A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 Prof.Júlio Rennê Ferramentas da Informática na educação.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 Prof.Júlio Rennê Ferramentas da Informática na educação."— Transcrição da apresentação:

1

2 1 Prof.Júlio Rennê Ferramentas da Informática na educação

3 2 Temas Abordados: 1 – Inovação Tecnológica e Paradigmas Educacionais 2 – Informática Aplicada à Educação. Práticas: Experimentação de diferentes tipos de software e as possibilidades de uso na educação. Ter a percepção do ponto de vista do aprendiz na utilização de computadores em atividades de ensino-aprendizagem. Entender a dinâmica de utilização de laboratórios de informática.

4 3 Objetivos: 1 – Entender como as TIC são aplicadas nas diversas vertentes pedagógicas 2 – Aprender como utilizar ferramentas da Informática na educação

5 4 Visão Filosófica da T.E.: "Ninguém sabe tudo, todos sabem alguma coisa, todo o saber está na humanidade. Não existe nenhum repositório de conhecimento transcendente e o saber não é nada além do que as pessoas sabem... Os novos sistemas de comunicação deveriam oferecer aos membros de uma comunidade os meios de coordenar suas interações...“ (LÉVY P. Inteligência Coletiva. 1998, p.29)

6 5 ALGUMAS DEFINIÇÕES IMPORTANTES: TECNOLOGIA: Ciência ou tratado acerca dos ofícios e das artes em geral. Aplicação dos conhecimentos científicos à produção em geral. Diferente de: TÉCNICA: Conhecimento prático; prática. Conjunto dos métodos e pormenores práticos essenciais à execução perfeita de uma arte ou profissão.

7 6 DEFINIÇÕES: TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO: tudo aquilo que o ser humano inventou - tanto em termos de artefatos como de métodos e técnicas - para estender a sua capacidade física, sensorial, motora ou mental, e que pode ser utilizado no processo educacional para oportunizar o aprendizado. (Eduardo Chaves) Diferente de: INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: o uso de computadores ou o uso de computadores em rede no processo educacional para oportunizar o aprendizado.

8 7 DEFINIÇÕES: INFORMÁTICA: Ciência que estuda o tratamento das informações quanto à sua coleta, armazenamento, classificação, transformação e disseminação. INFORMAÇÃO: Conhecimento extraído de dados. Resumo dos dados. Resultado de Processamento. DADO: Elemento para a formação de um juízo. Elemento que serve de base para a resolução de um problema. Matéria prima para a informação.

9 8

10 9 O Real e o Virtual “Bits e Átomos A melhor maneira de avaliar os méritos e as conseqüências da vida digital é refletir sobre a diferença entre bits e átomos.” (NEGROPONTE, 1995)

11 10 Mundo Real Átomos - Analógico e Mundo Virtual Bits - Digital.

12 11 Tecnologia e Sociedade.

13 12 Estamos além do futuro descrito na ficção científica…

14 13 - Enfrentamos as conseqüências da globalização; (o que acontece em qualquer lugar do mundo nos afeta) - Existe uma busca constante por capacitação. (saber cada vez mais para manter o estado das coisas)

15 14 Existe uma nova sociedade, digital (virtual), interconectada, interagindo de forma on-line, que ultrapassa as fronteiras geográficas.

16 15 Os sete códigos da Modernidade Habilidades mínimas para o cidadão do século XXI fonte: Fundação Social - Colômbia, Bernardo Toro

17 Domínio da leitura e escrita 2 - Capacidade de fazer cálculos e de resolver problemas 3 - Capacidade de analisar, sintetizar e interpretar dados e fatos 4 - Capacidade de compreender e atuar no entorno social

18 17 5 – Saber receber criticamente os meios de comunicação 6 - Capacidade para acessar e usar melhor a informação acumulada 7 - Capacidade de planejar, Trabalhar e decidir em grupo

19 18 “Ferramentas“ são conhecimentos que nos permitem resolver os problemas vitais do dia a dia. “Brinquedos“ são todas aquelas coisas que, não tendo nenhuma utilidade como ferramentas, dão prazer e alegria à alma. No momento em que escrevo estou ouvindo o coral da 9ª sinfonia. Não é ferramenta. Não serve para nada. Mas enche a minha alma de felicidade. Nessas duas palavras, ferramentas e brinquedos, está o resumo da educação.

20 19 Ferramentas e brinquedos não são gaiolas. São asas. Ferramentas me permitem voar pelos caminhos do mundo. Brinquedos me permitem voar pelos caminhos da alma. Quem está aprendendo ferramentas e brinquedos está aprendendo liberdade, não fica violento. Fica alegre, vendo as asas crescer... Assim todo professor, ao ensinar, teria de se perguntar: "Isso que vou ensinar, é ferramenta? É brinquedo?" Se não for, é melhor deixar de lado. Ferramentas e brinquedos não são gaiolas. São asas. Ferramentas me permitem voar pelos caminhos do mundo. Brinquedos me permitem voar pelos caminhos da alma. Quem está aprendendo ferramentas e brinquedos está aprendendo liberdade, não fica violento. Fica alegre, vendo as asas crescer... Assim todo professor, ao ensinar, teria de se perguntar: "Isso que vou ensinar, é ferramenta? É brinquedo?" Se não for, é melhor deixar de lado.

21 20 As estatísticas oficiais anunciam o aumento das escolas e o aumento dos alunos matriculados. Esses dados não me dizem nada. Não me dizem se são gaiolas ou asas. Mas eu sei que há professores que amam o vôo dos seus alunos. Há esperança... As estatísticas oficiais anunciam o aumento das escolas e o aumento dos alunos matriculados. Esses dados não me dizem nada. Não me dizem se são gaiolas ou asas. Mas eu sei que há professores que amam o vôo dos seus alunos. Há esperança...

22 21 REFLEXÕES SOBRE A ESCOLA E A TECNOLOGIA

23 22 Nós fomos projetados para aprender... Aprendemos a vida inteira...

24 23 Aprendemos em casa, na escola, no trabalho...

25 24 Com o tempo, passamos a saber mais e mais... Captamos informações e as transformamos em novos saberes.

26 25 As informações chegam por vários meios... E a escola ??

27 26 E a escola ? “Resultado de Pesquisa realizada nos EUA. Avaliada estatisticamente a aquisição de conhecimentos, o homem adquire 50% do que sabe, por meio de imagens. 25% do que sabe, por meio de sons. 15% do que sabe, por meio da comunicação social 10% do que sabe, através da leitura de material impresso. Em contrapartida, 90% do ensino formal em escolas no mundo inteiro permanece alicerçado em livros didáticos e textos impressos.” Publicado na Revista Veja em dez/95

28 27 Abordagens da aprendizagem na escola: Tradicional.

29 28 Abordagens da aprendizagem: Interacionista.

30 29 Abordagens da aprendizagem: Sócio-interacionista.

31 30 A tecnologia pode ser a mediadora dos processos de aprendizagem numa perspectiva sócio-interacionista Tecnologia

32 31 Nesta abordagem, a Internet passa a ser: MEIO, LUGAR, AMBIENTE DE APRENDIZAGEM, MÍDIA PARA A EDUCAÇÃO.

33 32 Com os computadores é possível criar ambientes de aprendizagem cooperativa: Um lugar onde aprendizes podem trabalhar juntos e se apoiarem uns nos outros à medida que buscam produzir conhecimento. Ambientes informáticos de aprendizagem não são apenas computadores e programas, são também (e principalmente) contexto e metodologia.

34 33 Atividades da Aprendizagem Cooperativa desenvolvidas: -Coordenação -Organização e Distribuição de Tarefas -Memória de Grupo -Tomada de Decisão -Representação do Conhecimento

35 34 APRENDIZAGEM O QUE É APRENDER?

36 35 dados informações conhecimento sabedoria

37 36 O cérebro humano: Este pequeno computador afogado em água, que possui em torno de 100 bilhões de células nervosas (ou neurônios), é responsável pela notável habilidade humana do pensar. O cérebro nunca se desgasta ou exaure. Quanto mais usado, mais poderoso se torna. Um dos grandes desafios da atualidade é simular o funcionamento do cérebro em estruturas funcionais capazes de produzir representações e inferências.

38 37 Abordagem Conexionista - Redes Neurais.

39 38 SITUAÇÕES CONHECIMENTO REPRESENTAÇÃO RACIOCÍNIO RESOL. DE PROBLEMAS ATIV. DE EXECUCÃO NÃO AUTOMATIZADA ATIV. DE EXECUCÃO AUTOMATIZADA CONST. DE CONHEC. SEQÜÊNCIA DE AÇÃO AVALIAÇÃO Abordagem Cognitivista – modelo funcional (Fialho, 1999)

40 39 O QUE VOCÊ VÊ?

41 40 Os artefatos de base tecnológica podem criar oportunidades para que a aprendizagem aconteça, pois oferecem meios multisensoriais para percepção, compreensão e aplicação de inferência.

42 41 Um Exemplo: Equipamentos de R.V. Meios para a interação com o conhecimento

43 42 Bibliografia: APARICI, Roberto et al. Nuevas Tecnologías, Comunicación y Educación. Madrid, Espanha. UNED, [CD-ROM] CHAVES, Eduardo O.C. Tecnologia e Educação: Futuro da Escola na Sociedade da Informação. Mindware Editora. Campinas (1998). HEIDE, Ann; STILBORNE, Linda. Guia do Professor para a Internet. Porto Alegre. Artes Médicas Lévy, P., A Inteligência Coletiva: Por uma Antropologia do Ciberespaço., Edições Loyola, São Paulo, (1998). Lévy, P., Cibercultura., Ed. São Paulo (1999) 34. MARTINS, Ronei Ximenes. Redes Neurais Artificiais, o Aprendizado Reproduzido em Máquinas. Revista InterAção. Varginha, Volume 5, número 5, p , 1º semestre Martins, R. X., Pereira, A. T. C., Aprendizagem Cooperativa via Internet–A Implantação de dispositivos Computacionais para a Viabilidade Técnica de Cursos On-Line. Florianópolis, f. (http://www.rxmartins.pro.br/down/disronei.pdf ) Moran, José Manuel. Novas Tecnologias e Mediação Pedagógica. São Paulo. Ed. Papirus, TEIXEIRA, João de Fernandes – Mentes e Máquinas Uma Introdução à Ciência Cognitiva. Editora Artes Médicas,Alegre, RS, 1998.http://www.rxmartins.pro.br/down/disronei.pdf


Carregar ppt "1 Prof.Júlio Rennê Ferramentas da Informática na educação."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google