A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Gerontologia Social Disciplina : Psicologia do Envelhecimento Disciplina : Psicologia do Envelhecimento Docente: João da Fonseca Docente: João da Fonseca.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Gerontologia Social Disciplina : Psicologia do Envelhecimento Disciplina : Psicologia do Envelhecimento Docente: João da Fonseca Docente: João da Fonseca."— Transcrição da apresentação:

1

2 Gerontologia Social Disciplina : Psicologia do Envelhecimento Disciplina : Psicologia do Envelhecimento Docente: João da Fonseca Docente: João da Fonseca Elaborado por: Ana Margarida Ana Margarida Marina Ribeiro Marina Ribeiro Jan. 09 ASEXUAL IDADE NO IDOSO

3 “A SEXUALIDADE É UMA ENERGIA QUE NOS MOTIVA A PROCURAR AMOR, CONTACTO, TERNURA, INTIMIDADE, QUE SE INTEGRA NO MODO COMO NOS SENTIMOS, MOVEMOS, TOCAMOS E SOMOS TOCADOS; É SER-SE SEXUAL; ELA INFLUENCIA PENSAMENTOS, SENTIMENTOS, ACÇÕES INTERACÇÕES E, POR ISSO INFLUENCIA TAMBÉM A NOSSA SAUDE FÍSICA E MENTAL” ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE

4 “O sexo é uma necessidade humana básica e a sexualidade um aspecto central da vida humana, cuja dinâmica e riqueza devem ser vividas plenamente. Sexualidade é um fenómeno que envolve a pessoa no seu todo e que abrange uma complexa interacção de variáveis biológicas, psicológicas e sócio culturais” A educação dos idosos: Os idosos de hoje foram educados na 1ª metade do séc. XX, quando as práticas homossexuais, bissexuais e de masturbação não estavam admitidas socialmente e a educação sexual era inexistente. Woods (1995 )

5 A dificuldade para falar sobre sexualidade é um problema frequente entre os idosos e, quando um casal não é capaz de conversar sobre sexo a resolução dos problemas torna-se impossível. Woods (1995)

6 Na velhice, é fundamental que exista uma boa perspectiva relacionada com a sexualidade e que se tenha a consciência de que esta é muito mais do que um acto físico ou a simples relação pénis-vagina. A Sexualidade não deve, portanto, ser confundida com relação sexual, que é apenas uma das componentes da sexualidade. Ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, “o amor, o calor, o carinho e o compartilhar entre as pessoas” são exemplos claros da complexidade da sexualidade.

7 Enquanto o Homem viver, seja qual for a sua idade, é capaz de sentir impulsos eróticos não existindo nenhuma idade em que a actividade sexual, os pensamentos sobre o sexo ou o desejo acabem. Como em qualquer outra idade, na velhice, o Homem também sente desejo de amar, de se sentir amado, de continuar a ser objecto de atenção e de afecto. (Lopes, 1993)

8 Com o avançar dos anos, as rugas e os cabelos brancos aparecem, o corpo começa a ceder, mas envelhecer não é uma doença. É importante notar que estas alterações não ocorrem nem na mesma altura nem da mesma forma em todas as pessoas. Cada indivíduo tem o seu próprio ritmo e, para alguns, estas mudanças não chegam a ser muito pronunciadas. Também o modo como cada pessoa vive estas alterações é diferente. Algumas encaram-nas como naturais, enquanto que outras ficam alarmadas e preocupadas, pensando que vão deixar de poder ter relações sexuais. Júlio Machado Vaz

9 Muitas vezes, os tabus sociais são os principais castradores da qualidade de vida dos idosos, sobretudo quando se fala de sexualidade. Segundo os especialistas, o preconceito e a falta de informação atrapalham o desenvolvimento da sexualidade na terceira idade. H Há mudanças físicas, sim, mas elas não são as responsáveis pelo fim da intimidade entre o casal

10 ALTERAÇÕES FÍSICAS DO HOMEM AUMENTO DO TEMPO NECESSÁRIO PARA ATINGIR A ERECÇÃO, COM DIMINUIÇÃO DA CAPACIDADE DE TER E MANTER UMA ERECÇÃO SUFICIENTE PARA A PENETRAÇÃO DIMINUIÇÃO DA FIRMEZA ERECCIONAL; CONTRACÇÕES ORGÁSMICAS MENOS FORTES E MAIS ESPAÇADAS; DIMINUIÇÃO QUANTITATIVA DO EJACULADO ALONGAMENTO DO PERIODO PRÉ-ORGÁSMICO; MAIOR DEPENDÊNCIA DOS ESTIMULOS FÍSICOS DURANTE O PERIODO DE EXCITAÇÃO; AUMENTO DO PERÍODO REFRACTÁRIO; MAIOR RAPIDEZ NA PERDA DE ERECÇÃO PÓS-ORGÁSMICA EVENTUAL BAIXA PROGRESSIVA DOS NÍVEIS DE TESTOSTERONA

11 «Na mulher mais idosa, a sexualidade ainda é mais complicada do que no homem, pois, com a actual valorização do corpo feminino e do ideal de juventude, a mulher com mais idade sente-se desvalorizada no seu corpo, que já perdeu as formas e o vigor de outros tempos.

12 ALTERAÇÕES FÍSICAS DA MULHER ALTERAÇÕES FÍSICAS DA MULHER Involução progressiva da genitália, com estreitamento e escurecimento vaginal; Aumento da fragilidade das paredes vaginais; Diminuição da lubrificação vaginal; Paragem da menstruação e da ovulação; Eventual baixa progressiva dos níveis de estrogénios, com aumento relativo da testosterona

13 Assim sendo devemos compreender que na sexualidade dos idosos: A actividade sexual não tem de conduzir obrigatoriamente á penetração; A principal prioridade deve ser a companhia; Atentar aos desejos e necessidades do parceiro/a Investir na ternura e no carinho; Dialogar abertamente sobre medos e expectativas; Perceber e respeitar as alterações que ambos estão a enfrentar. Usar novas estratégias (tempos de acção, posições; carícias, estimulantes, etc.); Respeitar o caso de um ou ambos necessitarem de mais tempo para estarem aptos a desempenharem o acto sexual Não esquecer que a comunicação é um factor crucial Procurar ajuda especializada sempre que houver necessidade

14

15 Sexualidade quem és? Dualidade de emoções... Qualidade de sensações… Ou simplesmente … Sexo… E tu… quem és? Nada mais que a libertação do que sou Do que gosto Como gosto Do que sinto Como me ressinto… E o meu ser o que é? Nada mais que emoções… Nada mais que sensações… recordações. E com o despertar da vida, Com o desabrochar da experiência… Pratico a ciência, da arte de me amar… O tempo passa, a vida escassa… È tempo de me agarrar… De vibrar… De libertar… De gritar… Sim, já não sou quem era por fora Mas… sim… por dentro continuo EU… M.Consciência Dez.08

16 CONCLUSÃO AOS MAIS VELHOS DEVE SER IMPUTADO O DIREITO DE COMPREENDER E ASSUMIR, COM TODA A DIGNIDADE, AS MUDANÇAS CORPORAIS, MUNINDO-SE DE NOVOS RECURSOS E ESTRATÉGIAS, ACREDITANDO QUE EM QUALQUER FASE DA VIDA, É POSSIVEL UMA VIVÊNCIA SEXUAL SATISFATÓRIA E DE PRAZER.

17 BIBLIOGRAFIA “A Psicologia do Envelhecimento” de Ian Stuart-Hamilton, 3ª edição 2002 “A Psicologia do Envelhecimento” de Ian Stuart-Hamilton, 3ª edição 2002

18 OBRIGADA PELA V. ATENÇÃO E NÃO SE ESQUEÇAM… DE SE AMAREM…


Carregar ppt "Gerontologia Social Disciplina : Psicologia do Envelhecimento Disciplina : Psicologia do Envelhecimento Docente: João da Fonseca Docente: João da Fonseca."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google