A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Relação entre Governança Corporativa e estratégia Módulo 6.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Relação entre Governança Corporativa e estratégia Módulo 6."— Transcrição da apresentação:

1 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Relação entre Governança Corporativa e estratégia Módulo 6

2 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Tópicos de discussão Estratégia – o que é? Ferramentas e Processo de Desenvolvimento Implementação e Controle da Estratégia Estratégia – Envolvimento da Alta Administração O papel do Conselheiro, em Resumo

3 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. O que é Estratégia? Definições clássicas  Plano da administração superior para atingir metas consistentes com as missões e objetivos da organização  Posicionar uma organização para ter vantagem competitiva sustentável. Envolve escolhas sobre setores onde participar, produtos a oferecer e como alocar recursos. Visa oferecer valor aos clientes e criar valor para os acionistas e outras partes relacionadas (funcionários, fornecedores, etc.)

4 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Estratégia – O que é? Estratégia é o caminho para criar e sustentar posição competitiva vantajosa e exclusiva no mercado Estratégia é exercer opções excludentes na competição: escolher o que não fazer. Estratégia é criar compatibilidade entre as atividades da empresa. Ela depende do desempenho diferenciado das atividades e da integração entre elas. Estratégia segundo Michael Porter Estratégia segundo Prahalad e Hammel “Muitos defendem que estratégia é compatibilizar recursos com oportunidades. Na realidade, estratégia é o estabelecimento de metas que forçam a empresa a buscar resultados além do que seus executivos imaginam ser possível””

5 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Possibilitar a tomada das melhores decisões, nos momentos certos Prover direcionamento, foco, motivação Otimizar relações e sinergias internas Alocar recursos de forma racional Influenciar mudanças no ambiente de negócios Auxiliar o Conselho a antecipar, monitorar ou reagir a acontecimentos Estratégia – Benefícios Estratégia: alinhamento para as ações executivas Organização com estratégia alinhada Organização com estratégia desalinhada

6 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Estratégia e Governança Transparência Equidade Responsabilidade Corporativa Prestação de Contas Estratégia

7 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Estratégia e Governança “Os executivos do Bradesco tomaram, em meados do ano passado, uma decisão arriscada. Durante três dias, nos meses de junho e julho, o banco reuniu de uma única vez 102 pessoas – entre fornecedores, clientes, funcionários, especialistas, funcionários do governo e de ONGs – com o propósito de ouvir o que eles tinha a dizer a respeito de sua estratégia de sustentabilidade apresentada no último relatório. Na prática, o Bradesco deu a cara para bater...” (Revista Exame, 25/02/2009) O que tem isso a ver com Estratégia e Governança?

8 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Bases da Estratégia Missão, Visão e Valores são profundamente inter-relacionadas e dão base à Estratégia Visão “Fotografia” do nosso futuro Indica o que a empresa quer ser, onde quer chegar Unifica e desenvolve esforços sinérgicos Atua como catalisador para o espírito de equipe “Fotografia” do nosso futuro Indica o que a empresa quer ser, onde quer chegar Unifica e desenvolve esforços sinérgicos Atua como catalisador para o espírito de equipe Missão Nosso negócio Razão de ser da organização Identifica o(s) negócio(s) onde atua a empresa Responsabilidade perante acionistas Nosso negócio Razão de ser da organização Identifica o(s) negócio(s) onde atua a empresa Responsabilidade perante acionistas Valores Padrão de comportamentos Um conjunto de princípios Padrão de comportamentos Um conjunto de princípios

9 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Missão - exemplos RANDON "Oferecer soluções para transporte através do desenvolvimento, produção, assistência e comercialização de bens e serviços, visando à satisfação de clientes, acionistas, colaboradores e comunidade” LOCALIZA NATIONAL "Oferecer soluções em transporte, através do aluguel de carros, buscando a excelência” MCDONNALDS "Servir alimentos de qualidade, com rapidez e simpatia, num ambiente limpo e agradável“ PETROFÉRTIL "Abastecer o mercado nacional de insumos para agropecuária, especialmente fertilizantes e suas matérias-primas, de forma econômica e rentável"

10 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Visão e Estratégia Exemplo – conglomerado do setor químico 4 EIXOS ESTRATÉGICOS PRINCIPAIS Enfocar as unidades de negócio como portfolio de negócios Entender o negócio em seu nível mais baixo Atribuição diferenciada de recursos Criação de uma organização que aprende Concentrar esforços em negócios chaves Terceirizar os negócios que não são chaves Investimento em Pesquisa e Desenvolvimento Concentração nas tecnologia nas quais a Empresa é única Visão: ser a empresa mais valorizada em seu segmento de negócios em 5 anos Desagregação Maximização do Valor Foco Tecnologias chave

11 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Processo de desenvolvimento da estratégia Futuro baseado em desejos e ambições Alta Administração provê a visão e a liderança do processo A gerência participa intensamente do processo. Quem planeja, realiza. Envolvimento e Comprometimento Não há uma estrutura formal permanente de planejamento Processo contínuo, renovado periodicamente O desenvolvimento da estratégia nas empresas de maior sucesso A direção que a empresa quer seguir, e como vai fazê-lo, estão relacionados com suas metas, objetivos e valores

12 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Da Visão à Estratégia A Visão deve ser “ambiciosa”, porém realista Nossa Visão inspira motivação? É compatível com a Missão? É credível? Temos capacidade financeira para materializá-la? É compatível com as expectativas de desenvolvimento do setor, mercado, tecnologia, sociedade? A Visão coloca pressão suficiente? Ou é acomodada? Todos os níveis da organização podem entende-la e abraçá-la? Tem um forte significado para os acionistas e as partes interessadas?

13 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Da Visão à Ação Estratégia começa na Visão e continua na Ação!

14 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Níveis de Decisão Empresarial Produtos e Mercados Receitas e Despesas Margem Ativos Produtivos Uso Rentável de Ativos Resultado e Caixa Estratégia e Alocação de Recursos Rumo e Risco Atingimento de Metas PatrimônioDesejo Variação Patrimonial Célula de Planejamento Unidade de Negócios Administração Superior Acionistas Nível de Tomada de Decisão Característica Principal Problema Gerencial Variável de Controle

15 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Níveis Estratégicos Desejo Uso de recursos Societário Portfólio Estrutura de Capital x Risco Corporativo Ativos Produtos x Mercados Unidade de Negócio Operações, Marketing Finanças Funcional

16 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Tópicos de discussão Estratégia – o que é? Ferramentas e Processo de Desenvolvimento Implementação e Controle da Estratégia Estratégia – Envolvimento da Alta Administração O papel do Conselheiro, em Resumo

17 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Governança e Gestão 17 Conselho de Administração Conselho Fiscal Acionistas FinançasComercialOperações Auditoria Independente CEO Planejamento, Organização, Direção, Operação e Controle Presidente Do Conselho GestãoGestão GovernançaGovernança F u n c i o n á r i o s Transparência, Eqüidade, Prestação de Contas e Responsabilidade Corporativa

18 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Relações na Alta Administração Foco da Competência do CEO Prover liderança à organização para que se obtenham os resultados objetivados pelos acionistas Fazer “acontecer” a Missão e a Visão, implementando a estratégia e cumprindo com os planos e orçamentos

19 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. O CEO e os Pilares da Governança Transparência Eqüidade Prestação de Contas Responsabilidade Corporativa Para o Conselho e Stakeholders Com todos os stakeholders Dos atos da administração Com a sociedade e o meio ambiente O CEO deve ter também profundo conhecimento das boas práticas de governança, e adotá-las

20 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Conselho de Administração CEO Diretoria Executiva Colaboradores Direcionamento estratégico Missão, Visão, Valores Objetivos estratégicos Políticas Formulação do plano estratégico Análise do meio ambiente externo e interno Estudo de alternativas estratégicas Proposição de estratégia Dimensionamento de recursos, Orçamentos Plano de ação Interação Aprovação Participa Aprova Monitora Participação do Conselho na formulação e aprovação do Plano Estratégico

21 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Liderança na formulação do plano estratégico O CEO pode coordenar os trabalhos pessoalmente ou delegar essa coordenação a um executivo de alto nível. Mas continua sendo o responsável Consultor externo como apoio  Aporta metodologia, “cabeça e braços”, experiência e sugestões  Prove coaching ao Coordenador  Não é “dono” do processo, nem “dita” a estratégia O CEO deve ser o líder dos trabalhos de formulação da estratégia. Mas a aprovação é do Conselho

22 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Envolvendo o Conselho durante todo o processo Apresentando a metodologia e o cronograma para sua apreciação Apresentando os resultados à medida que eles evoluem. Realizando sessões específicas do Conselho Pode ser formado um Comitê de Estratégia, subordinado ao Conselho, com Conselheiros e gestores para participar nos trabalhos Aprovando a estratégia e o plano de ação Como participam os Conselheiros na formulação da estratégia Envolvendo-se no processo, o Conselho vai conhecendo as informações e proposições, e toma decisões mais fundamentadas Participação do Conselho na formulação e aprovação do Plano Estratégico

23 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Pode ser formado um Comitê de Estratégia, subordinado ao Conselho, com Conselheiros e gestores para acompanhar os trabalhos O Comitê de Estratégia Composição : Um Conselheiro externo, O CEO, um membro da Diretoria executiva, o Coordenador do processo de formulação da estratégia e um Consultor externo (o qual prove assessoria na metodologia de trabalho e na coleta e análise de informações junto com um Grupo de Trabalho liderado pelo Coordenador) Atribuições Acompanhamento dos trabalhos; debate de idéias pertinentes aos mesmos com o Grupo de Trabalho; revisões de conclusões e recomendações preliminares, antes de sua apresentação ao Conselho Assegurando que todos os temas de interesse estejam cobertos; apoio para que se tenha um fluido e produtivo andamento dos trabalhos

24 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Quando o Conselho participa adequadamente da formulação da Estratégia, teremos: Melhor entendimento dos negócios e meio ambiente da empresa Interação com a direção executiva aportando idéias e questões Estratégia mais sólida e maiores condições para implementação Melhor estabelecimento de indicadores de desempenho Desenho adequado de um sistema de recompensas por metas Criação de espírito de pertinência entre os membros do Conselho Preparação dos Conselheiros para atuar como defensores da empresa Participação do Conselho na formulação e aprovação do Plano Estratégico

25 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. E nas empresas familiares onde o “dono” e ex-CEO foi para o Conselho? Teremos um Conselho evidentemente mais participativo Será natural que o dono, ou donos, que estavam na gestão operacional da empresa sintam a necessidade, e queiram participar mais ativamente na formulação da estratégia Não somente na formulação da estrategia teremos um Conselho mais participativo, mas na propria vida da empresa Participação do Conselho na formulação e aprovação do Plano Estratégico

26 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Relações na Alta Administração Assembléia de Acionistas Resultados Direcionamento Recursos financeiros Resultados Conselho CEO/Diretoria Executiva Controle e avaliação Resultados Estratégias, diretrizes, informações

27 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Uma decisão estratégica? A Empresa A planejou aumentar sua escala de produção através da compra de um concorrente. Para isso, captou junto aos seus acionistas recursos para essa operação Após acirrada disputa para adquirir o controle da empresa concorrente, perdeu-a para outro grupo empresarial Os recursos financeiros levantados estavam em caixa e poderiam ser utilizados em diferentes aplicações: quitar dívidas, fazer outros investimentos, especular um pouco no mercado financeiro ou outros destinos O que fazer? Essa decisão é estratégica? Deve envolver o Conselho?

28 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Tópicos de discussão Estratégia – o que é? Ferramentas e Processo de Desenvolvimento Implementação e Controle da Estratégia Estratégia – Envolvimento da Alta Administração O papel do Conselheiro, em Resumo

29 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. O Presidente do Conselho deve estimular um novo Conselheiro a conhecer a empresa e seu negócio através de conversas com seus Diretores Executivos e áreas da empresa, além de estudos de documentos relacionados. O CEO deve prover todo o apoio ao novo Conselheiro, facilitando esse processo Entendimento do negócio da empresa

30 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Entendendo o Ambiente de negócios A Grendene é líder em seu setor porque desenvolve seus novos produtos correspondendo às expectativas do mercado A Tramontina está presente com sucesso em quase 100 países porque mantém uma equipe pesquisando permanentemente as necessidades de consumo locais Num produto comoditizado como o cimento, conhecer e acompanhar a evolução de uma informação básica é fundamentalmente estratégico: a estrutura de custos da indústria Entender o ambiente de negócios da empresa é fundamental no desenvolvimento da estratégia

31 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. 5 Questões para a Estratégia 1.Qual a posição detalhada de seu negócio e a de seus concorrentes: participação de mercado, pontos fortes por linha de produto e pontos fortes por região? 2.Que ações seus concorrentes adotaram nos dois últimos anos que mudaram a paisagem competitiva? 3.O que você fez nos últimos dois anos que alterou a paisagem competitiva? 4.O que você mais receia que seus concorrentes façam nos próximos dois anos para alterar a paisagem competitiva? 5.O que você fará nos próximos dois anos para superar quaisquer manobras de seus concorrentes?” Jack Welch “O sucesso dos negócios depende menos de previsões grandiosas do que da capacidade de reagir com rapidez às verdadeiras mudanças, à medida que ocorrem. Eis porque a estratégia deve ser dinâmica e premonitória. 5 perguntas que dão vida ao planejamento estratégico:

32 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Entendendo o Negócio Pesquisa de mercado Análise dos processos de negócio Cadeia de valor Esquema Porter das forças de mercado Forças externas Análise SWOT Outros... Instrumentos que ajudam a entender o negócio

33 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Análise externa Dados primários Dados secundários Especialistas setoriais Análise do mercado: produtos atuais, novos produtos, concorrência Análise de imagem e satisfação de consumidores Tecnologias Benchmark Inteligência competitiva Vantagens competitivas

34 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Entendendo a estrutura do ramo de negócio Esquema Porter das 5 forças de competição Novos concorrentes Compradores Produtos substitutos Fornecedores Empresa Concorrentes atuais

35 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Entendendo a estrutura do negócio Estratégia competitiva Fraquezas Forças Riscos Oportunidades Ambiente Interno Ambiente Externo Análise SWOT

36 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Análise SWOT - Exemplo Automação Industrial Ltda – Análise SWOT Forças Equipe jovem e tecnicamente bem preparada Estrutura econômica e operacional da empresa Relativa independência quanto à tecnologia a empregar Capacidade de absorver conhecimento Compromisso com o cliente Know-how em soluções de integração de sistemas Oportunidades Concorrentes carecem de qualidade no tratamento com o cliente (impessoal) Segmento de utilidades nas indústrias química, farmacêutica, siderúrgica, papel e celulose, alimentos Segmento de Segurança Eletrônica industrial Segmento de automação dos edifícios sede das empresas Debilidades Time jovem Conhecimento de processos industriais limitado aos setores químico e farmacêutico Conversão de propostas em contratos Organização administrativa do setor Falta de agressividade comercial e de organização de vendas Ameaças Situação de instabilidade política e econômica retardando investimentos Concorrência de grandes multinacionais Atratividade dessas multis para jovens talentos Custos crescentes para atualização tecnológica Custo de pós-venda e garantia Margens decrescentes

37 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Alianças estratégicas A formação de uma aliança deve suportar uma estratégia e necessidades específicas. Não necessita ser societária, podendo ser operacional Aceleração do crescimento Redução do tempo de acesso ao mercado Melhor aproveitamento de redes de distribuição Acesso a culturas regionais e setoriais Acesso a tecnologia Economias de escala e redução de custos Melhoria na qualidade de produtos e serviços... Aliar-se significa compartilhar os resultados mas também os riscos Alianças – um instrumento para desenvolvimento

38 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. A química das alianças Dow Chemical e Corning Glass, formando a Dow Corning em 1943 ♦ 50/50 e gestão compartida ♦ Tecnologia da Corning e know how de produção da Dow ♦ Domínio do mercado de silicones e sílica de alto grau de pureza Companhias aéreas: Star Alliance, One World... Roche e Ciba: ♦ Roche desenvolveu a aplicação de vitamina E como um excelente oxidante para polímeros. Mas não conhecia o mercado consumidor ♦ Ciba possui um segmento de termoplásticos e cuida da distribuição As empresas domésticas do setor de medicamentos na Argentina ♦ Formação de um único distribuidor para seus produtos em 95 - Disprofarma ♦ Compra de uma cadeia de farmácias em 97

39 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. A química das alianças Quem fica com o controle? Receio de que a operação fique na mão do aliado, se este é maior Receio de abrir informação da empresa Crença de que é possível superar sozinho os obstáculos Desconhecimento de como superar barreiras culturais... Barreiras à formação de alianças

40 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Riscos Importância da gestão de riscos No desenvolvimento da estratégia é fundamental identificar riscos potenciais e sua probabilidade de ocorrência e de intensidade de impacto nos negócios Riscos em consideração podem envolver: mercado, economia, política, ética, meio ambiente, suprimentos, finanças, legislação, e outros. É obrigação do Conselho e da direção executiva estabelecer uma política de gestão de riscos

41 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. O resultado da formulação da estratégia A formulação da estratégia pode ter diferentes complexidades, demandar levantamentos e análises com profundidades variadas, requerer maior ou menor dedicação de tempo dos profissionais, mas deve ser sobretudo OBJETIVO, PRÁTICO, REALISTA, EXEQUÍVEL envolvendo PARTICIPAÇÃO E COMPROMETIMENTO

42 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Estratégia de internacionalização Caso Auto & Partes

43 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Estratégia de internacionalização A Auto & Parts é uma industria brasileira de autopeças, com faturamento de US$ 300 milhões e 3500 funcionários. É uma das poucas empresas nacionais do setor que não quebrou ou foi vendida a multinacionais. Sua estratégia incluiu a compra de unidades de produção na Argentina e Europa, fornecendo para Mercedes, Porsche, Audi, BMW e GM. Essa expansão se deu para que pudesse ela estar próxima a seus clientes e participar com ele do desenvolvimento de produtos, criando fidelidade. Nesse período a Auto & Parts aprendeu a conviver com culturas empresariais diferentes, tanto nas empresas que adquiriu como no contato direto com clientes europeus.

44 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Estratégia de internacionalização A empresa necessita tomar uma decisão estratégica que poderá mudar novamente seus rumos. As exportações para os EUA evoluíram e esse crescimento tende a continuar, graças ao nível de qualidade e agilidade no atendimento aos clientes. Perto dos americanos a Auto & Partes é pequena. Essa nova etapa demandará investimentos em unidades produtivas e em tecnologia, num dos países do Nafta. E, algumas questões se apresentam: Conseguirá a Auto & Parts manter-se atualizada tecnologicamente? Com esse crescimento e internacionalização conseguirão seus acionistas manter o nível de capitalização necessário? Conseguirá manter-se 100% nacional? Que estratégia adotar? Associar-se a um dos produtores americanos? Assumir o risco e investir no mercado americano? Vender a empresa? Como Conselheiros, que informações necessitamos para tomar uma decisão? Que questões devemos formular à Diretoria Executiva?

45 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Intuição E quando não temos todos os elementos? Intuição Experiência + Intuição

46 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Tópicos de discussão Estratégia – o que é? Ferramentas e Processo de Desenvolvimento Implementação e Controle da Estratégia Estratégia – Envolvimento da Alta Administração O papel do Conselheiro, em Resumo

47 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Implementação da Estratégia Estratégias nada valem se as empresas não souberem como implementá-las. Como implementar portanto a estratégia? Com a participação intensa daqueles que a desenvolvem Com a definição, execução e acompanhamento de um plano de ação

48 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Comunicando e monitorando a estratégia Durante todo o processo de implementação é fundamental que haja convergência das ações definidas e de possíveis medidas corretivas com MISSÃO, VISÃO E VALORES da empresa

49 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Medindo resultados Para quem vamos medir o desempenho ?  Acionistas?  Clientes ?  Mercado de capitais?  Comunidade ?  Empregados ? Quais parâmetros? Financeiros? Operacionais? … Ferramentas para acompanhar o desempenho do plano estratégico  BSC – Balanced Score Card Ferramentas para medir valor  EVA - Economic Value Added  ROCE Outros sistemas de medição de desempenho Medição de valor de um modo consistente O uso adequado de ferramentas de medição de desempenho agrega segurança e transparência aos negócios

50 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Medindo resultados Balanced Scorecard Visão, Missão e Valores Perspectiva do Cliente Processos internos Indicadores financeiros Inovação e aprendizado Lucratividade Fluxo de caixa Retorno sobre capital Liquidez Índice de sucesso em propostas Índice de retrabalho Segurança do trabalho Produtividade Indicadores de satisfação Participação de mercado Índices de reclamações Avaliações de qualidade % de receita com novos produtos Ritmo de inovações Atitudes de empregados Sugestões de melhorias

51 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Estratégia, em resumo Estratégia  Alinhada das partes interessadas  Clara, transparente Desempenho  Comprometimento executivo  Equipe  Busca de resultados Cultura  Cultura de desempenho  Valores corporativos acima de interesses pessoais  Reconhecimento Estrutura  Simples, ágil, flexível Um estudo de pesquisadores de Harvard, McKinsey e Amos Tuck indica que uma combinação de estratégia, instrumentos de gestão e boas práticas é o principal fator de sucesso Liderança  Visionaria  Inspiracional, modelar  Construtora de relacionamentos Talentos  Funcionários como ativo e não custo  Desenvolviment o Inovação  Novas soluções  Novos processos Parcerias  Complementação de lacunas  Aporte de experiência

52 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Tópicos de discussão Estratégia – o que é? Ferramentas e Processo de Desenvolvimento Implementação e Controle da Estratégia Estratégia – Envolvimento da Alta Administração O papel do Conselheiro, em Resumo

53 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Participação do Conselho na formulação e aprovação do Plano Estratégico Código de Melhores Práticas – 4ª. Edição O Conselho de Administração,...encarregado do processo de decisão... em relação ao seu direcionamento estratégico... Sua missão é proteger e valorizar a organização, otimizar o retorno do investimento no longo prazo e buscar o equilíbrio entre os interesses das partes interessadas... O Conselho deve zelar pelos valores e propósitos da organização e traçar suas diretrizes estratégicas....Dentre as responsabilidades do Conselho de Administração destacam-se:  Discussão, aprovação e monitoramento de decisões envolvendo:  Estratégia ...

54 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. O Papel do Conselheiro, em Resumo Assegurar que a empresa esteja proporcionando o retorno esperado por seus acionistas, através de ações estratégicas que a levem a realizar sua Visão, cumprindo com sua Missão e respeitando seus Valores

55 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. O Papel do Conselheiro, em Resumo Entender a empresa, seu negócio e seu meio ambiente Buscar o melhor posicionamento estratégico para a empresa Compartilhar a Missão, Visão e Valores com a Diretoria Executiva e certificar-se de que sejam transmitidos à organização Participar da formulação e aprovar o plano estratégico Delegar o operacional Definir indicadores para acompanhar o desempenho da empresa Acompanhar e analisar o desempenho da empresa Recomendar e/ou decidir sobre medidas de correção

56 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Estratégia x gestão de operações “fazer certo a coisa” Gestão Operacional Estratégia Aplicar as melhores práticas operacionais Criar vantagens competitivas sustentáveis Responsabilidade da Diretoria Executiva Responsabilidade conjunta do Conselho e Diretoria Executiva “fazer a coisa certa” O Papel do Conselheiro, em Resumo

57 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Estabelecer a Missão e a Visão como orientação de base para as operações atuais e desenvolvimento futuro Determinar os valores a ser observados por toda a empresa, levando em consideração perspectivas futuras Revisar e aprovar os objetivos da companhia e da empresa, assegurando também que estejam de acordo com a Missão, os Valores e necessidades dos acionistas e partes interessadas, servindo de base para a formulação do plano estratégico Estabelecer, apoiar e fazer cumprir as políticas corporativas Avaliar oportunidades atuais e futuras assim como ameaças e riscos pertinentes ao ambiente externo, e as forças e fraquezas da empresa, vis-a-vis sua missão e objetivos Avaliar alternativas estratégias corporativas e financeiras, escolher e aprovar aquelas a serem seguidas e decidir sobre recursos, contingências e meios de suportá-las Aprovar planos de ação estratégicos para implementação da estratégia corporativa Assegurar que a Diretoria dispõe da estrutura de organização e competências apropriadas para implementação do plano Adotar medidores de desempenho para monitorar a implementação da estratégia, políticas, e planos de ação Assegurar que os procedimentos de controle internos são adequados para prover informação confiável para acompanhamento e controle do desempenho da empresa Delegar autoridade aos executivos, e monitorar a implementação de políticas, estratégias e planos de negócios Assegurar que sucessos e fracassos de gestão sejam comunicados aos executivos, assim como recompensas e sansões correspondentes Missão, Visão e ValoresEstratégia e Estrutura Delegação à Diretoria O Papel do Conselheiro, em Resumo

58 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Principais perguntas que o Conselheiro deve fazer: Direcionamento estratégico: Onde deverá estar a empresa no longo prazo? Mercados e produtos: em que mercados deverá ela competir e com que produtos e serviços? Vantagem competitiva: como pode nosso negócio ter melhor desempenho que os competidores nesses mercados? Riscos: estão os riscos potenciais identificados, analisados e considerados? Recursos: que competências, ativos, finanças, relacionamentos, tecnologia, instalações são requeridos para competir com vantagem? Capital humano: que tipo de recursos humanos são necessários e como estão nossas políticas para sua atração, desenvolvimento e retenção? Partes interessadas: quais são os valores e expectativas daqueles que exercem influência sobre a empresa? Acionistas: estarão nossos acionistas recebendo o retorno adequado para seus investimentos O Papel do Conselheiro, em Resumo

59 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Ciclo de Vantagem Competitiva e o papel do conselho Fontes de Vantagem Melhores ativos Melhor capacitação Investimentos em Melhorias Vantagens Realizadas Melhor Valor para cliente Vantagens Perdidas pela Dinâmica Competitiva Barreiras à Imitação Fatores Críticos de Sucesso Recompensas do Desempenho Satisfação Lealdade Lucros Participação Aprovar MonitorarConhecer Monitorar Acompanhar

60 Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Para pensar... Na sua organização... Qual é, e qual deve ser o papel dos Conselheiros? Como se inter-relacionam com a Diretoria Executiva? Como é desenvolvida e comunicada a Visão? Como é desenvolvida e comunicada a estratégia? Há um plano de ação para sua implementação? Foram definidos indicadores de desempenho? Os critérios para premiação estão bem estabelecidos? Como estão participando os Conselheiros nesse processo?


Carregar ppt "Material elaborado para utilização exclusiva nos cursos do IBGC. Relação entre Governança Corporativa e estratégia Módulo 6."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google