A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Joaquim M. de Macedo. Macedo é formado em medicina, mas nunca exerceu a profissão. E no mesmo ano da formatura, 1844, publicou a moreninha que foi escrito.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Joaquim M. de Macedo. Macedo é formado em medicina, mas nunca exerceu a profissão. E no mesmo ano da formatura, 1844, publicou a moreninha que foi escrito."— Transcrição da apresentação:

1 Joaquim M. de Macedo

2 Macedo é formado em medicina, mas nunca exerceu a profissão. E no mesmo ano da formatura, 1844, publicou a moreninha que foi escrito nas férias acadêmicas e com o sucesso abriu amplas perspectivas para a caridade romantista.

3 A Moreninha (1844) O moço loiro (1845) Os dois amores (1848) Rosa (1849) O forasteiro (1855) A luneta magica (1869) As mulheres de mantilha (1870 – 1871)

4 Gerais: Joaquim descreve os ambientes e costumes serve como um verdadeiro documentário sobre a vida urbana na capital do Império. O enredo sempre gira em torno dos mesmos temas: amores impossíveis, dúvidas e segredos, namoricos, festas, brincadeiras estudantis, entre outros. Tudo é recheado por um tom doméstico, onde todas as tramas sempre convergem para um final feliz. Especificas da obra: Amor impossível Comicidade Idealização da mulher amada Heroísmo Culto a natureza Sentimentalismo

5 Augusto, Leopoldo e Fabrício, jovens estudantes de medicina, vão passar o dia de Sant’Ana em uma certa ilha, de propriedade da avó de Filipe, um de seus colegas, Augusto, que se dizia incapaz de se apaixonar por muito tempo apenas por uma mulher, faz uma aposta com Filipe: se ficasse apaixonado por uma jovem durante quinze dias ou mais, assumiria o compromisso de escrever um romance contando tal paixão. Nos dias em que fica na ilha, sente-se atraído pela simpatia de Carolina, a Moreninha, irmã de Filipe. O tempo passa e Augusto volta outras vezes á ilha para visitar a moça. Apesar de apaixonado por ela, confessa-lhe que está preso ao juramento de fidelidade feito a uma menina, quando tinha 13 anos, mas cujo nome desconhece e de quem nunca mais teve notícia. O amor por Carolina, entretanto, supera esse compromisso e ele está disposto a casar-se com ela. No final, para a resolução feliz do aparente conflito, descobrem que eles são as duas crianças que juraram fidelidade muitos anos atrás. Augusto ganha o amor de Carolina, mas perde a aposta com Filipe. Quando lhe perguntam sobre o romance que irá escrever, ele responde que já está pronto e que se chama A Moreninha.

6 Urbano – prosa romântica que inaugura a publicação do romance de ficção no Brasil. Se caracteriza por apresentar os costumes socio-culturais da sociedade, em especial a sociedade carioca.

7 Idealização da mulher amada : “Apenas vi-te, sereia, chamei-te – rosa da aldeia como mais linda não há. Jesus! como eras bonita com as tranças presas na fita, com as flores no samburá!” Amor impossível : “— E ele a dar-me com o maldito amor! Augusto, falemos sério, essa tua exaltação estava muito em ordem num moço que quisesse desposar d. Carolina; porém tu nem cuidas em casamento nem, se em tal pensasses, te lembrarias, roceiro como és, de escolher para mulher uma menina que foi criada, educada e pode-se dizer que mora na corte.” Culto a natureza: “— Escuta, Leopoldo: uma vez que com a avó de Filipe conversava na gruta, eu, fatigado e sequioso, bebi um copo d’água da fonte do rochedo; então, a nossa boa hóspede contou-me uma fabulosa e singular tradição daquela fonte. A água dizia-se milagrosa e quem a bebesse não sairia da ilha sem atuar algum de seus habitantes.”

8 Meta x objetivo: O autor tinha como meta alcançar a a burguesia da época as pessoas que consumiam o seus boletins, e para isso utilizou os recursos que chamava atenção dessa classe, como diferenciar a personagem Carolina dos padrões de beleza europeus, a aparentando com a aparência das jovens brasileiras da época, com cabelos negros e a pele mais escura, e um dos objetivos do autor e resgatar o heroísmo dos personagens do amor impossível, de mesmo com passar do tempo os personagens sempre serem fieis, isso ele buscava demostrar em sua obra.

9 As qualidades mais predominantes na obra é o sentimentalismo e o retorno ao passado

10 O autor utilizou em alguns momentos da obra uma linguagem que nos permitia sentir como se participássemos da mesma, isso seria muito interessante para uma melhor compreensão da obra, e o autor so foco em um publico especifico, então a obra era muito direta para uma certa classe, isso distanciava a obra de outros tipos de leitores, a linguagem da obra e bem clara e direta, podemos dizer ate mesmo simples, então e de muito fácil compreensão de algumas partes mais complicadas, a obra não foca muito em detalhes e tem um final já esperado desde o começo o mocinho ficando com o seu primeiro amor no final.


Carregar ppt "Joaquim M. de Macedo. Macedo é formado em medicina, mas nunca exerceu a profissão. E no mesmo ano da formatura, 1844, publicou a moreninha que foi escrito."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google