A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

UEM – A Estética, enquanto disciplina filosófica, é o estudo dos sentimentos, dos conceitos e dos juízos resultantes de nossa apreciação das artes, ou.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "UEM – A Estética, enquanto disciplina filosófica, é o estudo dos sentimentos, dos conceitos e dos juízos resultantes de nossa apreciação das artes, ou."— Transcrição da apresentação:

1 UEM – A Estética, enquanto disciplina filosófica, é o estudo dos sentimentos, dos conceitos e dos juízos resultantes de nossa apreciação das artes, ou da classe mais geral de objetos considerados tocantes, belos ou sublimes. O conceito de belo relacionado com as artes recebeu, conforme a época histórica e as correntes filosóficas, definições divergentes. Assinale o que for correto. 01) O quadro de Pablo Picasso, Guernica, que retrata os horrores da Segunda Guerra Mundial, ao descrever o bombardeio sobre a cidade espanhola Guernica, não poderia ser considerado como uma obra de arte bela. 02) Para Platão, os objetos são belos na medida em que participam do ideal de beleza, que é perfeito, imutável, atemporal e supra-sensível. 04) Aristóteles, na Poética, considera o teatro trágico a mais feia das artes, pois representa os piores dos sentimentos humanos. 08) David Hume relativiza a beleza ao gosto de cada um. Aquilo que depende do gosto e da opinião pessoal não pode ser discutido racionalmente. 16) A concepção de arte de Hegel provoca a revolução nas artes ocorrida no século XX, inclusive influenciando os pintores impressionistas. 10

2 UEM – Há uma diferença fundamental entre a concepção da democracia concebida pelos pensadores modernos, que combateram o Antigo Regime com a Revolução Francesa, e a democracia concebida pela Antiguidade Clássica grega em Atenas. Essa diferença caracteriza-se, entre outras coisas, pela maneira de articular a relação entre a esfera pública e a esfera privada da sociedade. Assinale o que for correto. 01) A democracia ateniense era limitada, pois impedia o acesso à esfera pública de um grande contingente da população, composto pelas mulheres, pelos escravos e pelos estrangeiros, todos eles relegados à vida privada. 02) O homem grego realizava-se como cidadão participando da esfera pública, era nela que adquiria notoriedade e podia afirmar sua individualidade como homem livre. 04) Na esfera pública, a relação entre os cidadãos era regida pelo princípio de igualdade diante da lei e do igual direito à palavra. Os cidadãos formavam uma assembléia em que a prática da violência estava excluída. Na esfera privada, esses princípios eram negados. 08) Benjamin Constant ( ), ao conceber um sistema de governo fundamentado na representatividade, pretendia resolver, no Estado moderno, as relações entre a esfera privada e a esfera pública, dando ao cidadão a liberdade de participar diretamente da esfera pública ou de delegar essa prerrogativa para dedicar-se exclusivamente aos negócios da vida privada. 16) A república democrática representativa – que deveria, em princípio, ampliar a liberdade política por permitir ao cidadão escolher entre a dedicação à vida privada ou à vida pública – apresentou inicialmente um caráter de exclusão sociopolítica semelhante à da democracia ateniense. Isso se se considerar que, em duas das maiores potências mundiais, isto é, na França e na Inglaterra, as mulheres alcançaram plena cidadania pelo sufrágio universal só depois da Segunda Guerra Mundial. 31

3 UEM – Conhecer, registrar e analisar as características da produção cultural e artística popular são recursos importantes para a construção da memória e da identidade de um povo. Nesse sentido, assinale a(s) alternativa(s) correta(s). 01) No Brasil, existem diversas festas entendidas como manifestações da tradição popular, porém os folcloristas reconhecem como brasileiras apenas aquelas que não possuem influência estrangeira. 02) Alguns países europeus tiveram problemas em relação à definição e à manutenção de suas fronteiras e de sua soberania, bem como com questões étnico-culturais. Por isso, utilizaram suas tradições populares com o objetivo de imprimir e difundir a idéia de nação. 04) As noções de “cultura erudita” e “cultura popular” são construções utilizadas para diferenciar as crenças, os valores e os costumes do povo e das elites. Entretanto essas noções obscurecem os diálogos e as trocas entre os diferentes grupos existentes na sociedade. 08) Um exemplo de reflexão sobre a cultura brasileira foi a Semana de Arte Moderna de 1922, que, entre outras coisas, pretendia mostrar “o Brasil” às classes médias e às elites nacionais, valorizando as expressões e os costumes da população simples. 16) Para o senso comum, há uma hierarquia na definição da cultura popular brasileira. Desse modo, aquelas manifestações culturais restritas a alguns grupos étnicos, religiosos ou regionais tendem a ser entendidas como de menor relevância para a cultura nacional. 30

4 UEM - É correto afirmar que acompanham ou são conseqüências da atual fase de internacionalização da economia os seguintes fenômenos: 01) a reestruturação produtiva, que se refere ao conjunto das transformações que ocorreu nas tecnologias e nas relações de produção, causando, entre outros, o desaparecimento de algumas profissões e o desemprego estrutural. 02) o acirramento da competição tecnológica, que tem reordenado o padrão de acumulação capitalista e gerado grandes corporações globais, por meio de fusões de empresas que operam em um determinado setor econômico. 04) a alta rotatividade da mão-de-obra e formas mais flexíveis e precárias de contrato entre empregadores e empregados. 08) o fortalecimento das organizações sindicais, que têm assumido papel decisivo no conteúdo das mudanças em curso no mundo do trabalho. 16) o afrouxamento das leis contra imigração, já que os países mais ricos necessitam da mão-de-obra originária dos países que estão em uma posição econômica subordinada. 07

5 UEM - Sobre a formação do Estado moderno e as transformações que ele sofreu ao longo a história, assinale o que for correto. 01) A centralização das estruturas jurídicas e da cobrança de impostos, a monopolização da legitimidade do uso da violência e a criação de uma burocracia específica para administrar os serviços públicos foram fundamentais para a constituição do Estado moderno. 02) Os Estados Absolutistas europeus contribuíram para a desagregação das relações políticas feudais. Por isso, seu advento é constitutivo do longo processo que resultou no surgimento dos Estados modernos. 04) O princípio da soberania popular foi substantivamente transformado em fins do século XIX e ao longo do século XX como resultado das lutas sociais empreendidas a favor da ampliação dos direitos políticos. 08) A construção do Estado-nação esteve intimamente associada à idéia de um poder territorializado. 16) Embora estejam associados, os conceitos de Estado e de nação não coincidem, já que existem nações sem Estado – como é o caso dos palestinos – e Estados que abrangem várias nações – como o Reino Unido. 31

6 UEM - Chama-se de terrorismo o ato de usar a violência com a intenção de coagir, ameaçar ou influenciar outras pessoas para fins políticos, religiosos, psicológicos, entre outros. Sobre o terrorismo, assinale o que for correto. 01) Robespierre, na França pós-revolucionária, foi um exemplo de abuso de governos que cerceavam a liberdade em nome da liberdade, tendo como efeito a instauração de um período de terror. 02) Os acontecimentos de 11 de setembro de 2001, quando terroristas árabes, em atentado suicida, destruíram as torres gêmeas do World Trade Center, em Nova Iorque, são expressão do “fogo amigo”, isto é, o ato de lesar a humanidade com a ajuda de terceiros. 04) O argumento contra o terrorismo pode ser usado, ironicamente, como justificativa para a restrição dos direitos, a supressão de garantias, a quebra de sigilo, a prisão sem provas e outros, aumentando ainda mais a insegurança dos indivíduos. 08) Chamamos “crimes passionais” os atos de terrorismo psicológico e intimista que resultam de convicções filosóficas profundas, como a percepção das injustiças sociais, a concentração de renda, o monopólio dos cartéis etc. 16) Para Theodor W. Adorno, uma das fontes da violência é o medo. Trabalhar o medo, sem reprimilo, é uma forma de evitar o uso da força. 21

7 UEM - Com a secularização do pensamento político, filósofos do século XVIII procuram justificar racionalmente o poder do Estado sem a utilização de argumentos religiosos. Recorrem, para isso, à ideia de contrato social como passagem do estado de natureza à sociedade civil. Sobre o contratualismo clássico, assinale o que for correto. 01) Jean-Jacques Rousseau e Thomas Hobbes estão de acordo quanto à forma de vida do homem pré-social ou natural, pois o recurso ao estado de natureza é unânime e invariável entre os contratualistas clássicos. 02) Thomas Hobbes ilustra sua teoria política com um monstro bíblico retirado do livro de Jó, o Leviatã, que é um ser artificial e idealizado pelos homens para representar o Estado. 04) A partir do conceito de vontade geral, Jean-Jacques Rousseau fundamenta sua teoria, para a qual o bem do Estado atinge todos os indivíduos. 08) O contratualismo clássico confunde, ao recorrer à hipótese do estado de natureza, “origem” (termo lógico) e “início” (termo histórico). Devido a isso, é uma teoria política controversa, na contemporaneidade. 16) À ideia de pacto social ou contrato, está associado o “problema dos universais”, que vem da Idade Média. 06

8 UEM - A democracia tornou-se o apanágio das sociedades políticas modernas, no entanto, do século V a.C. até o século XIX, teve poucos representantes. Sobre as dificuldades de realização do processo democrático, assinale o que for correto. 01) Através do modelo de sociedade patriarcal, os romanos lançaram as bases ideológicas do processo democrático moderno, centrado na figura do pater. 02) Para Gerd Bornheim, o maior desafio das sociedades políticas contemporâneas é o de equacionar, no mesmo regime, a democracia e o individualismo do sujeito autônomo. 04) Barão de Montesquieu, em O espírito das leis, condenou a educação moral e cívica e a transformação do indivíduo em cidadão, pois o homem é, na sua concepção, naturalmente bom, e a sociedade o corrompe. 08) Jean-Jacques Rousseau, no Discurso sobre a origem e o fundamento da desigualdade entre os homens, está em desacordo com John Locke e Adam Smith, porque, para eles, é importante garantir a propriedade privada à sociedade civil. 16) O utilitarismo, como princípio de extensão da felicidade ao maior número de pessoas, utiliza o conceito de alienação para o convencimento dos indivíduos ao interesse maior, que é o Estado. 10


Carregar ppt "UEM – A Estética, enquanto disciplina filosófica, é o estudo dos sentimentos, dos conceitos e dos juízos resultantes de nossa apreciação das artes, ou."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google