A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CONSTRUINDO UM PLANO DE NEGÓCIOS Parte 1 – Visão Geral Empreendimentos em Informática / Alta Tecnologia 25 de Maio de 2004 André Mota –

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CONSTRUINDO UM PLANO DE NEGÓCIOS Parte 1 – Visão Geral Empreendimentos em Informática / Alta Tecnologia 25 de Maio de 2004 André Mota –"— Transcrição da apresentação:

1 CONSTRUINDO UM PLANO DE NEGÓCIOS Parte 1 – Visão Geral Empreendimentos em Informática / Alta Tecnologia 25 de Maio de 2004 André Mota – Empreendimentos em Informática / Alta Tecnologia 25 de Maio de 2004 André Mota –

2 OBJETIVOS DA AULA DE HOJE Mostrar o que um plano de negócios deve comunicar e com qual finalidade Apresentar uma estrutura recomendada para um plano de negócios Mostrar o que um plano de negócios deve comunicar e com qual finalidade Apresentar uma estrutura recomendada para um plano de negócios

3 PORQUE ESCREVER UM PLANO DE NEGÓCIOS? Internamente Permite o planejamento das ações a serem tomadas Alinha toda a organização em torno de objetivos comuns e bem definidos Permite que o empreendedor identifique os principais riscos e planeje como atenualos Externamente Provê informação sobre a viabilidade e lucratividade do negócio para: Potenciais investidores Bancos, instituições de fomento Parceiros estratégicos Consultores Levantamento de fundos O plano de negócios:

4 O que você está propondo fazer ? Quem irá comprar ? Existe vantagem competitiva ? Como será feito ? Quem irá fazer e gerenciar ? Isto dá dinheiro ??? PRINCIPAIS QUESTÕES A SEREM RESPONDIDAS POR UM PLANO DE NEGÓCIOS

5 O QUE VOCÊ ESTÁ PROPONDO FAZER? Produto / Serviço Proposta de valor Posicionamento na cadeia de valor

6 QUEM IRÁ COMPRAR? EXISTE VANTAGEM COMPETITIVA? Produto / Serviço Mercado Estrutura Competição Estratégia de atuação Potencial de mercado

7 COMO SERÁ FEITO? Produto / Serviço Mercado Operacionalização Tecnologia Processos de produção e distribuição Relação com fornecedores e distribuidores

8 QUEM IRÁ FAZER E GERENCIAR? Produto / Serviço Mercado Operacionalização Organização Equipe Gerencial Modelo organizacional

9 ISTO DÁ DINHEIRO? Produto / Serviço Mercado Operacionalização Organização Finanças Balanço, P&L, Fluxo de Caixa KPI’s (IRR, ROCE, payback) Necessidade de financiamento

10 O CONTEÚDO DO PLANO DE NEGÓCIOS: OS 5 PILARES Produto / Serviço Mercado Operacionalização Organização Finanças Proposta de valor Posicionamento na cadeia de valor Estrutura Competição Tecnologia Processos de produção e distribuição Relação com fornecedores e distribuidores Equipe Gerencial Modelo organizacional Balanço, P&L, Fluxo de Caixa KPI’s (IRR, ROCE, payback) Necessidade de financiamento Estratégia de atuação Potencial de mercado

11 OS 5 PILARES SÃO ENCONTRADOS NO MODELO DE NEGÓCIOS $ Mercado Alvo Competidores Empresa Processos Pessoas Ativos Fornecedores Produto/ Serviço Distribuidores Financiadores $ $ Modelo de Negócios:

12 OS 5 PILARES SÃO ENCONTRADOS NO MODELO DE NEGÓCIOS Mercado Alvo Competidores Financiadores Empresa Processos Pessoas Ativos $ $ $ Fornecedores Produto/ Serviço Pilar 1 – Produto / Serviço Distribuidores

13 Mercado Alvo Competidores Financiadores Empresa Processos Pessoas Ativos $ $ $ Fornecedores Produto/ Serviço OS 5 PILARES SÃO ENCONTRADOS NO MODELO DE NEGÓCIOS Pilar 2 - Mercado Distribuidores

14 Ativos Fornecedores Mercado Alvo Competidores Financiadores Empresa $ $ $ Processos Pessoas Produto/ Serviço Pilar 3 - Operacionalização OS 5 PILARES SÃO ENCONTRADOS NO MODELO DE NEGÓCIOS Distribuidores

15 Processos Mercado Alvo Competidores Financiadores Empresa Ativos $ $ $ Fornecedores Pessoas Produto/ Serviço Pilar 4 - Organização OS 5 PILARES SÃO ENCONTRADOS NO MODELO DE NEGÓCIOS Distribuidores

16 $ $ $ Mercado Alvo Competidores Empresa Processos Pessoas Ativos Fornecedores Produto/ Serviço Pilar 5 - Finanças OS 5 PILARES SÃO ENCONTRADOS NO MODELO DE NEGÓCIOS Distribuidores Financiadores

17 AMARRANDO TODAS ESTAS IDÉIAS... Análise de Riscos Produto / Serviço Mercado Operacionalização Organização Finanças Sumário Executivo Proposta de Investimento Anexos Plano de Implementação

18 ... CHEGAMOS A ESTRUTURA DE UM PLANO DE NEGÓCIOS Índice Sumário Executivo Descrição do Produto / Serviço Análise de Mercado Operacionalização e Infraestrutura Equipe Gerencial e Estrutura Organizacional Análise Financeira Análise de Riscos Plano de Implementação Proposta de Investimentos Anexos Sumário Executivo Descrição do Produto / Serviço Análise de Mercado Operacionalização e Infraestrutura Equipe Gerencial e Estrutura Organizacional Análise Financeira Análise de Riscos Plano de Implementação Proposta de Investimentos Anexos 1-3 págs 2-4 págs 1-2 págs 2 págs 1 pág 1-2 págs 1 pág págs 2-4 págs 1-2 págs 2 págs 1 pág 1-2 págs 1 pág

19 ... CHEGAMOS A ESTRUTURA DE UM PLANO DE NEGÓCIOS Índice Sumário Executivo Descrição do Produto / Serviço Análise de Mercado Operacionalização e Infraestrutura Equipe Gerencial e Estrutura Organizacional Análise Financeira Análise de Riscos Plano de Implementação Proposta de Investimentos Anexos Sumário Executivo Descrição do Produto / Serviço Análise de Mercado Operacionalização e Infraestrutura Equipe Gerencial e Estrutura Organizacional Análise Financeira Análise de Riscos Plano de Implementação Proposta de Investimentos Anexos Não será necessário abordar estes 3 tópicos no PN da disciplina

20 O SUMÁRIO EXECUTIVO Sumário Executivo Resumo de todo o plano de negócios. Deve demonstrar de forma clara, sintética e objetiva os principais conceitos do seu plano Logo, é a última seção a ser escrita Use o princípio da pirâmide para estruturar o texto Resumo de todo o plano de negócios. Deve demonstrar de forma clara, sintética e objetiva os principais conceitos do seu plano Logo, é a última seção a ser escrita Use o princípio da pirâmide para estruturar o texto Proposta de Valor para a Audiência 5 Pilares Missão da Empresa Possível estrutura:

21 DESCRIÇÃO DO PRODUTO / SERVIÇO (1/4) Descrição Produto Proposta de valor Atuação na cadeia de valor Duas dimensões a serem abordadas: Qual o problema está sendo resolvido? Qual é o benefício de sua solução para o cliente / consumidor? Qual o problema está sendo resolvido? Qual é o benefício de sua solução para o cliente / consumidor? Quais são as etapas necessárias para seu produto chegar ao cliente? Em quais etapas sua empresa se propõe a atuar? Qual a essência do negócio? Quais são as etapas necessárias para seu produto chegar ao cliente? Em quais etapas sua empresa se propõe a atuar? Qual a essência do negócio?

22 DESCRIÇÃO DO PRODUTO / SERVIÇO (2/4) Descrição Produto Sugestão de Framework: SoluçãoImplicação (porque se torna um problema para o cliente) Problema básico Proposta de Valor: Descreva o produto/serviço que você está propondo do ponto de vista do cliente/consumidor Explicite a inovação: deixe claro as diferenças em relação ao que já existe no mercado Descreva o produto/serviço que você está propondo do ponto de vista do cliente/consumidor Explicite a inovação: deixe claro as diferenças em relação ao que já existe no mercado

23 DESCRIÇÃO DO PRODUTO / SERVIÇO (3/4) Descrição Produto Atuação na cadeia de valor: Descreva a cadeia de valor e indique quais etapas sua empresa irá atuar Explicite o modelo de negócios (i.e., de onde virão as receitas, quais parcerias serão necessárias) Descreva a cadeia de valor e indique quais etapas sua empresa irá atuar Explicite o modelo de negócios (i.e., de onde virão as receitas, quais parcerias serão necessárias)

24 DESCRIÇÃO DO PRODUTO / SERVIÇO (4/4) Descrição Produto Exemplo de posicionamento na cadeia de valor: Ex 1: Serviço de segurança de dados Ex 2: Aparelhos de telefonia celular Varejo Consumidor Cliente DistribuiçãoFabricaçao Projeto SW Projeto HW Prestação serviço de segurança Desenvolv.ferramentas Pesquisa de vunerabilidades

25 ANÁLISE DE MERCADO (1/3) Análise Mercado Estrutura do mercado Quatro dimensões a serem abordadas: Análise da competição Estratégia de atuação Potencial de mercado Insights sobre a cadeia de valor (clientes e fornecedores), análises de tendências e segmentos Quem são os players e como eles competirão com você, barreiras de entrada, reação dos competidores Quais segmentos você irá atuar, precificação, estratégia de entrada, canais de vendas Quantificação do potencial de market share ou receitas que sua empresa poderá alcançar

26 ANÁLISE DE MERCADO (2/3) Análise Mercado International Data Group (www.idg.com) Forrester Research (www.forrester.com) Gartner Group (www.gartner.com) Meta Group (www.metagroup.com) The 451 Group (www.the451.com) International Data Group (www.idg.com) Forrester Research (www.forrester.com) Gartner Group (www.gartner.com) Meta Group (www.metagroup.com) The 451 Group (www.the451.com) Fontes de informações: Relatórios indústria TI Dados de empresas Comissão de Valores Mobiliários (www.cvm.gov.br) Bovespa (www.bovespa.com.br) SERASA (www.serasa.com.br) US Securities and Exchange Commision (http://www.sec.gov/edgar/searchedgar/webusers.htm) NASDAQ (http://quotes.nasdaq.com/asp/MasterDataEntry.asp?page=full) Sites das empresas – seção Relação com Investidores Comissão de Valores Mobiliários (www.cvm.gov.br) Bovespa (www.bovespa.com.br) SERASA (www.serasa.com.br) US Securities and Exchange Commision (http://www.sec.gov/edgar/searchedgar/webusers.htm) NASDAQ (http://quotes.nasdaq.com/asp/MasterDataEntry.asp?page=full) Sites das empresas – seção Relação com Investidores

27 ANÁLISE DE MERCADO (3/3) Análise Mercado McKinsey (www.mckinseyquarterly.com) BSC (www.bsc.com) Bain & Company (www.bain.com) Booz Allen (www.bai.com) AT Kearney (www.atkearney.com) Accenture (www.accenture.com) McKinsey (www.mckinseyquarterly.com) BSC (www.bsc.com) Bain & Company (www.bain.com) Booz Allen (www.bai.com) AT Kearney (www.atkearney.com) Accenture (www.accenture.com) Fontes de informações: Consultorias Pesquisa de Mercado AC Nielsen (www.acnielsen.com) Ibope (www.ibope.com.br) AC Nielsen (www.acnielsen.com) Ibope (www.ibope.com.br) Informações gerais IBGE, FGV, Banco Central, Associações de Indústria e Comercio (FIEMG, FIESP, ACMG, ACRJ), Associações Setoriais (SOFTEX, Febraban; visite site para lista de associações no Brasil)

28 OPERACIONALIZAÇÃO Operacio- nalização Tecnologia Processos Recursos Descrição da tecnologia inovadora envolvida (se aplicável) Descrição dos principais processos envolvidos; i.e., o que será feito para fabricar o produto ou prestar o serviço e como será feito. Relação com fornecedores e parceiros Que ativos você precisará para suas operações (equipamentos, licenças, etc). Quantas pessoas com quais qualificações você precisará para sua operação. Que ativos você precisará para suas operações (equipamentos, licenças, etc). Quantas pessoas com quais qualificações você precisará para sua operação. Três dimensões a serem abordadas: Planeje os investimentos a gastos ao longo do tempo e estabeleça uma ligação com a análise financeira

29 OPERACIONALIZAÇÃO Operacio- nalização Tecnologia Processos Recursos Descrição da tecnologia inovadora envolvida (se aplicável) Descrição dos principais processos envolvidos; i.e., o que será feito para fabricar o produto ou prestar o serviço e como será feito. Relação com fornecedores e parceiros Que ativos você precisará para suas operações (equipamentos, licenças, etc). Quantas pessoas com quais qualificações você precisará para sua operação. Que ativos você precisará para suas operações (equipamentos, licenças, etc). Quantas pessoas com quais qualificações você precisará para sua operação. Três dimensões a serem abordadas: Planeje os investimentos a gastos ao longo do tempo e estabeleça uma ligação com a análise financeira Seja prático: descreva os ativos em grandes categorias Ex: não descreva em detalhes as necessidades de material de escritório Seja prático: descreva os ativos em grandes categorias Ex: não descreva em detalhes as necessidades de material de escritório

30 OPERACIONALIZAÇÃO Operacio- nalização Tecnologia Processos Recursos Descrição da tecnologia inovadora envolvida (se aplicável) Descrição dos principais processos envolvidos; i.e., o que será feito para fabricar o produto ou prestar o serviço e como será feito Que ativos você precisará para suas operações (equipamentos, licenças, etc). Quantas pessoas com quais qualificações você precisará para sua operação. Que ativos você precisará para suas operações (equipamentos, licenças, etc). Quantas pessoas com quais qualificações você precisará para sua operação. Três dimensões a serem abordadas: Planeje os investimentos a gastos ao longo do tempo e estabeleça uma ligação com a análise financeira Considere o overhead nas suas contas (níveis gerenciais médios, RH, suporte, etc) Lembre-se que o empreendimento estará em crescimento acelerado no início Considere o overhead nas suas contas (níveis gerenciais médios, RH, suporte, etc) Lembre-se que o empreendimento estará em crescimento acelerado no início

31 EQUIPE GERENCIAL E ESTRUTURA ORGANIZACIONAL Equipe Gerencial Três dimensões a serem abordadas: Equipe Gerencial Estratégia de RH Empresa Currículos resumidos da alta gestão (CEO, CFO, COO, CTO) Análise dos pontos fortes e fracos da equipe (necessidades) Currículos resumidos da alta gestão (CEO, CFO, COO, CTO) Análise dos pontos fortes e fracos da equipe (necessidades) Perfil dos empregados, política de remuneração, política de incentivos, participação societária Constituição legal (i.e., sócios, etc) Informações gerais (caso já seja uma empresa constiuída) Constituição legal (i.e., sócios, etc) Informações gerais (caso já seja uma empresa constiuída)

32 ANÁLISE FINANCEIRA (1/2) Análise Financeira Três dimensões a serem abordadas: Projeções financeiras Indicadores chaves Necessidades financiamento Projeções de fluxo de caixa e de resultados Análises de liquidez e break-even Projeções de fluxo de caixa e de resultados Análises de liquidez e break-even Taxa interna de retorno (IRR) Retorno sobre capital investido (ROIC) Tempo de pay-back Taxa interna de retorno (IRR) Retorno sobre capital investido (ROIC) Tempo de pay-back Montante necessário (especificar quanto e quando)

33 ANÁLISE FINANCEIRA (2/2) Análise Financeira Considerações: A confecção do plano financeiro envolve certos conhecimentos de finanças e contabilidade Procure ajuda especializada, OU Utilize templates pré-programados (ex: MakeMoney) Não mostre detalhes ou cálculos. Indique as premissas e resultados Use gráficos, de preferência Não tente ser mais preciso que o razoável. Trabalhe com grandes números e faixas de valores Se possível, use cenários Faça testes de realidade (reality checks, sanity checks) para verificar quão razoáveis são seus números As projeções financeiras devem estar “amarradas” com o restante do plano A confecção do plano financeiro envolve certos conhecimentos de finanças e contabilidade Procure ajuda especializada, OU Utilize templates pré-programados (ex: MakeMoney) Não mostre detalhes ou cálculos. Indique as premissas e resultados Use gráficos, de preferência Não tente ser mais preciso que o razoável. Trabalhe com grandes números e faixas de valores Se possível, use cenários Faça testes de realidade (reality checks, sanity checks) para verificar quão razoáveis são seus números As projeções financeiras devem estar “amarradas” com o restante do plano

34 ANÁLISE FINANCEIRA (2/2) Análise Financeira Considerações: A confecção do plano financeiro envolve certos conhecimentos de finanças e contabilidade Procure ajuda especializada, OU Utilize templates pré-programados (ex: MakeMoney) Não mostre detalhes ou cálculos. Indique as premissas e resultados Use gráficos, de preferência Não tente ser mais preciso que o razoável. Trabalhe com grandes números e faixas de valores Se possível, use cenários Faça testes de realidade (reality checks, sanity checks) para verificar quão razoáveis são seus números As projeções financeiras devem estar “amarradas” com o restante do plano A confecção do plano financeiro envolve certos conhecimentos de finanças e contabilidade Procure ajuda especializada, OU Utilize templates pré-programados (ex: MakeMoney) Não mostre detalhes ou cálculos. Indique as premissas e resultados Use gráficos, de preferência Não tente ser mais preciso que o razoável. Trabalhe com grandes números e faixas de valores Se possível, use cenários Faça testes de realidade (reality checks, sanity checks) para verificar quão razoáveis são seus números As projeções financeiras devem estar “amarradas” com o restante do plano Exemplo de premissa: Projeção de valores futuros do dólar: Índice TOP 5 do Banco Central Exemplo de premissa: Projeção de valores futuros do dólar: Índice TOP 5 do Banco Central

35 ANÁLISE DE RISCOS Análise de Riscos Conteúdo: Descrição dos principais riscos do negócio, abrangendo os 5 pilares do plano Observações: Todo negócio tem seu risco. É natural que um empreendimento na sua fase inicial tenha muitos riscos Argumentar que não há riscos mina a credibilidade do seu plano Todo negócio tem seu risco. É natural que um empreendimento na sua fase inicial tenha muitos riscos Argumentar que não há riscos mina a credibilidade do seu plano

36 PLANO DE IMPLEMENTAÇÃO (1/2) Plano de Implement. Planejar ações e alocar recursos (não é uma ferramenta para demonstrar resultados) Planejar ações e alocar recursos (não é uma ferramenta para demonstrar resultados) Comunicar claramente tarefas e responsáveis para todas as partes envolvidas (internas e externas) Comunicar claramente tarefas e responsáveis para todas as partes envolvidas (internas e externas) Mostrar para potenciais investidores ou parceiros a viabilidade de implementação do negócio. Em alguns casos, pode ser necessário “provar” que o plano é viável Mostrar para potenciais investidores ou parceiros a viabilidade de implementação do negócio. Em alguns casos, pode ser necessário “provar” que o plano é viável Planejar ações e alocar recursos (não é uma ferramenta para demonstrar resultados) Planejar ações e alocar recursos (não é uma ferramenta para demonstrar resultados) Comunicar claramente tarefas e responsáveis para todas as partes envolvidas (internas e externas) Comunicar claramente tarefas e responsáveis para todas as partes envolvidas (internas e externas) Mostrar para potenciais investidores ou parceiros a viabilidade de implementação do negócio. Em alguns casos, pode ser necessário “provar” que o plano é viável Mostrar para potenciais investidores ou parceiros a viabilidade de implementação do negócio. Em alguns casos, pode ser necessário “provar” que o plano é viável Objetivos:

37 PLANO DE IMPLEMENTAÇÃO (2/2) Plano de Implement. O plano de implementação deve estar “amarrado” com os objetivos dos 5 pilares Lembre-se que nos primeiros anos, o empreendimento estará em crescimento acelerado O plano de implementação deve estar “amarrado” com os objetivos dos 5 pilares Lembre-se que nos primeiros anos, o empreendimento estará em crescimento acelerado Recomendações: Sugestão de Ferramentas: Diagrama de Gantt Atividade Mês 1Mês 2Mês 3Mês 4 Aifdsfo dsfjif Cjidosd ew OIsds sadsf Osddf sdijer Ksddf eirewro Ndsfdsfsd - qweedf - asdxcv Externamente: apresente apenas os principais marcos e seus prazos Internamente: mais detalhado, com designação de responsáveis Externamente: apresente apenas os principais marcos e seus prazos Internamente: mais detalhado, com designação de responsáveis

38 PLANO DE IMPLEMENTAÇÃO (2/2) Plano de Implement. Sugestão de Ferramentas: Diagrama de Gantt Atividade Mês 1Mês 2Mês 3Mês 4 Aifdsfo dsfjif Cjidosd ew OIsds sadsf Osddf sdijer Ksddf eirewro Ndsfdsfsd - qweedf - asdxcv Externamente: apresente apenas os principais marcos e seus prazos Internamente: mais detalhado, com designação de responsáveis Externamente: apresente apenas os principais marcos e seus prazos Internamente: mais detalhado, com designação de responsáveis O plano de implementação deve estar “amarrado” com os objetivos dos 5 pilares Lembre-se que nos primeiros anos, o empreendimento estará em crescimento acelerado... Recomendações: Exemplos: Desenvolvimento do produto / tecnologia Entrada no mercado Formação de parcerias Obtenção de investimentos ou empréstimos Exemplos: Desenvolvimento do produto / tecnologia Entrada no mercado Formação de parcerias Obtenção de investimentos ou empréstimos

39 PROPOSTA DE INVESTIMENTO Proposta Investim. O que deve ficar claro para o investidor: Quanto dinheiro ele irá investir e quando Qual o retorno que ele terá sobre este investimento IRR, ROIC, DCF Qual a relação dele com os demais sócios (poder de decisão, poder de veto) Formas de saída (ex: venda) Quanto dinheiro ele irá investir e quando Qual o retorno que ele terá sobre este investimento IRR, ROIC, DCF Qual a relação dele com os demais sócios (poder de decisão, poder de veto) Formas de saída (ex: venda)

40 ANEXOS Anexos Conteúdo: Coloque de forma estruturada e indexada todos os detalhes que suportam os fatos, análises e conclusões apresentados no plano Fatos e análises de suporte (ex: pesquisa de mercado) Detalhamento das projeções feitas (marketing, finanças) Curriculos detalhados Não transforme o anexo em um depósito de todas as informações que você tem sobre o negócio Coloque de forma estruturada e indexada todos os detalhes que suportam os fatos, análises e conclusões apresentados no plano Fatos e análises de suporte (ex: pesquisa de mercado) Detalhamento das projeções feitas (marketing, finanças) Curriculos detalhados Não transforme o anexo em um depósito de todas as informações que você tem sobre o negócio

41 RECOMENDAÇÕES FINAIS Sua apresentação deve ter ~3 pontos chaves para fixação. Enfatize-os Aqui foi apresentada uma recomendação de estrutura para o plano de negócios. Adapte a forma e estrutura do documento de acordo as particularidades do negócio e da audiência Mantenha os modelos das projeções de mercado, operacionais e financeiras flexíveis em uma planilha eletrônica (de forma parametrizável). O plano de negócios não é um objeto de decoração; a flexibilidade de uma planilha permite avaliar alternativas e dimensionar recursos para tomar decisões Ao mostrar alguma análise no plano de negócios, mostre as premissas e os resultados; não mostre as contas Sempre mostre as fontes dos fatos e dados apresentados Sua apresentação deve ter ~3 pontos chaves para fixação. Enfatize-os Aqui foi apresentada uma recomendação de estrutura para o plano de negócios. Adapte a forma e estrutura do documento de acordo as particularidades do negócio e da audiência Mantenha os modelos das projeções de mercado, operacionais e financeiras flexíveis em uma planilha eletrônica (de forma parametrizável). O plano de negócios não é um objeto de decoração; a flexibilidade de uma planilha permite avaliar alternativas e dimensionar recursos para tomar decisões Ao mostrar alguma análise no plano de negócios, mostre as premissas e os resultados; não mostre as contas Sempre mostre as fontes dos fatos e dados apresentados

42 PONTOS CHAVES Estrutura de um Plano de Negócios 1.O plano deve descrever todo o modelo de negócios. Os 5 pilares garantem isto 2.Os pilares devem estar consistentes entre sí e amarrados pelo plano de implementação 3.A comunicação deve ser estruturada pelo princípio da pirâmide. O sumário executivo dever resumir as principais conclusões e as seções devem conter as análises que suportam as conclusões. Detalhes e descrições mais extensas devem ficar nos anexos

43 PERGUNTAS?

44 ANEXOS

45 IDÉIA X OPORTUNIDADE Uma idéia vira uma oportunidade quando conseguimos explicar de forma clara e convicente como ela cria valor para cada um dos stakeholders envolvidos Quem são os stakeholders (i.e., clientes, investidores, distribuidores, varejistas, fornecedores, bancos, parceiros e, é claro, você) Qual valor está sendo criado para cada um deles? Quem são os stakeholders (i.e., clientes, investidores, distribuidores, varejistas, fornecedores, bancos, parceiros e, é claro, você) Qual valor está sendo criado para cada um deles? Diferença entre idéia e oportunidade Cuidado com as idéias “me-too”. Caso você não seja um first mover, considere a vantagem que os competidores possuem Analise o efeito de rede Analise o efeito de rede Considere os ganhos de escala dos competidores estabelecidos Considere os ganhos de escala dos competidores estabelecidos Pense na reação dos competidores (ex:  preço,  gastos em divulgação) Pense na reação dos competidores (ex:  preço,  gastos em divulgação)

46 EFEITO DE REDE Efeito de rede: vantagem competitiva que ocorre quando o fato de muitos clientes/consumidores utilizarem um determinado produto aumenta a atratividade do mesmo. Normalmente resulta no aprisionamento do mercado em uma empresa ou padrão. Muito comum no setor de alta tecnologia Exemplos: Betamax x VHS, Zip Disk, Microsoft Windows x Resto do Mundo, eBay x outros Mas cuidado: não sobreestime o efeito de rede; parte da supervalorização das empresas pontocom se deu devido a crença exagerada nele O Efeito de rede pode ser quebrado através de construção de pontes/ adaptadores. Ex: Java, Web Browsers, Windows Clients for Netware


Carregar ppt "CONSTRUINDO UM PLANO DE NEGÓCIOS Parte 1 – Visão Geral Empreendimentos em Informática / Alta Tecnologia 25 de Maio de 2004 André Mota –"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google