A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO DE EVANGELIZAÇÃO Na Casa Espírita.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO DE EVANGELIZAÇÃO Na Casa Espírita."— Transcrição da apresentação:

1 ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO DE EVANGELIZAÇÃO Na Casa Espírita

2 O coração infanto-juvenil é abençoado solo onde se deve albergar a sementeira de vida eterna nele ensementando os postulados libertadores do espiritismo” “ O coração infanto-juvenil é abençoado solo onde se deve albergar a sementeira de vida eterna nele ensementando os postulados libertadores do espiritismo” Vianna de Carvalho

3 Importância da Evangelização “ Inútil improvisar escoras regenerativas para obrigar o endireitamento de árvores que envelheceram tortas. As escoras só asseguram o crescimento correto das plantas novas, evitando que seus caules se desviem do rumo certo.

4 Importância da Evangelização O Depois que as pessoas consolidam tendências e as transformam em viciações, tudo fica sempre muito difícil quando se cogita de reformas de procedimento, em sentido profundo.”

5 O QUE É A EVANGELIZAÇÃO ? O ensinamento espírita e a moral evangélica são os elementos com os quais trabalhamos em nossas aulas. Esses conhecimentos são levados aos alunos através de situações práticas da vida, pois a metodologia empregada pretende que o aluno reflita e tire conclusões próprias dos temas estudados, pois só assim se efetiva a aprendizagem real.

6 OBJETIVOS DA EVANGELIZAÇÃO  promover a integração do evangelizando:consigo mesmo, com o próximo, com Deus.  proporcionar ao evangelizando o estudo: da lei natural que rege o Universo;da “natureza, origem e destino dos Espíritos bem como de suas relações com o mundo corporal”.

7 OBJETIVOS DA EVANGELIZAÇÃO Oferecer ao evangelizando a oportunidade de perceber-se como: homem integral, crítico, consciente, participativo, herdeiro de si mesmo, cidadão do Universo, agente de transformação de seu meio,rumo a toda perfeição de que é suscetível.

8 OBJETIVOS NA CASA ESPÍRITA GERAIS  Despertar na criança e no jovem, que freqüentam a Evangelização o interesse pelo estudo e pela renovação dentro das diretrizes evangélico-doutrinárias.  Proporcionar aos Evangelizadores e jovens oportunidades de participação efetiva nos trabalhos da Casa Espírita despertando o seu interesse pela causa da Unificação.

9  Possibilitar a integração de evangelizadores, evangelizandos, pais e colaboradores do DIJ nas atividades da Casa Espírita.  Possibilitar a integração de evangelizadores, evangelizandos, pais e colaboradores do DIJ nas atividades da Casa Espírita.  Promover o intercâmbio entre pais e Evangelizadores, permitindo-lhes acompanhar de perto a atuação da Escola de Evangelização.

10  Desenvolver programas de estudo que possibilitem ao evangelizador e ao evangelizando a construção do conhecimento, relacionando os conteúdos específicos, com sua própria bagagem, com as outras áreas do saber e da vivência social e familiar. “ A educação da infância é a maior obra do Espiritismo.” Leopoldo Machado

11 CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO O É a capacidade que tem o educando de estabelecer relações dos conteúdos específicos, de que está se apropriando, com outras áreas do conhecimento, com sua própria bagagem — haurida em outras existências —, tirando conclusões e construindo seu próprio saber.

12 DIMENSÕES DA PERSONALIDADE HUMANA O Dimensão cognitiva – Refere-se à seleção e estruturação dos conhecimentos; O à aprendizagem significativa, ao saber aliado ao desenvolvimento do raciocínio; O à capacidade de resolver problemas e de enfrentar situações novas, utilizando os conhecimentos adquiridos.

13 Dimensão sócio-afetiva O Diz respeito a valores, motivações, afeto, relacionamentos, segurança, autoconfiança, equilíbrio emocional, concentração e enfrentamento de dificuldades. O (...) pode ser decisiva na construção do conhecimento, por ocasionar um bloqueio ao processo de aprendizagem.

14 Dimensão psicomotora O Envolve as condições físicas, tais como: o controle motor, a postura, a alimentação e a resistência física. O Além do preparo intelectual e do emocional, o evangelizando precisa estar em boa forma física para a sua formação integral.

15 Expressão do conhecimento  Pela expressão ele libera e apresenta exteriormente o que elaborou interiormente.  É por meio dela que o evangelizador avalia parte dos resultados do processo ensino-aprendizagem.

16 METODOLOGIA ATIVAS E SIGNIFICATIVAS

17 Metodologia de Jesus O Este Currículo sugere que os ensinamentos (transmissão e apropriação do conhecimento) partam das situações da vida cotidiana, das experiências mais imediatas do educando, para depois estabelecer as generalizações. O Parte do simples para o complexo e se amolda às experiências socio-culturais e espirituais do evangelizando.

18 Método adotado por Allan Kardec O (...) entre outros procedimentos didáticos, consegue, por meio de perguntas e respostas, estabelecer as bases da Codificação Espírita(...) O O método adotado deve, considerar o raciocínio e a reflexão, permitindo elaborar as próprias conclusões, incorporando-as definitivamente ao seu patrimônio pessoal.

19 METODOLOGIA O Metodologia Ativa: O problematização, debate, pesquisa, experimentação, trabalho em grupo, dramatização, construção de modelos, estudo do meio, seminário, apresentação de aulas pelos alunos, artes cênicas, artes plásticas etc...

20 COMO FAZER?  Conscientizar os responsáveis pelas Instituições Espíritas quanto à necessidade de criar, manter e dinamizar o trabalho de Evangelização.  Conscientizar os pais espíritas quanto à responsabilidade que lhes cabe no encaminhamento de seus filhos às Escolas de Evangelização das Instituições Espíritas.

21 PROGRAMA DE ENSINO.  Um programa é desenvolvido dos 3 aos 21 anos, através de métodos adequados, realizam um estudo básico da Doutrina Espírita.  Desde o Maternal (3 e 4 anos) que o ensino do Espiritismo é efetuado, naturalmente de acordo com as possibilidades de entendimento dessa faixa etária.

22 O O êxito desse trabalho repousa em seus próprios objetivos, na dedicação do Evangelizador e no preparo e reciclagem constante a que esse Evangelizador se submete, na busca do aprimoramento espiritual e das condições pedagógicas.

23 ORGANIZAÇÃO DAS ESCOLAS DE EVANGELIZAÇÃO Estrutura Pedagógica ◦ Divisão em ciclos ◦ Programa de Estudo – Currículo para Escolas de Evangelização. ◦ Definição de Atribuições ; Evangelizador e Evangelizandos. ◦ Setores de Apoio. ◦ Responsabilidades – Coordenadores.

24 PLANO CURRICULAR O Núcleo Central- (conteúdos doutrinários) a ser desenvolvido mediante atividades didáticas, atividades de expressão artística, recreativas e de autoconhecimento, que permitam ao evangelizando viver de acordo com os princípios da Doutrina Espírita. O Parte complementar, caracterizada por práticas educativas que favoreçam a integração do evangelizando na Casa Espírita e enriqueçam a sua vivência da Doutrina, tais como: atividades de assistência social, administrativas, campanhas educativas etc.

25 Aspectos a considerar nos evangelizandos do sec. XXI:  A classificação não é rígida;  Considerar :Antecipação da adolescência;  Alfabetização precoce;  Conhecimento de informática;  Grande quantidade de informação;  as crianças com menos de 3 anos que que precisam atendimento diferenciado;  Organização das famílias, e outras. GRUPOS DE EVANGELIZANDOS/CICLOS DE EVANGELIZAÇÃO

26 PLANEJAMENTO DAS AULAS/ENCONTROS DE EVANGELIZAÇÃO Conhecer Doutrina Espírita conteúdo primordial para a ação evangelizadora, de onde são extraídos os conteúdos mínimos a serem trabalhados de uma forma dinâmica e contextualizada. Ter familiaridade com o Currículo para Escolas de Evangelização Espírita DIJ/FEB

27 PLANEJAMENTO DAS AULAS/ENCONTROS DE EVANGELIZAÇÃO Conhecer o grupo dos evangelizandos: CONDIÇÕES PARA A QUALIDADE DO TRABALHO: Característricas físicasCaracterístricas físicas Situação sócio-econômicaSituação sócio-econômica Interesses e maturidade.Interesses e maturidade. Situação familiarSituação familiar Tipo de instruçãoTipo de instrução Liderança e pró-atividadeLiderança e pró-atividade Características psicológicasCaracterísticas psicológicas

28 Planejamento das atividades evangelizadoras. O Com base no que foi visto, responda: O O que devemos considerar no planejamento das atividades evangelizadoras? O Como devemos tratar os conteúdos doutrinários contidos no currículo, considerando a educação integral?


Carregar ppt "ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO DE EVANGELIZAÇÃO Na Casa Espírita."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google