A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Superintendência de Recursos Hídricos - SRH DIAGNÓSTICO DE RECURSOS HÍDRICOS DA BACIA DO RIO MARANHÃO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Superintendência de Recursos Hídricos - SRH DIAGNÓSTICO DE RECURSOS HÍDRICOS DA BACIA DO RIO MARANHÃO."— Transcrição da apresentação:

1 Superintendência de Recursos Hídricos - SRH DIAGNÓSTICO DE RECURSOS HÍDRICOS DA BACIA DO RIO MARANHÃO

2

3 LOCALIZAÇÃO Abrange o limite norte do DF e uma porção do estado de Goiás (municípios de Planaltina/GO e Formosa). Boa parte está abarcada pela APA de Cafuringa e da Estação Ecológica de Águas Emendadas Desde 2002 foi integrada à APA do Planalto Central, (Decreto Federal nº de 10 de janeiro de 2002).

4 Demanda na Bacia do Rio Maranhão TipoL/s% Abastecimento Humano31047,3% Dessedentação436,6% Irrigação30246,1% Total615100,0% População (habitantes) Distrito Federal Bacia do Rio Maranhão Urbana Rural Área Irrigada708 ha USOS DA ÁGUA

5

6 CARACTERÍSTICAS  Uma área de baixa influência antrópica (interferência do homem), apesar da proximidade com a cidade de Brasília.  Os principais focos em potencial de poluição hídrica se situam na presença de mineradoras e cascalheiras na região do Ribeirão da Contagem e da urbanização das bordas da área da bacia (condomínios irregulares).  Grande quantidade de atrativos turísticos: cachoeiras, cânions e áreas de florestas densas. Possui dezenas de rios de boa qualidade e matas com ótimo nível de conservação.

7 RECURSOS HÍDRICOS SUPERFICIAIS  Principais afluentes da Bacia do Rio Maranhão  Rio Palmeiras  Ribeirão Sonhim  Ribeirão da Contagem  Ribeirão das Pedreiras  Ribeirão Cafuringa  Rio das Palmas  Ribeirão Dois Irmãos  Rio do Sal

8 SISTEMA DE OUTORGAS  ÁGUAS SUPERFICIAS  ÁGUAS SUBTERRÂNEAS

9 Distrito Federal UNIDADES DE ANÁLISE HIDROLÓGICA - UAH

10 UNIDADE DE ANÁLISE HIDROLÓGICA – UAH RIO DO SAL Distrito Federal Número de outorgas: zero Disponibilidade: 100% da vazão outorgável

11 UNIDADE DE ANÁLISE HIDROLÓGICA – UAH RIO PALMA Distrito Federal Número de Outorgas: 07 Finalidades: 43% de Abastecimento Humano; 43% de Irrigação; e 14% Criação de Animal Demanda: 2 % do total da vazão outorgável ( período mais crítico) Disponibilidade: 98% da vazão outorgável

12 UNIDADE DE ANÁLISE HIDROLÓGICA – UAH 124 – RIBEIRÃO CONTAGEM Distrito Federal Número de Outorgas: 9 Finalidades: 34% Industrial; 34% Abastecimento Humano; 22% Caminhão Pipa; e 10% Irrigação Demanda: 31% do total da vazão outorgável (período mais crítico ) Disponibilidade: 69% da vazão outorgável

13 UNIDADE DE ANÁLISE HIDROLÓGICA – UAH 122 – RIO SONHEM Distrito Federal Número de Outorgas: zero Disponibilidade: 100% da vazão outorgável

14 UNIDADE DE ANÁLISE HIDROLÓGICA – UAH 125 – RIO PALMEIRAS Distrito Federal Número de Outorgas: 04 Finalidades: 75% Irrigação e 25% Criação de Animal Demanda: 7% do total da vazão outorgável ( mês de setembro – período mais crítico) Disponibilidade: 93% da vazão outorgável

15 UNIDADE DE ANÁLISE HIDROLÓGICA – UAH 127 – ALTO RIO MARANHÃO Distrito Federal Número de Outorgas: zero Disponibilidade: 100% da vazão outorgável

16 SISTEMA DE OUTORGA – CAPTAÇÃO SUPERFICIAL SÉRIE HISTÓRICA UAH RIO PALMEIRAS ÁREA DE DRENAGEM (km²) = 93,62 JANFEVMARABRMAIJUNJULAGOSETOUTNOVDEZ Q 7, Q Q méd mín Q mín mín Vazão Outorgável Vazão Remanescente Demanda Total6,3 23,2 6,3 Demanda Total/Vazão Outorgável (%)0,80%0,70% 0,80%1,00%1,30%1,50%6,40%7,00% 5,50%1,10% Disponibilidade Hídrica Outorgável (%)99,20%99,30% 99,20%99,00%98,70%98,50%93,60%93,00% 94,50%98,90%

17 Captação de água subterrânea 49 USUÁRIOS CADASTRADOS  80% - Poços tubulares  20% - Poços manuais ou cisternas

18 ÁGUA SUBTERRÂNEA Captação de água subterrânea 49 USUÁRIOS CADASTRADOS  80% - Poços tubulares  20% - Poços manuais ou cisternas

19

20 Disponibilidade Hídrica Subterrânea Núcleo Rural Lago Oeste AquíferosDomínios Reserva Explotável Demanda (m³/ano) Disponibilidade (m³/ano) UsoDisp. (m³/ano) (%) P1-P3 Poroso , , ,470,8299,18 P4 Poroso , , ,680,1599,85 Total Poroso , , ,150,5699,44 R3-Q3 Fraturado , , ,1127,3172,69 R4 Fraturado , , ,574,5195,49 Total Fraturado , , ,7212,8287,18 Nota: dados de demanda atualizados até 16/04/2010

21 USUÁRIOS CADASTRADOS REGISTROSOUTORGAS SUBSISTEMA POROSO Quant. POÇOSSUBSISTEMA FRATURADO Quant. POÇOS P1 / P3131R430 P46R 3 Q Total137Total301 Total de Poços Cadastrados até 16/04/ Disponibilidade Hídrica Subterrânea Núcleo Rural Lago Oeste Finalidade: Abastecimento humano, irrigação e criação de animais

22 PRINCIPAIS PROBLEMAS AMBIENTAIS  DESMATAMENTO DE APP (matas de galeria);  EXTRAÇÃO IRREGULAR DE AREIA ;  LANÇAMENTO DE RESÍDUOS DE ORIGEM ANIMAL EM ESTADO BRUTO;  DEFENSIVOS AGRÍCOLAS USADOS NA AGRICULTURA;  ADENSAMENTO POPULACIONAL NAS BORDAS DA BACIA;  EXPLORAÇÃO DE INDÚSTRIAS DE CIMENTO E MINERAÇÃO

23 USO E OCUPAÇÃO DO SOLO Apesar dos esforços de criação e manutenção de áreas preservadas, a expansão de núcleos urbanos vem ameaçando a integridade desta bacia, uma vez que se tem observado em toda a região da APA de Cafuringa um grande crescimento populacional, proporcionado pela crescente e desordenada expansão urbana no local, o que contribui diretamente para a degradação das matas ciliares e de galeria, descarte inadequado de resíduos e efluentes, poluição do solo e, conseqüentemente, a poluição das águas, comprometendo toda a bacia.

24 QUALIDADE DA ÁGUA 16- Rio do Sal 17- Rio da Palma 18- Rio das Salinas 19- Ribeirão Contagem - Rua do Mato 20- Ribeirão Contagem – VC Ribeirão Sonhém 22- Ribeirão Palmeiras 23- Rio Maranhão Média:28,26Média:23,23Média:54,40

25 Média: 60Média: 105, Rio do Sal 17- Rio da Palma 18- Rio das Salinas 19- Ribeirão Contagem - Rua do Mato 20- Ribeirão Contagem – VC Ribeirão Sonhém 22- Ribeirão Palmeiras 23- Rio Maranhão

26 Média: 0,9Média: 23,20Média: 14, Rio do Sal 17- Rio da Palma 18- Rio das Salinas 19- Ribeirão Contagem - Rua do Mato 20- Ribeirão Contagem – VC Ribeirão Sonhém 22- Ribeirão Palmeiras 23- Rio Maranhão

27 Média: 7,18 Média: 69, Rio do Sal 17- Rio da Palma 18- Rio das Salinas 19- Ribeirão Contagem - Rua do Mato 20- Ribeirão Contagem – VC Ribeirão Sonhém 22- Ribeirão Palmeiras 23- Rio Maranhão

28 Média: 0,02 Média: 0, Rio do Sal 17- Rio da Palma 18- Rio das Salinas 19- Ribeirão Contagem - Rua do Mato 20- Ribeirão Contagem – VC Ribeirão Sonhém 22- Ribeirão Palmeiras 23- Rio Maranhão

29 Média: 0,10Média: 0,03Média: 7, Rio do Sal 17- Rio da Palma 18- Rio das Salinas 19- Ribeirão Contagem - Rua do Mato 20- Ribeirão Contagem – VC Ribeirão Sonhém 22- Ribeirão Palmeiras 23- Rio Maranhão

30 Média: 105,4 Média: 117,64 Média: 20,89 Média: 37, Rio do Sal 17- Rio da Palma 18- Rio das Salinas 19- Ribeirão Contagem - Rua do Mato 20- Ribeirão Contagem – VC Ribeirão Sonhém 22- Ribeirão Palmeiras 23- Rio Maranhão

31 Média: 9,8E+02Média: 4,61E Rio do Sal 17- Rio da Palma 18- Rio das Salinas 19- Ribeirão Contagem - Rua do Mato 20- Ribeirão Contagem – VC Ribeirão Sonhém 22- Ribeirão Palmeiras 23- Rio Maranhão

32

33 CONCLUSÕES  Boa qualidade da água da bacia em geral;  COR elevada em algumas estações de amostragem;  pH levemente ácido em alguma estações;  Coliformes Fecais elevados no Rib. Contagem VC 201 e Rio Maranhão apenas em fevereiro de 2010.

34 Rio do Sal

35

36 Rio Palma

37


Carregar ppt "Superintendência de Recursos Hídricos - SRH DIAGNÓSTICO DE RECURSOS HÍDRICOS DA BACIA DO RIO MARANHÃO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google