A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CONSELHO REGIONAL ENFERMAGEM DE SÃO PAULO PROGRAMA PORTAS ABERTAS (PPA) DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM Profª Drª Vera Lúcia Regina Maria Consultora em Sistematização.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CONSELHO REGIONAL ENFERMAGEM DE SÃO PAULO PROGRAMA PORTAS ABERTAS (PPA) DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM Profª Drª Vera Lúcia Regina Maria Consultora em Sistematização."— Transcrição da apresentação:

1 CONSELHO REGIONAL ENFERMAGEM DE SÃO PAULO PROGRAMA PORTAS ABERTAS (PPA) DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM Profª Drª Vera Lúcia Regina Maria Consultora em Sistematização da Assistência de Enfermagem Maria VLR. Diagnósticos de Enfermagem. [diapositivo]. São Paulo: Audiovis; diapositivos, color. Contato: São Paulo, abril de 2010

2 DIAGNÓSTICOS DE ENFERMAGEM Contexto Etapas 1- Coleta de dados (Histórico) 2- Diagnósticos / Problemas 3- Planejamento e Implementação: Prescrição 4- Avaliação: Evolução Resolução COFEN 358/2009

3 Classificações de Enfermagem  NORTH AMERICAN NURSING DIAGNOSIS ASSOCIATION – NANDA Internacional (Estados Unidos/Canadá, 1992: DE  CONSELHO INTERNACIONAL DE ENFERMAGEM (CIE - Federação com 133 Associações): CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL PARA A PRÁTICA DE ENFERMAGEM-CIPE (Internacional, 1989): DE,Re, Ações – Relacionada na Familia das Classificações Internationais da OMS/2008 Classificação Internacional das Práticas de Enfermagem em Saúde Coletiva – CIPESC (Brasil, 1997) DIAGNÓSTICOS DE ENFERMAGEM

4 Classificações de Enfermagem  PERIOPERATIVE NURSING DATA SET (PNDS) – AORN – (Estados Unidos, 1999): DE, Int, Re  HOME HEALTH CARE CLASSIFICATION - HHCC (SABA) - (Estados Unidos, 1992): DE, Int.,Re  OMAHA - COMMUNITY HEALTH SYSTEM - Comunidade (Estados Unidos, 1992): DE, Int.,Re  THE ASSOCIATION FOR COMMON EUROPEAN NURSING DIAGNOSES, INTERVENTIONS AND OUTCOMES (ACENDIO) – ( Européia, 1995 ): DE, Int e Res DIAGNÓSTICOS DE ENFERMAGEM

5 Eixos da CIPE Eixo 1- FOCO: área de avaliação, de relevância → DE, Int. e Re Eixo 2- JULGAMENTO: opinião clínica, especificação do potencial do foco → DE / Re. Eixo 3- TEMPO: ponto, período, instância, duração, intervalo de duração → DE / Int. Eixo 4- LOCALIZAÇÃO: orientação espacial, anatômica → DE, Int. Eixo 5- CLIENTE: sujeito portador do DE, recebedor das intervenções e resultados Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem (CIPE, 2007)

6 Eixos da CIPE Eixo 6- MEIOS: maneira, método de execução → Int. Eixo 7- AÇÃO: processo intencional aplicado ou realizado pelo cliente → Int. Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem (CIPE, 2007)

7 Eixos de julgamento da NANDA 1- O conceito do diagnóstico: foco de avaliação 2- Estado de saúde (julgamento): potencialidade 3- Descritor: termo de julgamento 4- A duração (tempo): período ou intervalo de duração 5- Topologia (localização): partes/regiões do corpo 6- Unidade de cuidado (cliente): indivíduo, família, grupo comunidade 7- Estágio de desenvolvimento (idade do cliente): feto/idoso North American Nursing Diagnosis Association (NANDA Internacional, )

8 O que não é Diagnóstico?????? Problemas colaborativos: decisões de outros profissionais O que é Diagnóstico de Enfermagem? CIPE e NANDA Internacional DIAGNÓSTICOS DE ENFERMAGEM

9 Conselho Internacional de Enfermagem CIPE (2007) Fenômeno de enfermagem: aspecto de saúde de relevância para a prática de enfermagem. Diagnóstico de enfermagem : título dado pela enfermeira para uma decisão sobre um fenômeno de enfermagem que é foco das suas intervenções. DIAGNÓSTICOS DE ENFERMAGEM

10 Definição da NANDA - foco: julgamento, reações, respostas, -comportamentos (bio-psico-sócio-espirituais ) - de quem: indivíduo, família ou comunidade - a que: desvios na linha de saúde ou estágios de desenvolvimento - responsabilidade: enfermeiros Dra. Marjory Gordon, 2004 DIAGNÓSTICOS DE ENFERMAGEM

11 Potencialidade  Diagnóstico atual (real): alterações - recuperação/reabilitação  Diagnóstico de risco: vulnerabilidade - prevenção  Diagnóstico de bem estar: reações saudáveis /disposição para melhorar - manutenção DIAGNÓSTICOS DE ENFERMAGEM

12 Potencialidade  Diagnóstico de promoção da saúde: motivação, desejo, disposição - participação: recuperação, prevenção ou manutenção  Sindromes: grupo de características que ocorrem juntas (quadro clínico distinto) DIAGNÓSTICOS DE ENFERMAGEM

13 Estrutura dos Diagnóstico de Enfermagem Diagnóstico atual (real) e Síndrome atual: Título: padronizado / criado Características:“caracterizado por”, “evidenciado por” Fatores relacionados : “relacionado a” / “associado a” Diagnóstico de risco / bem estar e Risco de Síndrome: Título: padronizado / criado Fatores de risco / condições de bem-estar: “caracterizado por” / “devido a” DIAGNÓSTICOS DE ENFERMAGEM

14 Diagnóstico de Enfermagem Elementos da definição (Gordon, 1987):categoria estrutural e contextual Diagnóstico de promoção da saúde Título: padronizado / criado Comportamento de motivação: “caracterizado por” / “devido a” Categoria Contextual: ambiente de inserção - 2ª etapa do Processo de Enfermagem DIAGNÓSTICOS DE ENFERMAGEM

15 Diagnóstico de Enfermagem: tipos  Padronizados: mais freqüentes (características da clientela / perfil) - Padrões Mínimos de Enfermagem (PME) : diagnósticos, resultados e intervenções  Específicos: individualizados DIAGNÓSTICOS DE ENFERMAGEM

16 Diretrizes numerados estrutura completa dirigem a prescrição de enfermagem atividade privativa da enfermeira letra legível e sem rasuras identificação: Resolução COFEN- 256 / 2001 DIAGNÓSTICOS DE ENFERMAGEM

17 Raciocínio diagnóstico Raciocínio diagnóstico: indutivo e dedutivo DIAGNÓSTICOS DE ENFERMAGEM

18 Raciocínio diagnóstico Raciocínio diagnóstico: indutivo e dedutivo  coleta de dados: exame físico e entrevista  interpretação dos dados: comparação com padrão de normalidade  identificação dos dados significativos: alterações, condições de risco e de bem estar  agrupamento dos dados que se combinam: similaridades  denominação do agrupamento: hipótese  comparação com a classificação: confirmação da hipótese DIAGNÓSTICOS DE ENFERMAGEM

19 Reflexões: Algumas pérolas do cotidiano “ Os diagnósticos de enfermagem realmente organizam os cuidados” “ Nossa! Fiquei esgotada de tanto pensar durante o exercício de raciocínio diagnóstico” “Nossa! Posso mesmo criar diagnósticos que não estão no livro? ” “ Eu não aprendi diagnóstico assim... Eu copiava do livro” “Descobri que consigo avaliar um cliente/família sem saber qual é sua patologia ” “Identificamos diagnósticos para os quais não tínhamos nenhum cuidado previsto” “Eu trabalho muito bem com o diagnóstico médico...” “Você deveria ter perguntado se queríamos que as enfermeiras fizessem diagnósticos”... E o médico disse : vou rasgar essa tal de NANDA “... Vocês realmente sabem diagnosticar tudo isto que está no livro?” “Vocês estão proibidas de escrever estas besteiras no prontuário do meu paciente” “ Vocês usam o termo ansiedade de maneira leviana” “Meu cérebro derreteu...”

20 Bibliografia básica Carpenito LJ. Manual de diagnósticos de enfermagem. 9 ª ed. Porto Alegre: Artmed, CIPE versão 1: Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem / Comitê Internacional de Enfermeiros; [tradução Heimar de Fátima Marin].- São Paulo:Algol Editora, Lunney M. Pensamento crítico e diagnóstico de enfermagem: estudos de caso e análises.Porto Alegre:Artmed.2004 Nursing Diagnoses: Definitions & Classification NANDA International. Edited by Herdman TH. Wiley-Blackwell:United Kingdom, Sparks SM; Taylor CM; Dyer JG. Diagnósticos de enfermagem. Rio de Janeiro: Reichmann & Afonso Editores, Gaidzinski, R. R. ; Soares, AVN; Lima, AFC ; Gutierrez, BAO ; Cruz, DA L M; Rogenski, NMB; Sancinetti, TR. Diagnóstico de enfermagem na prática clínica. 1. ed. Porto Alegre (RS): Artmed, v p. DIAGNÓSTICOS DE ENFERMAGEM


Carregar ppt "CONSELHO REGIONAL ENFERMAGEM DE SÃO PAULO PROGRAMA PORTAS ABERTAS (PPA) DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM Profª Drª Vera Lúcia Regina Maria Consultora em Sistematização."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google