A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

VOCAÇÃO E MISSÃO DO (A) MISSIONÁRIO (A) DO DÍZIMO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "VOCAÇÃO E MISSÃO DO (A) MISSIONÁRIO (A) DO DÍZIMO."— Transcrição da apresentação:

1 VOCAÇÃO E MISSÃO DO (A) MISSIONÁRIO (A) DO DÍZIMO

2 Sejam imitadores de Deus, como filhos queridos. Vivam no amor, assim como Cristo nos amou e se entregou a Deus por nós, como oferta e vítima, como perfume agradável. Maridos, amem suas mulheres, como Cristo amou a Igreja e se entregou por ela; assim, ele a purificou com o banho de água e a santificou pela Palavra, para apresentar a si mesmo uma Igreja gloriosa, sem mancha nem ruga ou qualquer outro defeito, mas santa e imaculada. Portanto, os maridos devem amar suas mulheres como a seus próprios corpos. Quem ama sua mulher, está amando a si mesmo. Ninguém odeia a sua própria carne; pelo contrário, a nutre e dela cuida, como Cristo faz com a igreja, porque somos membros do corpo dele. Ef. 5,

3 Irmãos: não fiqueis devendo nada a ninguém, a não ser o amor mútuo, pois quem ama o próximo está cumprindo a Lei. O amor não faz nenhum mal contra o próximo. Portanto, o amor é o cumprimento perfeito da Lei. Rom 13, 8-10

4 A espiritualidade do dízimo é a mesma da partilha nas primeiras comunidades. O gesto de dar é resultado da disposição interior de quem ama e reconhece que a sua fé e sua caridade são fecundas. Enquanto não chegar à espiritualidade de oferecer e dar, a pessoa não chegou ao essencial do cristianismo.

5 Dar e oferecer o dízimo é sinal de que a pessoa entendeu o significado da partilha. Doar-se, como se as coisas dadas fossem a oferta de nós mesmos. Doar-se, como se as palavras fossem o coração da gente. Doar-se, como quem se faz ternura e desvele, bondade e perdão, como Cristo se doa a sua Igreja e da a vida por Ela. Doar-se, para que nos outros floresça a alegria, sem esperar retribuição. “Doar-se, como Deus ao longo da história: doação totalmente leve, fiel, gratuita, não distante as infidelidades e ingratidões do seu povo.” Teresa de Calcutá.

6 Deus fez um lindo Universo. E fez tudo isso para o homem e a mulher. Ao constatar a bondade de Deus para com ele, o homem começou a oferecer os dízimos das plantas e dos animais em agradecimento, e reconhecimento à sua infinita bondade. Em gratidão ao muito que Ele nos deu e continua a dar. Desde as primeiras páginas da Bíblia, vemos o homem oferecendo parte de seus bens a Deus, seu Criador.

7 Enquanto Cristãos batizados e Agentes Pastorais que somos, é nosso papel ajudar os católicos a descobrir o valor e a espiritualidade do dízimo na revelação bíblica, despertando uma consciência esponsal, comunitária e participativa. O Cristão entendendo a grande espiritualidade que o oferecimento do Dízimo traz em si, compreenderá que o Dízimo é muito mais que uma oferta material. É a nossa gratidão a Deus por tudo o que somos e o que temos.

8 Diz o nosso Plano de Pastoral: “A Igreja deve tornar-se cada vez mais na prática aquilo que ela já é na sua essência: comunidade missionária. Comunidade que reflete na terra o amor e a comunhão que existem entre as pessoas da Santíssima Trindade. Comunidade que quer viver na terra do mesmo modo como as três pessoas divinas, que tudo fazem em vista do Reino de amor, paz e justiça: “Assim na terra como no céu”. A Igreja deve ser ícone terreno da Trindade celeste”.

9 A capacidade de escolher ser dizimista é um “dom de Deus”, que faz com que sejamos semelhantes ao próprio Deus! Cada escolha certa, tudo o que possamos fazer para agradar e amar a Deus, para servir a Deus, ou para amar o irmão, somos merecedores de benção divina! A benção é sinônima de sermos merecedores da eternidade.

10 Deus é nossa força, Ele habita no coração de cada um de nós. A compaixão é um sentimento de nobreza humana e ao mesmo tempo divina. A compaixão é uma força que nos capacita não somente a sofrer a mesma paixão que o irmão, mas a lutar concretamente pelo bem do próximo com a totalidade de nosso ser.

11 São Paulo nos diz que três são as virtudes teologais: “fé, esperança e caridade. A maior delas, porém é a caridade” (1Cor 13,13). Assim, a evangelização em nossa Igreja também prima pela promoção humana. Ou seja, não basta a pessoa ser dizimista, é preciso participar da comunidade, viver como um autêntico cristão na família, ser discípulo de Jesus

12 Ninguém compra a Deus com seu DÍZIMO. DÍZIMO é gesto de puro amor e fé de quem se sente filho de Deus, irmão de Jesus Cristo, responsável pela sua Igreja, querendo que o Reino de Deus se torne cada dia mais real e presente na comunidade. Jesus, na sua bondade infinita, instituiu a sua Igreja para ela evangelizar, catequizar, servir e santificar.

13 Para que a Igreja possa desempenhar a sua missão evangelizadora, necessita também de recursos materiais e nós somos responsáveis por esses recursos, pois formamos a Igreja viva de Cristo aqui na terra. Com o DÍZIMO nós ajudamos a transformar nossa Igreja para que ela seja cada vez mais unida e fraterna. A Igreja, na evangelização e nos sacramentos, alimenta a vida espiritual do povo de Deus; na caridade, promove a vida com assistência material aos pobres e necessitados. É nosso DÍZIMO transformado em vida; é a porção de vida ofertada no DÍZIMO que nos dá a alegria da participação. É essa alegria que deve motivar-nos em colaborar para que o milagre aconteça, fazendo o que Jesus nos pede: "Encham de água esses potes" (Jo 2,7).

14 Com o DÍZIMO aprendemos a amar Deus e ao irmão: a Deus porque somos agradecidos a Ele um pouco de tudo que Ele nos dá, e ao irmão porque partilhamos com a comunidade os bens que possuímos. Com o gesto de ofertar o DÍZIMO descobrimos a alegria de servir! E o serviço, quando autêntico, é fruto do amor que se doa sem esperar nada em troca.

15 O dizimista fiel, consciente e generoso é feliz porque aprendeu a amar de todo coração, inclusive repartindo o que possui. Optando pelo dizimo entramos na escola do amor, a escola de Jesus. A prática do DÍZIMO une a comunidade. O DÍZIMO deve ser visto como opção pastoral permanente, não como campanha financeira temporária.

16 Quando o DÍZIMO é oferecido com amor e fé, torna-se instrumento de construção da comunidade e, consequentemente, meio privilegiado de evangelização. O DÍZIMO sem amor e fé não é DÍZIMO: é pagamento. Como a Igreja não é um supermercado de graças onde os cristãos compram e pagam para Deus. Deus não vende nada: Ele oferece tudo gratuitamente. DÍZIMO, amor e fé são inseparáveis.

17 O dízimo é um ato de conversão. Sendo dizimista nos convertemos e a conversão implica em deixarmos de lado nosso egoísmo, o nosso "eu", renunciar a si mesmo. Somente pela conversão é que conseguimos enxergar as necessidades materiais e espirituais de nossa igreja e de nossos irmãos mais necessitados.

18 Espiritualidade dos missionários  Jesus é o missionário do Pai, vem realizar sua vontade até o fim.  A Igreja é missionária: “Ide e anunciai o Evangelho a todas as nações”. A Igreja é Corpo de Cristo, e nós seus membros, portanto, todos somos missionários.  Jesus envia seus discípulos: Lc 10, Dificuldades na missão: sacudi a poeira de vossos pés. Fazer nossa parte (bem feita, do jeito certo).


Carregar ppt "VOCAÇÃO E MISSÃO DO (A) MISSIONÁRIO (A) DO DÍZIMO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google