A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

BCC201 Introdução à Programação

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "BCC201 Introdução à Programação"— Transcrição da apresentação:

1 BCC201 Introdução à Programação
Prof. Reinaldo Fortes 2014/2

2 Agenda Como um programa é criado? Compilação por linha de comando
Introdução à linguagem C

3 Como um programa é criado?

4 Como um programa é criado?
Quando queremos digitar um documento, recorremos a um editor de textos Word, OpenOffice, etc. Para criarmos uma imagem, recorremos a um editor de imagens Paint, Gimp, etc. Para criarmos planilhas, recorremos a um editor de planilhas eletrônicas Excel, Calc, etc. E para criarmos um programa?

5 Como um programa é criado?
Programas são arquivos de texto simples Então poderíamos usar qualquer editor de textos simples; Porém, existem editores específicos. Para criarmos um programas criamos um código-fonte Contém as instruções do programa na linguagem de programações escolhida; A extensão é “.c”.

6 Como um programa é criado?
C é uma linguagem de programação de alto nível Nos permite escrever programas usando notação semelhante a que usamos para nos comunicar. Porém, sabemos que o computador usa o sistema binário (0, 1); Torna-se necessário “traduzir” nosso programa depois de pronto para que o computador possa executá-lo.

7 Como um programa é criado?
Este processo de tradução é chamado de compilação Durante a compilação, também é verificado se o código-fonte possui erros de sintaxe ou semântica Os comandos estão escritos de forma correta? A estrutura dos comandos está de acordo com o exigido pela linguagem? Erros de lógica não são verificados – o algoritmo é por sua conta!

8 Como um programa é criado?
O programa que realiza a compilação é o compilador Diferentes compiladores para diferentes linguagens. Depois do processo de compilação, é gerado o programa-objeto Este é o programa traduzido para a linguagem de máquina; Utiliza a extensão “.o”.

9 Como um programa é criado?
Programas frequentemente utilizam rotinas e estruturas definidas em códigos-fonte (chamados bibliotecas) separados. O processo de ligação adiciona estes códigos-fonte “emprestados” ao programa- objeto; O programa que faz a ligação é chamado ligador ou linkeador O arquivo resultante é o programa-executável; Geralmente, usa a extensão “.exe” (no windows).

10 Processo de criação de um programa

11 Como um programa é criado?
Vamos primeiro aprender a editar nossos programas Ou seja, criar arquivos fonte. Qualquer editor simples serve para criarmos nossos arquivos Porém, existem editores específicos para programação, que são mais úteis. No Windows, podemos usar o Notepad++ No Ubuntu, podemos usar o Gedit.

12 Como um programa é criado?
Uma vez selecionado um editor, digitamos as instruções que desejamos Ou seja, o corpo do programa; Salvamos o arquivo com a extensão .c O editor vai “colorir” nosso programa, ressaltando as instruções da linguagem, de forma a melhorar a organização.

13 Vamos padronizar nossas aulas
Salvem como SeuNome_Lab01_Exe01.c Todos os programas feitos nas aulas práticas devem obedecer esta nomenclatura [SeuNome]_Lab[número da aula]_Exe[número do exercício].c Lembrem-se de onde salvaram o arquivo!

14 Processo de criação de um programa
Teste Digite os comandos a seguir no código que você criou em um editor.

15 Processo de criação de um programa
Agora que criamos nosso primeiro código- fonte, vamos compilá-lo e ligá-lo; Não precisamos criar nossos próprios compiladores e ligadores Podemos escolher entre vários Utilizaremos o GCC.

16 Processo de criação de um programa
Usaremos a interface de linha de comando para compilarmos nossos programas O que significa que não utilizaremos ambientes de desenvolvimento integrado, ou IDEs Code::Blocks; MS Visual Studio; Etc. No Ubuntu, usamos o terminal; No Windows, usamos o Prompt ou o MSYS, que simula o terminal do Linux, juntamente com o MinGW.

17 MinGW Minimalist GNU for Windows
Fornece um conjunto de programação Open Source; Grátis Tutorial sobre a instalação:

18 GNU GNU é um sistema operacional tipo Unix, idealizado por Richard Stallman; De onde veio este nome? GNU is Not Unix (GNU Não é Unix).

19 GCC O mesmo criador do GNU, criou um compilador de linguagem C, chamado GCC GNU C Compiler. Com o tempo, ganhou suporte a outras linguagens, e com isso o significado da sigla mudou GNU Compiler Collection.

20 MinGW Resumindo, MinGW é um GNU que roda em Windows
E tem o GCC, que usaremos como compilador. Nos laboratórios também temos o sistema operacional Ubuntu Que também possui o GCC instalado, basta acessar o terminal. O uso do GCC no Windows e Ubuntu é igual O aluno escolhe qual vai usar.

21 Como Compilar com o GCC? No terminal, acesse a pasta onde está seu código-fonte, usando o comando cd: cd pasta1/pasta2/pasta3 A barra “/” significa que uma pasta está dentro da outra Neste exemplo, pasta3 está dentro de pasta2 que está dentro de pasta1. Para verificar o conteúdo de uma pasta, utilize o comando ls: ls

22 Como Compilar com o GCC? Uma vez na pasta correta, digite o seguinte comando: gcc arquivo.c –o programa -Wall Neste exemplo, substitua o nome “arquivo” pelo nome do seu arquivo. Substitua também o nome programa pelo nome que você desejar. O “-o” significa que o programa compilado se chamará programa; O “-Wall” significa que pedimos que sejam mostrados todos os erros e avisos de compilação.

23 Como Compilar com o GCC? Se o seu programa não apresentar erros, nenhuma mensagem será apresentada pelo compilador Você já pode executar seu programa. Caso contrário, o compilador tentará te avisar onde está o erro do seu programa Será necessário corrigir o erro em seu código fonte e compilá-lo novamente.

24 Como Compilar com o GCC?

25 Como Compilar com o GCC? O compilador tenta indicar em qual linha está o erro, e qual é o tipo de erro. Neste exemplo, o erro está na linha 4, e se refere à falta de ponto e vírgula.

26 Como Compilar com o GCC? Toda vez que alterarmos nossos códigos, não podemos nos esquecer de salvar antes de compilar Senão, estaremos compilando uma versão antiga de nossos programas, que não refletem as alterações realizadas.

27 Como Executar um Programa?
Uma vez compilado, seu programa pode ser executado pelo próprio terminal Basta digitar ./ antes do nome do programa; ./programa Por enquanto, nossos programas não terão janelas, mouse e etc. Eles serão executados dentro do próprio terminal.

28 Compilando e Executando

29 Compilando e Executando
Lembram do arquivo SeuNome_Lab01_Exe01.c? Vamos compilá-lo e executá-lo! gcc arquivo.c –o lab01_exe01 –Wall ./lab01_exe01 Veja que agora o “programa” tem um nome específico para facilitar a identificação.

30 Compilando e Executando
Abra o windows explorer (windows) e acesse a pasta que contém seu programa Verifique a existência dos arquivos “.c”, “.o” e do executável; Dê um duplo clique no ícone do arquivo “.exe” O que aconteceu? No Ubuntu, abra a Pasta Pessoal, e acesse a pasta que contém seu programa Verifique a existência do arquivo “.c” e do executável;

31 Tipos de Erros Quando compilamos um programa e encontramos erros, dizemos que houve erro em tempo de compilação; Porém, frequentemente o código é compilado perfeitamente e quando o executamos acontece algum erro O chamado erro em tempo de execução; Geralmente são erros de lógica, e não de programação em si. Obviamente, o compilador só detecta erros em tempo de compilação. Atenção, programas com erros de compilação são zerados em exercícios e provas.

32 Introdução à Linguagem C

33 Introdução ao C Durante a década de 60, os computadores ainda estavam em um estágio de desenvolvimento Surgiam várias linguagens de programação; Duas das mais utilizadas eram ALGOL e FORTRAN. Em 1963, surge a linguagem CPL (Combined Programming Language) mais ampla que ALGOL e FORTRAN, contudo, mais difícil.

34 Introdução ao C Em 1967, foi desenvolvida a linguagem BCPL (Basic Combined Programming Language), uma versão simplificada da CPL Criada originalmente para construir compiladores; Ainda assim possuía muitos conceitos. Em 1970, Ken Thompson criou a linguagem B BCPL- “supérfluos”; Era um pequeno subconjunto da BCPL, e era muito limitado.

35 Ken Thompson e Dennis Ritchie
Introdução ao C Em 1971, Dennis Ritchie desenvolvia uma “nova linguagem B”, que, em 1973 seria batizada de linguagem C. Ken Thompson e Dennis Ritchie

36 Introdução ao C Algumas Curiosidades:
C foi desenvolvido para ajudar a desenvolver o sistema operacional Unix No qual baseia-se o sistema operacional Linux. Existem pouquíssimas arquiteturas que não possuam compiladores para a linguagem C; Existe a linguagem D Outras linguagens baseadas em C são C++, C#, Python, Perl, PHP e Go (em desenvolvimento pelo Google).

37 Introdução ao C Este é o esqueleto do programa mais básico em C;
main é uma função Porção de código com objetivo específico; Esta é a função principal; Todos programas têm; A execução do programa sempre começa por ela.

38 Introdução ao C int significa que a função retornará um número inteiro; Os símbolos ( e ) indicam quais são os dados enviados para a função Chamados parâmetros. Os símbolos { e } delimitam o escopo da função Tudo que está entre { e } pertence à função.

39 Introdução ao C Criem um novo código-fonte e o salvem seguindo a nomenclatura utilizada; Digitem o esqueleto básico de um programa em C; Compilem e executem; O que aconteceu?

40 Introdução ao C Agora, troquem o nome da função main por qualquer outro nome; Compilem e executem; O que aconteceu?

41 Introdução ao C Abram o arquivo chamado Lab1Exe1.c criado anteriormente; Substituam a frase “Bem vindo à Linguagem C” por seu nome completo; Compilem e executem.

42 Partes de um Código-Fonte
Diretiva de Compilação Uma diretiva de compilação avisa ao compilador que transformações devem ser realizadas no código; Sempre começam com ‘#’; Não terminam com ‘;’; Neste caso específico, diz ao compilador que instruções da biblioteca de entrada e saída devem ser incluídas.

43 Partes de um Código-Fonte
Função Principal Como vimos, a função main é a primeira no fluxo de execução de um programa; int é o tipo da função que representa “inteiro”.

44 Partes de um Código-Fonte
Delimitadores Os símbolos ‘{’ e ‘}’ delimitam o início e fim do bloco de instruções da função.

45 Partes de um Código-Fonte
Instrução Instrução Estas são instruções (ou comandos) em C; Sempre no final existe o símbolo ‘;’, não se esqueçam Apenas em assinaturas de funções, diretivas e instruções de desvio ou repetição não se usa ‘;’.

46 Diretivas e Bibliotecas
As bibliotecas mais importantes para o curso são: stdio.h #include<stdio.h> Fluxo de dados (entrada e saída). math.h #include<math.h> Operações matemáticas Trigonométricas; Hiperbólicas; Exponenciais; Logarítmicas; Arredondamento, módulo e valor absoluto.

47 Diretivas e Bibliotecas
stdlib.h #include<stdlib.h> Biblioteca padrão que contém funções diversas. string.h #include<string.h> Contém funções de manipulação de cadeias de caracteres.

48 Indentação A indentação de um código-fonte é o formato em que as instruções estão dispostas no arquivo Ou seja, o alinhamento das instruções. Por padrão apenas a declaração de bibliotecas e constantes, o main e suas chaves ficam alinhados à esquerda Todas as outras instruções e expressões são alinhadas mais à direita 3 espaços ou tab.

49 Indentação

50 Comentários As linguagens de programação frequentemente fornecem meios para que possamos fazer “anotações” em códigos fonte, chamados comentários Elas não são instruções do programa, são “lembretes” para nós; O compilador não as leva em consideração.

51 Comentários Em C, existem duas maneiras de fazer comentários:
Comentários de uma linha são identificados pelos símbolos “//”; Comentários de mais de uma linha são identificados pelos símbolos “/*” no início do comentário e “*/” ao final do comentário.

52 Comentários - Exemplos

53 Para a janela não fechar automaticamente…

54 Perguntas?

55 FIM


Carregar ppt "BCC201 Introdução à Programação"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google