A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Dr. Antonio Onimaru Consultor Técnico SAS/DAE/CGUE/MS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Dr. Antonio Onimaru Consultor Técnico SAS/DAE/CGUE/MS."— Transcrição da apresentação:

1 Dr. Antonio Onimaru Consultor Técnico SAS/DAE/CGUE/MS

2 A Administração de Conflitos consiste exatamente na escolha e implementação das estratégias mais adequadas para se lidar com cada tipo de situação.

3 Lidar com o conflito consiste em trabalhar com grupos e tentar romper alguns estereótipos vigentes na organização. Criar tarefas a serem executadas em conjunto por grupos diferentes é uma forma de garantir que seu cumprimento seja reconhecido pelo trabalho dos grupos. Mediador: mobiliza as partes em conflito para um acordo. Ajuda as partes envolvidas a discutir e resolver as situações de conflito. Facilitador do processo.

4 A solução de conflitos ocorre mediante 3 estratégias: Há a repressão das reações emocionais e a procura de outros caminhos, ou mesmo o abandono da situação. Deixam dúvidas e medos acerca do mesmo tipo de situação no futuro. Protelar a situação, até que a situação se resfria. Resulta em sentimentos de insatisfação e insegurança acerca do futuro. Evitar Adiar

5 Confronto com as situações e pessoas em conflito. Subdivide-se em: Inclui o uso da força física e outras punições. Caracteriza-se pelo comportamento agressivo. Há um vencedor e um vencido. Conseqüências: hostilidade, angústia, e ferimentos. Enfrentar Estratégia de Poder

6 Objetivo consiste em resolver o conflito, com uma solução que satisfaça a ambos os envolvidos. Caracteriza-se pelo comportamento assertivo: defesa dos próprios direitos e opiniões, sem apelar para a violência ou desrespeito ao outro. Fornece maior quantidade de conseqüências positivas. Estratégia de Negociação

7 Competição: busca satisfação dos interesses, tenta convencer a outra parte, leva a outra parte a aceitar a culpa. Colaboração: contempla os interesses das partes envolvidas, busca resultado benéfico para ambas. Acomodação: tende a apaziguar a situação, chegando a colocar as necessidades e interesses da outra parte acima dos seus (fuga). Caracteriza-se pelo comportamento submisso. Estilos de Administração de Conflitos

8 Compromisso: uma das partes do conflito desiste de alguns pontos ou itens, levando a distribuir os resultados entre ambas as partes. Estilos de Administração de Conflitos

9 1. Identificar o problema Determinar a natureza do conflito. Saber se as pessoas envolvidas estão conscientes do problema e dispostas a buscar a solução. 2. Analisar e escolher a melhor solução Transformar o negativo em positivo, diversidade de idéias, respeito às características individuais, conciliar os opostos. Etapas de uma Administração de Conflitos

10 3. Colocar em prática 4. Avaliar os resultados 5. Manutenção Acompanhamento e avaliação Etapas de uma Administração de Conflitos

11 Saber comunicar; Saber ouvir; Saber perguntar; Controle emocional; Colaboração; Empatia. Para a solução de um Conflito é necessário

12 1.Procure soluções, não culpados; 2.Analise a situação; 3.Mantenha um clima de RESPEITO; 4.Aperfeiçoe a habilidade de ouvir e falar; 5.Seja construtivo ao fazer uma crítica; 6.Procure a solução Ganha-ganha; 11 Sugestões para uma boa Administração de Conflitos

13 7. Aja sempre no sentido de eliminar os conflitos; 8. Evite preconceitos; 9. Mantenha a calma; 10. Quando estiver errado, RECONHEÇA; 11. Não varra os problemas para debaixo do tapete. O manejo de situações de conflito é essencial para as pessoas e as organizações como fonte geradora de mudanças, pois das tensões conflitivas, dos diferentes interesses das partes envolvidas é que nascem as oportunidades de crescimento mútuo.

14 RESILIENCIA FÍSICA “a capacidade de um material voltar ao seu estado normal depois de ter sofrido uma pressão” CIÊNCIAS HUMANAS “a capacidade de um indivíduo em possuir uma conduta sã num ambiente insano, ou seja, a capacidade do indivíduo sobrepor-se e construir-se positivamente frente as adversidades”

15 “A capacidade de responder de forma mais consistente aos desafios e dificuldades; de reagir com flexibilidade e capacidade de recuperação diante de desafios e circunstâncias desfavoráveis; ter uma atitude otimista, positiva e perseverante e mantendo um equilíbrio dinâmico durante e após os embates” José Tavares

16 Por que umas pessoas enfrentam satisfatoriamente as adversidades e outras não? … porque umas têm a atitude resiliente e outras a “atitude de vítima ?”.

17 Sete Fatores que constituem a Resiliencia! 1. A administra ç ão das emo ç ões, descrita como a habilidade de se manter calmo sob pressão.

18 Sete Fatores que constituem a Resiliencia! 2. O controle dos impulsos, compreendido como a habilidade de não agir impulsivamente e a capacidade de mediar os impulsos e as emoções.

19 Sete Fatores que constituem a Resiliencia! 3. Otimismo, a habilidade de ter a firme convicção de que as situações irão mudar quando envolvidas em adversidades e manter a firme esperança de um futuro melhor

20 Sete Fatores que constituem a Resiliencia! 4. A análise do ambiente, descrita como a habilidade de identificar precisamente as causas dos problemas e adversidades

21 Sete Fatores que constituem a Resiliencia! 5. A empatia, revelando a habilidade de ler os estados emocionais e psicológicos de outras pessoas.

22 Sete Fatores que constituem a Resiliencia! 6. Auto-eficácia, como a convicção de ser eficaz nas ações.

23 Sete Fatores que constituem a Resiliencia! 7. Alcançar Pessoas, a habilidade de se conectar a outras pessoas para viabilizar soluções para as intempéries da vida.

24 Dr. FREDERIC FLACH “Aqueles que melhor se compõem emocionalmente depois da tragédia são os que habitualmente partilham suas experiências de forma verbal uns com outros e com terapeutas compreensivos”

25 A DIFICULDADE DE SE ADAPTAR A ESSAS PEQUENAS PRESSÕES...

26 Quando a fadiga e a tensão aumentam, muitos ficam de mau humor e perdem o ânimo e a flexibilidade Um atraso de um minuto parece uma hora Um comentário descuidado fere como repreensão Um silêncio é interpretado como uma ação de ignorar

27 Tom Morris “Nenhum de nós pode fazer as coisas mais importantes sozinho. A parceria, a colaboração e a aliança são as chaves para enfrentar desafios”

28 Esteja cooperativo Se nós buscamos organizações com maior capacidade de adaptação e evolução, isto acontecerá devido às capacidades das pessoas de refletir, pensar e agir conjuntamente “. Peter Senge

29


Carregar ppt "Dr. Antonio Onimaru Consultor Técnico SAS/DAE/CGUE/MS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google