira da fazenda’

3 7 PRODUÇÃO BRASILEIRA DE PESCADO ( MIL TONELADAS )

4 Norte94.578,00 Nordeste ,60 Sudeste86.837,00 Sul ,50 Centro-Oeste75.107,90 Brasil ,00 28% 25% 17% 16% Produção da Aquicultura Continental /por Região 14% AQUICULTURA ESTADO TCR ACRE AMAPA AMAZONAS PARA RONDONIA RORAIMA TOCANTINS MATO GROSSO MARANHAO TOTAL MPA, 2011 IBAMA,2004, MPA, 2012, SEPA,2013

5 PRODUÇÃO DE PEIXES REDONDOS NA AQUICULTURA 7

6 Pacu Piaractus mesopotamicus Tambaqui Colossoma macropomum Pirapitinga -Piaractus braquipomum Levantamento, caracterização e avaliação dos diferentes ecossistemas de distribuição das espécies selecionadas ( 2) Geração de conhecimento e métodos para definição, monitoramento e avaliação de impactos ambientais nos ecossistemas (2) Pesquisas para estabelecimento de Bancos Genéticos Selvagens e Cultivados (1)

7 BANCO GENETICO SELVAGEM (IN SITU) Finalidade Preservação do potencial genético das populações selvagens das espécies nativas na própria natureza Material Populaçòes selvagens LocalÄrea biogeográfica natural protegida ( reserva ou parque nacional, estadual ou municipal ) BANCO GENÉTICO CULTIVADO (EX SITU) Finalidade Preservaçao do potencial genético das populações selvagens das espécies nativas em condições de cultivo Material Populações selvagens Local Estação governamental e/ou fazenda particular de piscicultura BANCO GENÉTICO PRESERVADO (IN VITRO) Finalidade Preservação do potencial genético das populações selvagens e cultivaddas das espécies nativas Material DNA, esperma, ovocitos, ovos, embriões, cultura de tecidos, produtos sanquiníos, materiais de museu Local Universidade, museu, estação governental e/ ou fazenda particular em piscicultura ?

8 Hibridos de colossoma e piaractus FÊMEAMACHOPRODUTO Tambaqui (Colossoma macropomum) Pacu (Piaractus mesopotamicus) Tambacu* Tambaqui (Colossoma macropomum) *Paqui* Pirapitinga (Piaractus brachypomus) *Tambatinga Tambaqui (Colossoma macropomum) Piraqui* Pacu (Piaractus mesopotamicus) Pirapitinga (Piaractus brachypomus) *Patinga* Pacu (Piaractus mesopotamicus) *Pipa* Tambaqui

9 Caracteres /Espécie PacuPirapitingaTambaquiTambacu Dente no maxilar Rastros no 1 raio branquial – 54 Escama na linha lateral AdiposaSem raios Com raiosSem raios Bexiga gassosa ( Câmaras )Posterior maior anterior maior Simétrica PACUTAMBAQUIPIRAPITINGA Piaractus mesopotamicus Piaractus bracypomumColossoma macropomum ; Bernardino et alii, 1986 ; Barbosa e Oliveira, 1988

10 7

11 7 EVOLUÇÃO DA PESCA E AQUICULTURA DO TAMBAQUI NO AMAZONAS

12 PROPAGAÇÃO ARTIFICIAL Implantação de Centros de criação para conservação, formação, melhoramento e manejo (1) Tecnicas de manipulação genetica – triploides, tetraploides, ginigenéticos, androgenéticos e transgenicos) Tecnicas de reproduçao, larvicultura e alevinagem de peixes nativos do Genero Colossoma e Piaractus

13 Local Principais forma de induçao Hipotalamo Manipulação do ambiente ( fotoperíodo, temperatura, salinidade, etc), antiestrogenos, stress, presença de macho e fêmeas conjuntamente Hipofise Antagonista de dopamina( domperidona, pimozide, metoclopamida ) e analago de LHRHa. Gonadas Hipófises desidratadas (EBH), gonadotropinas de peixes e gonadotropina coriônica humana (HCG)de peixes

14 Hormonios Liberadores de gonadotropinas – GnRHs Vantagens : 1.Atuam no inicio da cadeia ( peixes produzem sua propria gonadotropinas) 2.Sao simples facilmente fabricadas 3.Molecuals estaveis cuja atividade biologica nao varia de lote a lote 4.Uso é economico ( baixa dosagens) Desvantagens 1.Pesadas em quantidades minímas ( microgramas) 2.Apresentaçoes em dosagens elevadas que precisam ser diluidas 3.A validade após diluido, mesmo congeladas, não estão estabelecida;Espécie 1 dose 2 dose Hora - grau LHRH D(Ala6des Gly) Piaractus5,0ug/kg 15 a 20un/kg 180 a 260 Colossoma 2ug a 10ug 250 a 350 ((Des-Gli 10, D-His(Bzl) 6, Pro-NHEt 9 )-LHRH)) Piaractus1,0mg/kg-EHC2,5ml/kg250 a 350 Colossoma0,5ml/kg.2,0ml/kg240 a 350

15

16 Temperatura acima de 31 0 C Choque termico menor de 2 0 C Oxigênio dissolvido – abaixo de 3mg/l pH menor que 6,0 e acima de 9,0 Transparencia – menor que 40cm Ausência ou o m í nimo de qualquer predador Ausência ou o m í nimo de agentes causadores de doen ç as Boa quantidade de á gua Alimento natural abundante e no tamanho adequado girinos odonata Larvicultura semi-intensiva Densidade Pl/m2 Peso Inicial-g Peso final -g Tempo dias Raçao %PB Reif.S% 1100 a 3006mg0,5 a 1,0g20 a 4050 a 40%4 a 660 a 80

17 TAMBAQUIQTNORTE PÓS –LARVASMil5,00 a 9, a 0,6gMil50,00 a 70,00 0,8 a1,0gMil70,00 a 100,00 2,0 a 3,0gMil90,00 A 150,00 3,0 a 5,0gMil100,00 A 200,00 10,0 a 12,0gMil150,00 a 250,00 20,0 a 30,0gMil200,00 a 300,00 30,0 a 40,0gMil300,00 a 350,00 200,0 a 300,0gkg3,00 a 3,50 500,0 a 800,0gkg4,00 a 4,50 OUTRAS ESPÉCIES Pacu– (3,0 A 5,0cm)Mil150,00 a 250,00 PiaraptingaMil150,00 a 250,00 matrinxãMil300,00 A 400,00 PREÇO DE ALEVINOS

18 ALEVINAGEM II

19 Sistema de produção de alevinos II – viveiros DADOSVIVEIROS Estocagem- /m25 a 20 (15) Peso inicial(g)0,5 -1,0 Peso final (g)30 – 90 (50) Dias de criação45 a 90 (60) Ração (%PB)40 a 36 Taxa (%)20 a 5 Refeição/dia4-3 Sobrevivencia70 – 90 Conversão -CA0,8 a 1,2 Area – 500 a 3.000m2 Profundidade – 1,5m a 2,0m Peso-g%PBTipodiam% biomassaRef/dia Ate pó a Triturada-pel1-210 – a pellets2-47 – a pellets 4–65 – Alimentação Viveiro em vázio sanitário

20 Sistema de produção de alevinos II – 30g a 50g DADOSTANQUES - REDES Estocagem- /m Peso inicial(g)1,0 a 2,0 Peso final (g)30 a 50 Dias de criaçao45 a 60 Raçao (%PB)45-36 Taxa %)20 a 5 Refeição/dia6-4 Sobrevivencia75-85 Conversão -CA1,2 a 1,4 Rede interna com malha de 5mm a 7mm ) Volume -utilAlevinagem 6m 3 3m3 -1,5x1,5x1,3 – malha 5mm 18m310m3 - 2,5x2,5x1,6mm – malha de 5mm a 7mm

21 DADOSIGARAPÉS Estocagem- /m Peso inicial(g)0,5 -1,0 Peso final (g)30-40 Dias de criaçao50 a 80 Raçao (%PB)45-36 Taxa %) Refeição/dia5-4 Sobrevivencia70-80 Conversão -CA1,2 a 1,4 Sistema de produção de alevinos II – 30g a 50g Peso-g%PBTipodiam% biomassaRef/dia Ate 545 – 40pó a Triturada-pel a pellets

22 Qualidade dos alevinos na estocagem Sem deformidade corporal l; Livre de doenças e parasitos; Homogenidade de tamanho Fornecedor idôneo Alevinos menor que 30g (manuseio transporte / adaptação )

23 Agentes potencialmente patogênicos registrados em cultivo de tambaqui na região Protozoário:Pscinoodinium pillulari Acanthocephala: Neochinorhynchus butnerae Bactéria : Columnariose Fungo: Saprolegniose Monogenóideos Doenças nutricionais, genéticas ou ambientais Desenvolvimento de métodos para o diagnostico, profilaxia, controle e combate às doenças e parasitas (2)

24 O Diplostomum (parasito de olho) registrado inicialmente na corvina, já pode ser encontrado em outras espécies, inclusive o tambacu. Corvina Surumanha Tucuaré Traíra Cascudo Piava Piau Saguiru Fonte, Pavanelli Tambacu

25 REDONDOS

26 Curumim – 300 a 400g Baby tambaqui – 1,0 a 1,5kg Ruelo I – 1,5 a 2,0 kg Ruelo II– 2,0 a 3,0 Tambaqui > 3,0 Desenvolvimento de sistemas de produção (módulos mínimos sustentáveis), c om ênfase na redução de custo, manejo alimentar, ambiental e sanitário, aumento da produção e das exigências de mercado; (3)

27 Densidade de peixes Incidência de doenças Uso terapêuticos Aeração Troca de Água Produção Sustentab Ambiental Disponib Nutrientes endógenos Área do viveiro EXTENSIVO SEMI INTENSIVO INTENSIVO SUPER INTENSIVO Desenvolver sistemas de produção: modernos competitivos sustentáveis (social, ambiental) rentáveis integrados com outros segmentos da cadeia produtiva (e com outros sistemas produtivos) capaz de atender as demandas dos consumidores (especialmente

28 Anospeso 0 – 10, , ,1 3 – 46, ,1 5 –613, Issac e Rufino, / 1990/91 Sistema Extensivo

29 PESQUE & PAQUE

30 Sistema de produção de tambaqui curumim ( g ) Estocagem-ind/m21 a 2 Peso inicial(g)30 a 50 Peso final (g)300 a 700 Dias ( criaçao) Raçao (%PB)36 – 28 Refeição/dia4-2 Sobrevivencia Conversão -CA0,9 a 1,4 Area-1.000m2 – m2 Profundidade - 1,0m a 2,0m Peso-g%PBTipodiam% biomassaRef/dia 50 a a 40 pellets2 a 312,0 a 10, a a 36pellets 2 a 310,0 s 7,06 – a pellets3 a 87,0 a 5, a pellets 8 a105,0 a 4,03

31 Dadostanques redes Estocagem-ind/m250 a 150 Peso inicial(g)30 a 50 Peso final (g)300 a 500 Dias ( criaçao) Raçao (%PB) Refeição/dia6-3 Sobrevivencia85-95 Conversão -CA1,3 a 1,6 Sistema de produção de tambaqui curumim ( g )

32 igarapés Estocagem-ind/m220 a 30 Peso inicial(g)30 a 50 Peso final (g)300 a 500 Dias ( criaçao) Raçao (%PB)36 – 32 Refeição/dia6-3 Sobrevivencia80-90 Conversão -CA1,4 a 1,6 Sistema de produção de tambaqui curumim ( g )

33 Estocagem-ind/ha3.000 a a Peso inicial(g)30 a 50 Peso final (g)1.800 a a 3000 Dias ( criaçao)270 – a 360 Ração (%PB)32 a 28 Taxa de alimentação-%5 -1 Refeição/dia (vezes)4-1 Sobrevivencia Biomassa/- s/aeraçao6.000 a a Com aeraçao8.000 a Conversão -CA1,6 a 2,0/1,81,7 a 2,2 /1,9 Sistema de produção de tambaqui ruelo (

34 RESULTADOS MÉDIOS POR HECTARE Zootécnicos Estocagem (n/ha)7.071 Peso médio inicial (g)160 Consumo de raçao (kg) Peso médio final (kg)2,62 Produção Conversão Alimentar2,09 Econômicos Custo/kg de peixeR$ 3,76 Valor de vendaR$ 5,80 ReceitaR$ ,28 Receita liquidaR$ Lucratividade54,215 EMBRAPA, RIO PRETO, AM Produtividade & competitividade

35 DADOSTANQUES -REDES Estocagem- /m220 a 30 Peso inicial(kg)0,3 a 0.4 Peso final (kg)1,5 a 2,0 Dias de criaçao180 a 210 Raçao (%PB)32 – 28 Taxa %)3 a 1 Refeição/dia3 – 2 Sobrevivencia85 – 95 Conversão -CA1,8 a 2,1 TANQUES REDES – TAMBAQUI RUELO ( 1,5 A 2,0KG )

36 Macro indicador Situação atual Situação-2015%/ano Postos de trabalho ,75,8 Prod. de pesca –ton ,74,5 Prod. aqüicultura-ton , Produção total ,321,5 Reservatorios Area total -ha 0,5% - Area-ha Produção Esimada –ton Produção2010 Tucurui –Pa Balbina - AM Jatapu – RR , Manso – MT , Lajeado-TO , Coaracy Nunes - AP , Samuel- RO , Total , PROGRAMA AMAZÔNIA AQUICULTURA E PESCA METAS 2015 LANÇAMENTO - 3 DE DEZEMBRO DE 2009-BELÉM/PA ESTRATÉGIA AUMENTO DE PRODUÇÃO DA PESCA E AQUICULTURA PLANEJAMENTO ESTRATEGICO DA POLITICA AQUÍCOLA BRASILEIRA ?

37 AVALIAÇÃO DE ALIMENTOS ALTERNATIVOS PARA PEIXES USO DE RESIDUOS AGROINDUSTRIAIS EM ALIMENTAÇÃO DE PEIXES DETERMINAÇÃO DE VALORES ENERGÉTICOS E DIGESTIBILIDADE DE NUTRIENTES EM ALIMENTOS PARA PEIXES INTERAÇÃO ENTRE VITAMINAS, AMINOÁCIDOS, MINERAIS E OUTROS ADITIVOS ÀS DIETAS PARA PEIXES PROMOTORES DE CRESCIMENTO ALTERNATIVOS PARA RAÇÔES DE PEIXES - ( PREBIOTICOS, PROBIOTICOS...)

38 Peso (g)% PBTipo de raçãoDiametro- mm TA-%BTNRe Até 555 a 40Farelada(pó)< 0,320 a 10 6 a 4 5 a 3045 a 36Tritur/pellets1,0 a 2,010 a 85 a 4 30 a a 36pellets2,0 a 4,05 a 34 a a a 28pellets4,0 a 6,04 a 32 a a a 28pellets6,0 a 10,03 a 22 a – a 24pellets8,0 a 14,01 a 1,52 a 1 > 2,50028 a 24pellets12,0 a 14,011 Raçao para tambaqui - Peso do peixe (g), ração (PB); Qtipos de ração, tamanho das particulas (mm), taxa de arraçoamento TA= % BT), número de refeições (NRe) fasesDensidade Ind/ha Peso Inicial-g Peso final -g Tempo dias S%PBCA ,5 a 1,030 – a a 360,8-1, a a a 281,2 -1, a a – a ,8 a 2,2 Densidade de estocagem, peso, ciclos de produção, sobrevivencia, ração e conversao alimentar do tambaqui, em viveiros escavados

39 Dados Alevinos (milheiro) 110,00100,00100,00100,00100,0090,00 Ração-R$/saco/128,4029,0029,5030,4041,0037,00 Preço da ração(R$/kg) 1,141,161,181, ,48 Custo da raçao/kg 2, Custo de produçao 3,253,313,373,494,684,22 Preço de venda- R$/kg 5,305,305,505,505,505,50 Lucro (R$/kg) 2,302,692,132,010,821,28 1/ Preço médio de Manaus ; /Peixe de 2,0 -2,5kg Evoluçao do Preço da RaçaoDadosMTAMROTORRPAAC Ração/saco/25,0kg –R$ 27,0037,0029,0031,0037,0034,0031,00 Ração/kg – R$ 1,041,481,161,241,481,361,24 Cuato da raçao/kg –R$ 2,082,962,322,482,962,722,48 Custo de produçao 2,974,223, ,223,893,54 Preço de venda 4,105,303,505,005,005,005,50 Lucro (R/kg) 1,201,080,491,462,471,111,96 Preço da raçao e do pescado/produtor por Estado (novembro/2013)

40 PRODUTOS DERIVADOS DOS PEIXES REDONDOS Alto valor agregado Médio valor agregado Baixo valor agregado

41 Qualidade dos alimentos Segurança dos alimentos (food safety). “Naturalidade” (conteúdo de químicos, orgânicos e naturais). Apresentação (cor, tamanho) Sabor (tasty food). Durabilidade Impacto ambiental Origem (traceability) Como é produzido? Maior variedade de produtos e disponibilidade durante o ano Apresentação mais conveniente e adequada à vida moderna Novo Consumidor e novos parâmetros para o Aquicultura

42 TENDÊNCIAS

43 Preços decrescente./ concentração de produtores, aumento da escala de produção, menor sazonalidade da oferta e redução das margens. A exemplo da avicultura e da suinocultura, deverão surgir empresas integradoras e formação de parcerias e alianças estratégicas, com a finalidade de reduzir os custos de produção e de transação. Ao longo de toda a cadeia produtiva desde a produção de insumos até a gôndola do supermercado, o foco deverá ser no consumidor final suas exigências em relação a preço, qualidade, regularidade e praticidade. TENDENCIAS DO SISTEMA DE PRODUÇÃO

44 Maior concentração, com o objetivo de aumentar a eficiência econômica e o aproveitamento das economias de escala. Implementadas parcerias e as alianças estratégicas - serão desenvolvidos e ofertados novos e diferenciados produtos. As industriais serão relocalizadas e serão pagos prêmios por qualidade e regularidade. A disputa pelo mercado será mais acirrada e sobreviverão quelas indústrias que melhor atenderem às exigências do consumidor. Ampliação e modernização da logística de distribuição e de transporte. TENDÊNCIAS DA INDUSTRIA Haverá mudanças nos canais de distribuição ( redes de supermercados terão predominância na venda dos produtos). Exigências do consumidor por produtos cada vez mais processados Serão implementados maiores investimentos em marketing. Aumentar o consumo per capita ( restaurantes especializados... TENDÊNCIAS DA DISTRIBUIÇÃO

45 “ Apesar de tudo, à medida em que avançamos para a terra desconhecida do amanhã, é melhor ter um mapa geral e incompleto, sujeito a revisões, do que não ter mapa nenhum” Alvin Tofler


Carregar ppt ". PRODUÇÃO DE PEIXES REDONDOS E SEUS HIBRÍDOS V ENAq Manaus, 28/11/2013 GERALDO BERNARDINO"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google