A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância www.ead.cesumar.br © Todos os direitos reservados 44 3027-6363 1 O Papel Legal do Gestor Imobiliário Profª. Esp.Claudete.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância www.ead.cesumar.br © Todos os direitos reservados 44 3027-6363 1 O Papel Legal do Gestor Imobiliário Profª. Esp.Claudete."— Transcrição da apresentação:

1 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados O Papel Legal do Gestor Imobiliário Profª. Esp.Claudete Cristina Iwata

2 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados BOAS VINDAS APRESENTAÇÃO CURRÍCULO ATIVIDADES PROFISSIONAIS PARTICIPAÇÃO EM ENTIDADES

3 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados INTRODUÇÃO O PAPEL LEGAL DO GESTOR IMOBILIÁRIO

4 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados INTRODUÇÃO QUALIFICAÇÃO O mercado imobiliário assim como os demais segmentos profissionais está carente de pessoas qualificadas.

5 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados VÍDEO 01 Curso tecnológico é bem aceito no mercado

6 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados PLANO DE ESTUDOS 1ª AULA Histórico da Legalização da Profissão. Regulamentação da Profissão. Código de Ética. Exercício Legal da Profissão.

7 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados PLANO DE ESTUDOS 2ª AULA Lei de Locação. EU – O Corretor de Imóveis. Remuneração. Entidades Relacionadas.

8 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados PLANO DE ESTUDOS 3ª AULA Operações Imobiliárias. Gestor X Corretor. O Cliente. Revisão para prova.

9 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 1 – Histórico da Legalização da Profissão Conhecer a história da profissão que escolhemos é ficar sabendo de que forma tudo começou, quem começou, quais dificuldades existiam e como chegamos até onde estamos hoje.

10 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 1 – Histórico da Legalização da Profissão A profissão do Corretor de Imóveis no Brasil vem desde o tempo da colonização, onde as pessoas ganhavam a vida arrumando pousadas para os desbravadores deste país. Como se trata de uma atividade que visa o desenvolvimento, o progresso e a concretização dos ideais, pode-se afirmar, de maneira figurada, que Pero Vaz de Caminha deu início às atividades de corretagem. Ao escrever para Portugal descrevendo o Novo Mundo, atuou como um Corretor de Imóveis.

11 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 1 – Histórico da Legalização da Profissão Os homens sempre estiveram em busca de desbravar novos territórios para conquistar terras. Travaram grandes guerras disputando os domínios. Assim, nessa aventura histórica, Pedro Álvares Cabral descobriu o Brasil em 22 de abril de Começava naquele momento a demarcação de terras e de propriedades.

12 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 1 – Histórico da Legalização da Profissão Nos primeiros anos da colonização do Brasil já existia uma preocupação com a comercialização e o registro dos imóveis. O primeiro documento sobre este assunto encontra-se no livro IV, Título VII, das Ordenações do Reino, recompiladas por mandato do rei Felipe I, em 1595, e que assim dizia:

13 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 1 – Histórico da Legalização da Profissão "se for senhor de alguma cousa e vender duas vezes a desvairadas pessoas, o que primeiro houver a entrega della será della feito verdadeiro senhor, se della pagou o preço por que lhe foi vendida ou se houve o vendedor por pago della, porque concorrendo assim na dicta venda entrega a cousa e paga do preço, o fazem senhor della''.

14 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 1 – Histórico da Legalização da Profissão "A vinda família real portuguesa deslocou definitivamente o eixo da vida administrativa da colônia para o Rio de Janeiro, mudando também a fisionomia da cidade. Basta dizer que, durante o período de permanência de Dom João VI no Brasil, o número de habitantes da capital dobrou de cerca de 50 mil a 100 mil pessoas. A presença da corte implicava uma alteração do acanhado cenário urbano da Colônia."

15 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 1 – Histórico da Legalização da Profissão

16 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 1 – Histórico da Legalização da Profissão As cidades começaram a tomar uma forma mais urbana, com infraestrutura. Com o seu crescimento, começou a nascer uma nova profissão, a de agente de negócios imobiliários. No início eram comerciantes locais que passaram a ter seus rendimentos aumentados com a intermediação imobiliária, ou então leiloeiros, que se especializaram neste ramo com o potencial do mercado imobiliário.

17 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 1 – Histórico da Legalização da Profissão Em seguida, vieram os agentes imobiliários, pessoas que, com um caderno de apontamentos na mão, muita disposição e o sonho de vencer na vida, passaram a intermediar negócios imobiliários utilizando os anúncios nos jornais para divulgar suas ofertas, e a sola dos sapatos para identificar os vendedores e deles adquirir a autorização para a venda".

18 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 1 – Histórico da Legalização da Profissão Em 7 de agosto, um projeto é encaminhado à presidência da República pelo ofício n.º 1265, para o presidente João Goulart em 23 de agosto de Por pressão do Sindicato dos Advogados da Guanabara, é encaminhado para arquivamento. Entretanto, devido à intervenção do deputado Adílio Martins Viana, o projeto foi devolvido ao Senado para não ser vetado e foi transformado na Lei nº 4.116/62, publicada no Diário Oficial da União n.º 161, de 27 de agosto de 1962, sendo assinada por Auro Moura Andrade. Finalmente, estava regulamentada a profissão do Corretor de Imóveis.

19 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 1 – Histórico da Legalização da Profissão

20 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 2 – Regulamentação da Profissão de Corretor de Imóveis A Lei nº de 27 de agosto de 1962, foi a primeira a regulamentar a PROFISSÃO DE CORRETOR DE IMÓVEIS, era composta por 21 artigos. Em 12 de maio de 1978, a Lei 6.530, aboliu a Lei nº de 27 de agosto de 1962 que atualmente já está devidamente alterada pela Lei nº de 5 de dezembro de 2003.

21 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 2 – Regulamentação da Profissão de Corretor de Imóveis O Decreto nº de 29 de junho de 1978, entrou em vigor para regulamentar a Lei e dar novas providências à profissão de Corretor de Imóveis, bem como disciplinar o funcionamento de seus órgãos e dar outras providências. Tendo entrado em vigor apenas pouco mais de um mês após a Lei 6.530, demonstra o cuidado em complementar a legislação. É composto de 48 artigos.

22 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 2 – Regulamentação da Profissão de Corretor de Imóveis Art. 1º - O exercício da profissão de Corretor de Imóveis, em todo o território nacional somente será permitido: I - ao possuidor do título de Técnico em Transações Imobiliárias, inscrito no Conselho Regional de Corretores de Imóveis da jurisdição; ou, II - ao Corretor de Imóveis inscrito nos termos da Lei N.º 4.116, de 27 de agosto de 1962, desde que requeira a revalidação da sua inscrição.

23 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados VÍDEO 02 Golpes tornam pesadelo o sonho da casa própria

24 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 2 – Regulamentação da Profissão de Corretor de Imóveis Art. 2º - Compete ao Corretor de Imóveis exercer a intermediação na compra, venda, permuta e locação de imóveis e opinar quanto à comercialização imobiliária.

25 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 2 – Regulamentação da Profissão de Corretor de Imóveis Art. 3º - As atribuições constantes do artigo anterior poderão, também, ser exercidas por pessoa jurídica, devidamente inscrita no Conselho Regional de Corretores de Imóveis da jurisdição. Parágrafo Único - O atendimento ao público interessado na compra, venda, permuta ou locação de imóvel, cuja transação esteja sendo patrocinada por pessoa jurídica, somente poderá ser feito por Corretor de Imóveis inscrito no Conselho Regional da jurisdição.

26 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 2 – Regulamentação da Profissão de Corretor de Imóveis Art. 4º - O número da inscrição do Corretor de Imóveis ou da pessoa jurídica constará obrigatoriamente de toda propaganda, bem como de qualquer impresso relativo à atividade profissional. Art. 5º - Somente poderá anunciar publicamente o Corretor de Imóveis, pessoa física ou jurídica, que tiver contrato escrito de mediação ou autorização escrita para alienação do imóvel anunciado.

27 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 2 – Regulamentação da Profissão de Corretor de Imóveis Art. 6º - O Conselho Federal e os Conselhos Regionais são órgãos de disciplina e fiscalização do exercício da profissão de Corretor de Imóveis, constituída em autarquia dotada de personalidade jurídica de direito público, vinculada ao Ministério do Trabalho, com autonomia administrativa, operacional e financeira.

28 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 2 – Regulamentação da Profissão de Corretor de Imóveis Art. 7º - O Conselho Federal de Corretores de Imóveis tem por finalidade orientar, supervisionar e disciplinar o exercício da profissão de Corretor de Imóveis em todo o território nacional.

29 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 2 – Regulamentação da Profissão de Corretor de Imóveis Art. 8º - O Conselho Federal terá sede e foro na Capital da República e jurisdição em todo o território nacional. Art. 9º - O Conselho Federal será composto por 2 (dois) representantes, efetivos e suplentes, de cada Conselho Regional, eleitos dentre os seus membros. Parágrafo Único - O mandato dos membros a que se refere este artigo será de 3 (três) anos.

30 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 2 – Regulamentação da Profissão de Corretor de Imóveis Art Os Conselhos Regionais de Corretores de Imóveis têm por finalidade fiscalizar o exercício profissional na área de sua jurisdição, sob supervisão do Conselho Federal. Art. 14 -Os Conselhos Regionais terão sede e foro na Capital do Estado, ou de um dos Estados ou Territórios, a critério do Conselho Federal.

31 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 2 – Regulamentação da Profissão de Corretor de Imóveis

32 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 2 – Regulamentação da Profissão de Corretor de Imóveis DELEGACIA DE MARINGÁ Delegado: Marcio Anderson Becchi Secretárias: Marcia Helena Dias Elizangela Lazarin Telefone (44) Av. Carneiro Leão, 135 – sala 701

33 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 2 – Regulamentação da Profissão de Corretor de Imóveis Art A inscrição do Corretor de Imóveis e da pessoa jurídica será efetuada no Conselho Regional da jurisdição, de acordo com Resolução do Conselho Federal de Corretores de Imóveis.

34 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 2 – Regulamentação da Profissão de Corretor de Imóveis Art As pessoas jurídicas inscritas no Conselho Regional de Corretores de Imóveis sujeitam-se aos mesmos deveres e têm os mesmos direitos das pessoas físicas nele inscritas. Parágrafo Único - As pessoas jurídicas a que se refere este artigo deverão ter como sócio- gerente ou diretor um Corretor de Imóveis individualmente inscrito.

35 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 2 – Regulamentação da Profissão de Corretor de Imóveis Art O exercício simultâneo, temporário ou definitivo da profissão em área de jurisdição diversa da do Conselho Regional onde foi efetuada a inscrição originária do Corretor de Imóveis ou da pessoa jurídica, fica condicionado à inscrição e averbação profissional nos Conselhos Regionais que jurisdicionam as áreas em que exercerem as atividades.

36 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 2 – Regulamentação da Profissão de Corretor de Imóveis Art Ao Corretor de Imóveis inscrito será fornecida Carteira de Identidade Profissional, numerada em cada Conselho Regional, contendo, no mínimo, os seguintes elementos: I - nome por extenso do profissional; II - filiação; III - nacionalidade e naturalidade; IV - data do nascimento;

37 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 2 – Regulamentação da Profissão de Corretor de Imóveis V - número e data de inscrição; VI - natureza da habilitação; VII - natureza da inscrição; VIII - denominação do Conselho Regional que efetuou a inscrição; IX - fotografia e impressão datiloscópica; X - assinatura do profissional inscrito, do Presidente e do Secretário do Conselho Regional.

38 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 2 – Regulamentação da Profissão de Corretor de Imóveis Art Constitui infração disciplinar da parte do Corretor de Imóveis: I - transgredir normas de ética profissional; II - prejudicar, por dolo ou culpa, os interesses que lhe forem confiados; III - exercer a profissão quando impedido de fazê-lo ou facilitar, por qualquer meio, o seu exercício aos não inscritos ou impedidos;

39 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 2 – Regulamentação da Profissão de Corretor de Imóveis IV - anunciar publicamente proposta de transação a que não esteja autorizado através de documento escrito; V - fazer anúncio ou impresso relativo a atividade profissional sem mencionar o número de inscrição; VI - anunciar imóvel loteado ou em condomínio sem mencionar o número do registro do loteamento ou da incorporação no Registro de Imóveis; VII - violar o sigilo profissional;

40 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 2 – Regulamentação da Profissão de Corretor de Imóveis VIII - negar aos interessados prestações de contas ou recibo de quantia ou documento que lhe tenham sido entregues a qualquer título; IX - violar obrigação legal concernente ao exercício da profissão; X - praticar, no exercício da atividade profissional, ato que a Lei defina como crime ou contravenção;

41 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 2 – Regulamentação da Profissão de Corretor de Imóveis XI - deixar de pagar contribuição ao Conselho Regional; XII - promover ou facilitar a terceiros transações ilícitas ou que por qualquer forma prejudiquem interesses de terceiros; XIII - recusar a apresentação de Carteira de Identidade Profissional, quando couber.

42 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 2 – Regulamentação da Profissão de Corretor de Imóveis Art As sanções disciplinares consistem em: I - advertência verbal; II - censura; III - multa; IV - suspensão da inscrição, até 90 (noventa) dias; V - cancelamento da inscrição, com apreensão da carteira profissional.

43 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 2 – Regulamentação da Profissão de Corretor de Imóveis RESOLUÇÃO-COFECI N° 458/95 Art. 1° - Somente poderá anunciar publicamente o Corretor de Imóveis, pessoa física ou jurídica, que tiver, com exclusividade, contrato escrito de intermediação imobiliária.

44 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 2 – Regulamentação da Profissão de Corretor de Imóveis Art. 2° - Dos anúncios e impressos constará o numero da inscrição de que fala o Artigo 4° da Lei n° 6.530/78, precedido da sigla CRECI, acrescido da letra "J" quando se tratar de pessoa jurídica.

45 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 03 – Código de Ética A palavra ÉTICA, vem do grego ethos e diz respeito ao modo de ser e de agir da pessoa, com base em seu caráter, comportamento e pensamentos em relação ao seu convívio social. Ser ético significa agir sem prejuízo às pessoas que nos cercam. É exercer a atividade profissional tendo como norteadora das ações a própria consciência.

46 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados VÍDEO 03 Ética: Ter ou Não Ser

47 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 03 – Código de Ética O Conselho Federal, no intuito de salvaguardar o bom relacionamento entre os profissionais, empresas, conselhos, sindicatos e entidades relacionada à profissão, acharam por bem aprovar o Código de Ética Profissional dos Corretores de Imóveis.

48 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 03 – Código de Ética

49 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 03 – Código de Ética Art. 1º - Este Código de Ética Profissional tem por objetivo fixar a forma pela qual deve se conduzir o Corretor de Imóveis, quando no exercício profissional. Art. 2°- Os deveres do Corretor de Imóveis compreendem, além da defesa do interesse que lhe é confiado, o zelo do prestígio de sua classe e o aperfeiçoamento da técnica das transações imobiliárias.

50 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 03 – Código de Ética Art. 3° - Cumpre ao Corretor de Imóveis, em relação ao exercício da profissão, à classe e aos colegas: I - considerar a profissão como alto título de honra e não praticar nem permitir a prática de atos que comprometam a sua dignidade; II - prestigiar as entidades de classe, contribuindo sempre que solicitado, para o sucesso de suas iniciativas em proveito da profissão, dos profissionais e da coletividade;

51 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 03 – Código de Ética III - manter constante contato com o Conselho Regional respectivo, procurando aprimorar o trabalho desse órgão; IV - zelar pela existência, fins e prestígio dos Conselhos Federal e Regionais, aceitando mandatos e encargos que lhes forem confiados e cooperar com os que forem investidos em tais mandatos e encargos;

52 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 03 – Código de Ética V - observar os postulados impostos por este Código, exercendo seu mister com dignidade; VI - exercer a profissão com zelo, discrição, lealdade e probidade, observando as prescrições legais e regulamentares; VII - defender os direitos e prerrogativas profissionais e a reputação da classe; VIII - zelar pela própria reputação mesmo fora do exercício profissional;

53 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 03 – Código de Ética IX - auxiliar a fiscalização do exercício profissional, cuidando do cumprimento deste Código, comunicando, com discrição e fundamentalmente, aos órgãos competentes, as infrações de que tiver ciência; X - não se referir desairosamente sobre seus colegas;

54 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 03 – Código de Ética XI - relacionar-se com os colegas, dentro dos princípios de consideração, respeito e solidariedade, em consonância com os preceitos de harmonia da classe; XII - colocar-se a par da legislação vigente e procurar difundi-la a fim de que seja prestigiado e definido o legítimo exercício da profissão.

55 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 03 – Código de Ética Art. 4º - Cumpre ao Corretor de Imóveis, em relação aos clientes: I - inteirar-se de todas as circunstâncias do negócio, antes de oferecê-lo; II - apresentar, ao oferecer um negócio, dados rigorosamente certos, nunca omitindo detalhes que o depreciem, informando o cliente dos riscos e demais circunstâncias que possam comprometer o negócio; III - recusar a transação que saiba ilegal, injusta ou imoral;

56 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 03 – Código de Ética IV - comunicar, imediatamente, ao cliente o recebimento de valores ou documentos a ele destinados; V - prestar ao cliente, quando este as solicite ou logo que concluído o negócio, contas pormenorizadas; VI - zelar pela sua competência exclusiva na orientação técnica do negócio, reservando ao cliente a decisão do que lhe interessar pessoalmente;

57 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 03 – Código de Ética VII - restituir ao cliente os papéis de que não mais necessite; VIII - dar recibo das quantias que o cliente lhe pague ou entregue a qualquer título; IX - contratar, por escrito e previamente, a prestação dos serviços profissionais; X - receber, somente de uma única parte, comissões ou compensações pelo mesmo serviço prestado, salvo se, para proceder de modo diverso, tiver havido consentimento de todos os interessados, ou for praxe usual na jurisdição.

58 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 03 – Código de Ética Art. 5° - O Corretor de Imóveis responde civil e penalmente por atos profissionais danosos ao cliente, a que tenha dado causa por imperícia, imprudência, negligência ou infrações éticas.

59 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados VÍDEO 04 Thaís Machado - Reportagem sobre corretagem de imóveis

60 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 03 – Código de Ética Art. 6º - É vedado ao Corretor de Imóveis: I - aceitar tarefas para as quais não esteja preparado ou que não se ajustem às disposições vigentes, ou ainda, que possam prestar-se a fraude; II - manter sociedade profissional fora das normas e preceitos estabelecidos em lei e em Resoluções; III - promover a intermediação com cobrança de “over-price”;

61 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 03 – Código de Ética IV - locupletar-se, por qualquer forma, a custa do cliente; V - receber comissões em desacordo com a Tabela aprovada ou vantagens que não correspondam a serviços efetiva e licitamente prestados; VI - angariar, direta ou indiretamente, serviços de qualquer natureza, com prejuízo moral ou material, ou desprestígio para outro profissional ou para a classe;

62 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 03 – Código de Ética VII - desviar, por qualquer modo, cliente de outro Corretor de Imóveis; VIII - deixar de atender às notificações para esclarecimento à fiscalização ou intimações para instrução de processos; IX - acumpliciar-se, por qualquer forma, com os que exercem ilegalmente atividades de transações imobiliárias; X - praticar quaisquer atos de concorrência desleal aos colegas;

63 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 03 – Código de Ética XI - promover transações imobiliárias contra disposição literal da lei; XII - abandonar os negócios confiados a seus cuidados, sem motivo justo e prévia ciência do cliente; XIII - solicitar ou receber do cliente qualquer favor em troca de concessões ilícitas; XIV - deixar de cumprir, no prazo estabelecido, determinação emanada do órgão ou autoridade dos Conselhos, em matéria de competência destes;

64 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 03 – Código de Ética XV - aceitar incumbência de transação que esteja entregue a outro Corretor de Imóveis, sem dar-lhe prévio conhecimento, por escrito; XVI - aceitar incumbência de transação sem contratar com o Corretor de Imóveis, com que tenha de colaborar ou substituir; XVII - anunciar capciosamente;

65 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 03 – Código de Ética XVIII - reter em suas mãos negócio, quando não tiver probabilidade de realizá-lo; XIX - utilizar sua posição para obtenção de vantagens pessoais, quando no exercício de cargo ou função em órgão ou entidades de classe; XX - receber sinal nos negócios que lhe forem confiados caso não esteja expressamente autorizado para tanto.

66 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 04 – Exercício Legal da Profissão Exercer legalmente a profissão, significa desempenhar as funções específicas de acordo com as normas pré-estabelecidas. Antes de dar início às atividades profissionais, o Corretor de Imóveis deve conhecer quais são as regras a serem seguidas. Saber quais são os seus DIREITOS e seus DEVERES.

67 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 04 – Exercício Legal da Profissão Sabemos que o corretor de imóveis é muito ágil e quer velocidade nos negócios, então, muitas vezes, torna-se profissional por meio de Curso Técnico a Distância e estuda somente para ser aprovado e obter o certificado.

68 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 04 – Exercício Legal da Profissão Munido da Carteira de identidade profissional, passa a atuar no mercado imobiliário e conclui seu aprendizado básico na prática. Começa a exercer as funções profissionais contando acima de tudo com a sorte. Pode ser que quando foi legalizada a profissão, era possível que esse profissional sobrevivesse, hoje porém, além da evolução do próprio mercado imobiliário, o mundo mudou e os clientes estão mais exigentes, conhecedores dos seus direitos e acima de tudo consciente do seu valor.

69 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 04 – Exercício Legal da Profissão O cliente do mercado imobiliário sabe que existem muitos profissionais no mercado e que na lei da oferta e procura, ele é artigo raro e desejado. Por outro lado, também é artigo raro e desejado um bom profissional. Quem não anseia ser atendido por profissional de confiança, a quem se pode confiar os negócios, com a certeza de segurança e qualidade dos serviços ?

70 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 04 – Exercício Legal da Profissão Obterá sucesso o corretor que entender a necessidade de qualificação e investir na própria carreira. É com muito orgulho que estudaremos a seguir o Capítulo XIII do Código Civil Brasileiro. Pela primeira vez, nossa profissão vem nele regulamentada. São oito artigos que instituem DIREITOS e DEVERES.

71 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 04 – Exercício Legal da Profissão CÓDIGO CIVIL BRASILEIRO – DA CORRETAGEM Art Pelo contrato de corretagem, uma pessoa, não ligada a outra em virtude de mandato, de prestação de serviços ou por qualquer relação de dependência, obriga-se a obter para a segunda um ou mais negócios, conforme as instruções recebidas.

72 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 04 – Exercício Legal da Profissão Art O corretor é obrigado a executar a mediação com diligência e prudência, e a prestar ao cliente, espontaneamente, todas as informações sobre o andamento do negócio. ( Redação dada pela Lei nº , de 2010 )( Redação dada pela Lei nº , de 2010 ) Parágrafo único. Sob pena de responder por perdas e danos, o corretor prestará ao cliente todos os esclarecimentos acerca da segurança ou do risco do negócio, das alterações de valores e de outros fatores que possam influir nos resultados da incumbência. ( Incluído pela Lei nº , de 2010 )( Incluído pela Lei nº , de 2010 )

73 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 04 – Exercício Legal da Profissão Art A remuneração do corretor, se não estiver fixada em lei, nem ajustada entre as partes, será arbitrada segundo a natureza do negócio e os usos locais.

74 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 04 – Exercício Legal da Profissão Art A remuneração é devida ao corretor uma vez que tenha conseguido o resultado previsto no contrato de mediação, ou ainda que este não se efetive em virtude de arrependimento das partes.

75 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 04 – Exercício Legal da Profissão Art Iniciado e concluído o negócio diretamente entre as partes, nenhuma remuneração será devida ao corretor; mas se, por escrito, for ajustada a corretagem com exclusividade, terá o corretor direito à remuneração integral, ainda que realizado o negócio sem a sua mediação, salvo se comprovada sua inércia ou ociosidade.

76 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 04 – Exercício Legal da Profissão Art Se, por não haver prazo determinado, o dono do negócio dispensar o corretor, e o negócio se realizar posteriormente, como fruto da sua mediação, a corretagem lhe será devida; igual solução se adotará se o negócio se realizar após a decorrência do prazo contratual, mas por efeito dos trabalhos do corretor.

77 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 04 – Exercício Legal da Profissão Art Se o negócio se concluir com a intermediação de mais de um corretor, a remuneração será paga a todos em partes iguais, salvo ajuste em contrário.

78 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 04 – Exercício Legal da Profissão Art Os preceitos sobre corretagem constantes deste Código não excluem a aplicação de outras normas da legislação especial.

79 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados CAPÍTULO 04 – Exercício Legal da Profissão O Conhecimento da legislação é fundamental para direcionar a atuação do BOM profissional.

80 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados RESUMO DA AULA Histórico da Legalização da Profissão. Regulamentação da Profissão. Código de Ética. Exercício Legal da Profissão.

81 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados ª FEIRA DE IMÓVEIS

82 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados ª FEIRA DE IMÓVEIS

83 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados ª FEIRA DE IMÓVEIS

84 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados ENCERRAMENTO A vida é como uma tomada, só funciona com os pontos positivos e negativos. BOA NOITE BOM FINAL DE SEMANA

85 CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância © Todos os direitos reservados O Papel Legal do Gestor Imobiliário Profª. Esp.Claudete Cristina Iwata


Carregar ppt "CESUMAR – Núcleo de Educação a Distância www.ead.cesumar.br © Todos os direitos reservados 44 3027-6363 1 O Papel Legal do Gestor Imobiliário Profª. Esp.Claudete."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google