A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Stufflebeam Carmen Macedo Helda Monteiro Socorro Martins Shirley Dias Whellington Teles.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Stufflebeam Carmen Macedo Helda Monteiro Socorro Martins Shirley Dias Whellington Teles."— Transcrição da apresentação:

1 Stufflebeam Carmen Macedo Helda Monteiro Socorro Martins Shirley Dias Whellington Teles

2 AUTOR Daniel L.Stufflebeam Professor,foi designado para dirigir o centro de avaliação de Universidade de Ohio cujo objetivo era progredir a teoria e a prática da avaliação.

3 Definição: “ A avaliação é um processo de identificação,recolha e apresentação de informação útil e descritiva acerca do valor e do mérito das metas, da planificação, da realização e do impacto de um determinado objeto, com o fim de servir de guia para a tomada de decisões, para a solução dos problemas de prestação de contas e para promover a compreensão dos fenômenos envolvidos” (Stufflebeam e Shinkfield, 1993: 183)

4 Função essencial da avaliação Possibilitar uma definição mais ampla de avaliação capaz de ajudar a administrar e a aperfeiçoar os programas. Proporcionar informações que permitam proceder os ajustamentos nos respectivos projetos. Proporcionar informação útil para tomada de decisão

5 Stufflebeam MODELO DE AVALIAÇÃO-CIPP C- Contexto I-Input P-Processo P-Produto

6 context input process product: A avaliação de contexto como ajuda para a designação das metas; A avaliação de entrada como ajuda para dar forma às propostas A avaliação do processo como guia da sua realização; A avaliação do produto ao serviço das decisões de reciclagem.

7 Assim, a avaliação corresponde a três propósitos: Servir de guia para a tomada de decisões; Proporcionar dados para a prestação de contas; Promover a compreensão dos fenômenos envolvidos.

8 ETAPAS Identificar Obter Proporcionar informação

9 Na avaliação, o critério fundamental a ser tido em conta deverá corresponder a uma conjugação do seu valor (a sua resposta às necessidades valorizadas) e o seu mérito (a sua qualidade)

10 EXEMPLOS Escola Superior de Educação de Viseu Curso de Especialização em Administração Escolar e Administração Educacional Avaliação de um Projeto Agnelo Figueiredo- Nov 2004

11 INPUT- formativa Fornece informações para ajudar a planejar ações, programas e outros serviços. Sumativa Comparação dos planos escolhidos Com outras alternativas disponíveis CONTEXT - formativa Fornece informações para ajudar a (re)definir objetivos e prioridades Sumativa Comparação dos objetivos definidos com as necessidades d etectadas

12 PROCESS- Formativa Fornece informações para ajudar a executar (fornecer) as ações,programas e serviços planejados. Sumativa Registra a execução das medidas PRODUCT- Formativa Fornece informações para ajudar a tomar decisões quanto à prosseguimento ou alteração dos objetivos, programas e serviços. Sumativa Compara os resultados alcançados com as necessidades, os objetivos e prioridades enunciadas

13 Para STUFFLEBEAM (1997), O mais importante da avaliação não é demonstrar, mas aperfeiçoar. Não podemos garantir que as nossas metas e objetivos são válidos, se não os confrontarmos com as necessidades daqueles que pretendemos servir.


Carregar ppt "Stufflebeam Carmen Macedo Helda Monteiro Socorro Martins Shirley Dias Whellington Teles."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google