A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

I Simpósio de Pós-Graduação da UEPG A Importância da Pós-Graduação para o Crescimento das Universidades Ponta Grossa – UEPG setembro/2008.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "I Simpósio de Pós-Graduação da UEPG A Importância da Pós-Graduação para o Crescimento das Universidades Ponta Grossa – UEPG setembro/2008."— Transcrição da apresentação:

1 I Simpósio de Pós-Graduação da UEPG A Importância da Pós-Graduação para o Crescimento das Universidades Ponta Grossa – UEPG setembro/2008

2 Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Paraná

3 MISSÃO DA FUNDAÇÃO ARAUCÁRIA Apoiar a produção científica e tecnológica, a formação de recursos humanos e a difusão de conhecimentos para a elevação social, econômica e tecnológica do Paraná

4 Sistema Paranaense de C&T

5 13% Fomento à Disseminação Científica, Tecnológica e Cultural 62% Fomento à Produção Científica e Tecnológica 16% Apoio à Formação de Pesquisadores 9% Fomento à Inovação Tecnológica Investimentos 2003 a 2006 – R$ 68,8 milhões FUNDO PARANÁ - Fundação Araucária

6 Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior FUNDO PARANÁ ,00Total Geral do Fundo ,00Suplementação (2003_2006)‏ ,003% manutenção ,00Tecpar (20%)‏ ,00Fundação Araucária (30%)‏ ,00Projetos Estratégicos (UGF) (50%)‏ ,00Total disponível para Programas de C&T, I ,003% de manutenção da UGF ,00Previsão orçamentária (SEPL)‏ PROGRAMAÇÃO 2008

7 37 Municípios AS IEES NO ESTADO DO PARANÁ

8 Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior FUNDO PARANÁ 2008 PROGRAMAS - FUNDAÇÃO ARAUCÁRIA 100, ,00TOTAL 1, ,00 Reserva técnica 5, ,00 Gastos administrativos e operacionais (5%)‏ 6, ,00 UNIVERSIDADE SEM FRONTEIRAS - Extensão Empresarial 4, ,00 Participação em eventos 5, ,00 Organização de eventos - Técnico-científicos - Extensão 3. Programa de fomento à disseminação de C&T 3, ,00 Apoio a Pesquisador Visitante 12, ,00 Bolsas de mestrado e doutorado 2, ,00 Apoio à Pós-graduação stricto sensu Interinstitucional - MINTER - DINTER 8, ,00Auxílio à Pós-Graduação stricto sensu (cursos novos / cursos nível 3) 12, ,00 Bolsas para Inclusão social 5, ,00 Bolsas para Iniciação Científica 2. Programa de verticalização do Ensino Superior e formação de pesquisadores 13, ,00Programa de desenvolvimento do Ensino Superior do Paraná 20, ,00Apoio à Pesquisa Básica e Aplicada: Universal e Temática 1. Programa de fomento à produção científica e tecnológica %R$ Programas de Ação

9 Política Atual da Fundação Araucária Inclue e dá destaque a um: Programa de Verticalização do Ensino Superior e Formação de Pesquisadores Formação de Pesquisadores ? Por que ?

10 Primeira Premissa Existe uma forte correlação entre o grau de desenvolvimento de um país e seu esforço em C,T&I, expresso pelos investimentos em pesquisa e desenvolvimento (P&D) e pela dimensão de sua comunidade de pesquisa Premissas Básicas (Plano de Ação Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional)

11 Correlação entre o grau de desenvolvimento de um país e a dimensão da comunidade de pesquisa EUA Japão Reino Unido Alemanha França Canadá União Européia Itália Espanha México Argentina Brasil (2006)‏ Rússia China Coréia Sul PIB per capita (US$)‏ Nº pesquisadores por 1000 habitantes ano base: 2005 países com > 30 M hab dados da OCDE e do MCT y = 0,7479e 5E-05x

12 Segunda Premissa Alguns países mudaram drasticamente seu padrão de desenvolvimento econômico através de políticas industriais articuladas com as políticas de C,T&I Premissas Básicas (Plano de Ação Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional)

13 Coréia do Sul fez política industrial e investiu fortemente em C,T&I ano base: 2004 países com > 30 M hab dados da OCDE e do MCT

14 Terceira Premissa Existência de “massa crítica”, em termos de capacidade produtiva e acadêmica, para uma aproximação aos níveis tecnológicos das economias desenvolvidas. Premissas Básicas (Plano de Ação Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional)

15 Mestres e doutores titulados anualmente fonte: Capes/MEC Brasil: forte potencial de geração de conhecimento 9,4 mil doutores formados em 2006

16 fonte: ISI/NSI a produção científica do Brasil representa 1,9% do total mundial Número de artigos publicados em revistas internacionais

17 Quarta Premissa Premissas Básicas A Universidade tem que ter um compromisso social importante: a formação dos mestres e doutores competentes e capacitados para o ensino e a pesquisa e para o desenvolvimento social e econômico. Para uma boa universidade, é preciso ter ambiente de pesquisa. E um ambiente de pesquisa forte está ligado à pós- graduação.

18 % pesquisadores nossos cientistas ainda estão principalmente nas universidades Distribuição percentual de pesquisadores, em equivalência de tempo, por setores institucionais, 2005 Fonte: Main Science and Technology Indicators - OECD /1 e para o Brasil, MCT ensino superior setor empresarial governo Nota (1) 2004

19 Principais atores institucionais Empresas Universidades Institutos Tecnológicos Centros de P&D $ $ $ Inovação P&D produtos novos, patentes Formação de RH Pesquisa básica e aplicada publicações conhecimento Política Financiamento Pesquisa & Serviço Governo

20 Importância da Pós-Graduação stricto sensu para a Universidade  - Fortalece e cria ambiente de pesquisa  - Gera e transforma conhecimentos  - Agrega constantemente novos pesquisadores  - Abre os grupos de pesquisa a novas idéias: não envelhecimento  - Favorece que professores mantenham um conhecimento mais apurado do que está acontecendo: motivação e renovação do saber  - Repercute positivamente, junto com a pesquisa de qualidade, no ensino da graduação: oportunidades, qualidade de formação  - Forma seres humanos em condições de serem mais capazes  - Promove a Universidade ao destaque nacional e internacional  - Gera e capta parte importante dos recursos necessários à sustentação de suas atividades.

21 As 10 Instituições que apresentaram maiores números de trabalhos publicados por curso estão mostradas na Tabela 7 abaixo. POSIÇÃO NO RANKING INSTITUIÇÃO Nº TOTAL DE TRABALHOS Nº TOTAL DE CURSOS TRABALHOS POR CURSO 1º27 ºInstituto Tecnológico de Aeronáutica553869,13 2º62 ºFaculdade de Medicina de São José do Rio Preto129264,50 3º2 ºUniversidade Estadual de Campinas ,75 4º82 ºUniversidade Santa Úrsula56156,00 5º44 ºUniversidade de Mogi das Cruzes197449,25 6º8 ºUniversidade Federal de São Carlos ,80 7º1 ºUniversidade de São Paulo ,88 8º3 ºUniversidade Federal do Rio de Janeiro ,36 9º16 ºUniversidade Estadual de Maringá ,94 10º73 ºUniversidade de Santo Amaro102334,00 As 10 Instituições que apresentaram maiores números de trabalhos publicados por curso estão mostradas na Tabela 7 abaixo. [10 Instituições com maiores números de trabalhos publicados por curso de pós-graduação stricto sensu] Fonte: Instituto Lobo para o Desenvolvimento da Educação, da Ciência e da Tecnologia Produção Científica X Cursos de pós-graduação stricto sensu (mestrado e doutorado)

22 Gráfico 1 : Produção científica das IES versus número de doutores em tempo integral Produção científica das IES X número de doutores em tempo integral Instituições com mais doutores têm taxa de crescimento da produção maior do que aquelas com número menor de doutores. - A taxa de aumento da produção cresce com o número de doutores em tempo integral na Instituição. - A produção científica está fortemente relacionada ao número de doutores em tempo integral das IES. Fonte: Instituto Lobo para o Desenvolvimento da Educação, da Ciência e da Tecnologia

23 IP = Índice de produtividade de uma Instituição. Esse índice leva em conta: - o investimento do CNPq por trabalho publicado, -- o número de trabalhos publicados por doutor em tempo integral, e -- o número de trabalhos publicados por curso de pós- graduação da Instituição. POSIÇÃO NO RANKING INSTITUIÇÃOIP 1º27 ºInstituto Tecnológico de Aeronáutica4,77 2º Universidade Estadual de Campinas3,88 3º44 ºUniversidade de Mogi das Cruzes3,36 4º8 ºUniversidade Federal de São Carlos3,21 5º1 ºUniversidade de São Paulo3,12 6º82 ºUniversidade Santa Úrsula2,97 7º62 ºFaculdade de Medicina de São José do Rio Preto2,90 8º7 ºUniversidade Federal de São Paulo2,30 9º3 ºUniversidade Federal do Rio de Janeiro1,91 10º73 ºUniversidade de Santo Amaro1,89 Eficiência Científica da Instituição Índice de Produtividade - IP Nota-se a presença de 4 instituições privadas, mostrando que: grupos pequenos constituídos por pesquisadores de qualidade podem produzir competitivamente, alcançando índices de produtividade que as situam entre as mais eficientes nas atividades de pesquisa.

24 Linhas de Ação em C, T & I Fundação Araucária

25 Produção Científica e Tecnológica Pesquisa Básica e Aplicada – CP 1-5/ projetos contratados - Supl. em projetos * C&T para a Saúde – CP 25/ projetos contratados Inovação Tecnológica (PAPPE)‏ 28 projetos Agentes Locais de Inovação – CP SEBRAE/FA projetos (1ª fase)‏ Apoio à Infraestrutura – CP 03/ projetos (Em análise)‏ * (previsão)‏

26 Verticalização do Ensino Superior Formação de Recursos Humanos Bolsas de Iniciação Científica – CP 05/ bolsas/12 meses Bolsas de Iniciação Científica – Ações Afirmativas para Inclusão Social – CP 06/ bolsas estudantes cotistas/12 meses (part. FAFICOP)‏ Bolsas de Iniciação Científica Júnior – CP 09/2007 (238 bolsas/12 meses)‏ Bolsas de Mestrado e Doutorado – CP 06/ bolsas Mestrado/ (24 meses)* 22 bolsas Doutorado/ (36 meses)‏ Apoio ao Cursos MINTER e DINTER – CP 04/ MINTER (+3 – 2007)* 3 DINTER (+1 – 2007)* * (previsões)‏

27 Fortalecimento de Grupos de Pesquisa e Programas de PG Apoio a Jovens Pesquisadores – PPP – CP 19/ projetos contratados Apoio a Grupos de Excelência – Pronex – CP 08/ novos projetos + 4 projetos* /36 m (Em análise )‏ * (previsões)‏ Apoio aos Cursos de PG Stricto sensu * Mestrados e Doutorados - IEES Bolsa Professor Visitante – CP 01/2008 (53 bolsas/ 12 meses)* 1º Sem. 2008: 9 prop. contratadas Bolsa Produtividade em Pesquisa – CP 02/2008 (42 bolsas/12 meses)* (Resultado)‏

28 Disseminação de C&T Apoio à Organização de Eventos Técnico- Científicos - CP 08/2008 Apoio à Organização de Eventos de Extensão - CP 09/2008 Apoio à Participação em Eventos Científico – CP 05/ projetos em contratação Apoio à Publicações Científicas – CP 07/ periódicos + 30 livros * previsão

29 INVESTIMENTOS DA SETI 2002 = R$ 530 milhões 2006 = R$ 936 milhões aumento do orçamento da SETI em 77% 2007 = R$ 1,041 bilhão

30 Mestrado: 17 (2002)  68 (2006)  80 (2008) Doutorado: 12 (2002)  17 (2006)  22 (2008) 2002 – 2008 crescimento de 352% (M + D) * 5 MINTER e 2 DINTER alunos - 78 professores - investimentos de R$ ,00 AMPLIAÇÃO DA PÓS-GRADUAÇÃO

31 Paraná Totais públicas Totais públicas Estaduais Totais públicas Federais Totais privadas sem fins lucrativos Totais privadas IES Programas e Cursos de pós-graduação Totais de Cursos de pós-graduação TotalMDFM/DTotalMDF Fonte: CAPES em 10/04/2008 Cenário da Pós-Graduação no Paraná

32 Cursos em cada IES Totais de Cursos de pós-graduação TotalMDF PRCENTRO UNIVERSITÁRIO CAMPOS DE ANDRADE - UNIANDRADE1100 CENTRO UNIVERSITARIO DE MARINGA - CEUMAR1100 CENTRO UNIVERSITÁRIO FRANCISCANO DO PARANÁ - UNIFAE1100 CENTRO UNIVERSITÁRIO POSITIVO - UNICENP4112 FACULDADE ESTADUAL DE DIREITO DO NORTE PIONEIRO - FUNDINOPI1100 FACULDADE EVANGELICA DO PARANA - FEPAR2110 FACULDADE INGÁ - UNINGÁ1001 FACULDADES INTEGRADAS CURITIBA - FIC1100 FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL - UNIBRASIL1100 INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR PEQUENO PRÍNCIPE - IESPP2110 INSTITUTO DE TECNOLOGIA PARA O DESENVOLVIMENTO - LACTEC1001 PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ - PUC/PR UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA - UEL UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ - UEM UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA - UEPG10 00 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO3300 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - UNIOESTE UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ - UFPR UNIVERSIDADE NORTE DO PARANÁ - UNOPAR2200 UNIVERSIDADE PARANAENSE - UNIPAR3300 UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ - UTFPR9621 UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ - UTP4310

33 Cursos de Pós-graduação stricto sensu acadêmicos no Paraná MestradoDoutoradoTotal Qte.% % % Total dos cursos do Estado do Paraná Instituições públicas13181,95382,818482,1 Instituições públicas estaduais7748,11929,79642,9 Instituições públicas Federais5433,83453,18839,3 Instituições privadas sem fins lucrativos 1610,0710,92310,3 Instituições privadas138,146,3177,59 Planilha 17: Totais curso por natureza Fonte: CAPES em 10/04/2008

34 Cursos, alunos e bolsas por instituição e dependência institucional Instituições mestrado doutoradomestrado + doutorado cursosalunosbolsas% b/acursosalunosbolsas% b/acursosalunosbolsas% b/a Instituições Públicas Estaduais , , ,0 FUNDINOPI , ,7 UEL , , ,3 UEM , , ,1 UEPG , ,9 UNICENTRO , ,0 UNIOESTE , , ,2 Insitiuições Publicas Federais , , ,3 UFPR , , ,9 UTFPR , , ,2 Instituições Privadas (*) , , ,5 PUC , , ,0 UNIPAR , ,3 Total Geral , , ,2 (*) Sem fins lucrativos Fonte: CAPES em 10/04/2008

35 Cursos, alunos e bolsas da Fundação Araucária por instituição e dependência institucional Instituições mestradodoutoradomestrado + doutorado cursosalunosbolsas% b/acursosalunosbolsas% b/acursosalunosbolsas% b/a Instituições Públicas Estaduais , , ,4 FUNDINO PI 12414,212414,2 UEL , , ,7 UEM , , ,8 UEPG , ,1 UNICENT RO 34536,734536,7 UNIOESTE ,71110, ,6 Insitiuições Publicas Federais , , ,4 UFPR , , ,5 UTFPR532241,225400, ,1 Instituições Privadas (*) , , ,9 PUC , , ,4 UNIPAR33738,133738,1 Total Geral , , ,0 (*) Sem fins lucrativos

36 Número de Bolsas de Doutorado, CAPES e CNPq, – 2010: previsão CNPq e CAPES – doutorado

37 Número de Bolsas de Mestrado, CAPES e CNPq, – 2010: previsão CNPq e CAPES – mestrado

38 Plano de Ação Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional Número de Bolsas de Iniciação Científica, CNPq, – 2010: previsão CNPq – iniciação científica

39 CNPq e CAPES: número de bolsas 2007 – 2010: previsão

40 CNPq e CAPES: recursos de bolsas 2007 – 2010: previsão

41 CP 01/2008 – Apoio a Pesquisador Visitante CP 02/2008 – Bolsas de Produtividade em Pesquisa CP 04/ Apoio a Cursos de PG stricto sensu Interinstitucionais – MINTER e DINTER CP 06/ Bolsas de Mestrado e Doutorado CP 10/ Apoio à Iniciação Científica CP 11/2008 – Apoio às Ações Afirmativas para Inclusão Social em Atividades de Pesquisa e Extensão Universitária CP 13/2008 –Auxílio à PG stricto sensu Súmula dos Programas Vigentes de Apoio à Pós-Graduação Fundação Araucária

42 Secretária de Estado de C, T & ES - SETI Profa. Lygia Lumina Pupatto Prof. Dr. José Tarcísio Pires Trindade Presidente Profa. Dra. Berenice Quinzani Jordão Diretora Científica Prof. Dr. Fernando Antonio Prado Gimenez Diretor Administrativo e Financeiro Av. Comendador Franco, 1341 Jardim Botânico Curitiba, Paraná TEL.: (41) Secretária de Estado de C, T & ES - SETI Profa. Lygia Lumina Pupatto Prof. Dr. José Tarcísio Pires Trindade Presidente Profa. Dra. Berenice Quinzani Jordão Diretora Científica Prof. Dr. Fernando Antonio Prado Gimenez Diretor Administrativo e Financeiro Av. Comendador Franco, 1341 Jardim Botânico Curitiba, Paraná TEL.: (41)

43 MUITO OBRIGADA Berenice Quinzani Jordão Diretora Científica


Carregar ppt "I Simpósio de Pós-Graduação da UEPG A Importância da Pós-Graduação para o Crescimento das Universidades Ponta Grossa – UEPG setembro/2008."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google