A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Farmacologia do Sistema Urinário e Renal 7ª Aula Teórica – Dia 10/10/2014 Mustafa Hassan Issa UNIOESTE – Curso de Enfermagem – Disciplina de Farmacologia.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Farmacologia do Sistema Urinário e Renal 7ª Aula Teórica – Dia 10/10/2014 Mustafa Hassan Issa UNIOESTE – Curso de Enfermagem – Disciplina de Farmacologia."— Transcrição da apresentação:

1 Farmacologia do Sistema Urinário e Renal 7ª Aula Teórica – Dia 10/10/2014 Mustafa Hassan Issa UNIOESTE – Curso de Enfermagem – Disciplina de Farmacologia

2 Referências da Aula: Livro: Farmacologia Ilustrada Capítulo 22 (4ª Ed.) Livro: Farmacologia - Penildon Capítulo 71 (7ª Ed.) 2

3 Definição de Diuréticos: Fármacos que aumentam o fluxo urinário, tendo como sítio de atuação os rins. Mecanismo Geral: De modo geral, os Fármacos Diuréticos alteram a excreção de eletrólitos e de água pelos rins. Indicação Clínica Primária: - Aumentar a excreção renal do Íon Na + (inibição da reabsorção ao nível de transportadores diversos), diminuíndo assim, o volume de líquido extracelular; Indicação Clínica Secundária: - Regular a excreção da Água e dos Íons K +, H + e Cl -. Farmacologia do Sistema Urinário e Renal 3

4 A combinação destes efeitos são importantes alternativas no tratamento e controle da Hipertensão Arterial, assim como, outras condições cardiovasculares relacionadas. Além disso, o tratamento dos estados de Edema, secundários a algumas patologias, ou traumas em órgãos e sistemas. Farmacologia do Sistema Urinário e Renal 4

5 Fármacos Diuréticos – Classes Farmacológicas - Principais: 1) Diuréticos Tiazídicos; 2) Diuréticos de Alça; 3) Diuréticos Poupadores de Potássio. - Outros/Adjuntos: 1) Inibidores da Anidrase Carbônica (Acetazolamida); 2) Diuréticos Osmóticos (Manitol). Farmacologia do Sistema Urinário e Renal 5

6 Diuréticos Tiazídicos 6

7 - São os Diuréticos mais utilizados na prática clínica, com potência intermediária nesta classe farmacológica; - São estruturalmente semelhantes aos Diuréticos Inibidores da Anidrase Carbônica (Sulfonamidas), contudo com efeito diurético maior, além de apresentar mecanismo de ação diferenciado (Túbulo Proximal). - Principais Fármacos Diuréticos Tiazídicos: 1) Hidroclorotiazida*; 2) Clorotiazida; 3) Meticlotiazida; 4) Clortalidona; 5) Metolazona; 6) Quinetazona; 7) Xipamida. 7 * Referência da classe Diuréticos Tiazídicos

8 -Farmacocinética: - Boa absorção pelo TGI na administração pela via oral; - De modo geral, apresentam tempo de meia-vida suficiente para uma administração oral/dia. Ex. Duração do efeito: Clorotiazida e Hidroclorotiazida (6 a 12 h.) / Clortalidona (24 a 72 h.) / Metazolona (12 a 24 h.); - Todos são excretados pela urina. 8 Diuréticos Tiazídicos

9 -Farmacodinâmica: - Principal efeito: Impedem a reabsorção do Íon Sódio (bloqueio do co-tranportador Na + /Cl - ) principalmente na região do Túbulo Distal (naturalmente reabsorve 10% do Íon Na+ do filtrado), e secundariamente na região do Túbulo Proximal; - Ao provocar a excreção do Íon Sódio (e também do Cloro) forma-se urina hiperosmolar, o que obriga também ao movimento da água (migração osmótica); - Provoca também excreção do Íon K+, o que obriga o monitoramento das concentrações plasmáticas deste Íon nos casos de uso prolongado. 9 Diuréticos Tiazídicos

10 - Farmacoterapêutica: - Fármacos Diuréticos de escolha (combinado ou não a Beta- Bloqueador) no tratamento prolongado (tempo indefinido) da HAS em grau leve a moderada (queda da PA conseqüente a diminuição do volume sangüíneo); - HAS: Também poderão ser associados a algum IECA ou BRA; - Tratamento do edema na Insuficiência Cardíaca leve a moderada; - Tratamento do edema consequente à doenças hepáticas (Cirrose), doenças renais (Síndrome Nefrótica, Insuficiência Renal Crônica, Glomerulonefrite Aguda), e terapia a base de corticosteróides; - Fármacos de baixo custo (uso crônico para HAS). Diuréticos Tiazídicos 10

11 - Efeitos Adversos: - Perda de Potássio; - Hiperuricemia; - Hiperglicemia; - Hiperlipidemia. Diuréticos Tiazídicos 11

12 Diuréticos de Alça 12

13 - Os Diuréticos de Alça são os representantes mais potentes desta classe de fármacos. - Principais Fármacos Diuréticos de Alça: 1) Furosemida*; 2) Torasemida; 3) Bumetanida; 4) Piretanida; 5) Ácido Etacrínico. * Referência da classe 13 Diuréticos de Alça

14 -Farmacocinética: - Absorção rápida e eficiente pelo TGI após administração oral; - Administração por vias parenterais (Furosemida); - Apresentam tempo de meia-vida curto: Em torno de 2 a 3 horas; - Metabolização hepática parcial ou total, com exceção da Furosemida, em que aproximadamente 50% da excreção ocorre na forma inalterada; - Excreção renal. 14 Diuréticos de Alça

15 -Farmacodinâmica: - Bloqueio do co-tranportador Na + /K + /2Cl - na porção Ascendente da Alça de Henle, onde provocam o bloqueio da reabsorção destes íons (consequentemente: da água); - Diuréticos que provocam o maior volume de diurese (alta potência) ao promoverem o maior volume de excreção de eletrólitos (Principalmente Íons Sódio/Cloro/Potássio, e também do Íon Magnésio e Cálcio); 15 Diuréticos de Alça

16 -Farmacodinâmica: - Naturalmente, a região Ascendente (Espessa) da Alça de Henle corresponde a porção do Néfron responsável pela reabsorção de aproximadamente 1/3 do Íon Na+ do filtrado; - Devido ao mecanismo de ação, são também chamados de “Diuréticos Peneira da Alça”, pois a região Ascendente da Alça de Henle é a porção histológica mais densa do Néfron. 16 Diuréticos de Alça

17 - Farmacoterapêutica: - Tratamento da HAS; - Quadros graves de Edema (Agudo/Generalizado); - Fármacos de escolha no tratamento do Edema Pulmonar Agudo conseqüente a Insuficiência Cardíaca (Uso Via IV); - Edema associado a doenças hepáticas (Cirrose) e renais (Síndrome Nefrótica); - São eficazes mesmo em pacientes com função renal comprometida (Insuficiência). 17 Diuréticos de Alça

18 - Efeitos Adversos: - Perda de Potássio; - Hipovolemia aguda; - Hiperuricemia. 18 Diuréticos de Alça

19 Diuréticos Poupadores de Potássio 19

20 - Dentre os principais fármacos Diuréticos, os Poupadores de Potássio são os representantes menos potentes desta classe farmacológica; - Contudo, em oposição aos demais representantes, proporcionam a vantagem de conservar o Íon Potássio. - Principais Fármacos Diuréticos Poupadores de Potássio: 1) Espironolactona*; 2) Eplerenona; 3) Amiloride; 4) Triantereno. * Referência da classe 20 Diuréticos Poupadores de Potássio

21 -Farmacocinética: - Absorção rápida e eficiente pelo TGI (usados apenas pela Via Oral); - Metabolização hepática, a exceção do Amiloride (excretado basicamente na forma inalterada); - Espironolactona: Forte ligação às proteínas do plasma. Ação devido a conversão a metabólito ativo, a Canrenona; - Excreção renal e biliar. 21 Diuréticos Poupadores de Potássio

22 -Farmacodinâmica: - A Espironolactona é estruturalmente semelhante ao Hormônio Aldosterona, agindo como Antagonista na região do Túbulo Distal e Coletor (competição pelos receptores intracelulares da Aldosterona); - Eplerenona: Análogo recente da Espironolactona com maior afinidade pelos receptores de Aldosterona; - A Aldosterona poupa Íons Sódio, Cloro e Água, com perda dos Íons Potássio e Hidrogênio (H + ); - Bloqueio pela Espironolactona: Retenção dos Íons Potássio e Hidrogênio, à exceção dos demais. 22 Diuréticos Poupadores de Potássio

23 -Farmacodinâmica: - Amiloride e Triantereno: Bloqueio dos Canais de Sódio na região dos Túbulos Renais Distais e Coletores; - Este mecanismo impede a reabsorção do Íon Sódio, num mecanismo independente da Aldosterona; - Poupam Íon Potássio e o Íon Hidrogênio também. 23 Diuréticos Poupadores de Potássio

24 - Farmacoterapêutica: - Tratamento da Hipertensão Arterial (de modo combinado a um Diurético Tiazídico); - Edema associado à Insuficiência Cardíaca, Síndrome Nefrótica, ou a outras patologias: Nestas situações há aumento de secreção da Aldosterona, sendo assim, a Espironolactona torna-se uma opção. 24 Diuréticos Poupadores de Potássio

25 - Farmacoterapêutica: - Prática comum: Utilizados em conjunto a outros Diuréticos (Tiazídicos ou de Alça) na prevenção da perda excessiva de Potássio, ou mesmo para obter potencialização de efeito; - A Espironolactona pode ser usada no tratamento do Hiperaldosteronismo Primário (Síndrome de Conn), e principalmente no tratamento do Hiperaldosteronismo Secundário (Conseqüente à Insuficiência Cardíaca). 25 Diuréticos Poupadores de Potássio

26 - Efeitos Adversos (Espironolactona): - Hiperpotasemia; - Ginecomastia (Homens) e irregularidades menstruais (Mulheres). 26 Diuréticos Poupadores de Potássio

27 De acordo com a fração máxima de Íon Sódio excretado: I - Alta Eficácia (> 15%): Diuréticos de Alça = Bumetanida, Furosemida. II – Eficácia Média (5 a 10%): Tiazídicos = Clorotiazida, Hidroclorotiazida. III – Fracos ou Adjuntos (<5%): Poupadores de Potássio = Espironolactona. Alcalóides Xantinas = Cafeína (Ação dilatadora sobre a Arteríola Aferente e sobre o Túbulo Proximal). Diuréticos - Critérios de Classificação Clínica Alternativa 27

28 Diuréticos – Resumo dos Padrões Eletrolíticos __+Poupadores de Potássio Diuréticos de Alça + Tiazídicos ++/-++Tiazídicos +_++++Diuréticos de Alça Inibidores da Anidrase Carbônica K+K+ HCO 3 - Na + /Cl - FÁRMACOS 28

29 Obrigado, agradeço a atenção de todos

30 Perguntas … ?


Carregar ppt "Farmacologia do Sistema Urinário e Renal 7ª Aula Teórica – Dia 10/10/2014 Mustafa Hassan Issa UNIOESTE – Curso de Enfermagem – Disciplina de Farmacologia."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google