A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Ciências Humanas Professores de História Jeferson Perez Rodrigo Morais.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Ciências Humanas Professores de História Jeferson Perez Rodrigo Morais."— Transcrição da apresentação:

1 Ciências Humanas Professores de História Jeferson Perez Rodrigo Morais

2 Eixo I – Domínio de linguagens H21 – Identificar o papel dos meios de comunicação na construção da vida social. QUESTÃO Analise atentamente o cartaz de propaganda veiculado na década de 1960 e leia o texto que faz parte de tal cartaz:

3

4 Relacionando as informações anteriores com o contexto histórico, pode-se afirmar que a propaganda a) revela que, a partir da segunda metade do século XX, as mulheres conquistaram plenamente sua autonomia política e financeira e se tornaram parte importante do mercado consumidor. b) ressalta a luta das mulheres para conquistar maior liberdade e participação na sociedade ao mostrar as diferentes funções que uma mulher poderia realizar. c) reforça o estereótipo de "rainha do lar" para as mulheres e de "provedor" para os homens, num contexto de desenvolvimento da indústria automobilística. d) aponta para o desenvolvimento da indústria automobilística e revela a equidade entre homens e mulheres ao criticar os estereótipos sexistas. e) reforça os estereótipos sexistas, apesar de as mulheres já possuírem igualdade de direitos desde a conquista do direito ao voto.

5 Eixo IV – Capacidade de argumentação H14 – Comparar diferentes pontos de vista, presentes em textos analíticos e interpretativos, sobre situação ou fatos de natureza histórico- geográfica acerca das instituições sociais, políticas e econômicas.

6 QUESTÃO "De uma hora para outra, a antiga cidade desapareceu e outra surgiu como se fosse obtida por uma mutação de teatro. Havia mesmo na coisa muito de cenografia." Lima Barreto. Os Bruzundangas, em Obras de Lima Barreto. São Paulo: Brasiliense, 1956, p Na imagem, charge satirizando as políticas públicas realizadas no Brasil no começo do século XX.

7 A alternativa mais condizente com análise das informações anteriores a respeito do Brasil, no começo do século XX, é: a) As políticas públicas sanitaristas da época visavam a beneficiar apenas a elite carioca, por isso a população mais carente se rebelou no intuito de também ser favorecida pelas ações governamentais. b) A campanha de vacinação obrigatória contra a varíola causou grande descontentamento na população, provocando inclusive um importante movimento de contestação, que ficou conhecido como Revolta da Vacina. c) As reformas urbanas do Rio de Janeiro e as políticas sanitaristas transformaram profundamente a vida da população carioca, causando inclusive enfrentamento entre populares e as forças do Estado brasileiro. d) Nos cortiços cariocas, imperavam a insalubridade e as epidemias de doenças tropicais, gerando a necessidade de intervenção pública. e) As reformas urbanas de Pereira Passos colaboraram para o embelezamento e para a efetiva ocupação territorial no Rio de Janeiro, promovendo a ampliação das favelas e o surgimento dos subúrbios.

8 Eixo IV – Capacidade de argumentação H14 – Comparar diferentes pontos de vista, presentes em textos analíticos e interpretativos, sobre situação ou fatos de natureza histórico- geográfica acerca das instituições sociais, políticas e econômicas.

9 QUESTÃO Agora chega à Espanha este grande tesouro das Índias, ordenando Deus que uns reinos sirvam a outros, enviem sua riqueza e participem de seu governo, para o bem de uns e outros (...). Há, pois, nas Índias Ocidentais grande quantidade de minas (...) de todos os metais: cobre, ferro, chumbo, estanho, mercúrio, ouro e prata. Entre as diversas regiões das Índias, são os reinos do Peru os mais abundantes em metais (...); existem em tamanha quantidade que cada dia se descobrem novas minas (...). Joseph de Acosta, Historia Natural y Moral de las Índias, 1590.

10 Pois o Brasil, e não todo ele, senão três capitanias, que são a de Pernambuco, a de Tamaracá e da Paraíba, (...) e somente neste espaço de terra, sem adjutório de nação estrangeira, nem de outra parte, lavram e tiram os portugueses das entranhas delas, à custa de seu trabalho e indústria, tanto açúcar que basta para carregar, todos os anos, cento e trinta ou cento e quarenta naus, de que muitas delas são de grandíssimo porte, sem Sua Majestade gastar (...) um só vintém (...). Ambrósio Fernandes Brandão, Diálogo das Grandezas do Brasil, 1618.

11 A partir desses textos e dos conhecimentos históricos sobre o início dos sistemas de colonização da América pela Espanha e por Portugal, conclui-se que: a) A abundância de prata e de ouro garantiu o progresso da manufatura na Espanha, enquanto Portugal perdeu os lucros obtidos com comércio de pau- brasil devido à concorrência antilhana. b) Ambos implementaram o regime de porto único e de monopólio comercial, visando à apropriação das riquezas naturais das colônias. c) Ambos se basearam nos princípios mercantilistas, embora a Espanha desenvolvesse a agricultura, e Portugal, o metalismo. d) Enquanto os espanhóis desenvolveram a exploração de metais, os portugueses concentraram-se na produção de açúcar. e) Enquanto a Espanha explorou a mão de obra escrava africana nas minas, Portugal utilizou o trabalho compulsório dos índios.

12 Eixo I – Domínio de linguagens H1 – Interpretar historicamente e/ou geograficamente fontes documentais acerca de aspectos da cultura

13 QUESTÃO "A introversão do índio, em contraste com a extroversão do negro da África, pode-se verificar a qualquer momento no fácil laboratório que, para experiências desse gênero, é o Brasil. Contrastando-se o comportamento de populações negroides como a baiana — alegre, expansiva, sociável, loquaz — com outras menos influenciadas pelo sangue negro e mais pelo indígena — a piauiense, a paraibana ou mesmo a pernambucana — tem-se a impressão de povos diversos. Populações tristonhas, caladas, sonsas e até sorumbáticas, as do extremo Nordeste, principalmente nos sertões; sem a alegria comunicativa dos baianos; sem aquela sua petulância às vezes irritante. Mas também sem a sua graça, a sua espontaneidade, a sua cortesia, o seu riso bom e contagioso. Na Bahia tem-se a impressão de que todo dia é dia de festa. Festa de igreja brasileira com folha de canela, bolo, foguete, namoro.(...)

14 No caso dos negros, comparados com os indígenas do Brasil, pode-se talvez atribuir parte de sua superioridade de eficiência econômica e eugênica ao regime alimentar mais equilibrado e rico que o dos outros, povos ainda nômades, sem agricultura regular nem criação de gado. Devendo-se acrescentar que vários dos mais característicos valores nutritivos dos negros — pelo menos os vegetais — acompanharam-nos à América, concorrendo para o processo como que de africanização aqui sofrido por brancos e indígenas; e amaciando para os africanos os efeitos perturbadores da transplantação. Uma vez no Brasil, os negros tornaram-se, em certo sentido, verdadeiros donos da terra: dominaram a cozinha." FREYRE, Gilberto. Casa-Grande & Senzala. 34a edição. Rio de Janeiro: Editora Record, 1998.

15 A partir das informações anteriores a respeito da participação de negros e de índios na história do Brasil, conclui-se que: a)o autor reforça a importância econômica do tráfico de escravos negros com destino à América para a Coroa portuguesa. b) Gilberto Freyre aponta o caráter introspectivo do indígena como um fator que impediu a sua utilização no trabalho compulsório. c) as informações reforçam a importância do negro para a economia colonial e defende sua superioridade em relação ao indígena devido a fatores psíquicos e biológicos. d) o autor defende a superioridade dos negros em relação aos índios devido a características físicas e condena as ações portuguesas em relação aos povos africanos. e) Gilberto Freyre condena a prática da escravidão promovida pelos portugueses e ressalta os malefícios causados aos nativos e aos negros africanos decorrentes dessa prática.

16 III- Enfrentamento e resolução de situações problema H8 – Analisar a ação dos estados nacionais no que se refere à dinâmica dos fluxos populacionais e no enfrentamento de problemas de ordem econômico-sociais

17 Questão O Mercantilismo pode ser definido como um conjunto de práticas e doutrinas econômicas adotadas pelo Estado absolutista, na Idade Moderna, com o objetivo de obter e acumular riqueza.

18 Partindo do princípio de que a riqueza de uma nação era determinada pela quantidade de metais preciosos mantidos dentro de seu território, os estados absolutos desse período a)proibiam as atividades manufatureiras e desviavam os capitais assim liberados para o desenvolvimento de frotas comerciais. b)criavam cooperativas multinacionais para dividir os custos de empreendimentos, como a colonização de áreas periféricas. c)estimulavam a livre iniciativa, submetendo as atividades econômicas rurais e urbanas ao monopólio estatal. d)utilizavam políticas intervencionistas para regular o funcionamento da economia e obter uma balança comercial favorável. e)estabeleciam a lei da oferta e da procura para garantir a livre concorrência e eliminar os entraves ao desenvolvimento comercial.

19 I – Domínio de linguagens H 11 – Identificar registros de práticas de grupos sociais no tempo e no espaço

20 Questão

21 Essa charge é obra de um artista francês anônimo, produzida no século XVIII, tematizando o contexto da Revolução Francesa. Nessa cena, a composição das personagens e de outros símbolos evoca a a)pressão sobre o Terceiro Estado para o pagamento de mais impostos, traduzida pelo homem que se encontra esmagado pela pedra. b)superioridade do Primeiro Estado em relação ao Segundo, expressa por meio da posição ocupada pelas personagens na gravura. c)promessa dos jacobinos em punir a desigualdade entre os Estados, simbolizada pela vestimenta das personagens. d)permanência, após a Revolução, dos privilégios do clero e da nobreza, retratados nos dois sujeitos que se encontram sobre a pedra. e)posição privilegiada do Exército na Era Napoleônica, representada pelo soldado posicionado em cima da pedra.

22 IV – Capacidade de argumentação H9 - Comparar o significado histórico geográfico das organizações políticas e socioeconômicas em escala local, regional e mundial

23 Questão

24 Apesar de personificarem ideologias diametralmente opostas e de se engalfinharem numa luta de vida e de morte durante a Segunda Guerra Mundial, o Nazismo de Hitler e o Comunismo soviético apresentavam, na organização política, na condução do poder e na relação Estado-sociedade, algumas semelhanças importantes, dentre elas a)o monopartidarismo e o Liberalismo econômico. b)o racismo e o respeito pela liberdade de expressão e de pensamento. c)o Totalitarismo e o uso intensivo da propaganda. d)o antimarxismo e o controle severo sobre os meios de comunicação. e)o culto ao chefe e o Nacionalismo exaltado.

25 III – Enfrentamento e resolução de situações problema H8 Analisar a ação dos estados nacionais no que se refere à dinâmica dos fluxos populacionais e no enfrentamento de problemas de ordem econômico-social

26 Questão

27 Esse gráfico refere-se à(ao) a)distribuição de recursos financeiros e militares estadunidenses aos países europeus, objetivando efetivar a Iniciativa de Defesa Estratégica. b)fluxo de comércio internacional entre os Estados europeus com economia globalizada. c)interesse dos EUA em fortalecer a ordem capitalista nos países aliados e em punir os derrotados na Segunda Guerra Mundial. d)ajuda financeira efetuada pelos EUA aos países da Europa, o que possibilitou uma recuperação econômica desses países impedindo a expansão do Socialismo no continente. e)nova ordem monetária criada pelo Tratado de Maastrich (1992), que definiu os investimentos necessários para a criação da moeda da União Europeia.


Carregar ppt "Ciências Humanas Professores de História Jeferson Perez Rodrigo Morais."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google