A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A REDE HIDROGRÁFICA AMERICANA. A distribuição de água na América. Mário Yoshida Fonte: Robin Clarke e Jannet King. O atlas da água. São Paulo: Publifolha,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A REDE HIDROGRÁFICA AMERICANA. A distribuição de água na América. Mário Yoshida Fonte: Robin Clarke e Jannet King. O atlas da água. São Paulo: Publifolha,"— Transcrição da apresentação:

1 A REDE HIDROGRÁFICA AMERICANA

2 A distribuição de água na América. Mário Yoshida Fonte: Robin Clarke e Jannet King. O atlas da água. São Paulo: Publifolha, p. 22 (adaptado).

3 Rios extensos que formam grandes bacias hidrográficas América do Norte e América do Sul Há rios bastante extensos. Que formam grandes bacias hidrográficas. Disponibilidade de água é relativamente confortável. A situação é mais dramática nos países insulares, ameaçados de ficarem com carência crônica de água.

4 Nas regiões de concentração excessiva de população corre-se o risco de faltar suprimento hídrico no futuro. Em muitos países a água está mal distribuída. Existindo extensas áreas de clima seco. América Central Possui rios de pequena dimensão. Densidades demográficas relativamente elevadas.

5 Como: a direção dos rios e a existência de quedas-d’água. Relacionadas às formas de relevo da região. As características das bacias Nascentes de riosregiões mais elevadas do relevo. Às quais se dá o nome de centros dispersores de águas ou VERTENTES.

6 A vertente Ártica Entre os rios, destaca-se o Mackenzie. Centros dispersores As montanhas Rochosas e o planalto Canadense. As águas do Mackenzie, bem como as da maioria dos rios dessa vertente, permanecem congeladas durante grande parte do ano. A maior parte dos rios dessa vertente é de pequena extensão e deságua na baía de Hudson km de extensão.Maior rio do Canadá.

7 Vertente Ártica Mário Yoshida Fonte: Atlas La France et le monde. Paris: Nathan, p. 96 (adaptado).

8 A vertente do Atlântico Norte: o rio São Lourenço e os grandes Lagos Mário Yoshida Fonte: Atlas La France et le monde. Paris: Nathan, p.96 (adaptado).

9 Rio São LourençoCentro dispersor Os Apalaches Principal rio da vertente do Atlântico Norte. Possibilita a interligação entre o oceano Atlântico e a região dos Grandes Lagos. A Via Marítima do São Lourenço localiza-se entre a cidade de Quebec (Canadá) e o lago Ontário. Essa hidrovia apresenta várias eclusas, para permitir a comunicação entre os EUA e o Canadá.

10 Observe o esquema. Casa Paulistana Fonte: Elaborado pelos autores com base em Atlas La France et le monde. Paris: Nathan, p. 96. Para atingir a cidade de Chicago, um navio que sai do oceano Atlântico e entra no continente pela Via Marítima do São Lourenço percorre um longo caminho por meio de canais, eclusas (para compensar os desníveis entre um lago e outro) e lagos.

11 Da vertente do Atlântico Norte, também fazem parte: o rio Hudson, que possui sua foz na cidade de Nova York, o Delaware, o Connecticut, entre outros. Entre os lagos Erie e Ontário SITUA-SE Conjunto de saltos e corredeiras que atrai milhares de turistas todos os anos. As cataratas do Niágara. Com exceção do lago Michigan, que pertence aos Estados Unidos, os demais lagos constituem fronteiras naturais entre esse país e o Canadá.

12 Cataratas do Niágara Vista área das cataratas do Niágara, em Ontário, no Canadá (2007). Newscom/LatinStock As quedas-d’água situadas na fronteira do Canadá com os Estados Unidos, no rio Niágara. Grande parte das águas do rio Niágara é desviada para aproveitamento em hidrelétricas antes de chegar às cataratas. Niágara é uma palavra de origem indígena que significa “trovão das águas”.

13 A vertente do golfo do México e a bacia do Mississípi-Missouri Mais importante bacia hidrográfica da América do Norte. Seu principal rio é o Mississípi Navegável praticamente em toda a sua extensão. Missouri Principal afluente. Juntos, atingem mais de 6 mil km de extensão. Esses rios têm grande importância econômica, pois suas margens são aproveitadas principalmente para a cultura de milho e trigo.

14 Observe o mapa. Estado Unidos - Hidrografia Carlos Tadeu de Carvalho Gamba Fonte: Leda Ísola e Vera Caldini. Atlas geográfico Saraiva. São Paulo: Saraiva, p. 59 (adaptado).

15 Vertente do golfo do México Mário Yoshida Fonte: Atlas La France et le monde. Paris: Nathan, p. 97 (adaptado). A fronteira entre os Estados Unidos e o México, de km, é delimitada em sua maior extensão pelo Rio Grande ou Bravo do Norte (para os mexicanos). São o escoadouro de minerais, cereais e outros produtos cultivados nas regiões banhadas por eles e seus afluentes.

16 A vertente do Pacífico Norte A diminuição das geleiras tem afetado o volume de água e apontado problemas à agricultura e ao futuro abastecimento da população nessa região. Seus rios são em geral de pequena extensão e possuem um curso bastante acidentado. Os rios mais expressivos, na América do Norte, são: o Colorado e o Sacramento. Os picos das montanhas formam geleiras que retêm a água durante o inverno e alimentam esses rios, na primavera e no verão.

17 Vertente do Pacífico Norte Mário Yoshida Fonte: Atlas La France et le monde. Paris: Nathan, p. 97 (adapatado). O rio Colorado nasce no planalto do Colorado e possui uma extensão de 1 mil km. Em seu curso, escavado sobre rochas sedimentares, suas águas abriram vales muito profundos, denominados cânions, como o Grand Canyon.

18 Rio Sacramento Áreas irrigadas pelo rio Sacramento, na Califórnia, Estados Unidos. Ed Garack/Getty Images Teve papel de destaque na colonização do oeste norte-americano, pois atraiu grande número de colonos, que buscavam o ouro encontrado em seu leito. Corre pelo vale da Califórnia e separa a cadeia da Costa da serra Nevada.

19 A vertente do Atlântico Sul e as maiores bacias hidrográficas da Terra É a vertente mais extensa e a mais importante do continente. Nela estão situadas as duas maiores bacias hidrográficas do mundo: a bacia Amazônica e a bacia Platina.

20 A bacia Amazônica Principal rio é o Amazonas; Ocupa uma área de aproximadamente 7 milhões de km; Seus centros dispersores situam-se nos Andes nos planaltos Norte-amazônicos e no planalto dos Parecis. Com essas obras, foram formados lagos artificiais, que provocaram a devastação de grandes áreas florestais e o desaparecimento de importantes espécies da fauna amazônica. Em alguns rios da bacia Amazônica foram construídas usinas hidrelétricas de grande porte, como a de Balbina, no rio Uatumã, e a de Samuel, no rio Jamari.

21 Rio Amazonas: Entra no Brasil com o nome de Solimões e, ao encontrar-se com o rio Negro, passa a se chamar Amazonas; é um rio de planície, propício à navegação, que permite a chegada de navios de grande porte até a cidade de Manaus; os afluentes da margem direita são maiores e possuem maior volume de água; os da margem esquerda são de menor expressão, sobressaindo o rio Negro.

22 Vertente do Atlântico Sul Fonte: Atlas La France et le monde. Paris: Nathan, p. 109 (adaptado). Mário Yoshida

23 Observe o mapa que mostra as três principais bacias hidrográficas da América do Sul. Mário Yoshida Fonte: Atlas La France et le monde. Paris: Nathan, p. 109 (adaptado).

24 A bacia Platina Segunda maior bacia hidrográfica do mundo; ocupa uma área de cerca de km²; abrange terras do Brasil, do Paraguai, do Uruguai, da Argentina e da Bolívia; os principais rios dessa bacia são o Paraná, o Paraguai e o Uruguai.

25 Usina hidrelétrica de Itaipu. Ricardo Azoury/Pulsar Imagens

26 Nesse rio encontram-se várias usinas hidrelétricas, como: Itaipu; Porto Primavera; Jupiá; Ilha Solteira. Muda sua denominação para rio da Prata. Que formam o complexo hidrelétrico de Urubupungá. O rio Uruguai vai desembocar na foz do rio da Prata. Na divisa da Argentina com o Paraguai o rio Paraguai deságua no Paraná A partir da cidade argentina de Paraná.

27 Hidrovia Tietê-Paraná. Mauricio Simonetti/Pulsar Imagens

28 Outras bacias A bacia do São Francisco que se localiza totalmente em território brasileiro. O rio São Francisco atravessa uma área de clima semi- árido, sendo aproveitado para a irrigação e para o transporte. No norte da América do Sul, em terras da Venezuela e da Colômbia, é encontrada a bacia fluvial constituída pelo rio Orinoco e seus afluentes. O território da Colômbia é ainda atravessado por um rio de grande significado econômico: o Madalena.

29 Lagos sul-americanos Dois lagos merecem destaque na América do Sul: o Maracaibo ( km²), na Venezuela, onde se encontram inúmeras torres de petróleo; e o Titicaca (8.300 km²), nos Andes, situado a m de altitude. Lago Titicaca, localizado na fronteira do Peru com a Bolívia. Keren Su/Corbis/LatinStock

30 O vale do São Francisco e a irrigação Em regiões como a do rio São Francisco, um dos poucos rios perenes do semiárido, construíram-se canais de irrigação para desenvolver uma agricultura moderna. As lavouras do vale do São Francisco produzem, anualmente, muitas frutas e legumes. As videiras (...) dão frutos o ano todo. Área irrigada pelas águas do rio São Francisco. Delfim Martins/Pulsar Imagens


Carregar ppt "A REDE HIDROGRÁFICA AMERICANA. A distribuição de água na América. Mário Yoshida Fonte: Robin Clarke e Jannet King. O atlas da água. São Paulo: Publifolha,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google