A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Curas e Milagres Escola Dominical - IPJG Presb. Geraldo M. B. Valim 27 de abril de 2014.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Curas e Milagres Escola Dominical - IPJG Presb. Geraldo M. B. Valim 27 de abril de 2014."— Transcrição da apresentação:

1 Curas e Milagres Escola Dominical - IPJG Presb. Geraldo M. B. Valim 27 de abril de 2014

2 2 Curas e Milagres Goethe, o pensador alemão, dizia que O MILAGRE É O FILHO FAVORITO DA FÉ. Ele disse isso de maneira genérica. Ele era luterano, mas a afirmação se referia a fé em geral.

3 3 Curas e Milagres Mas nós, evangélicos, temos observado o crescimento de curas e milagres nas igrejas ditas evangélicas.

4 4 Curas e Milagres Uma cura milagrosa, para entendermos o assunto, seria uma recuperação completa e instantânea de uma doença orgânica, que acontece sem a participação de nenhum agente terapêutico.

5 5 Curas e Milagres O Senhor Jesus fazia milagres, e isso serviu de autenticação de seu ministério. Lucas 7:22. “Então lhes respondeu: Ide, e contai a João o que tens visto e ouvido: os cegos vêem, os coxos andam, os leprosos são purificados,

6 6 Curas e Milagres e os surdos ouvem; os mortos são ressuscitados, e aos pobres é anunciado o evangelho.” Lc. 7: 22 E isso era o que Isaías profetizou que iria acontecer quando o Messias viesse.

7 7 Curas e Milagres Os apóstolos mesmos receberam esse sinal de aprovação de Deus. Pedro e João tiraram as dúvidas quanto a sua autoridade apostólica quando curaram o aleijado no portão do templo.

8 8 Curas e Milagres E Paulo, cujas credenciais apostólicas eram suspeitas para muitos, declara que o seu apostolado era fundamentado em sinais, maravilhas e milagres. 2 Corintios 12:12.

9 9 Curas e Milagres “Os sinais do meu apostolado foram, de fato, operados entre vós com toda a paciência, por sinais, prodígios e milagres.” 2 Cor. 12:12

10 10 Curas e Milagres Resumindo, havia razões para esses sinais: a) Deus escolheu pessoas em particular para uma comissão específica. b) O que eles falavam tinha a aprovação de Deus.

11 11 Curas e Milagres a) Deus estava fazendo algo novo e chamou a atenção e autenticou seus agentes. b) Isso era um fato especial, para autenticar a Cristo como Deus e dar a autoridade dele aos apóstolos.

12 12 Curas e Milagres Se formos valorizar a Bíblia, milagres devem ser esperados nesse contexto apostólico.

13 13 Curas e Milagres Como ensinou João Calvino, quando os católicos pediram os milagres que autenticassem a sua mensagem, ele respondeu que a mensagem era a do Novo Testamento e portanto os milagres que a autenticam são aqueles que lá estão.

14 14 Curas e Milagres Só se fosse uma nova mensagem é que seriam necessários novos milagres. A igreja pós-apostólica não tinha essa preocupação.

15 15 Curas e Milagres Não havia algo mais sagrado que outro. Tudo era parte da criação de Deus, e nada era acima dela. As reuniões eram em salões residenciais, não havia estátuas ou pessoas mais santas que as outras.

16 16 Curas e Milagres Mas começaram os grandes edifícios, que viraram a “casa” de Deus, e por isso mais sagrados; houve perseguições, e do respeito aos que morreram pela fé, passou-se a peregrinar a esses túmulos;

17 17 Curas e Milagres O óleo das catedrais passou a ter poderes especiais de cura, especialmente se ficassem em contato com alguma relíquia de mártir. E de uma função curadora, por ineficácia, evoluiu a uma de selo de morte, a “extrema unção”.

18 18 Curas e Milagres Surgiram as estátuas, relíquias de todo tipo, velas e cerimônias. E tudo isso contra o ensino explícito do apóstolo Paulo. Gálatas 4:8-11. “Outrora, quando não conhecíeis a Deus, servíeis aos que por natureza não são deuses; agora,

19 19 Curas e Milagres porém, que já conheceis a Deus, ou, melhor, sendo conhecidos por Deus, como tornais outra vez a esses rudimentos fracos e pobres, aos quais de novo quereis servir? Guardais dias, e meses, e tempos, e anos. Temo a vosso respeito não haja eu trabalhado em vão entre vós. ” Gl 4: 8-11

20 20 Curas e Milagres Passou-se a enfatizar o visível. O Deus invisível não era mais suficiente. A ascensão atrapalhou a fé de muitos! O visível, mera criação como todo o resto, passou a caracterizar o sagrado.

21 21 Curas e Milagres Curas sempre houve. Um médico, que seja cristão, aceita duas formas de cura: a natural e a miraculosa. E ele reconhece Deus como a fonte de ambas, e dá graças a Deus por ambas.

22 22 Curas e Milagres Ele sabe que com o conhecimento, pode-se beneficiar uma pessoa com o uso de recursos de nosso próprio corpo e da natureza, seja química ou física, dentro do âmbito da criação.

23 23 Curas e Milagres Não há do ponto de vista bíblico, diferença entre um produto orgânico, químico ou o que seja. Tudo é criação.

24 24 Curas e Milagres Não que não existam curas miraculosas. Mas devemos ter cuidado em identificá- las. Qualquer um que tenha vivência na área da saúde, com algum conhecimento da fisiologia e da patologia do corpo

25 25 Curas e Milagres humano, sabe que o simples desaparecimento de um sintoma não é sinônimo de cura. A psicopatologia também mostra que a mente é capaz de mimetizar ou suprimir sintomas patológicos. Mas, o ponto não é esse.

26 26 Curas e Milagres Há curas miraculosas. O Senhor fez várias, que são didáticas. Por exemplo, Jo.5:1-15.

27 27 Curas e Milagres Jesus fez a pergunta do v.6: Você quer ser curado? A questão não era supérflua. A resposta está no v.7. O paralítico não respondeu a pergunta de Jesus. Ele lamentou seu infortúnio, a falta de ajuda, mas não disse que queria ser curado.

28 28 Curas e Milagres Note que ele esperava ajuda apenas dos outros, e não dele mesmo. Jesus foi direto ao ponto. E a atitude desse paralítico é a regra. Como ele, temos a tendência de ficar em uma procura incessante de curas e milagres.

29 29 Curas e Milagres E quando o Senhor o curou, foi por que Ele quis por sua misericórdia e para ser sinal de sua divindade. Jo. 20:30,31. “Jesus, na verdade, operou na presença de seus discípulos ainda muitos outros sinais que não estão escritos neste livro; estes,

30 30 Curas e Milagres porém, estão escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome. Jo 20:30,31 O ponto é que foi por que o Senhor quis. Não por causa da fé ou pedido de terceiros.

31 31 Curas e Milagres Esse texto do paralítico junto ao tanque de Betesda é muito didático, mas é mais comum se ouvir citações de Jo. 14:12. No entanto, o contexto desse texto de João é o caminho para o Pai, em referência a salvação.

32 32 Curas e Milagres Que os apóstolos fizeram milagres e curas é bíblico. Um texto didático a esse respeito é o de Atos 8: Felipe fazia sinais e milagres, mas os convertidos por ele não, até que chegaram os apóstolos Pedro e João

33 33 Curas e Milagres e impuseram as mãos e os convertidos passaram a ter esse dom. Isso impressionou tanto a Simão que ele quis comprar com dinheiro esse dom, de transmitir o poder de Deus.

34 34 Curas e Milagres O que aprendemos é que havia um dom que era exclusivo dos apóstolos, que os autenticava, e lhes dava autoridade. Foi esse o argumento de Paulo. “Os sinais do meu apostolado foram, de fato, operados entre vós com toda a paciência, por sinais, prodígios e milagres. 2 Co. 12:12.

35 35 Curas e Milagres Mas, um problema persistia e persiste: a morte. Os apóstolos ressuscitaram mortos, mas a igreja pós-apostólica não o fez, e não se faz desde então.

36 36 Curas e Milagres Em 1 Tes. 4:13. O apóstolo Paulo escreveu este texto por vários motivos. Um deles foi para que os crentes no Senhor não superestimassem o valor da vida (e da saúde!).

37 37 Curas e Milagres Essa supervalorização leva a revolta e ao desespero ante a doença e a morte. Ele queria que a aflição fosse suportada com paciência e esperança. Bem diferente da atitude natural ao homem, de saúde e bem-estar a qualquer custo.

38 38 Curas e Milagres E ele sabia do que estava falando “Antes em tudo recomendando-nos como ministros de Deus; em muita perseverança, em aflições, em necessidades, em angústias, em açoites, em prisões, em tumultos, em trabalhos, em vigílias, em jejuns.” 2 Cor.6:4-5

39 39 Curas e Milagres e fazia desse ensino um modo de vida. “Alegrai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, perseverai na oração;” Rom.12:12. Muito diferente do ensino em algumas igrejas, de que se uma cura não ocorrer, ou se houver um infortúnio, é sinal de uma “doença” espiritual.

40 40 Curas e Milagres Essa atitude, de que as curas devem ser rotina nos que tem uma fé saudável, não são apenas erradas, mas tem consequências sérias para os doentes e para os crentes. Ela DIMINUI A GRANDEZA DE CRISTO.

41 41 Curas e Milagres Jesus foi tudo e mais um pouco, em matéria de compaixão, e fez curas e milagres, minorando o sofrimento de muitos.

42 42 Curas e Milagres Mas isso não deve nos levar a perder o foco, de que Ele é infinitamente mais do isso. O propósito supremo é resumido em Jo.3:16. Nunca houve um homem como ele e nunca haverá.

43 43 Curas e Milagres Essa atitude muda o conteúdo do evangelho. Ao enfatizar a cura do corpo, corre-se o risco de desviar o foco da redenção para a vida eterna. O que a humanidade mais precisa não é a cura de todas as doenças.

44 44 Curas e Milagres Se isso ocorrer, ainda persiste o maior problema, o pecado. Como está em 1 Pe.2:24 “Levando ele mesmo os nossos pecados em seu corpo sobre o madeiro, para que mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados.”

45 45 Curas e Milagres A cura que realmente precisamos é outra. Paulo enfatiza isso de outra forma em 1 Co. 15:19. “Se é só para esta vida que esperamos em Cristo, somos de todos os homens os mais dignos de lástima.”

46 46 Curas e Milagres Essa atitude divide a atenção da igreja. Pode levar o cristão, ou até igrejas inteiras, a procurar experiências especiais, achando que a vida cristã é isso.

47 47 Curas e Milagres Muda o contexto de santidade pela obediência para um de satisfação de necessidades pessoais, como se vê por aí. Leva muitos crentes a caírem na conversa de pregadores “miraculosos”. Essa atitude confunde os doentes.

48 48 Curas e Milagres Quando o crente fica doente, ele pode ficar na expectativa da cura miraculosa, e não usar os meios, também vindos da graça de Deus, que estão disponíveis, mas são menos espetaculares. E os outros irmãos ainda podem aumentar o sofrimento, com acusações de “falta de fé”.

49 49 Curas e Milagres E quando a morte chega, a situação fica insuportável, se não tivermos a segurança de que saúde e bem-estar não são tudo, e que muito melhor é estar com Cristo. Fica insuportável porque dos medos do homem, nenhum supera o da morte.

50 50 Curas e Milagres Como médico, sempre escuto que “não tenho medo de morrer, o que não quero é dar trabalho”. – É mentira. A pessoa realmente não quer dar trabalho, mas tem sim medo de morrer.

51 51 Curas e Milagres E eu creio que nada consegue erradicar completamente esse medo, na pessoa sã. Na história humana, a única solução para enfrentar a morte é estar com o Senhor.

52 52 Curas e Milagres Ele venceu a morte, e nos ensinou a não ter medo dos que matam o corpo, mas não podem matar a alma. “ E não temais os que matam o corpo, e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo.” Mat. 10:28. Ensino que Paulo reforçou como já vimos.

53 53 Curas e Milagres Se estivermos com Cristo, que conheceu o sofrimento, passou pela angústia da morte, e ressuscitou, teremos a dimensão correta de curas e milagres.

54 54 Curas e Milagres Uma cura ou um milagre terá apenas a dimensão que merece ante a enormidade do fato de que nem a morte nos separa do Senhor.

55 55 Curas e Milagres Assim, ao passarmos por sofrimentos, pelas doenças que certamente virão, e quando formos confrontados com a morte, teremos uma visão positiva. A fé não vai depender de sinais e milagres. Como sabemos, é dom de Deus. Ef.2:8.

56 56 Curas e Milagres Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus; Ef. 2:8

57 57 Curas e Milagres

58 58 Curas e Milagres


Carregar ppt "Curas e Milagres Escola Dominical - IPJG Presb. Geraldo M. B. Valim 27 de abril de 2014."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google