A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Ana Paula Pereira Cleber Silveira Conrado Berger Diogo Souza Fernando Lawisch Leandro Winck Renata Caure Viviane Franco.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Ana Paula Pereira Cleber Silveira Conrado Berger Diogo Souza Fernando Lawisch Leandro Winck Renata Caure Viviane Franco."— Transcrição da apresentação:

1 Ana Paula Pereira Cleber Silveira Conrado Berger Diogo Souza Fernando Lawisch Leandro Winck Renata Caure Viviane Franco

2 O QUE É DIABETES? A Diabetes é uma alteração nos níveis de açúcar no organismo, afetando todas as áreas do corpo, química e fisicamente. Uma pessoa é diabética quando o pâncreas não fabrica a insulina, ou fabrica insulina “defeituosa”, que não consegue exercer sua finalidade biológica. As altas taxas de glicose podem, com o passar do tempo, afetar vários órgãos.

3 SINTOMAS DA DIABETES - Um dos principais problemas do diabetes é que ele pode se desenvolver de forma assintomática; - O ideal é não esperar os sintomas surgirem para procurar um médico; - Casos de diabetes na família são sinais de que o acompanhamento periódico é recomendável.

4 - Micção frequente;- Nervosismo; - Fome frequente;- Mudanças de humor; - Sede constante;- Náusea; - Perda de peso;- Vômito; - Fraqueza;- Fadiga; SINTOMAS DA DIABETES

5 DIAGNÓSTICO DA DIABETES Glicemia em jejum: mede o nível de glicose no sangue depois de um jejum de 8 horas; Resultado Normal: 70 até 110 mg/dl. Teste de tolerância à glicose ou curva glicêmica: o laboratório, a pessoa ingere 75 g de glicose diluída em água. Após duas horas é feita a coleta de sangue para medir a taxa. Superior a 200 mg/dl indica diabetes

6 Teste oral para gestantes: mulheres grávidas acima de 25 anos, não obesas e sem histórico de diabetes na família, devem fazer o teste entre a 24ª e a 28ª semanas de gestação; O sangue é colhido antes da ingestão de 50g de glicose e depois de uma hora. Valores normais: 80 mg/dl a 40 mg/dl. Hemoglobina glicada (A1C): se for maior que 7%, há chances muito maiores de sofrer as consequências da doença. Serve como controle do tratamento. DIAGNÓSTICO DA DIABETES

7 DIABETES

8 DIABETES TIPO I Quando o organismo deixa de produzir insulina ou produz apenas uma quantidade mínima; Insulino-dependente; Ocorre com maior frequência em pessoas com menos de 30 anos, mas pode surgir em qualquer idade.

9

10 CAUSAS DA DIABETES TIPO I Alguns nascem com genes que predispõem à doença; A maioria tem grandes quantidades de anticorpos que circulam na corrente sanguínea algum tempo antes de a doença ser diagnosticada.

11 TRATAMENTO DA DIABETES TIPO I Tomar insulina; Seguir dieta alimentar saudável; Praticar atividade física; Fazer autotestes frequentemente; Acompanhamento médico;

12 EXERCÍCIOS PARA DIABÉTICOS TIPO I Atividades físicas regulares; Cargas de trabalho: de 60 a 70% do VO2máx ou Fcmáx; Periodicidade: de 5 a 7 vezes por semana; Duração: de 20 a 30 minutos.

13 DIABETES

14 DIABETES TIPO II Está relacionada a resistência à insulina, que dificulta a entrada da glicose nas células; Diabetes não insulinodependente ou diabetes do adulto; Corresponde a 90% dos casos de diabetes; Ocorre geralmente em pessoas obesas com mais de 40 anos de idade embora na atualidade se vê com maior frequencia em jovens;

15

16 CAUSAS DA DIABETES TIPO II - Hereditariedade; - Obesidade; - Sedentarismo; - Má alimentação (consumo excessivo de carboidratos e açúcar).

17 TRATAMENTO DA DIABETES TIPO II Muitos utilizam medicamentos; Perder peso (obesos) Seguir dieta alimentar saudável; Praticar atividade física; Fazer autotestes frequentemente; Acompanhamento médico;

18 EXERCÍCIOS PARA DIABÉTICOS TIPO II Atividades físicas regulares; Cargas de trabalho: de 50 a 60% do VO2máx ou Fcmáx; Periodicidade: 4 vezes por semana; Duração: de 40 a 50 minutos.

19 EXERCÍCIOS PARA DIABÉTICOS Os exercícios anaeróbicos, também contribuem para um bom controle do diabetes, apesar do exercício aeróbico ser o mais indicado nesse caso. Devemos ter alguns cuidados na hora da aplicação desses exercícios: No caso da musculação, os pesos devem ser aumentados de forma gradativa, evitando exercícios isométricos;

20 CUIDADOS E RECOMENDAÇÕES ANTES DOS EXERCÍCIOS Iniciar a sessão com exercícios de alongamento e movimentos articulares; Se o paciente nunca praticou atividade física programada, começar aumentar a atividades diárias que faz habitualmente, como caminhar e subir e descer escadas; Interromper o exercício caso aja sinais de hipoglicemia, dor no peito ou respiração sibilante; O tênis utilizado deve ser confortável e as meias de algodão. Examine diariamente os seus pés;

21 CUIDADOS E RECOMENDAÇÕES ANTES DOS EXERCÍCIOS Beber uma quantidade maior de líquido sem calorias nem cafeína, como água, antes, durante e após a atividade física; Se quiser conhecer a intensidade do esforço realizado, controlar a freqüência cardíaca imediatamente após o fim do exercício; Levar açúcar para a sessão de atividade física; Se já caminha, corre ou anda de bicicleta, evitar as interrupções durante o tempo proposto.

22 HIPOGLICEMIA Hipoglicemia é um problema que ocorre quando o nível de açúcar no sangue (glicose) encontra-se muito baixo. Ocorre quando: A hipoglicemia ocorre quando o açúcar do seu corpo (glicose) é usado muito rapidamente; A glicose é liberada para a corrente sanguínea muito lentamente; É liberada insulina em excesso na corrente sanguínea; A insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas em resposta a níveis aumentados de glicose, reduz o nível de açúcar no sangue.

23 SINTOMAS DE HIPOGLICEMIA Possíveis sintomas quando o nível de açúcar está muito baixo incluem: Visão dupla ou turva; Frequência cardíaca rápida ou palpitante; Mau humor ou agressividade; Nervosismo; Dor de cabeça; Fome; Agitação ou tremores; Problemas para dormir;

24 SINTOMAS DE HIPOGLICEMIA Formigamento ou dormência na pele; Cansaço ou fraqueza; Às vezes, o nível de açúcar pode estar muito baixo mesmo sem apresentar sintomas. Se o nível de açúcar do sangue ficar muito baixo, podem ocorrer: Desmaio; Convulsão; Coma.

25 TRATAMENTO/ RECOMENDAÇÕES O tratamento de Hipoglicemia está diretamente associado à causa do distúrbio, portanto busque sempre orientação médica; Refeições menores e mais próximas umas das outras ajudam a prevenir a queda da glicose no sangue; Refeição leve, à base de carboidratos e proteínas, antes de dormir ajuda a prevenir crises noturnas de hipoglicemia; A prática de exercícios físicos pode exigir o consumo de carboidratos para evitar a queda brusca dos níveis de glicose no sangue.

26 Durante a gravidez ocorrem adaptações na produção hormonal materna para permitir o desenvolvimento do bebê. A placenta é uma fonte importante de hormônios que reduzem a ação da insulina. - Ocorre somente nesse período - Mulheres não diabéticas; - Maioria dos bebês não herdam; - 24ª semana de gestação; DIABETES GESTACIONAL

27 TRATAMENTO DA DIABETES GESTACIONAL Dieta, que é ajustada a cada período; A atividade deve ser feita somente depois de avaliada se existe alguma contra-indicação, como por exemplo, risco de trabalho de parto prematuro; O uso de insulina é seguro durante a gestação; 6 semanas após o parto deve realizar um novo teste de tolerância a glicose, sem estar em uso de medicamentos antidiabéticos. Diabetes Gestacional =importante fator de risco para Diabetes tipo II

28 REFERÊNCIAS American Diabetes Association. Diabetes de A a Z.. Anima, BAZOTTE, Roberto. Paciente diabético, cuidados farmacêuticos. Medbook, Revista Viva Saúde. Diabetes, testes de avaliação. Disponível em: SBD, Sociedade Brasileira de Diabetes. Tudo sobre diabetes. Disponível em: SOUZA, Clarisse. Diabetes tipo I. Disponível em: Minha Vida: saúde, alimentação e bem-estar. Disponível em:


Carregar ppt "Ana Paula Pereira Cleber Silveira Conrado Berger Diogo Souza Fernando Lawisch Leandro Winck Renata Caure Viviane Franco."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google