A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PARTE II Grupo da Fraternidade Espírita Oswaldo Cruz O PASSE COORDENAÇÃO MEDIÚNICA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PARTE II Grupo da Fraternidade Espírita Oswaldo Cruz O PASSE COORDENAÇÃO MEDIÚNICA."— Transcrição da apresentação:

1 PARTE II Grupo da Fraternidade Espírita Oswaldo Cruz O PASSE COORDENAÇÃO MEDIÚNICA

2 Anatomia e Fisiologia Humanas OS SISTEMAS OS SISTEMAS OS ÓRGÃOS OS ÓRGÃOS AS GLÂNDULAS AS GLÂNDULAS O CORPO HUMANO

3 O Corpo Humano 40 litros de água 20 kg de carbono 4 litros de amônia 1,5 kg de cálcio 800 g de fósforo 250 g de sal 100 g de enxofre 80 g de salitre 50 g de magnésio 8 g de magnésio 2 g de alumínio O corpo físico de um ser humano adulto é composto de: Contém ainda traços de arsênico, chumbo, cobre, iodo e bromo.

4 O Corpo Humano

5 O ser humano é composto de: 640 músculos

6 O Corpo Humano O ser humano é composto de: 640 músculos 3 bilhões de fibras nervosas

7 O Corpo Humano O ser humano é composto de: 640 músculos 3 bilhões de fibras nervosas 30 trilhões de células vermelhas

8 O Corpo Humano O ser humano é composto de: 640 músculos 3 bilhões de fibras nervosas 30 trilhões células vermelhas 100 bilhões de neurônios

9 O Corpo Humano O ser humano é composto de: 640 músculos 3 bilhões de fibras nervosas 30 trilhões de células vermelhas 100 bilhões de neurônios 96 mil km de veias

10 O Corpo Humano O ser humano é composto de: 640 músculos 3 bilhões de fibras nervosas 30 trilhões de células vermelhas 100 bilhões de neurônios 96 mil km de veias alumínio O esqueleto Humano é leve como o alumínio aço. e tão forte como o aço.

11 O Corpo Humano Sistema Circulatório Sistema Digestivo Sistema Respiratório Sistema Linfático Sistema Endócrino

12 Sistema Circulatório O sistema cardiovascular é composto por uma bomba (coração) e uma vasta rede de tubos (veias e artérias) de vários tipos e calibres.

13 Sistema Circulatório Tem como atividade principal enviar nutrientes, oxigênio e hormônios as diversas partes do corpo, trazendo os resíduos do metabolismo e o gás carbônico, além de ser o responsável pelos mecanismos de defesa.

14 Sistema Circulatório Veias e Artérias

15 Sistema Digestivo Responsável por obter dos alimentos ingeridos os nutrientes necessários às diferentes funções do organismo, como crescimento, energia para reprodução, locomoção, etc. Responsável por obter dos alimentos ingeridos os nutrientes necessários às diferentes funções do organismo, como crescimento, energia para reprodução, locomoção, etc.

16 Sistema Digestivo É composto por um conjunto de órgãos que têm por função a realização da digestão. Sua extensão desde a boca até o ânus é de 6 a 9 metros em um ser humano adulto.

17 Sistema Digestivo

18 Sistema Respiratório E o conjunto de órgãos responsáveis pelas trocas gasosas do organismo com o meio ambiente ou seja a hematose pulmonar, possibilitando a respiração celular. E o conjunto de órgãos responsáveis pelas trocas gasosas do organismo com o meio ambiente ou seja a hematose pulmonar, possibilitando a respiração celular.

19 Sistema Respiratório Ajuda também a regular a temperatura corpórea, o pH do sangue e liberar água. Ajuda também a regular a temperatura corpórea, o pH do sangue e liberar água.

20 Sistema Linfático O sistema linfático é uma rede complexa de vasos e pequenas estruturas chamadas de nódulos linfáticos que transportam o fluido linfático (linfa) dos tecidos de volta para o sistema circulatório.

21 Sistema Linfático O sistema linfático é um importante componente do sistema imunológico, pois colabora com os glóbulos brancos para proteção contra bactérias e vírus invasores. O sistema linfático é um importante componente do sistema imunológico, pois colabora com os glóbulos brancos para proteção contra bactérias e vírus invasores.

22 Sistema Linfático Uma outra função do sistema linfático é a realização de respostas imunes, ele impede que a linfa lance microorganismos na corrente sanguínea através da retenção e destruição destes dentro de seus linfonodos.

23 Sistema Linfático Em suma, o sistema linfático atua na manutenção da saúde de nosso organismo através da remoção de agentes como: bactérias, fungos, vírus (estes penetram na corrente sanguínea), células mortas, glóbulos vermelhos que saíram da corrente sanguínea e metástases (células sanguíneas que se soltam de tumores).

24 Sistema Endócrino O Sistema endócrino é formado pelo conjunto de glândulas que apresentam como atividade característica a produção de secreções denominadas hormônios. Frequentemente o sistema endócrino interage com o sistema nervoso formando mecanismos reguladores bastante precisos.

25 Sistema Endócrino 1.Hipófise 2.Glândula pineal 3.Tireóide 4.Timo 5.Suprarrenal 6.Pâncreas 7.Ovário e 8.Testículo 1.Hipófise 2.Glândula pineal 3.Tireóide 4.Timo 5.Suprarrenal 6.Pâncreas 7.Ovário e 8.Testículo

26 Sistema Endócrino - Hipófise Secreta seis hormônios diferentes que regulam, respectivamente, o crescimento de todos os tecidos do corpo, (...) do hormônio tiroidiano, (...) dos hormônios do córtex suprarrenal (...) a produção do leite [materno], e as secreções dos diversos hormônios sexuais. Segrega o hormônio melatonina, que inibe a química da maturação sexual e parece reagir à escuridão. Secreta seis hormônios diferentes que regulam, respectivamente, o crescimento de todos os tecidos do corpo, (...) do hormônio tiroidiano, (...) dos hormônios do córtex suprarrenal (...) a produção do leite [materno], e as secreções dos diversos hormônios sexuais. Segrega o hormônio melatonina, que inibe a química da maturação sexual e parece reagir à escuridão. Também conhecida como glândula pituitária

27 Sistema Endócrino - Pineal Apesar das funções desta glândula serem muito discutidas, parece não haver dúvidas quanto ao importante papel que ela exerce na regulação dos chamados ciclos circadianos,que são os ciclos vitais (principalmente o sono) e no controle das atividades sexuais e de reprodução. Ela exerce também influência sobre as demais glândulas. Também conhecida como Epífise

28 Sistema Endócrino - Tireoide Tireoide ou Tiroide é a glândula que controla a produção do hormônio que regula a velocidade do metabolismo. Ela age em órgãos como o coração, cérebro fígado e rins. O excesso ou falta do hormônio causa disfunções diversas.

29 Sistema Endócrino - Timo A principal função da glândula timo é a produção de células T, também conhecidos como linfócitos T, responsável pela imunidade corpórea.

30 Sistema Endócrino - Suprarrenais Responsável por sintetizar hormônios importantes no processo metabólico, como a aldosterona e o cortisol, além de alguns hormônios sexuais como a testosterona, e também a adrenalina e a noradrenalina.

31 Sistema Endócrino - Suprarrenais A adrenalina e a noradrenalina são hormônios importantes na ativação dos mecanismos de defesa do organismo, diante de condições de emergência, tais como emoções fortes, estresse, choque, entre outros.

32 Sistema Endócrino - Pâncreas A função do pâncreas é produzir sucos digestivos e enzimas que ajudam a partir em pedaços menores as proteínas, os açúcares e as gorduras, para que possam passar para o intestino, auxiliando na digestão dos alimentos e metabolismo dos nutrientes.

33 Sistema Endócrino - Pâncreas A função do pâncreas é produzir sucos digestivos e enzimas que ajudam a partir em pedaços menores as proteínas, os açúcares e as gorduras, para que possam passar para o intestino, auxiliando na digestão dos alimentos e metabolismo dos nutrientes. Possui também uma função importante na produção de hormônios como a insulina e glucagon, os quais regulam a forma como o organismo utiliza os açúcares.

34 Sistema Endócrino - Gônadas Os testículos e os ovários além de produzir hormônios sexuais, também produzem células reprodutoras: os espermatozoides e os óvulos.

35 Sistema Urinário O Aparelho urinário é um conjunto de órgãos envolvidos com a formação, depósito e eliminação da urina.

36 Sistema Urinário O sistema é formado por dois rins, dois ureteres, uma bexiga e uma uretra O sistema é formado por dois rins, dois ureteres, uma bexiga e uma uretra.

37 Sistema Urinário As células produzem muitos resíduos que são produtos de seus Metabolismos e que devem ser eliminados do organismo, além de substâncias que estão em excesso no sangue. Tais resíduos são chamados excretas. Juntamente com as substâncias rejeitadas.

38 FIM - PARTE II Grupo da Fraternidade Espírita Oswaldo Cruz O PASSE COORDENAÇÃO MEDIÚNICA

39 PARTE III Grupo da Fraternidade Espírita Oswaldo Cruz O PASSE COORDENAÇÃO MEDIÚNICA

40 Anatomia do Corpo Espiritual OS CENTROS DE FORÇAS OS CENTROS DE FORÇAS INTERCÂMBIO ESPIRITUAL INTERCÂMBIO ESPIRITUAL O CORPO ESPIRITUAL

41 Os Centros de Forças Coronário Frontal Laríngeo Cardíaco Gástrico (Solar) Esplênico Genésico Alto da Cabeça Lobo Frontal Garganta Coração Sobre o Estômago Sobre o Baço Baixo Ventre

42 Os Centros de Forças - Coronário No coronário se dá a ligação com a mente, sede da consciência.

43 Os Centros de Forças - Coronário No coronário se dá a ligação com a mente, sede da consciência. interdependência. Este centro recebe em primeiro lugar os estímulos do espírito, comandando os demais, vibrando todavia com eles em justo regime de interdependência.

44 Os Centros de Forças - Coronário No coronário se dá a ligação com a mente, sede da consciência. O Centro Coronário é o grande assimilador das Energia Solares e das vibrações da Espiritualidade. interdependência. Este centro recebe em primeiro lugar os estímulos do espírito, comandando os demais, vibrando todavia com eles em justo regime de interdependência.

45 Os Centros de Forças - Coronário No coronário se dá a ligação com a mente, sede da consciência. O Centro Coronário é o grande assimilador das Energia Solares e das vibrações da Espiritualidade. É o centro da sabedoria, tem responsabilidade direta sobre as funções psicológicas, cerebrais e espirituais. interdependência. Este centro recebe em primeiro lugar os estímulos do espírito, comandando os demais, vibrando todavia com eles em justo regime de interdependência.

46 Os Centros de Forças - Coronário Está ligado a glândula pineal, que por sua vez vincula-se ao córtex cerebral e sistema nervoso.

47 Os Centros de Forças - Coronário Está ligado a glândula pineal, que por sua vez vincula-se ao córtex cerebral e sistema nervoso. Quando estimulado pelas forças superiores para a aplicação do passe é ele que capta os fluidos espirituais ao mesmo tempo que sutiliza os fluidos mais densos (anímicos) quando emitidos para o mundo Espiritual.

48 Os Centros de Forças - Coronário Está ligado a glândula pineal, que por sua vez vincula-se ao córtex cerebral e sistema nervoso. Quando estimulado pelas forças superiores para a aplicação do passe é ele que capta os fluidos espirituais ao mesmo tempo que sutiliza os fluidos mais densos (anímicos) quando emitidos para o mundo Espiritual. Quando em ação costuma ser percebido através de uma suave e sutil refrigeração no alto da cabeça ou um rocio muito sutil.

49 Os Centros de Forças - Frontal Ordena as percepções de variada espécie, percepções essas que, na vestimenta carnal, constituem a visão, a audição, o tato e a vasta rede de processos da inteligência que dizem respeito à Palavra, à Cultura, à Arte, ao Saber.

50 Os Centros de Forças - Frontal É nesse centro que possuímos o comando do núcleo endócrino, referente aos poderes psíquicos. Ordena as percepções de variada espécie, percepções essas que, na vestimenta carnal, constituem a visão, a audição, o tato e a vasta rede de processos da inteligência que dizem respeito à Palavra, à Cultura, à Arte, ao Saber.

51 Os Centros de Forças - Frontal É nesse centro que possuímos o comando do núcleo endócrino, referente aos poderes psíquicos. Governa o córtice encefálico na sustentação dos sentidos, marcando a atividade das glândulas endócrinas e administrando o sistema nervoso. Ordena as percepções de variada espécie, percepções essas que, na vestimenta carnal, constituem a visão, a audição, o tato e a vasta rede de processos da inteligência que dizem respeito à Palavra, à Cultura, à Arte, ao Saber.

52 Os Centros de Forças - Frontal É o centro da intuição. Responde pelas funções da visão, da audição, do olfato e ainda administra o sistema nervoso central.

53 Os Centros de Forças - Frontal Guarda Relação com a glândula pituitária (e estreita relação com a pineal e a hipófise). É o centro da intuição. Responde pelas funções da visão, da audição, do olfato e ainda administra o sistema nervoso central.

54 Os Centros de Forças - Frontal Guarda Relação com a glândula pituitária (e estreita relação com a pineal e a hipófise). No campo mediúnico é o centro ativado nos fenômenos de vidência, audiência e intuição, além de exercer função de exteriorização de fluidos ectoplasmáticos para materializações e para os efeitos físicos. É o centro da intuição. Responde pelas funções da visão, da audição, do olfato e ainda administra o sistema nervoso central.

55 Os Centros de Forças - Frontal Guarda Relação com a glândula pituitária (e estreita relação com a pineal e a hipófise). No campo mediúnico é o centro ativado nos fenômenos de vidência, audiência e intuição, além de exercer função de exteriorização de fluidos ectoplasmáticos para materializações e para os efeitos físicos. É o centro da intuição. Responde pelas funções da visão, da audição, do olfato e ainda administra o sistema nervoso central. Também é responsável pelo controle ou descontrole das gesticulações na incorporação.

56 Os Centros de Forças - Laríngeo É o centro que preside os fenômenos vocais, inclusive às atividades do timo, da tireoide, e das paratireoides.

57 Os Centros de Forças - Laríngeo Controla com eficácia a respiração e a fonação. É o centro que preside os fenômenos vocais, inclusive às atividades do timo, da tireoide, e das paratireoides.

58 Os Centros de Forças - Laríngeo Controla com eficácia a respiração e a fonação. Exerce significativo papel de filtragem dos fluidos anímicos. É o centro que preside os fenômenos vocais, inclusive às atividades do timo, da tireoide, e das paratireoides.

59 Os Centros de Forças - Laríngeo Controla com eficácia a respiração e a fonação. Exerce significativo papel de filtragem dos fluidos anímicos. É o centro que preside os fenômenos vocais, inclusive às atividades do timo, da tireoide, e das paratireoides. É o centro da criatividade (centro da vontade). Regula ainda o processo digestivo inicial, a pressão arterial.

60 Os Centros de Forças - Laríngeo Controla com eficácia a respiração e a fonação. Exerce significativo papel de filtragem dos fluidos anímicos. É o centro que preside os fenômenos vocais, inclusive às atividades do timo, da tireoide, e das paratireoides. É o centro da criatividade (centro da vontade). Regula ainda o processo digestivo inicial, a pressão arterial. Auxilia a tireoide a administrar o sistema esquelético e os processos de calcificação.

61 Os Centros de Forças - Laríngeo Controla com eficácia a respiração e a fonação. Exerce significativo papel de filtragem dos fluidos anímicos. É o centro que preside os fenômenos vocais, inclusive às atividades do timo, da tireoide, e das paratireoides. No campo magnético responde diretamente pelas insuflações (sopros magnéticos). É o centro da criatividade (centro da vontade). Regula ainda o processo digestivo inicial, a pressão arterial. Auxilia a tireoide a administrar o sistema esquelético e os processos de calcificação.

62 Os Centros de Forças - Laríngeo Controla com eficácia a respiração e a fonação. Exerce significativo papel de filtragem dos fluidos anímicos. É o centro que preside os fenômenos vocais, inclusive às atividades do timo, da tireoide, e das paratireoides. No campo magnético responde diretamente pelas insuflações (sopros magnéticos). Quando em ação é percebido como uma coceira ou leve irritação na garganta ou nas cordas vocais É o centro da criatividade (centro da vontade). Regula ainda o processo digestivo inicial, a pressão arterial. Auxilia a tireoide a administrar o sistema esquelético e os processos de calcificação.

63 Os Centros de Forças - Cardíaco Sustenta os serviços da emoção e do equilíbrio geral. É o centro do sentimento.

64 Os Centros de Forças - Cardíaco Administra os campos emocionais. Sustenta os serviços da emoção e do equilíbrio geral. É o centro do sentimento.

65 Os Centros de Forças - Cardíaco Administra os campos emocionais. Relaciona-se com o sistema circulatório e com o sistema nervoso parassimpático (nervo vago). Sustenta os serviços da emoção e do equilíbrio geral. É o centro do sentimento.

66 Os Centros de Forças - Cardíaco Administra os campos emocionais. Relaciona-se com o sistema circulatório e com o sistema nervoso parassimpático (nervo vago). Sustenta os serviços da emoção e do equilíbrio geral. É o centro do sentimento. No campo mediúnico gera fluidos sutis e dota os fluidos espirituais de “cola psíquica”.

67 Os Centros de Forças - Cardíaco Administra os campos emocionais. Relaciona-se com o sistema circulatório e com o sistema nervoso parassimpático (nervo vago). Sustenta os serviços da emoção e do equilíbrio geral. É o centro do sentimento. No campo mediúnico gera fluidos sutis e dota os fluidos espirituais de “cola psíquica”. Nos processo de cura, atua como atenuador das vibrações dos fluidos mais densos (materiais) e como condensador em relação aos fluidos espirituais.

68 Os Centros de Forças - Cardíaco Administra os campos emocionais. Relaciona-se com o sistema circulatório e com o sistema nervoso parassimpático (nervo vago). Sustenta os serviços da emoção e do equilíbrio geral. É o centro do sentimento. Quando em ação é percebido uma brusca mudança no ritmo cardíaco. No campo mediúnico gera fluidos sutis e dota os fluidos espirituais de “cola psíquica”. Nos processo de cura, atua como atenuador das vibrações dos fluidos mais densos (materiais) e como condensador em relação aos fluidos espirituais.

69 Os Centros de Forças - Cardíaco Administra os campos emocionais. Relaciona-se com o sistema circulatório e com o sistema nervoso parassimpático (nervo vago). Sustenta os serviços da emoção e do equilíbrio geral. É o centro do sentimento. Quando em ação é percebido uma brusca mudança no ritmo cardíaco. No campo mediúnico gera fluidos sutis e dota os fluidos espirituais de “cola psíquica”. Nos processo de cura, atua como atenuador das vibrações dos fluidos mais densos (materiais) e como condensador em relação aos fluidos espirituais.

70 Os Centros de Forças - Gástrico Responsabiliza-se pela absorção de alimentos e fluidos em nossa organização. Recebe os concentrados materiais e fluídicos para a manutenção vital do ser. Responsabiliza-se pela absorção de alimentos e fluidos em nossa organização. Recebe os concentrados materiais e fluídicos para a manutenção vital do ser. É responsável pelos processos digestivos e grande parte do metabolismo, atuando vigorosamente sobre o estomago e órgãos envolvidos nos processos digestivos e regulando o sistema nervoso simpático.

71 Os Centros de Forças - Gástrico Quando em ação é muito característica a sensação de giro no alto do estômago, ou algo tipo: uma pressão forte, uma sucção firme, uma pontada fina e penetrante, algo como se estivesse estufando o estômago ou contraindo-o até as costelas. Na área mediúnica, fornece energias de atração a Espíritos sofredores e de densa vibração. Na área magnética produz a maior quantidade de fluido vital que o organismo normalmente necessita para a automanutenção, doação e exteriorização.

72 Os Centros de Forças - Esplênico No campo magnético, produz muitos fluidos vitais para recomposição orgânica, especialmente quando referente à reconstituição de órgãos, ossos, etc. No campo magnético, produz muitos fluidos vitais para recomposição orgânica, especialmente quando referente à reconstituição de órgãos, ossos, etc. Regula a distribuição e a circulação adequada dos recursos vitais em todos os escaninhos do veículo de que nos servimos. É igualmente grande usinador de fluidos vitais; é o centro do equilíbrio; sua interferência se faz mais direta sobre as funções biliares, renais e de excreção; refere-se muito diretamente ao baço. Quando em ação costuma ser percebido por pontadas no baço ou no fígado.

73 Os Centros de Forças - Genésico No campo magnético, é grande usinador de fluidos densos. Centro que elabora densos campos fluídicos que, quando bem canalizados, podem propiciar vigorosos potenciais energéticos no campo do amor e da criatividade. É o centro procriador. Quando em ação costuma-se perceber pontadas na região do baixo ventre, essas geralmente deixando o desconforto de dores.

74 Centros de Forças - Cuidados Na manutenção e no uso desses centros vitais existem alguns cuidados que o Trabalhador da área Mediúnica deve considerar SÃO PREJUDICIAIS: os excessos de preocupação, a estafa mental, sono insuficiente ou excessivo, a mente devotada a guardar ódios, mágoas e rancores, a autocompaixão, o desejo e a vibração do mal, o egoísmo, as ideias de vingança, a falta de mentalizações positivas, o negativismo... SÃO PROVIDENCIAIS: o equilíbrio das emoções, o repouso e o refazimento naturais, praticar e desejar o bem, a compaixão, o altruísmo, o sentimento de piedade, a oração frequente, o otimismo... CORONÁRIO

75 Centros de Forças - Cuidados SÃO NEGATIVOS: ter "olhos maus", importar-se e disseminar fofocas e mexericos, alimentar inveja e orgulho, descontroles físicos e emocionais, ser pessimista e/ou hipocondríaco, arquitetar planos maliciosos ou maldosos, leituras nocivas... SÃO NEGATIVOS: ter "olhos maus", importar-se e disseminar fofocas e mexericos, alimentar inveja e orgulho, descontroles físicos e emocionais, ser pessimista e/ou hipocondríaco, arquitetar planos maliciosos ou maldosos, leituras nocivas... SÃO POSITIVOS: ver sempre positivamente, falar bem das coisas e/ou pessoas, abolir preconceitos, equilibrar as atividades físicas, acreditar-se bem e bom sem com isso envaidecer-se ou orgulhar-se, fazer boas leituras, divertir-se sadiamente evitando excessos... FRONTAL

76 Centros de Forças - Cuidados SÃO NEGATIVOS: falar mal, dar maus conselhos, alimentar monoideias, fechar-se sobre os próprios sentimentos, desdenhar, ridicularizar o próximo, vícios... SÃO NEGATIVOS: falar mal, dar maus conselhos, alimentar monoideias, fechar-se sobre os próprios sentimentos, desdenhar, ridicularizar o próximo, vícios... SÃO POSITIVOS: ver e falar do lado bom das pessoas, dar bons conselhos, alimentar-se de bons estudos e boas conversas, abrir-se a diálogos construtivos, extrair sempre o lado positivo das pessoas, ausência de vícios... SÃO POSITIVOS: ver e falar do lado bom das pessoas, dar bons conselhos, alimentar-se de bons estudos e boas conversas, abrir-se a diálogos construtivos, extrair sempre o lado positivo das pessoas, ausência de vícios... LARÍNGEO

77 Centros de Forças - Cuidados SÃO PERNICIOSOS: emoções fortes, viciações que mexam com os sentimentos, preguiça, comodismo, rancor, mágoa, ódio, sentimento de vingança, violência, impaciência, irritabilidade... SÃO PERNICIOSOS: emoções fortes, viciações que mexam com os sentimentos, preguiça, comodismo, rancor, mágoa, ódio, sentimento de vingança, violência, impaciência, irritabilidade... SÃO SAUDÁVEIS: a busca pelo autoconhecimento, domínio de si mesmo, ausência de vícios, atividades físicas e intelectuais compatíveis, amizade, compreensão, humildade, perdão, esquecimento do mal, tranquilidade, vibração de amor pelas criaturas, altruísmo... CARDÍACO

78 Centros de Forças - Cuidados SÃO RUINS: a gula, o aguçamento do apetite por interesses subalternos, alimentos de difícil digestão, o jejum continuado, vícios, disfunção digestiva, descontrolar-se emocionalmente, hipocondria, elevados níveis de açúcares... SÃO RUINS: a gula, o aguçamento do apetite por interesses subalternos, alimentos de difícil digestão, o jejum continuado, vícios, disfunção digestiva, descontrolar-se emocionalmente, hipocondria, elevados níveis de açúcares... SÃO BONS: educação alimentar, alimentação regular, natural e equilibrada, digestão normal, ausência de vícios... GÁSTRICO

79 Centros de Forças - Cuidados PREJUDICIAIS: pouca ingestão de líquidos, alimentação muito condimentada, exercícios físicos excessivos, mágoas não resolvidas, irritabilidade... PREJUDICIAIS: pouca ingestão de líquidos, alimentação muito condimentada, exercícios físicos excessivos, mágoas não resolvidas, irritabilidade... PROVIDENCIAIS: a ingestão de muita água, alimentação natural com um mínimo de condimentos, exercícios físicos regulares e dentro dos limites individuais, superação de mágoas, paciência, bondade... ESPLÊNICO

80 Centros de Forças - Cuidados SÃO LAMENTÁVEIS: abusos sexuais, uso de afrodisíacos, excitantes e estimulantes sexuais de toda ordem, fixação sexual, aborto, idéias criminosas, fumo, álcool, tóxicos... SÃO REQUERIDOS : controle e educação da sexualidade e suas funções e uso, ideias criativas, ausência de vícios... SÃO REQUERIDOS : controle e educação da sexualidade e suas funções e uso, ideias criativas, ausência de vícios... GENÉSICO

81 Leitura Suplementar

82 FIM - PARTE III Grupo da Fraternidade Espírita Oswaldo Cruz O PASSE COORDENAÇÃO MEDIÚNICA


Carregar ppt "PARTE II Grupo da Fraternidade Espírita Oswaldo Cruz O PASSE COORDENAÇÃO MEDIÚNICA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google