A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Conceitos Básicos twitter.com/erionmonteiro Informática para concursos – Aula 1 Prof. Erion.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Conceitos Básicos twitter.com/erionmonteiro Informática para concursos – Aula 1 Prof. Erion."— Transcrição da apresentação:

1

2 Conceitos Básicos twitter.com/erionmonteiro Informática para concursos – Aula 1 Prof. Erion

3 Componentes Funcionais

4 Hardware é a parte física do computadorSoftware é a parte Lógica. Componentes Funcionais

5 É o conjunto de instruções operacionais programadas diretamente no hardware de um equipamento eletrônico e armazenadas em um circuito semi-condutor (chip).Firmware

6 Exemplos de Firmware

7 Sistemas de Informação São métodos envolvendo máquinas e pessoas para coletar, organizar, processar, transmitir e divulgar dados com objetivo de gerar informações para as mais diversas finalidades.

8 Primeiro Instrumento de Cálculo Ábaco – 550 aC

9 1º Computador Eletrônico ENIAC – 1946 – 1ª Geração

10 1º Microcomputador ALTAIR

11 DownsizingDownsizing Comparações 2ª Geraç ão 1ª Geraç ão 3ª e 4ª Geraçõ es

12 Tipos de Computadores Mainframe – Computador de Grande Porte, são máquinas multiprocessadas de altíssimo desempenho, empregadas como servidores de grandes redes corporativas.

13 DESKTOP ou PC – Computador de Mesa, o mais popular. Tipos de Computadores Gabinete ou Case

14 Em meados da década de 80, duas “arquiteturas” se popularizaram, diferenciando-se de outros modelos de computador: o PC (Personal Computer), desenvolvido pela IBM e o Macintosh desenvolvido pela Apple. O IBM-PC acabou tornando-se a arquitetura “dominante”. PC ou Mac?

15 Hoje em dia muito computadores, mesmo do tipo PC também utilizam arquitetura fechada, principalmente aqueles produzidos por marcas famosas. Arquitetura Aberta ou Fechada? Dell – PC de arquitetura fechada. iMac – Apple arq. fechada sempre.

16 Laptops ou Notebooks são a mesma coisa. Já os Netbooks são computadores portáteis com menos recursos, voltados principalmente a visualizar imagens, documentos e acessar a Web. Notebook ou Netbook?

17 PDA – Assistente Digital Pessoal, aqui vistos em diferentes apresentações como PalmOne, PocketPC e 2 modelos de smart phones (Blackberry e iPhone). Tipos de Computadores

18 Tablet PC ou Simplesmente Tablet –. Tablet PC ou Simplesmente Tablet – é um dispositivo pessoal em formato de prancheta que pode ser usado para acesso à Internet, organizar arquivos, visualização de fotos, vídeos, leitura de livros, jornais e revistas e jogos. Tipos de Computadores

19 São computadores montados com gabinetes modificados – de forma personalizada. CaseMod

20 Bom, daí já é exagero achar que funciona!!!

21 Diagrama de Von Neumann

22 Funções Básicas do Computador Entrada Processamento Saída Armazenamento } de Dados

23 Comunicação Elétrica e Unidades de Medida No dia a dia usamos o sistema decimal Utiliza 10 digitos (0- 9), a base é 10 Para trabalhar com números podemos utilizar diversos sistemas de representação numérica, cada um com o seu conj. de sinais. Para cada um deles existe uma respectiva Base. Base (Número de diferentes algarismos usados por um sistema numeração)

24 O sistema binário emprega somente os algarimos 0 e 1. Ou seja, é um sistema de dois dígitos - usa base 2. Ele é utilizado nos computadores eletrônicos pois representa adequadamente os possíveis estados de um componente eletrônico: ◦ ligado (passando corrente elétrica) ◦ desligado (não passando corrente elétrica).

25 Bit – Binary Digit – menor unidade de informação que pode ser processada. Um bit pode assumir 2 valores: ◦ 0 ou 1 Byte - conjunto de 8 bits. Cada byte armazena o equivalente a um caractere de nossa linguagem. 1 caractere = 1 byte = 8 bits = 256 combinações (2 8 ) = ASCII ◦ Por exemplo, para armazenarmos a letra B usaríamos o número binário O sistema binário utiliza 8 bits para representar um caractere Byte - É a unidade de medida básica e universal para a capacidade de armazenamento de dados no computador e todos os seus dispositivos.

26 KB quilobyte (mil) bytes ◦ Pode ser designada também por Kbyte ◦ Disquete de 5 ¼ ” (tam. em polegadas de seu diâmetro), capacidade: 360 KB MB megabyte (milhão) 2 20, bytes. ◦ Disquete 3,1/2” – 1,44 MB ◦ CD-ROM 600 MB GB gigabyte (bilhão) ◦ Pendrive, até 300 GB TB terabyte isto equivale a uma valor aproximado a um trilhão de bytes ◦ Há discos rígidos de até 3 TB PB, Petabyte...quadrilhão de bytes EB, Exabyte ZB, Zettabyte...YB, Yottabyte 2 80

27 Dispositivos de Processamento, Entrada, Saída e Armazenamento de Dados Gabinete ou Case Dispositivos de Entrada Monitor: Dispositivo de Saída

28 Placa mãe (motherboard) “todo o cérebro precisa de um corpo” é a placa de circuito impresso onde reside a principal parte eletrônica do computador: CPU, RAM, placa de vídeo, e onde todos os demais componentes do micro são conectados; ela traz todos os componentes que permitem ao processador comunicar-se com os demais periféricos.

29 Placa-mãe onboard possuem alguns recursos, como placa de som, vídeo, modem, rede, etc, incorporadas a ela. Ou seja, em vez de ter uma placa para cada um desses dispositivos, ela mesma executa a função de cada placa. Em geral, tem custo menor e o desempenho pode ser comprometido pois o processador passa a executar tarefas que seriam feitas pelas placas de expansão (placas de vídeo, som, etc).

30 Placa-Mãe = Motherboard ou Mainboard

31 Placa-Mãe / ATX Dispositivos OnBoard

32 Placa-Mãe / ATX Dispositivos Off Board

33 Cada processador precisa de uma placa mãe desenvolvida especialmente para ele pois, devido à diferenças de arquitetura, os processadores possuem “necessidades” diferentes. Cada processador possui um número diferente de contatos, ou terminais, opera usando uma voltagem diferente e precisa de um conjunto de circuitos de apoio desenvolvidos especialmente para ele. Então, não podemos instalar um Athlon II numa placa-mãe para Core2 Duo, por exemplo.

34 Slot de expansão Um encaixe projetado para receber placas de expansão e conectá-las ao barramento de expansão do sistema. é um receptáculo que segura fisicamente um processador no computador socket

35 Placa mãe para dois processadores Intel Xeon. Slots de expansão: vídeo, som, modem Sockets

36 Chipset Na placa-mãe existem circuitos de apoio chamados de Chipset. Eles são responsáveis por definir as principais características da placa-mãe, por exemplo, o máximo de memória RAM ou Cache que o processador consegue acessar, tipo de memória que o processador é capaz de reconhecer. Por exemplo: se a memória é DDR2 ou DDR3, se o processador é Intel ou AMD, etc. A qualidade do chipset influi diretamente no desempenho da placa-mãe, por isso muitos se preocupam mais com o modelo de chipset que a placa-mãe tem do que com sua própria marca.

37 Chipset De maneira geral podemos dizer que o chipset é formado por 2 circuitos chamados: Controlador do Sistema Central ou Ponte Norte comunica o processador com as memórias, e em alguns casos com barramentos PCI Express e AGP, controla memória RAM e a Cache. Controlador de Periféricos ou Ponte Sul : controladores de HD, portas USB, paralelas, seriais, etc.

38 Placa Mãe para AMD - M810 LMR v5.0 (mostrada em aula pela profa.)

39 Slots DIMM (p/ até 1 GB de RAM) BIOS (AMIBIOS) Soquete processador AMD

40 Placa Mãe para AMD - M810 LMR (mostrada em aula pela profa.) Slots PCI Slots AGP: Permite que o vídeo on board seja desabilitado. Traz rede e modem on board

41 Placa Mãe para AMD - M810 LMR (mostrada em aula pela profa.) Traz rede e modem on board Bateria: alimentar a memória de configuração (CMOS) e alimentar o relógio de tempo real do micro (relógio que marca a data e a hora). Conector da fonte de alimentação – ATX (20 vias)

42 Conectores: mouse e teclado. Portas paralelas para impressora, vídeo, Conectores: cabo de rede. Conectores: som,,microfone 2 usb

43 Placa-mãe ASUS P5B

44 Barramento (bus) É uma via de comunicação existente na placa mãe, através da qual o microprocessador transmite e recebe dados de outros circuitos. Sua função é a interconexão entre componentes

45 Barramento É um grupo de linhas paralelas, impressas diretamente na placa-mãe, cujo o número afeta a velocidade com a qual os dados viajam de um componente a outro do hardware. Como cada fio (linha metálica impressa na placa-mãe) transfere apenas 1 bit de cada vez; um barramento de 32 bits transfere 4 bytes por vez; de 64 bits transfere 8 bytes e assim por diante. Barramento – capacidade de transferência (medido em bits)

46 O principal barramento do micro é o local, a via de comunicação que conecta o processador aos circuitos primordiais da placa mãe: RAM, cache L2, chipset. O barramento Local é de alto desempenho e por isso periféricos lentos não podem ser conectados diretamente a ele. Então, o processador se comunica com outros periféricos (HD, placa de vídeo, placa de som, placa de fax modem) através de Barramentos de Entrada e Saída, também conhecidos como barramentos de expansão.

47 Padrões mais conhecidos: ◦ ISA (Industry Standard Architeture) (antigo: surgiu na versão 8 bits...depois 16 bits) ◦ PCI:(Peripheral Component Interconnect - Interconexão de Componentes Periféricos). substituto do ISA, criado em 93 pela Intel, para o Pentium (barramento de dados de 32 bits ou 64 bits). ◦ AGP:(Accelerated Graphics Port) criado em 97 (Pentium II), projetado especialmente para placas de vídeo. (Por isso, é considerado uma porta e não um barramento, diferentemente do que acontece com o PCI). ◦ esses modelos são disponibilizados na placa mãe através de conectores, chamados SLOTS.

48 Padrões mais conhecidos: ◦ USB (Universal Serial Bus): porta serial de alta velocidade que permite a conexão de vários periféricos externos à placa mãe, através de um único plug. Este barramento é plug-and-play, (pode encaixar e desencaixar periféricos com o micro ligado). ◦ é padronizado para todos os seus periféricos. Isso acaba com problemas da falta de padronização dos PCs pois, nos micros atuais podemos verificar que para cada periférico, normalmente há a necessidade de uma porta e, dependendo do periférico há a necessidade de configuração e instalação da placa dentro do micro...

49 CPU Localização: dentro do gabinete, acoplado à placa-mãe) A CPU é o mesmo que UCP (Unidade Central de Processamento) ou Microprocessador. Devem ser programadas para que execute tarefas (ou seja, trata-se de um CI – Circuito Integrado capaz de obedecer instruções). ◦ Quem fabrica Microprocessadores?  Os principais fabricantes são Intel, AMD, ARM, VIA (antiga Cyrix)  IBM e Motorola (já produziram antigamente p/ Macintosh) Pentium, Celeron, Centrino, Xeon, Core2 (da Intel) K6 III, Duron, Athlon, Phenom (da AMD).

50 Processamento A CPU ou Processador é o principal chip de um computador, é usado para interpretar os comandos, processar as instruções, executar os cálculos, gerenciar o fluxo de informações do computador.

51 Registradores Memória de alta velocidade que permite o armazenamento de valores intermediários ou informação de comando. Os registradores definem o tamanho da palavra computacional, ou seja, a quantidade máxima de dados que pode ser processada. Representam o nível mais alto na hierarquia das memórias. Sendo as memórias mais rápidas e caras. O tamanho dos registradores já são definidos pelo fabricante, podendo ser de 8 a 64 bits, de acordo com o modelo do processador.

52 Registradores

53 ROM Read Only Memory (Memória Somente de Leitura) Usada para armazenar as instruções de inicialização, assim que o computador é ligado. Por padrão, informações são gravadas pelo fabricante uma única vez e após isso não podem ser alteradas ou apagadas, somente acessadas. São memórias cujo conteúdo é gravado permanentemente. Não é apagada quando a sua alimentação é cortada, ao contrário do que ocorre com as memórias RAM.

54 Tipos de ROM PROM – (Programmable ROM) podem ser escritas com dispositivos especiais mas não podem mais ser apagadas ou modificadas. EPROM – (Erasable PROM) podem ser apagadas pelo uso de radiação ultravioleta permitindo sua reutilização. EEPROM – (Electrically EPROM) podem ter seu conteúdo modificado eletricamente, mesmo quando já estiver funcionando num chip. FLASH ROM - semelhantes às EEPROMs são mais rápidas e de menor custo. A diferença da Flash-ROM para a EEPROM é que na Flash-ROM não é possível apagar somente um determinado endereço dentro da memória e reprogramar apenas um dado.

55 EPROM

56 Quando o computador é ligado, o processador não sabe o que fazer. O programa necessário para dar partida no micro é escrito em um chip ROM, localizada na placa mãe. Na ROM há basicamente 3 programas (firmware): ◦ BIOS (Basic Input/Output System - Sistema Básico de Entrada/Saída); ◦ POST (Power-On Self Test) ◦ SETUP (configuração) Programas da ROM

57 BIOS é justamente a primeira camada de software do sistema: Ensina o processador a trabalhar com os periféricos mais básicos do sistema, tais como unidade de disquete, vídeo em modo texto, etc. assegura que todos os outros chips, discos rígidos, portas e CPU funcionem juntos; Mesmo depois do carregamento do S.O, o BIOS continua provendo muitas informações e executando tarefas indispensáveis para o funcionamento do sistema. Ex.: ativar outros chips como o BIOS da placa de vídeo; funções para acessar o HD, etc. Fabricantes: AMI, Award, Phoenix,etc. (para atualizar o BIOS é preciso conhecer o fabricante e o chipset da placa- mãe). A nomenclatura BIOS é um nome genérico, podendo ser interpretado como “tudo que está na ROM do micro”. Existem periféricos, como a placa de vídeo, que também tem mem. ROM. Assim temos o “BIOS da placa de vídeo.”

58 POST POST Um autoteste feito sempre que ligamos o micro. ◦ O post executa as seguintes rotinas:  Identifica e “exibe” a configuração do sistema instalada;  Testa a memória; o teclado;  Inicializa todos os circuitos periféricos de apoio (chipset) da placa mãe, inicializa o vídeo;  Entrega o controle do microprocessador ao S.O; Após o autoteste ele faz o boot (carrega o S.O do HD para a memória); Os dados do POST são mostrados durante a inicialização (aquela tabela que aparece antes do carregamento do S.O, indicando a quant. de mem. instalada, assim como o HD, drive de disquete, etc. instalados no micro).

59 Mensagens de erro do POST A função do Post é verificar se tudo está funcionando corretamente. Caso seja detectado algum problema em um componente vital para o funcionamento do sistema, como as memórias, processador ou placa de vídeo, o sistema emitirá uma certa seqüência de bips sonoros, alertando sobre o problema ou na forma de mensagens na tela quando o problema for menor, por exemplo, falhas do disco rígido.

60 Setup Programa de configuração do hardware. Através dele o usuário pode, se preferir, alterar a velocidade de operação das memórias, o modo de funcionamento dos disco rígido, ativar/desativar algum recurso, etc. Uma configuração errada do setup pode tornar o sistema até 70% mais lento do que com uma configuração otimizada.

61

62 Memória de Acesso Aleatório, do inglês Random Access Memory. É usada pelo processador para armazenar os dados que estão sendo processados; É uma memória de Escrita e Leitura; Dinâmica; A memória RAM é capaz de responder às solicitações do processador numa velocidade muito alta. É volátil, ou seja, todos os dados são perdidos quando desligamos o computador. RAM

63 Memória RAM (Random-Access Memory): Se o micro possui pouca memória RAM, o processador terá que usar o disco rígido para guardar os dados que deveriam ser armazenados na memória, tornando o sistema extremamente lento. É possível notar que é preciso instalar mais memória quando o micro começar a ficar lento e a acessar intermitentemente o disco rígido em momentos de atividade mais intensa. Os micros atuais podem vir com 2 GB, 4 GB, 8 GB de memória RAM.

64

65 Memória Cache Como o processador consegue ser mais rápido que a memória RAM, ao trocar informações com a RAM os processadores antigos (ex.: 286) tinham de esperar que a RAM estivesse pronta para receber novo dados. Isso diminuía o desempenho do computador! Solução foi a utilização de uma quantidade de memória RAM de alto desempenho como intermediária na leitura e escrita de dados da memória RAM. Ex.: bibliotecário

66 Hierarquia de Memória

67 Os sistemas operacionais atuais permitem ao processador usar o Disco Rígido para gravar dados caso a memória RAM se esgote, recurso chamado de memória virtual. Utilizando este recurso, mesmo que a memória RAM esteja completamente ocupada, o programa será executado, porém mais lentamente, devido à lentidão do disco rígido. Memória Virtual foi criada porque, obrigatoriamente, um programa necessita passar pela memória principal para ser executado, e como quase sempre não é possível ter RAM suficiente para executar todo o programa da memória, é necessário executar esse programa em partes.


Carregar ppt "Conceitos Básicos twitter.com/erionmonteiro Informática para concursos – Aula 1 Prof. Erion."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google