A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Evolução dos Computadores. Geração Zero 2000 a 3000 a.C – Utilização do ábaco; 1623 a 1662 – O francês Blaise Pascal cria uma máquina capaz de somar e.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Evolução dos Computadores. Geração Zero 2000 a 3000 a.C – Utilização do ábaco; 1623 a 1662 – O francês Blaise Pascal cria uma máquina capaz de somar e."— Transcrição da apresentação:

1 Evolução dos Computadores

2 Geração Zero 2000 a 3000 a.C – Utilização do ábaco; 1623 a 1662 – O francês Blaise Pascal cria uma máquina capaz de somar e subtrair por meio de engrenagens mecânicas; 1671 – A máquina de Pascal é aperfeiçoada por Leibnitz para ter recursos de multiplicação e divisão;

3 1801 – O francês Jacquard introduz o conceito de armazenamento de informações através de placas perfuradas; 1880 – O americano Hollerith sugere um método para automatizar o censo dos EUA; 1896 – Hollerith funda a “Tabulating Machine Company”, que, associada a outras empresas, tornaria-se a IBM; Segunda Guerra Mundial – desenvolvimento de computadores eletrônicos para fins militares (final da geração zero e início da primeira geração);

4 1940/1955 – Computadores de primeira geração: Circuitos eletrônicos e válvulas; Uso restritivo; Precisava ser reprogramado a cada tarefa; Fragilidade das máquinas, quebrava após algumas horas de uso; Dispositivos de entrada e saída primitivos; Baixa velocidade de cálculo (milésimos de segundo); Programação em linguagem de máquina; Grande consumo de energia; Problemas devido a muito aquecimento

5 Primeiro computador totalmente automático a ser usado para fins bélicos. Mark I Numa parceria da IBM com a marinha Norte-Americana, o Mark I era totalmente eletromecânico: ele tinha cerca de 17 metros de comprimento por 2 metros e meio de altura e uma massa de cerca de 5 toneladas. O barulho do computador em funcionamento, segundo relatos da época, se assemelhava a varias pessoas tricotando dentro de uma sala. Mark I continha nada menos que partes unidas por aproximadamente 80 km de fios. Ele foi o primeiro computador totalmente automático a ser usado para fins bélicos.

6 1946 – ENIAC 1946 – ENIAC (tecnologia baseada em válvulas). Primeiro computador eletrônico digital de grande porte válvulas, 30 toneladas, relés, 140 quilowatts, programação por hardware. Neste mesmo período – John Von Newmann desenvolveu a lógica dos circuitos, conceitos de programas, operações com números binários e a idéia de que instruções e dados podem ser manipulados internamente em um computador.

7 EDVAC O EDVAC (Electronic Discrete Variable Computer), apesar de ser mais moderno, não diminuiu de tamanho e ocupava 100% do espaço que o ENIAC ocupava. Todavia, ele era dotado de cem vezes mais memória interna que o ENIAC - um grande salto para a época. As instruções já não eram passadas ao computador por meios de fios ou válvulas: elas ficavam em um dispositivo eletrônico denominado linha de retardo. Esse dispositivo era um tubo contendo vários cristais que refletiam pulsos eletrônicos para frente e para trás muito lentamente. Um outro grande avanço do EDVAC foi o abandono do modelo decimal e a utilização dos códigos binários, reduzindo drasticamente o número de válvulas. Seus criadores, Mauchly e Eckert, começaram a trabalhar neste modelo logo após o lançamento do ENIAC.

8 UNIVAC I Era bem menor que seus predecessores. Tinha "apenas" vinte metros quadrados e um massa de cerca de cinco toneladas. O computador recebia as instruções de cartões magnéticos e não mais de cartões perfurados – um computador chamado UNIVAC, que utilizava os conceitos de Von Newmann, passou a ser produzido comercialmente; Somente governos e grandes corporações tinham condições de possuir um computador; Aplicação: Processamento das eleições.

9 1953 – Primeiro computador eletrônico digital IBM 701 IBM 701

10 1955/1965 – Computadores de segunda geração Início do uso comercial; Substituição da válvula pelo transistor; Tamanho gigantesco; Capacidade de processamento muito pequena. Neste período – destaque para todos os produtos da IBM.

11 Em 1952 surgiu um novo componente que apresentava inúmeras vantagens em relação às antigas válvulas: ele tinha características como menor aquecimento, maior poder de cálculo e confiabilidade e um consumo de energia bem menor - com o adicional de que não necessitava de tempo para aquecer. A Bell Laboratories inventava o transistor. Os cálculos passaram a ser medidos de segundos para microssegundos. As linguagens utilizadas para esses computadores eram normalmente a FORTRAN, COBOL ou ALGOL. alta qualidade alta qualidade A partir desse momento, devido à maior facilidade e praticidade do transistor, muito modelos de computador surgiram. O primeiro modelo de computado 100% transistorizado foi o TRADIC, da Bell Laboratories. Outro modelo dessa época era o IBM 1401, com uma capacidade memória base de bytes operando em ciclos de memória de 12 microssegundos. A instalação de um IBM 1401 ocupava uma sala e o tamanho dos computadores ainda era bastante grande. Existiam também outros modelos, como o sofisticado IBM O IBM TX-0, de 1958, tinha um monitor de vídeo de alta qualidade, além de ser rápido e relativamente pequeno. Um outro modelo de computador virou mania no MIT era o PDP-1: alunos utilizavam o computador para jogar Rato-no-Labirinto e Spacewar utilizando o auxílio de uma caneta óptica e um joystick. No entanto, os elevados custos destas máquinas restringiam sua utilização a aplicações estratégicas do governo, grandes empresas e universidades.alta qualidade

12 IBM 1401 IBM 1401

13 1965/1980 – Computadores de terceira geração Substituição do transistor pela tecnologia do circuitos integrados; Computadores mais confiáveis, menores, com baixíssimo consumo de energia e menor custo. Maior capacidade de processamento; Início da utilização dos computadores pessoais.

14 1976 –Steve Jobs e Steve Wozniak (Apple Corp.) Primeiro microcomputador pessoal a ter sucesso comercial APPLE II

15 IBM System/360 IBM System/360

16 1981-Primeiro microcomputador pessoal IBM, arquitetura aberta, um imenso sucesso comercial IBM PC/XT IBM PC/XT

17 1980/1990 – Computadores de quarta geração: Circuitos de larga escala Ainda mais avançados que os circuitos integrados, eram os circuitos de larga escala (LSI - mil transistores por "chip") e larguíssima escala (VLSI - cem mil transistores por "chip"). O uso desses circuitos na construção de processadores representou outro salto na história dos computadores. As linguagens mais utilizadas eram a PROLOG, FP, UNIX e o início da utilização da linguagem C. Logo em 1981 nasce o 286 utilizando slots ISA de 16 bits e memórias de 30 pinos. Quatro anos mais tarde era a vez do 386, ainda usando memórias de 30 pinos mas com maior velocidade de processamento. Ao contrário do 286, era possível rodar o Windows 3.11 no 386. Introduziu-se no mercado as placas VGA e suporte a 256 cores. Em 1989, eram lançados os primeiros 486 DX: eles vinham com memórias de 72 pinos (muito mais rápidas que as antigas de 30 pinos) e possuíam slots PCI de 32 bits - o que representava o dobro da velocidade dos slots ISA. Os três últimos computadores citados popularizaram tanto o uso dessas máquinas que foi cunhado o conceito de "PC", ou "Personal Computer" (Computador Pessoal em português).

18 1990 – hoje - Computadores de quinta geração: Ultra Large Scale Integration Basicamente são os computadores modernos. Ampliou-se drasticamente a capacidade de processamento de dados, armazenamento e taxas de transferência. Também é nessa época que os processos de miniaturização são iniciados, diminuindo o tamanho e aumentando a velocidade dos agora "populares" PC´s. O conceito de processamento está partindo para os processadores paralelos, ou seja, a execução de muitas operações simultaneamente pelas máquinas. Surge o primeiro processador Pentium em 1993, dotado de memórias de 108 pinos, ou DIMM. Depois vem o Pentium II, o Pentium III e mais recentemente o Pentium 4 (sem contar os modelos similares da concorrente AMD). Nesse meio tempo iam surgindo o slot AGP de 64 bits, memórias com mais pinos e maior velocidade, HD´s cada vez mais rápidos e com maior capacidade, etc. Na realidade, as maiores novidades dessa época são os novos processadores, cada vez mais velozes.maior capacidade

19 As principais características da quinta geração Supercomputadores; Automação de escritórios; Automação comercial e industrial; CAD/CAM e CAE, Robótica; Imagem virtual; Multimídia; Era on-line (comunicação através da Internet)

20 Quem sabe uma nova geração de computadores não está por vir ? Alguns falam em processadores quânticos quando os limites da miniaturização do silício foram atingidos, enquanto outros falam em moléculas de água armazenando informações - mas o fato é que coisas novas vão surgir e novas gerações deixarão a atual tão longe e ultrapassada como está a segunda para nós. Mesmo rompendo recentemente a barreira dos terabytes, a evolução dos computadores ainda está longe de terminar.

21 Estrutura de um computador digital. Unidade de Controle Unidade Lógico Aritmética Unidades de Memória Unidades de Entrada Unidades de Saída

22 Esquema de um computador digital. Unidade de entrada: É capaz de traduzir números, letras e imagens em pulsos elétricos que são compreensíveis ao computador.Ex. Teclado, mouse, scanners etc. Memória:É o local físico capaz de armazenar os dados e também os programas que irão manipulá-los. Unidade Central de Processamento (CPU): É dividida em duas partes: 1. Unidade lógica e aritmética: Nesta unidade são realizados todos os cálculos aritméticos e qualquer manipulação de dados (sejam eles numéricos ou não). 2. Unidade de controle: É a unidade responsável pelo “tráfico” de dados. Unidade de saída: Os dados processados são convertidos, por esta unidade, de impulsos elétricos em palavras ou números que podem ser disponibilizado ao usuário final. Ex. Monitor, impressora, etc.

23 Organização Básica Microprocessador – elemento mais importante do computador. Chip que contém os circuitos das unidades lógico/aritmética e de controle. Fornecimento dos sinais de controle e temporização para todos os elementos do microcomputador; Busca de instruções e dados na memória; Decodificação de instruções; Transferência de dados entre memória e dispositivos de entrada e saída; Realização de operações aritméticas e lógicas

24 Organização Básica Memória – local para armazenamento de dados. RAM (Randomic Access Memory) – constituídas por um ou mais chips combinados de forma a fornecer memória que deve ser alterada várias vezes no decorrer da operação dos sistema. RAM – Utilizada para armazenamento intermediário e final dos resultados das operações realizadas pelo processador.

25 Organização Básica ROM (Read Only Memory) – formada por chips para armazenamento de informações que não podem ser alteradas no decorrer do processamento (informações sobre a configuração da máquina, tabela de códigos necessários para a transferência de informações para os terminais de vídeo e impressoras).

26 Organização Básica ROM – nesta memória há: BIOS: informa como o processador deve trabalhar com os periféricos; POST: realiza testes quando o computador é ligado. Identifica configuração, inicializa vídeo, testa memória e carrega o sistema operacional na RAM; SETUP: contém informações sobre a configuração do hardware.

27 Organização Básica Memória de Massa – tipo de dispositivo para armazenamento de dados que podem ser recuperados depois. O armazenamento é feito por meio magnético: HDs, disquetes, CDs, DVDs, Memory Keys, etc. Observação: memória de massa é diferente de memória principal (RAM)!

28 Organização Básica Barramento – é o caminho de comunicação do microprocessador com os diversos circuitos do computador. Barramento de Controle; Barramento de Endereços; Barramento de Dados.

29 Organização Básica Placa Mãe – maior e principal circuito do computador. É nela que estão conectados todos os circuitos do micro. Chipsets – circuitos integrados que guardam informações sobre a placa-mãe: Ponte norte: processador, memória, vídeo; Ponte sul: demais periféricos.

30 Hardware Toda parte física do computador (CPU, memórias, periféricos, etc). Periféricos de entrada – teclado, mouse, scanner, joystick, microfone, câmera digital, etc. Periféricos de saída – monitor, impressora, caixas de som, etc. Periféricos de entrada/saída – memória de massa.

31 Armazenamento da Informação Dados são armazenados na forma binária; Bit – menor quantidade de informação disponível em um computador; Byte – unidade de medida de armazenamento de bits (1B = 8 bits) 1kB = 1024 bytes; 1MB = 1024 kB; 1GB = 1024 MB.

32 Armazenamento da Informação Palavra – unidade de informação. O tamanho do barramento de dados indica o tamanho da palavra. Uma palavra pode ser um dado (informação numérica ou alfanumérica) ou instrução (informação para o processador executar uma operação ou o endereço de armazenamento do dado).

33 Questões Arquitetura aberta e fechada de microcomputadores; Microprocessadores – domínio da Intel no mercado; Memórias – SIMM, DIMM, DDR; Monitores de raios catódicos – freqüência horizontal, vertical, varredura entrelaçada e não entrelaçada. Monitores LCD – resolução nativa, Portas seriais, paralelas, jogos, USB, PS/2, etc.

34 FONTE DE PESQUISA

35 Disciplina: Informática Professores: Jaqueline e Alessandro Curso: Administração Turma: 1º Ano B SIMONE PRADO RENATA AVELINO BAILO MARCOS ROBERTO RICARDO DO PRADO VAGNER J. ZANIBONI ELVES B. ZANIBONI CLEBER J. DOS SANTOS EBERTON AP. TOMÉ


Carregar ppt "Evolução dos Computadores. Geração Zero 2000 a 3000 a.C – Utilização do ábaco; 1623 a 1662 – O francês Blaise Pascal cria uma máquina capaz de somar e."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google