A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PHP Daniela Araújo Copyright © 2009. Daniela Araújo. Todos os direitos reservados. /

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PHP Daniela Araújo Copyright © 2009. Daniela Araújo. Todos os direitos reservados. /"— Transcrição da apresentação:

1 PHP Daniela Araújo Copyright © Daniela Araújo. Todos os direitos reservados. /

2 Introdução Instalação e configuração Programação em Web Var, constantes, tipos de dados,... Instruções Funções Arrays Manipulação de Strings PHP e BD SQL Autenticação Programação Orientada a Objeto Mail

3 Introdução a PHP

4 O que é PHP Linguagem com larga possibilidade de utilização tradicionalmente usada para desenvolvimento Web: armazena e consulta BD, processa pedidos dos usuários, cria documentos com informações apropriadas, interage com os servidores... Opera do lado servidor Funciona dentro de um documento HTML para gerar instruções específicas

5 O que é PHP Simplicidade Forma fácil de usar o BD – conectividade com vários bancos Independência de plataforma Sistema de processamento de scripts bem otimizado, para respostas rápidas Pode escolher entre utilizar programação estrutural ou programação orientada a objeto, ou ainda uma mistura deles.

6 Módulos/Ferramentas Conectividade com BD (MySQL, Oracle, Informix, PostgreSQL, Sybase,..., ou qualquer que suporte ODBC) XML (separa conteúdo de apresentação) IMAP e SMTP são suportados PDF e PostScript usando API SNMP (instalar biblioteca)...

7 Plataformas Unix – Apache (como módulo) e demais servidores Web NT – IIS, PWS, Omni, Xitami, Apache

8 Referências Tutoriais - e categoria=phphttp://www.phpbuilder.com categoria=php Aplicativo de carrinho de compras – Repositório –

9 CGI - Common Gateway Interface Foi a mais comum das tecnologias Web do lado do servidor. Pode ser escrito em praticamente qualquer linguagem, a mais popular é Perl. Os servidores Web que implementam CGI funcionam como meio de comunicação entre a requisição do usuário e os dados solicitados. Sempre que uma requisição é recebida pelo servidor Web, um novo processo por inteiro é criado.

10 CGI E quando um grande número de solicitações é recebido simultaneamente? Os recursos seriam fortemente exigidos, podendo travar o servidor. Servidor Web CGI Var. ambiente Programa Processo 2 Var. ambiente Programa Processo 1 Var. ambiente Programa Processo 3

11 Interpretador CGI x Módulo Apache Melhor desempenho que CGI, alguns recursos só disponíveis como módulo e maior segurança. CGI, mais difícil travar o servidor Web, usuários diferentes executam scripts (Apache-nobody). PHP configurado como um interpretador CGIPHP compilado como um módulo Apache Módulo PHP Módulo PHP Servidor Web Servidor Web Processamento 1 Processamento 2

12 O que acontece com as páginas PHP Bom dia, Lucas. Bom dia, Lucas. Requisição HTTP Obtém a página Interpreta o código Resposta do servidor O navegador cria a página

13 O que o sistema PHP pode fazer e o que HTML não pode? Como o servidor Web lida com as páginas? HTML puro é interpretado pelo navegador, mas não é executada pelo servidor. Facilitar a edição do conteúdo, usando BD Personalizar páginas para cada usuário Exibir e atualizar BD, desenvolvendo aplicações Obter dados dos usuários e retornar informações para o mesmo conforme a entrada. Além de muito mais...

14 Instalação e configuração

15 Orientações para instalação do Servidor Web Apache, com PHP e módulo MySQL: Existem pacotes com scripts prontos para instalação de todas estas ferramentas, alguns exemplos em: vers/Installation_Kits/ vers/Installation_Kits/ Pacotes: XAMPP, WAMP, PHPTriad,...

16 Servidor Web - Apache Instale o servidor Web. Usamos o Apache. Download em  HTTTP Server (http://httpd.apache.org/)http://www.apache.orghttp://httpd.apache.org/ Escolha uma das versões, por exemplo 2, clique em download Escolha Win32 Binary ( MSI Installer ), observe a versão desejada. ( Ex: apache_2.0.8-win32-x86- no_ssl.msi ) Execute o arquivo. Coloque o domínio, o nome da máquina, do administrador, para quem ( para todos, na porta 80, como serviço ), instalação típica, no diretório indicado.

17 PHP Instale o PHP (http://www.php.net)  downloads  Windows Binaries  PHP installerhttp://www.php.netPHP installer Veja a documentação  Instalação em sistemas Windows  Apache 2.0.x no Microsoft Windows. Instalando como um módulo do Apache Insira estas linhas no arquivo Apache Group\Apache\conf\httpd.conf Continua...

18 PHP PHP e Apache 2.0 como Módulo # Para o PHP 5 faça algo assim: LoadModule php5_module "c:/php/php5apache2.dll" AddType application/x-httpd-php.php # configure o caminho para o arquivo php.ini PHPIniDir "C:/php"

19 Instalação e configuração TODOS OS ARQUIVOS WEB DEVEM FICAR NO DIRETÓRIO HTDOCS DO APACHE (versão do Windows) ou no diretório correspondente.

20 Instalação e configuração Como fazer para a página padrão ser index.php? Configure o arquivo Apache Group\Apache\conf\httpd.conf DirectoryIndex index.php index.html index.htm Após tudo configurado: Reinicie o servidor Web.

21 Programação em Web

22 Como escrever uma página PHP PHP escrevendo texto simples.

23 Como escrever uma página PHP PHP escrevendo HTML

24 PHP e o código do lado do cliente PHP escrevendo HTML com JavaScript

25 Primeira página Crie um novo arquivo chamado primeira.php e coloque-o em seu diretório root do seu servidor web com o seguinte conteúdo: Use o seu navegador para acessar o arquivo pelo endereço de seu servidor web, ao final do endereço coloque o arquivo "/primeira.php“ ex:

26 Primeira página Neste exemplo nós usamos. Você pode usar o PHP em qualquer parte do seu código HTML, e também pode usar várias tags de abertura e fechamento no mesmo arquivo.

27 Phpinfo() Crie um novo arquivo chamado info.php e coloque-o em seu diretório root do seu servidor web com o seguinte conteúdo: Verá todas as informações sobre seu sistema e configurações disponíveis como a de variáveis pré-definidas e módulos carregados pelo PHP.

28 Variáveis

29 Processamento de dados de formulário Get (URL) Padrão ? separa a localização dos dados chave=valor & separa pares chave=valor + substitui espaço Post (corpo) Mais dados podem ser passados

30 Processamento de dados de formulário Get (URL) $_GET[‘nomedoelemento’] Post (corpo) $_POST[‘nomedoelemento’] Get, Post ou Cookies $_REQUEST[‘nomedoelemento’]

31 Processamento de dados de formulário 1º arquivo, com formulário que chama a ação: Digite o seu nome: formulario.php

32 Processamento de dados de formulário 2º arquivo, a ação, que processa os dados recebidos (enviados, neste caso, pelo formulário) : processeform.php

33 Processamento de dados de formulário Identifique o método usado através da variável $_SERVER['REQUEST_METHOD'] :

34 Processamento de dados de formulário Variáveis externas não são mais registradas no escopo global por padrão. Em outras palavras, com o PHP » a diretiva register_globals está desligada por padrão no arquivo php.ini. O método utilizado atualmente é o de acessar estes valores via arrays auto-globais.register_globals

35 Como comentar código // e # em uma linha de código, comentando o resto da linha /* e */ múltiplas linhas OBS: são comentários HTML!!

36 Para escrever grandes blocos de texto, sair do modo de interpretação do PHP é geralmente mais eficiente do que enviar todo o texto através de echo() ou print(). Ex: Isto é verdadeiro. Isto é falso.

37 Var, constantes, tipos de dados,...

38 Var, constantes e tipos de dados Tipos de dados integer, double/float, string e boolean Array, object NULL Identificadores diferenciam maiúsculas e minúsculas (funções internas e estruturas não diferenciam) A variável é considerada null se:null ela foi assimilada com a constante NULL. ela ainda não recebeu nenhum valor ainda. ela foi apagada com unset().unset()

39 Constantes define(“amarelo”, “#FFFF00”); define(“version”, 3); Certo echo(“Amarelo hexa é”. amarelo); Errado echo(“Amarelo hexa é amarelo”);

40 Variáveis O tipo de uma variável geralmente não é definido pelo programador: isto é decidido em tempo de execução pelo PHP, dependendo do contexto no qual a variável é usada.

41 Variáveis Conversões de variáveis $a = 1;// é inteiro $a = 1.2;// agora é um double $a = “1”;// agora é uma string

42 Variáveis Type casting $a = 11.2; // double $a = (int) $a;// integer 11 $a = (double) $a;// double 11.0 $a = (string) $a;// string “11”

43 Variáveis Formulários HTML não passam inteiros, floats ou booleans, eles passam strings. Para descobrir se uma string é numérica, você pode usar is_numeric().is_numeric()

44 Variáveis Convertendo para boolean (bool) 1 Quando convertendo para booleano, os seguintes valores são considerados FALSE: o próprio booleano FALSE o inteiro 0 (zero) o ponto flutuante 0.0 (zero) uma string vazia e a string "0" um array sem elementos o tipo especial NULL (incluindo variáveis não definidas) É considerado TRUE qualquer valor não zero, negativo ou positivo.

45 Variáveis Strings Não é problema para uma string ser bastante longa. PHP não impõe limite de tamanho de uma string; o único limite é o de memória disponível do computador no qual o PHP está sendo executado.

46 Variáveis pré-definidas Superglobais — Superglobais são variáveis nativas que estão sempre disponíveis em todos escopos Superglobais $GLOBALS — Referencia todas variáveis disponíveis no escopo global $GLOBALS $_SERVER — Informação do servidor e ambiente de execução $_SERVER $_GET — HTTP GET variáveis $_GET $_POST — HTTP POST variables $_POST $_FILES — HTTP File Upload variáveis $_FILES $_REQUEST — Variáveis de requisição HTTP $_REQUEST $_SESSION — Variáveis de sessão $_SESSION $_ENV — Environment variables $_ENV $_COOKIE — HTTP Cookies $_COOKIE $php_errormsg — A mensagem de erro anterior $php_errormsg $HTTP_RAW_POST_DATA — Informação não-tratada do POST $HTTP_RAW_POST_DATA $http_response_header — Cabeçalhos de resposta HTTP $http_response_header $argc — O número de argumentos passados para o script $argc $argv — Array de argumentos passados para o script $argv

47 Funções úteis para variáveis gettype(var) – Informa o tipo de dados de uma variável (integer, double, string, array, object, class, unknown type) settype(var, tipo) – Especifica explicitamente o tipo de uma variável unset() – para destruir uma variável da memória isset() – para saber se uma variável já recebeu um valor empty() – para saber se uma variável foi especificada, ou valor zero ou string vazia.

48 Operadores (alguns) Aritméticos +, -, *, /, % Atribuição $x = 1; Comparação ==,, =, !=, <> === (se iguais e se são do mesmo tipo) Lógicos &&, and, ||, or, xor, ! Mais detalhes

49 Supressão de erro (complemento) O é usado para suprimir a informação de erros oriundos de funções internas. print (5/0) Warning: Division by zero in...arquivo.php on line (5/0) ou

50 Supressão de erro (complemento) Se o recurso track_errors estiver habilitado, qualquer mensagem de erro gerada pela expressão será gravada na variável $php_errormsg. Esta variável será sobrescrita em cada erro, verifique-a constantemente. O funciona somente em expressões. Uma regra simples para lembrar disso: se você pode pegar o valor de alguma coisa, você pode prefixar isso com Assim, você pode prefixar chamadas de variáveis, funções e include()s, constantes e afins. Você não pode prefixar definições de funções ou classe, estruturas condicionais como o if, foreach e assim por diante.

51 Operadores de incremento/decremento Pré-incremento: ++$a Incrementa $a em um, e então retorna $a. Pós-incremento: $a++ Retorna $a, e então incrementa $a em um. Pré-decremento: --$a Decrementa $a em um, e então retorna $a. Pós-decremento: $a– Retorna $a, e então decrementa $a em um.

52 Concatenação de strings Ponto (.) Iguais: echo($dia. “/”. $mes. “/”. $ano); echo(“$dia / $mes / $ano”); Uso: $data = $dia. “/”. $mes. “/”. $ano;

53 Concatenação de strings Ponto (.) Operador de atribuição de concatenação ('.=').=

54 Inclusão de arquivos Include – avalia e executa código do arquivo externo (ou require) Tempo de execução Este arquivo pode conter códigos em HTML, PHP, JavaScritp...

55 Inclusão de arquivos Include_once (ou require_once): seu comportamento é similar a instrução include(), a não ser que o arquivo informado já tenha sido incluído, não refazendo a operação novamente. Como o nome sugere, ele será incluído apenas uma vez. include_once() pode ser utilizado nos casos em que o mesmo arquivo pode acabar sendo incluído mais de uma vez durante a execução de um script em particular, quando na verdade ele só pode ser incluído apenas uma para evitar problemas com redefinições de funções, alterações nos valores de variáveis, etc.

56 Instruções

57 If if (condição) { //comandos; } else { //comandos; } ou if (condição) { //comandos; } elseif [else if] (condição) { //comandos; } else { //comandos; }

58 If if ($pais == “ca”): echo (“Canada”); : elseif ($pais == “de”): echo (“Alemanha”); else: // tem que ser “us” echo (“Estados Unidos”); endif;

59 If Canada Alemanha Estados Unidos

60 Switch switch ($pais) { case “ca”: echo (“Canada”); break; case “de”: echo (“Alemanha”); break; default: echo (“Estados Unidos”); }

61 While while (condição) { //instruções; } Ou while (expressao): instrucoes... endwhile;

62 do... while o loop irá executar pelo menos uma vez. do { // instrução } while (condição);

63 For for (expr1; expr2; expr3){ instrucoes } A primeira expressão (expr1) é executada uma vez incondicionalmente no começo do loop. No começo de cada iteração, expr2 é avaliada. Se ela é avaliada como TRUE, o loop continua e os comandos aninhados são executados. Se é avaliada como FALSE, a execução do 'loop' termina. No fim de cada iteração, expr3 é executada.

64 For for ($i = 1; $i < 11 ; ++$i) { echo (“$i \n”); // escreve de 1 a 10 } for ($i = 1; my_function($i) !=“error” ; ++$i) { // fazer algo com $i até retornar um erro. }

65 Sair de uma página PHP Exit – para toda a execução e sai da mesma. Não escreve mais o documento, mesmo em HTML, JS ou PHP. if (my_function($i) == “error”) { echo(“ Ocorreu um erro \n”. “Nao e possivel terminar de carregar o documento. \n”); exit; }

66 Funções

67 O PHP reserva todos os nomes de funções começando com __, portanto é recomendável que você não utilize nome de funções começando com __ no PHP.

68 Funções function cube($num) { return $num * $num * $num; }.... echo (cube(6)); // escreve 216 Valor retornado pela função

69 Funções - valor function print_double($n) { $n = $n * 2; echo ($n); } $a = 5; echo (“$a \n”); // 5 print_double($a); // 10 echo($a);// 5 Argumentos por valor Variável do parâmetro dentro da função recebe uma cópia do valor que lhe é passado. Se o valor mudar, não afetará o valor da variável na instrução chamada.

70 Funções - referência function raise(&$salary, $percent) { $salary += $salary * $percent/100; } $sal = 5000; echo (“Antes do aumento $sal \n”); // 5000 raise($sal, 4); echo (“Depois do aumento $sal \n”); // 5200 Argumentos por referência As mudanças na variável do parâmetro alteram a variável da instrução chamadora.

71 Funções – referência cuidados function raise(&$salary, $percent) { $salary += $salary * $percent/100; } $sal = 5000; echo (“Antes do aumento $sal \n”); // 5000 raise(5000, 4); // ERRO!! Não pode passar argumento por ref. echo (“Depois do aumento $sal \n”); // 5200 Argumento por referência tem que ser uma variável. Não um literal, nem uma constante.

72 Funções - padrão function novalinha($l=1) { //escreve $l vezes for ($i = 0; $i < $l; ++$i){ echo(“ \n”); } echo(“linha 1”); novalinha(); //escreve uma vez echo(“linha 1”); novalinha(2); //escreve duas vezes Argumento opcional

73 Funções – ordem do padrão function raise ($percent = 4, &$salary) { $salary += $salary * $percent/100; } $sal = 5000; echo (“Antes do aumento $sal \n”); // 5000 raise($sal); echo (“Depois do aumento $sal \n”); // 5200 ERRO Interpreta $sal(ou $percent) como sendo o primeiro parâmetro recebido. Argumentos opcionais devem ficar no final.

74 Abrangência O escopo de uma variável determina que partes do programa tem acesso a ela. $posicao = “m”; function change_pos(){ $posicao = “b”; } change_pos(); echo (“$posicao”); // escreve “m” Alcance global, acessada e alterada por qualquer código no script que esteja dentro de uma função. Alcance local, é uma variável diferente de $posicao que aparece fora da função.

75 Abrangência Instrução global $posicao = “m”; function change_pos(){ global posicao; $posicao = “b”; } change_pos(); echo (“$posicao”); // escreve “b” Para acessar uma variável Global de dentro de uma função

76 Tempo de vida Quando queremos que uma variável local de uma função retenha seu valor entre uma chamada da função e outra. function contador(){ static $conte = 0; // na 1ª será criada e inicializada ++$conte; } Se o usuário recarregar a página a variável reinicializa de novo.

77 Arrays

78 Cada elemento de um mesmo array pode se de qualquer tipo de dado, independente dos outros elementos. Default: índice 0. $paises[0] “ca” $paises[1] “us” $paises[2] “fr” $paises[3] “it” $paises[4] “br”

79 Inicialização de arrays $paises[]=“ca”; $paises[]=“us”; $paises[]=“fr”; $paises[0]=“ca”; $paises[1]=“us”; $paises[2]=“fr”; Iguais, se nenhum outro elemento já tiver sido colocado no array

80 Inicialização de arrays $paises[50]=“ca”; $paises[20]=“us”; $paises[10]=“fr”; $paises[]=“br”; // índice igual a 51 echo (“$paises[20]”); // escreve us echo (count ($paises)); // escreve 4

81 Inicialização de arrays Construtor array $paises = array (“ca”, “us”, “fr”); Operador de índice específico => $paises = array(1 => “ca”, “us”, “fr”); ou $paises = array( “ca”, 7 => “us”, “fr”);

82 Arrays indexados sequencialmentes $paises = array (“ca”, “us”, “fr”); $num_elements = count ($paises); for ($i = 0; $i < $num_elements; ++$i){ echo (“$paises[$i] \n”); }

83 Arrays indexados não sequencialmente $paises[50]=“ca”; $paises[20]=“us”; $paises[10]=“fr”; $paises[]=“br”; // índice 51 $key = key ($paises); // 50 $value = current ($paises); // ca echo (“Elemento $key igual a $value”); O elemento atual o primeiro, pois o array acaba de ser criado

84 Algumas funções reset ($paises); // Aponta p/ o 1º elemento while (list ($indice, $valor) = each ($paises)) { echo (“Element $key igual a $value \n”); } /* para cada chave do array faça $key igual a chave do elemento e $value igual ao valor do elemento. A função each avança o ponteiro do array cada vez que é chamada. */

85 Algumas funções foreach (expressao_array as $valor) instrucoes varre uma dada matriz dada por expressao_array. Em cada 'loop', o valor do elemento corrente é atribuído a $valor e o ponteiro interno da matriz é avançado em uma posição (assim, no próxima iteração você estará olhando para o próximo elemento)

86 Algumas funções next() e prev(), move o cursor para o próximo ou o anterior e recebe o valor do array como retorno.

87 Algumas funções array_walk(), percorre um array e aplica uma função para cada membro. function println($s) { echo (“$s \n”); } $paises = array (“ca”, “us”, “fr”, “it”); array_walk ($paises, println);

88 Arrays indexados com string $paises[“ca”]=“Canada”; $paises[“us”]=“Estados Unidos”; $paises[“fr”]=“Franca”; echo (“$paises[“ca”]”); //Canada

89 Funções de classificação sort(); ordena o array pelo valor e altera os índice para acompanhar a ordem. Troca índices string por numéricos!!! asort(); semelhante ao sort() mas não perde o índice de string, somente o ordena. rsort(); sort() de ordem reversa. arsort(), asort() de ordem reversa. ksort(), ordena pelo índice e não pelo valor. krsort(), ksort() de ordem reversa. unsort(), reorganiza os elementos ao acaso.

90 Funções de classificação range(x, y); cria um array com o escopo dos índices passados como parâmetros. cria um array de 1 a 100: $paises = range(1, 100)

91 Manipulação de Strings

92 Funções básicas de string substr() string substr (string origem, int começo, int [comprimento]); retorna uma parte de uma string e recebe três argumentos. Começo, é por onde começa a retornar a string, onde a primeira posição é zero. Se negativo, contará de trás para frente. Se o comprimento for negativo, a string terminará com esse número de caracteres contados a partir do final.

93 Funções básicas de string echo (substr(“Daniela”, 4)); // ela echo (substr(“Daniela”, 2, 3)); // nie echo (substr(“Daniela”, -3, -1)); // el echo (substr(“Daniela”, 0, -1)); //Daniel DANIELA

94 Funções básicas de string string str_replace ( mixed $search, mixed $replace, mixed $subject [, int &$count ] )mixed Esta função retorna uma string ou um array com todas as ocorrências de search em subject substituidas com a o valor dado para replace.

95 Funções básicas de string

96 Funções básicas de string string strstr ( string $entrada, mixed $procurada [, bool $before_needle ] ) Retorna parte da string entrada a partir da primeira ocorrência de produrada até o final de entrada. Esta função diferencia maiúsculas e minúsculas. Para pesquisas que não diferenciem, use stristr().stristr() Se você quer somente determinar se um específica procurada existe em entrada, use a função mais rápida e que usa menos memória ao invés, strpos().strpos()

97 Funções básicas de string

98 Funções básicas de string trim() – elimina os caracteres de espaços em branco (espaços, tab, novas linhas) do início e do final. echo (trim(“ Exemplo trim ”)); // exibirá ‘Exemplo trim’ ltrim() – elimina brancos no inicio chop() – elimina brancos no final

99 Funções básicas de string chr() – recebe um inteiro que representa um código ASCII e retorna o caractere correspondente. echo (chr(34)); // exibirá o sinal aspas ” strlen() – retorna o número de caracteres de uma string.

100 PHP e BD SQL

101 Com um BD na retaguarda do site, o site atingirá um nível mais avançado de complexidade e flexibilidade. 3 níveis Cliente Web Servidor Web Servidor de BD

102 Insert com MySQL mysql_connect(“localhost”, “usuario", “senha”) or die(“Falha na conexão”); mysql_select_db(“nomebanco”) or die(“Falha ao selecionar o banco”); $sql = “ Insert into clientes (nome, endereco, telefone) values (‘$nome’, ‘$endereco’, ‘$tel’) ; $resultado = mysql_query($sql); // Para testar se falhou: if (!$resultado){ die("Problema na gravação!"); } else { echo("Gravado com sucesso!"); }

103 Update com MySQL mysql_connect(“localhost”, “usuario", “senha”) or die(“Falha na conexão”); mysql_select_db(“nomebanco”) or die(“Falha ao selecionar o banco”); $sql = “Update clientes set nome=‘$nome’, telefone=‘$tel’ where cod=$codigo”; $resultado = mysql_query($sql); // Para testar se falhou: if (!$resultado){ die("Problema na alteração!"); } else { echo(“Alterado com sucesso!"); }

104 Delete com MySQL mysql_connect(“localhost”, “usuario", “senha”) or die(“Falha na conexão”); mysql_select_db(“nomebanco”) or die(“Falha ao selecionar o banco”); $sql = “Delete from clientes where cod=$codigo”; $resultado = mysql_query($sql); // Para testar se falhou: if (!$resultado){ die("Problema na exclusão!"); } else { echo(“Excluído com sucesso!"); }

105 Select com MySQL mysql_connect(“localhost”, “usuario", “senha”) or die(“Falha na conexão”); mysql_select_db(“nomebanco”) or die(“Falha ao selecionar o banco”); $sql = “SELECT * from clientes”; $resultado = mysql_query($sql); for($i = 0; $i < mysql_num_rows($resultado); $i++){ $registro = mysql_fetch_row($resultado); ?> Nome Telefone

106 Comandos phpMySql Conexão int mysql_connect (string [nomehost[:porta][:/caminho_soquete]], string [nomedousuario], string [senha]); $link = mysql_connect ($host, $user, $password); Conexão persistente mysql_pconnect(($host, $user, $password) Cria uma conexão persistente, deve ser usada em aplicações PHP onde, por um período de tempo curto é feito um grande nº de conexões com o servidor MySQL usando o mesmo usuário e senha. Fecha a conexão mysql_close() Link identificador, ou 0 (falso)

107 Comandos phpMySql Seleciona um BD como ativo int mysql_select_db(string nome_bd, int [link_identificador]); mysql_select_db($database); Envia SQL para execução no servidor int mysql_query(string consulta, int [link_identificador]); $result = mysql_query($query); Retorna o nº de erro da última operação, e a mensagem int mysql_errno(int [link_identificador]); string mysql_error(int [link_identificador]);

108 Comandos phpMySql O número de campos em um resultado int mysql_num_fields( int identificador_resultado ); $i < mysql_num_fields($result) O nome de um campo em um BD string mysql_field_name( int identificador, int indice_campo ); echo(mysql_field_name($result, $i)); Retorna o número de linhas do resultado do SQL int mysql_num_rows(int indentificador_resultado); $i < myslq_num_rows($db_table)

109 Comandos phpMySql Armazena a linha como um array e move o ponteiro array mysql_fetch_row( int identificador_resultado ); $registro = mysql_fetch_row($result); Obtém uma linha como uma matriz associativa, uma matriz numérica, ou ambas e move o ponteiro array mysql_fetch_array ( resource $result [, int $result_type ] ) $registro = mysql_fetch_array($result);

110 Outros comandos phpMySql mysql_insert_id() Obtém o ID gerado pela operação INSERT anterior (para auto_increment) mysql_affected_rows($link_identifier) Obtém o número de linhas atingidas pela consulta INSERT, UPDATE, REPLACE ou DELETE mais recente associada ao link_identifier

111 Outros comandos phpMySql mysql_create_db($novobanco) Cria um novo banco de dados mysql_drop_db($nomebanco) Exclui um banco de dados mysql_list_tables($nomebanco) Lista o nome de todas as tabelas de um BD mysql_list_dbs($link) Nomes dos bancos de dados disponíveis

112 Autenticação

113 Tela de login Login Senha

114 Logar.php

115 Logar.php if ( $contagem != 1 ) { header("Location: sempermissao.php"); } else { $registro = mysql_fetch_row($resultado); //criando uma sessão session_start(); $_SESSION[‘autentica’] = $registro[0]; $_SESSION[‘autentica’] = $registro[0]; header("Location: compermissao.php"); } ?>

116 Sempermissao.php

117 Compermissao.php ...

118 Logoff

119 Programação Orientada a Objeto (complemento)

120 Programação Orientada a Objeto Mesmo sem todos os recursos da POO (Programação Orientada a Objetos) implementados no PHP 4, muitas bibliotecas de código e grandes aplicações (incluindo a biblioteca PEAR) são escritas somente em código POO. O PHP 5 corrige as fraquezas da POO do PHP 4, e introduz um modelo de objetos completo. No PHP 5 há um novo Modelo de Objeto. O tratamento de objetos do PHP foi completamente reescrito, permitindo uma melhor performance e mais vantagens.

121 Programação Orientada a Objeto Permite usar um código comum em diversos scripts Classe é um modelo de um objeto. Propriedade e métodos, descrevem um objeto e o que ele é capaz de fazer. Os objetos criados por um modelo de classe são denominados INSTÂNCIAS.

122 Definindo um classe

123 Definindo um classe items[$artnr] += $num; } // Retira a quantidade $num de artigos $artnr do carrinho function remove_item($artnr, $num) { if ($this->items[$artnr] > $num) { $this->items[$artnr] -= $num; return true; } elseif ($this->items[$artnr] == $num) { unset($this->items[$artnr]); return true; } else { return false; } } } ?>

124 Construtor Para inicializar variáveis com valores não constantes, você precisará de uma função de inicialização chamada automaticamente quando o objeto for construído a partir da classe. Por isso, essa função é conhecida como construtor.

125 Construtor data_de_hoje = date("Y-m-d"); $this->nome = $GLOBALS['primeiro_nome']; /* etc... */ } } ?>

126 Construtor (php5) class ClasseBase { function __construct() { print "No construtor da ClasseBase "; } } class SubClasse extends ClasseBase { function __construct() { parent::__construct(); print "No construtor da SubClasse "; } } $obj = new ClasseBase(); $obj = new SubClasse(); ?>

127 Destrutor (php5) void __destruct ( void ) PHP 5 introduz um conceito de destrutor similar ao de outras linguagens orientadas a objeto, como o Java. O método destrutor será chamado assim que todas as referências a um objeto particular forem removidas ou quando o objeto for explicitamente destruído ou qualquer ordem na sequência de encerramento.

128 Destrutor (php5) "; $this->name = "MinhaClasseDestruivel"; } function __destruct() { print "Destruindo ". $this->name. " "; } } $obj = new MinhaClasseDestruivel(); ?>

129 Instanciação Classes são tipos, ou seja, são apenas um modelo das variáveis normais. Você pode criar uma variável (ou instância) do tipo desejado com o operador new.

130 Instanciação add_item("10", 1); $outro_carrinho = new CarrinhoDeCom pras; $outro_carrinho->add_item("0815", 3); ?>

131 Extends Permite classes com variáveis e funções similares a uma outra classe. De fato, é uma boa prática definir classes genéricas que podem ser utilizadas em todos os seus projetos, e adaptar essas classes com as necessidades específicas de cada projeto. Para facilitar isso, classes podem ser extensões de outras classes. A classe estendida ou derivada tem todas as variáveis e funções da classe base (chamado herança) e mais aquelas que venha a acrescentar na versão estendida. Uma classe estendida é sempre dependente de uma única classe base, e portanto, herança múltipla não é suportada.

132 Extends proprietario = $name; } } ?>

133 Extends set_proprietario("kris"); print $ncart->proprietario; $ncart- >add_item("10", 1); // (funcionalidade he rdade do CarrinhoDeCompras) ?>

134 Visibilidade A visibilidade de uma propriedade ou método pode ser definida prefixando a declaração com as palavras-chave: 'public','protected' ou 'private'. Itens declarados como public podem ser acessados por todo mundo. Protected limita o acesso a classes herdadas (e para a classe que define o item). Private limita a visibilidade para apenas a classe que define o item.

135 Visibilidade dos membros publica; echo $this->protegida; echo $this->privada; } } $obj = new MinhaClasse(); echo $obj->publica; // Funciona echo $obj->protegida; // Erro Fatal echo $obj->privada; // Erro Fatal $obj->imprimeAlo(); // Mostra Public, Protected e Private...

136 Visibilidade dos membros /*** Define MinhaClasse2 */ class MinhaClasse2 extends MinhaClasse { // Podemos redeclarar as propriedades públicas e protegidas mas não as privadas protected $protegida = 'Protected2'; function imprimeAlo() { echo $this->publica; echo $this->protegida; echo $this->privada; } } $obj2 = new MinhaClasse2(); echo $obj2->publica; // Works echo $obj2->privada; // Undefined echo $obj2->protegida; // Fatal Error $obj2->imprimeAlo(); // Mostra Public, Protected2, Undefined ?>

137 Visibilidade dos Métodos Métodos de classe devem ser definidos com public, private, ou protected. Métodos sem qualquer declaração são definidas como public.

138 Visibilidade dos Métodos MeuPublico(); $this->MeuProtegido(); $this->MeuPrivado(); } } $minhaclasse = new MinhaClasse; $minhaclasse->MeuPublico(); // Funciona $minhaclasse->MeuProtegido(); // Erro Fatal $minhaclasse->MeuPrivado(); // Erro Fatal $minhaclasse->Foo(); // Public, Protected e Private funcionam

139 Visibilidade dos Métodos /*** Define MinhaClasse2 */ class MinhaClasse2 extends MinhaClasse { // Esse é public function Foo2() { $this->MeuPublico(); $this->MeuProtegido(); $this->MeuPrivado(); // Erro Fatal } } $minhaclasse2 = new MinhaClasse2; $minhaclasse2->MeuPublico(); // Funciona $minhaclasse2->Foo2(); // Public e Protected funcionam, Private não

140 Visibilidade dos Métodos class Bar { public function test() { $this->testPrivate(); $this->testPublic(); } public function testPublic() { echo "Bar::testPublic\n"; } private function testPrivate() { echo "Bar::testPrivate\n"; } } class Foo extends Bar { public function testPublic() { echo "Foo::testPublic\n"; } private function testPrivate() { echo "Foo::testPrivate\n"; } } $myFoo = new foo(); $myFoo->test(); // Bar::testPrivate // Foo::testPublic ?>

141 Operador de Resolução de Escopo (::) Dois pontos duplo é um token que permite acesso a métodos ou membros estáticos, constantes, e sobrecarregados de uma classe. estáticosconstantes Quando referenciando esses itens de fora da definição da classe, você usa o nome da classe.

142 Operador de Resolução de Escopo (::) De fora da definição da classe

143 Operador de Resolução de Escopo (::) De dentro da definição da classe

144 Operador de Resolução de Escopo (::) Quando uma subclasse sobrecarrega a definição de um método do pai, php não chamará o método pai. Fica a cargo da subclasse chamar o método pai ou não. Chamando um método pai minhaFuncao(); ?>

145 Mail (complemento)

146 Mail bool mail ( string $to, string $subject, string $message [, string $additional_headers [, string $additional_parameters ]] ) $to Receptor, ou receptores do . O formato desta string precisa estar de acordo com » RFC Alguns exemplos:» RFC User, Another User

147 Mail bool mail ( string $to, string $subject, string $message [, string $additional_headers [, string $additional_parameters ]] ) $subject Assunto do a ser enviado. Não deve conter caractere de nova linha, ou o pode não ser enviado corretamente.

148 Mail bool mail ( string $to, string $subject, string $message [, string $additional_headers [, string $additional_parameters ]] ) $message Mensagem a ser enviada. Cada linha deve ser separada com um LF (\n). Linhas não deve ser maiores que 70 caracteres.

149 Mail bool mail ( string $to, string $subject, string $message [, string $additional_headers [, string $additional_parameters ]] ) $additional_headers (opcional) String a ser inserida no final do cabeçalho do . Esta é normalmente usada para adicionar cabeçalhos extras (From, Cc, e Bcc). Múltiplos cabeçalhos extra devem ser separados com um CRLF (\r\n).

150 Mail bool mail ( string $to, string $subject, string $message [, string $additional_headers [, string $additional_parameters ]] ) $additional_parameters (opcional) pode ser usado para passar um parâmetro adicional para o programa configurado para usa quando enviando usando a configuração sendmail_path.

151 Mail - exemplo Aniversariantes Aniversariantes do mês! Pessoa Dia João 3rd Pedro 17th ';

152 Mail - exemplo // To send HTML mail, the Content-type header must be set $headers = 'MIME-Version: 1.0'. "\r\n"; $headers.= 'Content-type: text/html; charset=iso '. "\r\n"; // Additional headers $headers.= 'To: Mari, Ana '. "\r\n"; $headers.= 'From: RH '. "\r\n"; $headers.= 'Cc: "\r\n"; $headers.= 'Bcc: "\r\n"; // enviando o mail($to, $subject, $message, $headers); ?>

Apresentações semelhantes


Anúncios Google