A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Mapa de riscos ambientais

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Mapa de riscos ambientais"— Transcrição da apresentação:

1 Mapa de riscos ambientais
Agentes Químicos Mapa de riscos ambientais

2 Ficha de Informação de Segurança para Produtos Químicos
são normas de uso obrigatório nas embalagens de produtos químicos como tintas, solventes entre outros, cuja finalidade é a de informar sobre os procedimentos de segurança, riscos a integridade física, saúde, acidentes. Formas armazenar, transportar, combate ou neutralização a intoxicação ao fogo ou ações de emergências.

3 FISPQ Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico
Identificação do produto e da empresa fornecedora ou fabricante. Dados comerciais: Nome comercial do produto idêntico ao do rótulo e sinônimos. Código do produto. Data da última revisão da ficha. Nome do fabricante. Endereço, telefone comercial e de emergência (fabricante / distribuidor). Outros contatos para atendimento de emergência: Órgãos de saúde (hospitais especializados). Bombeiros, Órgãos de proteção ao meio ambiente, Defesa civil etc

4 Informações sobre composição.
Em caso de misturas indicar substâncias presentes e explicar as faixas de concentração de todas as substâncias que estejam em concentração acima de 0,1% e sejam classificadas como tóxicas, carcinogênicas, mutagênicas ou tóxicas para a reprodução. Quando se tratar de hidrocarbonetos derivados de petróleo, identificar a faixa de destilação e o teor máximo de aromáticos em porcentagem V/V.

5 Informações sobre composição.
Informar para cada substância identificada: Nome químico oficial (IUPAC) e sinônimos Número CAS e ONU de cada componente Indicar se ocorre absorção por via cutânea Características de odor e limites olfativos Formula e peso molecular de cada componente

6 Identificação de danos à saúde e meio ambiente.
Apresentar resumo das principais propriedades intrínsecas do produto que possam provocar danos, à saúde e meio ambiente Indicar: Efeitos agudos da exposição por inalação, contato ou absorção pela pele e olhos, e ingestão. Efeitos sub-agudos, crônicos e a longo prazo da exposição por inalação, contato ou absorção pela pele e olhos, e ingestão. Principais sinais e sintomas. Agravamento da condição pré-existente.

7 Medidas de primeiros socorros.
Ações a serem tomadas imediatamente em casos de exposição acidental. As recomendações para assistência médica devem se subdividir em casos de: Inalação Contato com a pele Contato com os olhos Ingestão Podem também ser feitos outros comentários pertinentes.

8 Medidas de combate a incêndio.
Descreva as propriedades do produto relacionadas com o risco de incêndio (ponto de fugor, faixa de explosividade e ponto e auto-ignição. Informar a sensibilidade a impacto mecânico e a cargas estáticas, produtos de decomposição térmica e combustão. Informar os meios de extinção apropriados e a melhor forma de medida de combate ao incêndio (os procedimentos especiais para combate ao fogo e proteção dos bombeiros). Informar também os meios incompatíveis para o combate ao fogo.

9 Medidas em caso de derrame acidental e vazamento.
Esta seção deve conter informações sobre: Instruções específicas de precauções pessoais (remoção de fontes de ignição, controle de poeira, prevenção da inalação e do contato com a pele, mucosas e olhos), em caso de derramamentos ou vazamentos acidentais. Procedimentos a serem adotados quanto à precauções ambientais e sistemas de alarme. Os métodos de limpeza (materiais neutralizadores, absorvedores, diluidores, quando houver). Alertar para possíveis situações e/ou materiais incompatíveis. Prevenção de possíveis riscos secundários. Obs.: Para descarte remeter ao item 13.

10 Manuseio e armazenagem.
Descrever medidas técnicas apropriadas (prevenção de incêndio e explosão) e precauções para o manuseio seguro, tais como ventilação local e geral e medidas par prevenir formação de poeiras e névoas, bem como procedimentos ou equipamentos apropriados que são recomendados ou proibidos.Se possível apresentar uma breve descrição de cada procedimento ou equipamento. Fornecer informações sobre as condições para armazenagem segura levando-se em conta: materiais incompatíveis, faixa / limite de temperatura, umidade e luz. Especial atenção à necessidade de lay-out adequado da área e embalagens / recipientes recomendados ou impróprios, especificações de equipamentos elétricos e a necessidade de prevenção de eletricidade estática. Avisar quanto aos limites de armazenagem.

11 Medidas de controle de exposição.
Medidas de Proteção Coletiva. Indicar medidas de controle de engenharia necessárias para a eliminação ou minimização do risco, visando a redução da exposição. Salientar que a substituição de matérias primas e processos industriais por outros menos tóxicos e perigosos e secundariamente o controle na fonte e trajetória em primazia em relação ao uso de EPI.

12 Medidas de controle de exposição.
Equipamentos de Proteção Individual (EPI) A adoção de EPI somente está indicada nos seguintes casos: durante a fase de implementação e para atender a situações especiais, não rotineiras e emergenciais e devem atender as especificações adequadas ao risco. Deve-se indicar proteção respiratória, auditiva, ocular e para corpo e as mãos. A ficha deve orientar quanto aos tipos de materiais constituintes do EPI, que forneça a melhor proteção contra o produto em uso, considerando as diversas condições de processo e do local de trabalho. Para os protetores respiratórios deve ser deda orientação sobre necessidade de desenvolver um Programa de Proteção Respiratória (PPR). Obs.: O PPR deverá incluir seleção do respirador, teste de aptidão, treinamento e manutenção, conforme instrução normativa 01 de 11/04/94.

13 Medidas de controle de exposição.
Medidas de higiene industrial. Reforçar a necessidade adotar medidas especificas de higiene, bem como proibição de fumar, comer e beber durante o manuseio. Coleta e análise Indicar métodos analíticos para a avaliação ambiental e biológica.

14 Medidas de controle de exposição.
Limites máximos permitidos Apresentar os limites de exposição ocupacional preconizados de cada componente (NR15, ACGIH, NIOSH, OSHA, DFG – MAK e outros – Média ponderada no tempo (TWA), Valor de curta exposição (STEL) ou valor teto(Ceiling). Apresentar os indicadores biológicos e seus respectivos valores máximos recomendados. Fornecer o Índice Imediatamente Perigoso à Vida e à Saúde.

15 Propriedades físico-químicas.
Descrever informações relacionadas à aparência do produto: Estado físico, forma, cor e odor Indicar as propriedades físico-químicas: Ponto ou faixa de ebulição (C ). Ponto de fusão (C ). Densidade relativa (água = 1). Pressão de vapor (mmHg a 20C ). Solubilidades Densidade relativa do vapor (ar=1) Taxa de evaporação pH

16 Estabilidade e Reatividade.
Indicar qualquer condição na qual o produto seja instável ou possa reagir perigosamente, decompondo-se ou polimerizando-se podendo causar incêndio, explosão ou formação de outros produtos químicos perigosos. Listar as condições que devem ser evitadas tais como: temperaturas altas ou baixas, pressão, luz, choques, atrito, envelhecimento, umidade etc. Mencionar dados sobre corrosividade do produto.

17 Estabilidade e Reatividade.
Citar as substâncias incompatíveis com as quais pode reagir de forma violenta ou explosiva, quando em contato. Estas substâncias poderão ser água, ar, ácidos, bases, agentes oxidantes etc. Indicar a necessidade de adicionar aditivos que atuem como estabilizantes ou inibidores que possam reduzir ou eliminar a possibilidade de uma reação perigosa. Obs.: Estas informações deverão subsidiar medidas de prevenção, práticas de segurança, armazenamento, procedimentos de emergência, descarte, danos aos meio ambiente etc.

18 Informações toxicológicas.
Apresentar de forma concisa, mas completa e compreensível, descrição dos vários efeitos toxicológicos do produto ou dos seus componentes, destacando: toxidade aguda, efeitos locais (irritabilidade, corrosividade), sensibilização e toxidade crônica devido a exposição de curta ou de longa duração (carcinogenicidade, toxidade ao sistema reprodutor, teratogenicidade, embriogenicidade, mutagenicidade, neurotoxidade etc.) Se houver informações, mencionar separadamente: Efeitos imediatos; Efeitos tardios; Os efeitos sobre os diversos órgãos e sistemas; As substâncias toxicologicamente sinérgicas; Efeitos cumulativos e de depósito no organismo.

19 Persistência / degradabilidade Potencial de bioacumulação
Informações relativas ao meio ambiente. Informar dados úteis para avaliação de impacto ambiental se o produto for liberado no meio ambiente, tais como: Mobilidade Persistência / degradabilidade Potencial de bioacumulação Riscos potenciais à biodiversidade.

20 Considerações sobre disposição / descarte.
Informar sobre condutas que devem ser adotadas com os resíduos e os materiais contaminados, incluindo os utilizados na contenção de derramamentos e de vazamentos. Considerar as legislações federais, estaduais e municipais sobre o assunto.

21 Informações sobre transporte.
Mencionar: Precauções especiais para o transporte; A classificação ONU do produto, ratificada pelo Brasil; Regulamentações adicionais, quando for o caso; Considerar as legislações federais, estaduais e municipais sobre o assunto.

22 Informações sobre regulamentação do produto.
Citar regulamentações específicas aplicadas ao produto. Indicar as informações sobre os dados que devem ser apresentados no rótulo. Citar a regulamentação da categoria do produto em conformidade com o sistema de rotulagem preventiva.

23 Outras informações. Fornecer informações suplementares que o autor da ficha considerar importante para o uso seguro do material e as fontes de referência usadas na preparação da ficha.


Carregar ppt "Mapa de riscos ambientais"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google