A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Inteligência Colectiva António Câmara Cristina Gouveia Fevereiro, 2012.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Inteligência Colectiva António Câmara Cristina Gouveia Fevereiro, 2012."— Transcrição da apresentação:

1 Inteligência Colectiva António Câmara Cristina Gouveia Fevereiro, 2012

2 Mundos Virtuais Colectivos Quem é que tem Facebook? Quem usa o Pintrest Quem é que tem um blog? Quem é que twita? Quem ouve/vê podcasts? Quem subscreve RSS feeds? Quem já editou um artigo na Wikipedia? Quem é que vive no Farmville? Quem criou uma mobile App? Quem já utilizou arduino?

3 Inteligência colectiva http://techtv.mit.edu/videos/4172-the-center-for-collective-intelligence

4 Inteligência colectiva Beneficia de contribuições de diversas ciências –Psicologia e Sociologia –Ciências Neurol ó gicas e Cognitivas –Teoria das organiza ç ões –Computa ç ão e Inteligência artificial –Filosofia Pol í tica

5 Afinal estamos a falar de quem? Grupos de diferentes tipos: –Podem estar ou não conscientes da sua identidade como grupo –Não é necessário uma organização formal –Podem ser fluxos de números ou $ como na bolsa

6 Grupos são excelentes para: Resolver problemas Negociar Criar listas e votar Calendarizar, Representar papéis e jogar Imaginar Preocupação fundamental: eliminar o poder de personalidades dominantes Alternativas convencionais: “brainstorming” e método de Delphi Afinal estamos a falar de quem?

7 DARPA's Red Balloon Challenge Afinal estamos a falar de quem?

8 Factores que promovem a inteligência colectiva Diversidade –Mais alternativas –Mais decisores Independência de julgamentos –Previne correlação dos erros –Aumenta a probabilidade de ter nova informação Descentralização –No acesso e partilha da informação –Balanço entre contribuir para o todo e manter a especificidade. Motivação e incentivos para participar

9 Factores que dificultam a inteligência colectiva Falta de diversidade do grupo Falta de Capital Social –Tolerância, reprocidade e confiança são importantes para a formação de comunidades. Largura de banda entre os membros do grupo Interesses pessoais e o problema dos “free-riders” Compromissos no longo prazo Falhas de mercado

10 Como é se escolhe e agrega a informação necessária? Análise estatística de opiniões independentes: –Sondagens Discussão informada e Deliberação –Assembleias Mecanismos de Mercado –Mercados de ideias negociados numa bolsa. O valor reflecte a previsão da probabilidade desse acontecimento.

11 Mas as novas tecnologias têm novas formas de explorar a IC.

12 Open Source Movement

13 Google –Page Rank http://en.wikipedia.org/wiki/PageRank http://en.wikipedia.org/wiki/PageRank –Video com Google trends http://www.google.org/about/flutrends/how. html http://www.google.org/about/flutrends/how. html

14 Twiter "I Wanted to Predict Elections with Twitter and all I got was this Lousy Paper" http://arxiv.org/abs/1204.6441v1

15 Web 2.0

16 A Web 1.0 começou por ser um meio de partilha de informação

17 Source: http://www.isi.edu/~lerman Mas a Web 2.0 é tudo sobre participação e colaboração

18 Os utilizadores são criadores de conteúdos Os Blogs permitem a qualquer pessoa publicar informação

19 As Wiki permitem que múltiplos utilizadores acrescentem, removam e editem conteúdos. Os utilizadores são criadores de conteúdos

20 DIGG: As notícias são feitas pelos utilizadores assim como a primeira página Os utilizadores são criadores de conteúdos

21 Os utilizadores também criam metadados Tags: Anotar conteúdos para os organizar –Subjectivos e com precisão variável –Facilitam pesquisa e navegação –Escolhidos pelos utilizadores Discussão: Fazem comentários Avaliam: Activamente através de votação ou passivamente através de page views e bookmarks

22 Wikis mantêm um registo das alterações da informação. Os utilizadores também criam metadados

23 Social Bookmarking: gerir conteúdos online e partilhar com os outros Link tags populares utilizador tags Notas Os utilizadores também criam metadados

24 Os utilizadores criam as suas redes sociais Adicionam outros utilizadores como amigos/contactos Os sites disponibilizam ferramentas para seguir as actividades da rede

25 Os utilizadores criam as suas redes sociais Ferramentas que permitem criar redes especializadas http://www.ning.com/ http://www.socialengine.com/ http://buddypress.org/

26 Os utilizadores criam conteúdos em conjunto: Crowdsourcing Johnny Cash Crowdsourced Video (http://www.thejohnnycashproject.com)http://www.thejohnnycashproject.com

27 Fold.it (http://fold.it/)http://fold.it/ http://www.youtube.com/watch?v=hf85UbWPy-k&feature=related GEN News Highlights: Sep 19, 2011: Online Gamers Take Three Weeks to Solve Structure of Retroviral Protease That Has Eluded Scientists for 10 YearsGEN News Highlights: Os utilizadores criam conteúdos em conjunto: Crowdsourcing

28

29

30

31 Mas para explorar a inteligência colectiva é necessário ir mais além

32 Agregar informação com maior flexibilidade DipityDipity - Interactive storylines Inkling - Criar predictive markets

33 http:// waynehodgins.typepad.com/ontarget/2008/12/photosynth- mashups-of-our-collective-intelligence-via-photos.html Agregar informação com maior flexibilidade

34 Explorar mecanismos de mercado Identificação de novos produtos na YDreams

35 Elaboração do PROTAML: –Visão/Modelo –Economia –Turismo –Transportes –Coordenação (Relativo a fases da elaboração do Plano) –Política Explorar mecanismos de mercado

36 Mashups: Juntar os bits and pieces da Web 2.0 Katrina People Finder Project que se replicou até ao Japan People FinderKatrina People Finder Project Japan People Finder –http://google.org/personfinder/global/home.htmlhttp://google.org/personfinder/global/home.html

37 Mashups: Juntar os bits and pieces da Web 2.0 Maps de emoções –Voluntários + Galvanic Skin Response (GSR) + GPS + Google Earth. –Os Mapas são anotados –Cidades -Stockport -San Francisco -Greenwich Emotion Map http://www.biomapping.net/

38 Mashups: Juntar os bits and pieces da Web 2.0 OpenStreetMap –Voluntários + GPS + Editor de mapas e Base de dados http://www.openstreetmap.org/ http://flowingdata.com/2010/02/ 21/openstreetmap-edits- towards-haiti-relief

39 Peer-to-Peer wireless location Telemóveis + alguns GPS http://www.navizon.com/ Mashups: Juntar os bits and pieces da Web 2.0

40 Roma ao som dos telemóveis –Telemóveis + autocarros + taxis –Para perceber melhor a dinâmica urbana http://senseable.mit.edu/REALTIMEROME/index.html

41 Criar uma infra-estrutura de informação para explorar a inteligência colectiva https://cosm.com/?pachube_redirect=true

42 Criar uma infra-estrutura de informação para explorar a inteligência colectiva Ferramentas online em Opensource “Pool” de voluntários motivados a participar Parecerias entre o sector público, privado e voluntário –O sector público disponibiliza os dados e API de acesso –O sector privado disponibiliza dados e API de acesso: Por exemplo o Google Earth –Os voluntários contribuem com a análise da informação Coordenação das várias entidades

43 Web 2.0 e a inteligência colectiva Ao pôr o utilizador no centro da rede a Web 2.0 permite a exploração da opinião de outros para resolver os problemas: –Partilhar conhecimento que já existia mas não era público Blogs, wikis, forums –Criar novas formas de interagir com a informação –Criar uma base de dados de intenções Clicks, avaliações –Explorar efeitos colectivos –Existem ferramentas para análise dessa informação

44 Inteligência colectiva e a imaginação Ultrapassar bloqueios individuais (Adams, Conceptual Blocksbusting) –Bloqueios perceptuais (ausência de perspectiva) –Bloqueios emocionais (aversão ao risco) –Bloqueios culturais (tradicionalismo) –Bloqueios ambientais (falta de cooperação) –Bloqueios intelectuais (acesso deficiente à informação)

45 http://www.350.org/en/animation 350 e as alterações climáticas Rede social Inteligência colectiva e o ambiente

46 Pensar no futuro das cidades Ferramenta de processamento de dados Inteligência colectiva e o ambiente http://mobilab.mit.edu/mashup/f utureboston/edge/

47 Inteligência colectiva e o ambiente

48

49 “The best collective decisions are the product of disagreement and contest, not consensus or compromise.” James Surowiecki The Wisdom of Crowds “The best way for a group to be smart is for each person in it to think and act as independently as possible.” James Surowiecki The Wisdom of Crowds

50 Recursos A Sabedoria das Multidões por James Surowiecki Infotopia: How Many Minds Produce Knowledge por Cass R. Sunstein Cass R. Sunstein We are Smarter than me http://www.wearesmarter.org/ The MIT Center for Collective Inteligence http://cci.mit.edu/ Handbook of Collective Intelligence http://scripts.mit.edu/~cci/wiki/index.php?title=Main_Page http://www.citeulike.org/group/MITCCI Repositório de referências http:/ /collective- research.org/content/collective-intelligence-referenceshttp:/ /collective- research.org/content/collective-intelligence-references

51 antonio.camara@ydreams.com cristina.gouveia@ydreams.com


Carregar ppt "Inteligência Colectiva António Câmara Cristina Gouveia Fevereiro, 2012."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google