A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

TIPOS DE SISTEMAS São usados isoladamente (somente uma estação) ou em rede. Possuem interface gráfica (telas) conforme o desenvolvedor do sistema.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "TIPOS DE SISTEMAS São usados isoladamente (somente uma estação) ou em rede. Possuem interface gráfica (telas) conforme o desenvolvedor do sistema."— Transcrição da apresentação:

1

2

3 TIPOS DE SISTEMAS São usados isoladamente (somente uma estação) ou em rede. Possuem interface gráfica (telas) conforme o desenvolvedor do sistema.

4 TIPOS DE SISTEMAS São usados isoladamente (somente uma estação) ou em rede. Geralmente possuem interação com a Internet. Possuem interface gráfica (telas) conforme os “browsers”. Ponta GrossaSão Paulo

5

6 Exemplo de sistema WEB

7 TIPOS DE SISTEMAS São usados, geralmente, em trabalho de coleta de dados. Podem ser integrados a outros sistemas.

8 EXEMPLOS DE USO DE SISTEMAS PORTÁTEIS

9 TIPOS DE SISTEMAS Desktop Web Portátil

10 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 10 Conceitos - Datawarehouse Data warehouse Suporta ferramentas de relatório e consultas Armazena dados atuais e históricos Consolida dados para análise da administração e tomada de decisão

11 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 11 Conceitos - Datawarehouse

12 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 12 Conceitos - Datamart Data mart Subconjunto de um data warehouse Contém uma porção resumida ou específica de dados para uso de um departamento ou grupo de usuários específico

13 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 13 Conceitos - Datamining Datamining Ferramentas para analisar grandes repositórios de dados Encontra padrões ocultos e infere regras para prever o comportamento futuro

14 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 14 Conceitos – Datawarehouse, Datamart e Datamining Benefícios dos Data Warehouses: Acesso mais fácil e eficaz às informações Capacidade de modelar e remodelar os dados

15 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 15 OLAP Processamento analítico on-line (OLAP) Análise multidimensional de dados Permite a manipulação e a análise de grandes volumes de dados a partir de várias dimensões/perspectivas

16 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 16 OLAP Consulta tradicional a B.D.: “Quantas unidades do produto 403 foram expedidas em Novembro de 2001?” OLAP: “Compare as vendas do produto 403 com o planejado, por trimestre e por região de vendas, nos dois últimos anos.”

17 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 17 OLAP Modelo multidimensional de dados

18 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 18 OLAP Quantas arruelas foram vendidas na região leste em Junho? E no mês anterior? E em Junho do ano anterior? E na região Oeste?

19 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 19 OLAP - Produtos OLAP WebFocus –“Information Builders anuncia a chegada do WebFocus 5.pdf” –“WebFocus - Na escolha está o ganho.pdf” Qlikview –http://www.qliktech.com

20 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 20 OLAP Os usuários precisam ter uma boa idéia da informação que estão procurando.

21 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 21 Datamining Mineração de Dados é mais orientada por descoberta. Fornece percepções dos dados corporativos que não podem ser obtidas com o OLAP.

22 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 22 Datamining – relembrando... Utiliza variedade de técnicas para descobrir modelos e relações ocultas em grandes repositórios de dados e, a partir daí, inferir regras para prever comportamento futuro e orientar a tomada de decisões [Hirji, 2001].

23 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 23 Datamining – American Express Analisa dados de centenas de bilhões de compras por cartão de crédito para criar campanhas de marketing um-a-um. Juntamente com as faturas de seus cartões de crédito, os clientes recebem mensagens personalizadas promovendo bens e serviços pelos quais eles demonstraram interesse. Mais exemplos em Laudon&Laudon, “Sistemas de Informação Gerenciais”, págs. 241 e 243 (“A Lousie´s Trattoria retorna com Datamining”).

24 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 24 Datamining – Tipos de Informação Associações Seqüência Classificação Aglomeração Prognósticos Laudon&Laudon, “Sistemas de Informação Gerenciais”, pág. 360.

25 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 25 Datamining - Produtos Visual Insights (Lucent Technologies) Pontos: itens comprados em um supermercado. Linhas que os interligam: ligações entre diferentes itens de compra, como biscoito e leite.

26 Conceito BI Negócios Inteligentes Sistema de geração de informações executivas que se utiliza de Data Warehouse próprio, permitindo a elaboração de consultas gerenciais na base de dados estruturada existente, através de gráficos e indicadores.

27 Conceito O termo "Business Inteligence (BI)", pode ser traduzido como "Inteligência de negócios", refere-se ao processo de coleta, organização, análise, compartilhamento e monitoração de informações que oferecem suporte a gestão de negócios. Processo de Coleta, análise e distribuição de dados; Baseado em Ferramentas de Extração de Dados; Facilidade de Uso; Levar informações a um número maior de usuários; Banco de Dados Multi-Dimensionais ( Cubos - OLAP).

28 História Uma referência anterior a inteligência, mas não relacionada aos negócios, ocorreu em Sun Tzu – A Arte da Guerra. Sun Tzu fala em seu livro que para suceder na guerra, a pessoa deve deter todo o conhecimento de suas fraquezas e virtudes, além de todo o conhecimento das fraquezas e virtudes do inimigo. A falta deste conhecimento pode resultar na derrota. coleta de informações; discernimento de testes padrão e o significado dos dados (gerando informação); respondendo à informação resultante.

29 Processo Organizacional As organizações tipicamente recolhem informações com a finalidade de avaliar o ambiente empresarial, completando estas informações com pesquisas de marketing, industriais e de mercado, além de análises competitivas. Organizações competitivas acumulam "inteligência" à medida que ganham sustentação na sua vantagem competitiva, podendo considerar tal inteligência como o aspecto central para competir em alguns mercados. Geralmente, os coletores de BI obtêm as primeiras fontes de informação dentro das suas empresas. Cada fonte ajuda quem tem que decidir a entender como o poderá fazer da forma mais correta possível. As segundas fontes de informação incluem as necessidades do consumidor, processo de decisão do cliente, pressões competitivas, condições industriais relevantes, aspectos econômicos e tecnológicos e tendências culturais. Cada sistema de BI determina uma meta específica, tendo por base o objetivo organizacional ou a visão da empresa, existindo em ambos objetivos, sejam eles de longo ou curto prazo.

30 Tecnologia de BI Alguns observadores consideram que o processo de BI realça os dados dentro da informação e também dentro do conhecimento. Pessoas envolvidas em processos de BI podem usar softwares ou outras tecnologias para obter, guardar, analisar, provendo acesso aos dados, seja ele simples ou de muito uso. O software "cura" a performance de gerenciamento do negócio e ajuda no alvo das pessoas tomarem as melhores decisões pela exatidão, atuais e relevantes com as informações viáveis a quem quiser quando for necessário.

31 Designando e Implementando BI Quando é implementado um programa de BI deve-se relacionar as questões e suas possíveis decisões, tal como: Questões de alinhamento de metas: é o primeiro passo para eterminar propostas de curto e médio prazos do programa. Questões de base: coleta de informações de competência atual e suas necessidades. Custos e Riscos: as consequências financeiras da nova iniciativa de BI devem ser estimadas. Cliente e "stakeholder": determina quem serão os beneficiados da iniciativa e quem pagará por ela.

32 Designando e Implementando BI Métricas relacionadas: estes requerimentos de informações devem ser operacionalizadas com clareza e definidas por parâmetros métricos. Mensuração Metodológica: deve ser estabelecido um método ou procedimento para determinar a melhor ou aceitável maneira de medir os requerimentos métricos. Resultados relacionados: alguém deve ser o monitor do programa de BI para assegurar que osobjetivos estão ocorrendo. Ajustes no programa podem ser necessários. O programa deve ser testado pela eficácia, rentabilidade e validade.

33 Ferramentas de BI Algumas ferramentas utilizadas: Data Base Marketing; CRM – Customer Relationship Management; Data Mining – Mineração de Dados; Data Warehouse Data Marts Balanced Scorecard ou Sistemas Desenvolvidos Especificamente para as Empresas por Softwares-House.

34 Benefícios Antecipar mudanças no mercado; Antecipar ações dos competidores; Descobrir novos ou potenciais competidores; Aprender com os sucessos e as falhas dos outros; Conhecer melhor suas possíveis aquisições ou parceiros; Conhecer sobre política, legislação ou mudanças regulamentais que possam afetar o seu negócio; Conhecer novas tecnologias,produtos ou processos que tenham impacto no seu negócio; Entrar em novos negócios; Rever suas próprias práticas de negócio; Auxiliar na implementação de novas ferramentas gerenciais.

35 Modelo de Tela Sistema BI

36

37

38

39

40

41 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 41 Gestão do Conhecimento “Nova Economia”: –empresas ligadas às áreas de tecnologia e também por empresas baseadas em conhecimento (Microsoft, Amazon, BioGenética) –seus valores de negociação nas bolsas de valores são muito superiores aos valores apontados pelos balanços contábeis. –Explicação: valor do seu Capital Intelectual, o conhecimento destas organizações.

42 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 42 Gestão do Conhecimento KM – Knowledge Management “O conhecimento da organização, também chamado de capital intelectual, competência, habilidade e inteligência empresarial, é reconhecido como um ativo intangível de inestimável valor.” (STEWART, 1997; SVEYBI, 1998; DAVENPORT, 1998).

43 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 43 Gestão do Conhecimento Objetivos Mostrar a importância do conhecimento, onde ele pode ser encontrado nas organizações e quais são as iniciativas para gerenciar este conhecimento.

44 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 44 Gestão do Conhecimento O conhecimento é pessoal, pertencente aos indivíduos que compõem a organização. O Conhecimento precisa ser: –Capturado –Mapeado –distribuído a todos e em todos os níveis da empresa para que efetivamente se torne uma vantagem competitiva e possibilite o crescimento e a perenidade das organizações

45 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 45 Onde podemos encontrar o Conhecimento Organizacional? A capacidade, a habilidade e o know-how técnico dos funcionários As patentes (propriedade intelectual), os processos, as tecnologias e os sistemas de gestão específicos O relacionamento com clientes e fornecedores, e as informações sobre estes A experiência e o modo de a organização fazer o que ela faz (cultura)

46 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 46 Gestão do Conhecimento O sucesso das organizações depende basicamente das decisões tomadas por seus gestores. Muitas vezes más decisões são tomadas não pela inexistência do conhecimento para se tomar decisões melhores e sim porque o conhecimento não estava disponível no tempo e lugares certos para serem utilizados.

47 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 47 Gestão do Conhecimento Desafio dos gestores de T.I.: –deixar sua posição de suporte a processos e processamento de transações –migrando para a construção de formas de distribuição do conhecimento –favorecendo o aprendizado e o acesso estruturado a idéias e experiências –transformando os Sistemas de Informação convencionais em Sistemas de Conhecimento

48 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 48 Gestão do Conhecimento As ferramentas disponíveis para a gestão do conhecimento nas empresas são os sistemas de informação que, utilizando as tecnologias emergentes e os novos modelos de construção de sistemas permitirão uma administração adequada do conhecimento.

49 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 49 Gestão do Conhecimento Sistemas de Conhecimento são capazes de: –gerenciar adequadamente a identificação de fontes internas e externas de conhecimento –Capturar: formalizar, modelar, arquivar e referenciar as fontes identificadas

50 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 50 Gestão do Conhecimento Sistemas de Conhecimento são capazes de: –distribuir permitindo o acesso, a difusão, a exploração e a interação com o usuário –atualizar, mantendo os arquivos e referências às fontes em dia com alterações ocorridas e sua relevância no contexto empresarial.

51 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 51 Gestão do Conhecimento Grupos de Conhecimento: –“como as coisas são”: descrições a respeito de pessoas, lugares e objetos facilmente verbalizado e aprendido por outras pessoas. –“como as coisas funcionam”: é o conhecimento prescritivo onde “o como fazer” é explicado passo-a- passo através de instruções minuciosas. –A junção destes dois tipos resultará, no conhecimento de senso comum, isto é, o conhecimento óbvio para todos e normalmente limitado por domínios.

52 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 52 Gestão do Conhecimento Tecnologias de Apoio Datamining OLAP SADs SAEs Inteligência Artificial Telecomunicações Recursos de Internet / Intranet

53 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 53 Gestão do conhecimento Os recursos oferecidos pelos modernos modelos de sistemas de informação enquadram-se adequadamente às necessidades da gestão do conhecimento na medida em que deixam de atender somente o processamento de transações e o workflow e passam a disseminar o conhecimento, gerado a partir da base de dados única das funções empresariais, de maneira que o acesso seja fácil, permita a pesquisa exata e rápida, possibilitando aumentar a capacidade de agir das pessoas em qualquer nível da organização.

54 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 54 Gestão do Conhecimento Aprendizagem organizacional Criação de novos procedimentos operacionais padrão e processos de negócios Gestão do conhecimento Conjunto de processos Cria, reúne, armazena, mantém e distribui conhecimento

55 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 55 Gestão do Conhecimento Executivo-chefe do conhecimento (CKO) Executivo sênior encarregado do programa de gestão de conhecimento da organização

56 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 56 Gestão do Conhecimento Conhecimento tácito Conhecimento e experiência não documentada formalmente Melhores práticas Soluções ou métodos de resolução de problemas bem-sucedidos desenvolvidos por organização ou setor específico

57 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 57 Gestão do Conhecimento Memória organizacional Aprendizagem armazenada a partir do histórico de uma organização Usado para a tomada de decisões e outros fins

58 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 58 Gestão do Conhecimento

59 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 59 Gestão do Conhecimento Compartilhamento do Conhecimento: –Groupware –Intranets e ambientes de conhecimento empresariais integrados –Portais corporativos –Teamware

60 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 60 Gestão do Conhecimento Um Portal Corporativo

61 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 61 Exemplos: Ernst & Young A E&Y possui 300 profissionais no mundo atuando em gestão do conhecimento Após implantar o SAP, por exemplo, uma equipe verifica o que foi aprendido e publica nos PowerPacks (base de conhecimento), possibilitando acelerar futuros processos de implantação do mesmo tipo de solução

62 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 62 Exemplos: Hewlett Packard Rede de especialistas HP (quem sabe o quê) Rede de resposta ao cliente da HP (24 horas) Ferramenta CBR (raciocínio baseado em casos) para disponibilizar conhecimento ao pessoal de suporte técnico do mundo todo

63 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 63 Exemplos: British Petroleum Equipe virtual : projeto iniciou-se com especialistas (escritório) conectados com plataformas petrolíferas para transferência de conhecimento tácito Videoconferência : na mesa de trabalho de 1,5 mil funcionários para troca de conhecimentos com colegas, parceiros e fornecedores Páginas Amarelas : informações sobre 10 mil profissionais

64 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 64 Shell´s Game empregados, 45 países Exploração de petróleo e gás Migrações dos empregados entre 3-4 anos Necessidade: modo de facilitar transferência de conhecimento. Software p/ facilitar grupos de discussão e soluções de problemas. Benefícios: –melhoria na comunicação, coleta e compartilhamento de informações. –Melhoria na gestão de projetos. –ROI: economia de US$ 200 million / ano

65 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 65 Inteligência Artificial

66 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 66 Inteligência Artificial O que é? Esforço para desenvolver sistemas baseados em computadores que se comportem como seres humanos.

67 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 67 Inteligência Artificial São sistemas que solucionam problemas que, normalmente, apenas pessoas especialistas conseguem resolver. Pode-se defini-los também como programas de computador que analisam situações problemáticas, ou dificuldades, em um determinado ambiente e buscam a melhor forma de eliminar tais problemas, emulando o raciocínio de um especialista e aplicando conhecimentos específicos e inferências

68 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 68 Inteligência Artificial Por que as Empresas estão interessadas em IA? –Armazena informação de maneira ativa –Cria mecanismos não sujeitos a características humanas –Elimina tarefas enfadonhas e rotineiras para pessoas –Aprimora a base de conhecimento da organização –Gera soluções para problemas específicos

69 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 69 Inteligência Artificial Família da Inteligência Artificial

70 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 70 Inteligência Artificial Sistemas Especialistas – O que é? É um ramo da Inteligência Artificial –Faz uso intensivo do conhecimento especializado para resolver problemas ao nível de um especialista humano –Programas computacionais que imitam o comportamento de especialistas humanos em algum domínio específico do conhecimento

71 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 71 Sistemas Especialistas Desenvolvimento de um Sistemas Especialista

72 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 72 Sistemas Especialistas ESPECIALISTAS HUMANOS –perecível –difícil transferir conhecimento –difícil documentar conhecimento –imprevisível –caros ESPECIALISTAS ARTIFICIAIS –permanente –fácil transferir –fácil documentar –consistente –relativamente barato (escala de produção, durabilidade) Por que não Especialistas Humanos?

73 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 73 Sistemas Especialistas ESPECIALISTAS HUMANOS –criativo –adaptativo –experiência sensorial –foco aberto –senso comum ESPECIALISTAS ARTIFICIAIS –sem inspiração –ensinado –estruturas simbólicas –foco estreito –conhecimento técnico Por que manter Especialistas Humanos?

74 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 74 Sistemas Especialistas Banco de Conhecimentos: armazena fatos, regras e padrões de situações, refletindo caminhos de raciocínio empregados pelos peritos e assim pelo S.E. na resolução de um problema específico.

75 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 75 Sistemas Especialistas Dispositivo de Inferência: capaz de tomar decisões em um dado domínio. Esse dispositivo controla o processo de invocação das regras pertencentes à solução do problema colocado para o sistema.

76 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 76 Sistemas Especialistas Linguagem: destinada a escrever as regras e estabelecer a comunicação máquina- homem. As regras também devem ser incorporadas para funcionarem como ferramentas de aquisição de conhecimentos.

77 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 77 Sistemas Especialistas Programa-base: engloba o dispositivo de inferência, o administrador de conhecimento e as interfaces de usuários. Usualmente devem refletir técnicas utilizadas para extrair conhecimento do domínio e posteriormente representá-lo no sistema.

78 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 78 Sistemas Especialistas Resolução de Problemas por Especialista Humano

79 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 79 Sistemas Especialistas Resolução de Problemas por Sistemas Especialista

80 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 80 Sistemas Especialistas Alto desempenho / Rapidez de resposta Flexibilidade Raciocínio simbólico / Explicação do Raciocínio Alta confiabilidade Respostas Estáveis, Completas, Não emocionais Características dos Sistemas Especialistas

81 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 81 Inteligência Artificial Raciocínio baseado em casos (CBR) Tecnologia de inteligência artificial Representa o conhecimento como um banco de dados de casos e soluções

82 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 82 Inteligência Artificial Raciocínio Baseado em casos

83 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 83 Inteligência Artificial Redes Neurais Hardware ou software que imita os padrões de processamento do cérebro biológico Incorpora inteligência ao hardware na forma de uma capacidade generalizada de aprender

84 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 84 Inteligência Artificial Neurônios biológicos de uma sanguessuga

85 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 85 Inteligência Artificial Rede artificial neural com dois neurônios

86 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 86 Inteligência Artificial Sistemas Híbridos Integração de várias tecnologias de IA em uma única aplicação Aproveita as melhores características das tecnologias

87 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 87 Sistemas Especialistas Exemplos: Robótica: Montagem de automóveis Sistemas de visão: sensores de presença Processador de linguagem natural: reconhecimento de voz Sistemas de aprendizado: jogos inteligentes

88 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 88 Sistemas Especialistas x Convencionais SIST. CONVENCIONAIS Processamento de Dados –representação e uso de dados –algorítmico –processos repetitivos –efetiva manipulação de grandes bases de dados SIST. ESPECIALISTAS Engenharia do Conhecimento –representação e uso de conhecimento –heurística –processos de inferência –efetiva manipulação de grandes bases de conhecimento DIFERENÇA BÁSICA: Sistemas Especialistas manipulam conhecimentoSistemas Especialistas manipulam conhecimento Programas convencionais manipulam dadosProgramas convencionais manipulam dados

89 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 89 Sistemas numa Perspectiva Funcional Sistemas (Funcionais) Específicos por Área Sistemas Integrados - ERPs

90 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 90 Sistemas Específicos de uma Área Aplicação específica e especializada para uma área Funcional da empresa. Porém podem ser usados por pessoas de outras áreas –Folha de Pagamento: apontamento de horas- extras –reserva de peças do Almoxarifado

91 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 91 Sistemas Específicos de uma Área Áreas Funcionais: –Produção –Vendas e Marketing –Finanças e Contabilidade –Recursos Humanos

92 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 92 Sistemas de Produção Departamento de Produção: –Responsável pela Produção propriamente dita (bens e serviços)

93 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 93 Sistemas de Produção Nível Operacional: –Compra e Recebimento de Matéria-prima –Faturamento / Logística –Materiais –Manutenção de Equipamentos –Controle de Qualidade

94 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 94 Sistemas de Produção Nível do Conhecimento: –CAD –Estações de Engenharia –Ferramentas de Controle Numérico –Controle Estatístico de Processo (CEP)

95 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 95 Sistemas de Produção Nível Tático: –Planejamento de Recursos de Produção –Controle de Inventário –Contabilização de Custos –Planejamento de Capacidade –Planejamento de Produção

96 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 96 Sistemas de Produção Nível Estratégico: –Localização de Plantas –Exploração de Tecnologias de Produção

97 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 97 Sistemas de Marketing e Comercial Departamento Comercial: –Venda do produto ou serviço –Contatar Clientes –Oferecer Produtos e Serviços –Fechar Pedidos –Acompanhar Vendas

98 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 98 Sistemas de Marketing e Comercial Departamento de Marketing: –Identificar clientes –Determinar o que os Clientes precisam ou querem –Desenvolver produtos ou serviços para satisfazer suas necessidades –Propaganda e Promoção

99 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 99 Sistemas de Marketing e Comercial Nível Operacional: –Entrada de Pedidos –Ponto-de-Venda (Caixa do Supermercado) –Telemarketing –Informações de Crédito

100 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 100 Sistemas de Marketing e Comercial Nível do Conhecimento: –Estações de Marketing –Identificação de novos Clientes e Mercados

101 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 101 Sistemas de Marketing e Comercial Nível Tático: –Gerenciamento de Vendas (SIG) –Estratégia de Preços (SAD) –Gestão da Equipe de Vendas –Análise de Dados de Marketing

102 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 102 Sistemas de Marketing e Comercial Nível Estratégico: –Previsão Demográfica de Mercado –Previsões Econômicas

103 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 103 Sistemas Financeiro e de Contabilidade Departamento de Finanças: –Responsável pela Administração dos Ativos Financeiros da Empresa: Dinheiro em caixa Ações, títulos Outros investimentos Visando maximizar seu Retorno –Medição de Desempenho muitas vezes por comparação com fontes externas.

104 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 104 Sistemas Financeiro e de Contabilidade Departamento de Contabilidade: –Responsável pela manutenção e gerenciamento dos registros financeiros: Recibos- Depreciação Pagamentos- Folha de Pagamento –Qual é a Situação Atual dos Ativos Financeiros? (Balanço)

105 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 105 Sistemas Financeiro e de Contabilidade Nível Operacional: –Contas a Receber e a Pagar –Livro-Razão –Folha de Pagamento

106 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 106 Sistemas Financeiro e de Contabilidade Nível do Conhecimento: –Estações de Gestão Financeira –Análise da Carteira de Investimentos da Empresa

107 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 107 Sistemas Financeiro e de Contabilidade Nível Tático: –Contabilização de Ativos fixos (Extrato de Depreciação) –Gestão de Custos –Orçamentos (Budget)

108 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 108 Sistemas Financeiro e de Contabilidade Nível Estratégico: –Análise de Mercado Financeiro e de Títulos –Previsão Econômica e Demográfica –Planejamento de Lucros

109 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 109 Sistemas de Recursos Humanos Departamento de RH: –Responsável por atrair, aperfeiçoar e manter a Força de Trabalho da empresa.

110 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 110 Sistemas de Recursos Humanos Nível Operacional: –Registros Pessoais –Histórico de Processos de Seleção –Inventário de Treinamentos e Habilidades

111 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 111 Sistemas de Recursos Humanos Nível do Conhecimento: –Plano de Carreira –Gestão de Treinamentos –Estações de Analistas de RH

112 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 112 Sistemas de Recursos Humanos Nível Tático: –Orçamento de Contratações (ManPower) –Controle de Posições –Participação nos Resultados –Análise de Remuneração (monitoramento das faixas salariais e distribuição de comissões)

113 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 113 Sistemas de Recursos Humanos Nível Estratégico: –Planejamento de Recursos Humanos –Previsão de força de Trabalho –Análises Demográficas –Planos de Sucessão

114 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 114 Sistemas Específicos de uma Área Pontos FortesPontos Fracos Bastante especializado – repleto de Funcionalidades Só atende uma Área Rapidez de Implantação Mentalidade Individualista Flexibilidade para Customizações Dificuldade de Integração

115 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 115 Sistemas Específicos de uma Área Licenciamento: –Por usuário Nomeado –Por Computador Usuário –Por usuários Simultâneos ou Concorrentes –Por CPU do Servidor (Oracle) –Ilimitado (Web)

116 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 116 Sistemas Específicos de uma Área Parâmetros para Cotação: –Quantidade de Usuários –Quantidade e Complexidade das Parametrizações –Quantidade e Complexidade das Customizações

117 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 117 Sistemas Específicos de uma Área –Necessidade de Consultoria na Implantação –Necessidade de Treinamento na Administração e/ou no Uso –Contrato de Manutenção, geralmente dá direito às (correções e) novas versões

118 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 118 Razões para Integrar S.I.s O número de empresas com sistemas de informação, o número médio de sistemas de informação em cada empresa e a complexidade de cada sistema de informação têm crescido exponencialmente!

119 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 119 Razões para Integrar S.I.s O envelhecimento de alguns sistemas de informação – principalmente no setor financeiro e administração pública – veio obrigar ao desenvolvimento de novos sistemas de informação (baseados em novas tecnologias) que na verdade são extensões aos SI existentes e que por isso devem estar particularmente bem integrados com estes.

120 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 120 Razões para Integrar S.I.s Sem a Integração, há uma Fragmentação de Dados em vários Sistemas separados causando um Impacto negativo na eficiência e no desempenho da organização.

121 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 121 Visão tradicional de sistemas

122 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 122 Razões para Integrar S.I.s Problemas encontrados quando S.I.s não são integrados: –Pessoal de vendas sem acesso on-line à situação do estoque para poder fechar pedidos. –Clientes com dificuldades para descobrir o andamento de seus pedidos. –Pessoal da produção esperando informações financeiras p/ planejar nova produção.

123 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 123 Razões para Integrar S.I.s As novas tecnologias baseadas na Internet permitiram, mas também pressionaram, a integração de sistemas de informação, quer dentro das empresas, quer entre empresas.

124 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 124 Razões para Integrar S.I.s O fato dos ERPs (pacotes integrados de gestão) não resolverem todos os problemas das empresas leva a manter outros SIs já existentes ou a desenvolver novos SIs, que devem estar integrados com o ERP.

125 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 125 Razões para Integrar S.I.s O reconhecimento dos “processos de negócio” como chave para desenhar os sistemas de informação modernos, principalmente a nível da empresa como um todo ou mesmo entre empresas, veio obrigar a redesenhar a arquitetura tecnológica dos sistemas de informação empresariais, criando novas necessidades de integração.

126 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 126 Integração de Processos de Negócios Processos de negócios transfuncionais Transcendem as fronteiras entre vendas, marketing, fabricação e pesquisa e desenvolvimento Agrupa funcionários de diferentes especialidades funcionais para completar determinada tarefa Exemplo: Processamento de pedidos

127 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 127 Integração de Processos de Negócios Este tipo de diagrama é conhecido como Swimlanes (Raias de Natação).

128 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 128 Sistemas Integrados

129 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 129 Sistemas Integrados 1.Representante de vendas registra o pedido de um cliente. 2.Dados fluem automaticamente para os demais colegas que devem tomar conhecimento. 3.A Fábrica recebe o pedido e inicia a produção.

130 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 130 Sistemas Integrados 4.O depósito verifica o progresso do pedido on-line e programa a data de expedição. 5.O almoxarifado providencia a reposição das peças retiradas pela fábrica. 6.O pessoal de atendimento ao Cliente pode acompanhar o andamento do pedido em todos os estágios do processo de fabricação.

131 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 131 Sistemas Integrados 7.Dados atualizados de vendas e produção fluem automaticamente até a Contabilidade. 8.O módulo da folha de pagamento efetua o cálculo das comissões devidas aos vendedores. 9.Cálculos automáticos de balanço patrimonial, contas a receber e a pagar, custos e caixa disponível.

132 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 132 Sistemas Integrados ERP - Enterprise Resource Planning Sistemas de Gestão Empresarial Sistema Integrado de Gestão (outra sigla SIG? Sim, cuidado...)

133 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 133 ERP - Histórico Evolução do MRP II (Manufacturing Resource Planning) (Planejamento de Recursos da Produção): “cálculo das quantidades e dos momentos em que são necessários os recursos de manufatura (materiais, pessoas, equipamentos, entre outros), para que se cumpram os programas de entrega de produtos com um mínimo de formação de estoques”

134 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 134 ERP - Conceitos Sistema composto por vários Módulos Os Módulos são Integrados Poupa a necessidade do desenvolvimento das Pontes Atendem vários Departamentos das Organizações Desenvolvidos a partir de modelos-padrão de processos – Melhores Práticas (Best Practices)

135 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 135 ERP - Conceitos Adquiridos na forma de pacotes Dão suporte à maioria das operações de uma empresa Atualizam uma mesma base de dados central Informações alimentadas em um módulo são instantaneamente disponibilizadas p/ os demais módulos que dela dependem

136 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 136 ERP - Módulos Divisão em módulos: –para que as empresas possam implementar apenas aquelas partes do sistema que sejam do seu interesse –Mesmo que a empresa deseje implementar todo o sistema, possa fazê-lo em etapas para facilitar o processo de Implantação –Facilita a compreensão do seu funcionamento –Facilita a divisão de responsabilidades entre os usuários

137 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 137 ERP - Módulos Blocos / Módulos: Financeiro: Contabilidade, Contas a pagar, Contas a receber, Fluxo de Caixa. RH: Folha de Pagamento, Gestão de Treinamentos. Operações e Logística: Ger. de Estoques, MRP, Faturamento. Vendas e Marketing: Processamento de Pedidos, Planejamento de Vendas.

138 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 138 ERP - Módulos

139 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 139 % Sistemas Específicos x ERPs

140 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 140 ERP - Características Geralmente são Sistemas Cliente-Servidor de 3- camadas. ERP = SPT + SIG + SAD + SIE Espinha-dorsal do processamento corporativo “ter um ERP será tão comum como a posse do Windows”

141 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 141 ERP - Características Geralmente têm preço bem elevado Maior Investimento >> Maior Risco Trazem embutidos a Reengenharia de Processos Causam mudanças nos processos de trabalho Visão Departamental x Visão de Processos

142 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 142 ERP - Produtos SAP – R/3 BAAN – Baan IV JDEdwards – Oneworld Oracle – Oracle Applications (Financials) Datasul – Magnus / EMS Logocenter – Logix Microsiga - Protheus

143 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 143 ERP - Fatias de Mercado

144 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 144 ERP – Evolução e Tendências

145 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 145 ERP - Benefícios Migração da Visão hierárquica e Departamental para Orientação a Processos Redução de mão-de-obra decorrente da simplificação de processos administrativos Redução de custos de manutenção de diversos sistemas dispersos e obsoletos

146 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 146 ERP - Benefícios Eliminação dos custos de transferência das informações de um sistema para outro Suporte a empresas globalizadas

147 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 147 ERP - Benefícios Estrutura e organização da empresa: Organização unificada Gerenciamento: Processos administrativos em toda a organização baseados em conhecimento Tecnologia: Plataforma unificada Negócios: Operações mais eficientes e processos de negócios orientados para o cliente

148 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 148 ERP - Desafios Implantação difícil: Requer mudanças fundamentais na maneira como a empresa opera Tecnologia: Requer softwares complexos e um grande investimento de tempo, dinheiro e capacidade técnica Coordenação e tomada de decisões organizacionais centralizadas: Nem sempre é a melhor maneira de operar uma empresa

149 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 149 ERP - Desvantagens Implantação é bastante complexa Mudanças de procedimentos de trabalho para adaptar-se às funcionalidades dos processos Necessidade de Consultoria p/ implantação Custo final: 3 a 4 vezes > custos das licenças

150 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 150 ERP - Desvantagens Lenta curva de aprendizagem: dificuldades operacionais nos primeiros meses após implementação Erros são imediatamente propagados pelo sistema: maior dificuldade para correções Resistência a mudanças

151 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 151 ERP - Desvantagens Pouca flexibilidade Dificuldades de integração com outros aplicativos Manutenção: Upgrade de um módulo pode exigir parada de todos os módulos

152 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 152 Integração de Sistemas Resumo Evita que os dados fiquem espalhados (isolados) na empresa. Necessidade de interligação entre sistemas velhos e novos. A Internet ajudou a promover a integração entre os Sistemas.

153 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 153 Integração de Sistemas Resumo Os ERPs não são perfeitos e comumente não são a única plataforma de Sistemas das empresas, com isso precisam se interligar aos demais SIs. A Orientação para Processos exigiu sistemas projetados para isso, que portanto necessitavam da Integração dos seus módulos funcionais.

154 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 154 ERP Resumo das Características São compostos de Módulos Integrados, inspirados em Processos Transfuncionais e nas Melhores Práticas. Atualizam um BD único e os dados fluem automática e instantaneamente entre os Módulos. A divisão em Módulos ajuda na implantação em Fases, na Compreensão e na divisão de Responsabilidades.

155 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 155 ERP Resumo das Características Abrangem várias Áreas Funcionais e vários níveis de Decisão. A maioria das empresas está adotando ERPs. SAP, Datasul e Microsiga são os mais vendidos no Brasil (até 2002).

156 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 156 ERP Resumo das Características Traz consigo a reengenharia de Processos. Suporta Empresas Globais. Pode provocar reduções de custos de pessoal e de manutenção das Pontes. A implantação é complexa e longa. Pode exigir uma revisão de Infra-estrutura de TI.

157 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 157 ERP Resumo das Características Geralmente há resistência à sua Implantação. A curva de aprendizagem de uso do sistema inicialmente é lenta. Baixa flexibilidade. Erros também são propagados instantaneamente pelo sistema.

158 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 158 ERP Artigos de Apoio Hammer_SAP.pdf – importância da pós- implantação, 1 página. Datasul - Confira alguns Casos de Sucesso.pdf, 6 páginas. Vale do Rio Doce estréia ERP.pdf, 3 páginas.

159 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 159 SAP R3 + Procwork Vendas Produção Integrados Qualidade Materiais e Serviços Administração de Manutenção Finanças Comércio Exterior

160 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 160 SAP R3 + Procwork Frigus

161 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 161 SAP R3 + Procwork Frigus - Comércio Exterior Automação dos processos de importação, exportação, câmbio e drawback (?). Auxilia na criação e acompanhamento de processos específicos do mercado externo, tais como: –integração total com o Siscomex –emissão dos documento aduaneiros.

162 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 162 Microsiga Empresa brasileira, 20 anos Líder no mercado de sistemas ERP/CRM para pequenas empresas

163 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 163 Microsiga ERP Administrativo/Financeiro : Ativo Fixo, Controle de Direitos Autorais, Financeiro, Contábil, Livros Fiscais e Custos. Manufatura e Distribuição e Logística : Estoque, Compras, PCP - Planejamento e Controle de Produção, Automação de Coleta de Dados, Integração com Advanced Planning System (APS-Preactor), Integração com Shop Floor Comtrol (SFC-PPI-Multitask); WMS - Gestão de Armazéns, TMS - Gestão de Transportes*, IMS - Gestão de Estoques, OMS - Gestão de Pedidos, Faturamento Tradicional.

164 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 164 Microsiga ERP Gestão de Projetos: PMS - Project Management System - Permite o gerenciamento e controle integrado de custos, prazos e do trabalho realizado, projetos de manutenção e de desenvolvimento. Recursos Humanos: Cargos e Salários, Gestão de Pessoal, Medicina e Segurança do Trabalho*, Ponto Eletrônico, Recrutamento e Seleção de Pessoal, Terminal de Consulta do Funcio­nário e Treinamento.

165 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 165 Microsiga ERP Gestão da Qualidade: Auditoria, Controle de ­Documentos, Inspeção de Entrada, Inspeção de Processos, Metrologia, Ações Corretivas/Controle de Não-Conformidades e PPAP - Processo de Aprovação de Peça de Produção. Supply-Chain: Gerenciamento de toda a cadeia de suprimentos, desde os fornecedores até o consumidor final.

166 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 166 Microsiga ERP e-Procurement: Sistema de compras de grandes volumes das corporações, onde os fornecedores se cadastram em um catálogo eletrônico, automatizando o processo de seleção e transações pela Internet, de acordo com paramêtros preestabelecidos.

167 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 167 Microsiga – AP7

168 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 168 Datasul

169 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 169 Datasul EMS Gestão Empresarial Finanças Vendas Logística Manutenção Administração de Processos e Recursos Integração de Informações Recursos Humanos Manufatura BI (Business Intelligence)

170 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 170 Datasul Gestão de Conteúdo Colaboração de Informações e Documentos Informações Atualizadas e disponíveis no Tempo e no Lugar onde a Empresa esteja desenvolvendo seus Negócios. Portais Corporativos GED (Gestão Eletrônica de Documentos) Workflow Gestão da Qualidade

171 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 171 Datasul Gestão de Relacionamento Registram, analisam e ajudam a melhorar as interações entre as empresas. Considerar no Planejamento não apenas os Recursos internos, mas as Capacidades de Fornecedores e Clientes. Supply-Chain (Cadeia de Suprimentos) CRM (Customer Relationship Management) EIP (Enterprise Information Portal)

172 Sistemas de Informação Gerencial - Prof. Sandro 172 Datasul - Colaboração Visualização de Demandas no momento do seu surgimento Os Planejamentos das Empresas envolvidas acontecem Automaticamente Automação do Relacionamento Gestão Colaborativa entre Empresas Portais B2B Agentes B2B Colaboração


Carregar ppt "TIPOS DE SISTEMAS São usados isoladamente (somente uma estação) ou em rede. Possuem interface gráfica (telas) conforme o desenvolvedor do sistema."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google