A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

André Amorim. . 1 – O restaurante Saborearte entra com uma ação na justiça para receber creditos tributários referente ao IPI. A empresa pleiteia ganhar.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "André Amorim. . 1 – O restaurante Saborearte entra com uma ação na justiça para receber creditos tributários referente ao IPI. A empresa pleiteia ganhar."— Transcrição da apresentação:

1 André Amorim

2 . 1 – O restaurante Saborearte entra com uma ação na justiça para receber creditos tributários referente ao IPI. A empresa pleiteia ganhar na ação cerca de R$200.000,00 (duzentos mil reais) em crédito, contudo na primeira audiência o governo só admite R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais) de crédito. Na duvida o contador registra como direitos o valor de R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais). Esse lançamento foi feito baseado em que principio contábil?

3 Princípio da Prudência

4 2- A funcionaria do financeiro do Restaurante Saborearte efetuou o pagamento da prestação do carro de um dos sócios, quando o contador soube operação registrou esse pagamento como empréstimo realizado a sócios no grupo Realizável a longo prazo. Em que principio o contador está lastreado?

5 Princípio da Entidade

6 3- Um funcionário da contabilidade do Restaurante Saborearte, efetua um lançamento de um ativo imobilizado com o valor de mercado do bem. Quando o contador descobriu a operação efetuou imediatamente o estorno do lançamento refazendo o mesmo pelo valor histórico (preço de aquisição). De que principio estamos falando?

7 Princípio Registro pelo valor original.

8 4- Um dos sócios do Restaurante Saborearte efetua um pagamento com o cartão coorporativo da empresa referente a material de escritório para mesma, contudo esquece de entregar a nota fiscal para o departamento contábil. Devido a esse fato o fenômeno só foi registrado 90 dias depois. Qual principio contábil foi ferido nesse momento?

9 Principio da Oportunidade

10 Movimentação de Estoques ATIVOPASSIVO CirculanteCirculante Permanente Realiz. L.P. Patrim. Líquido Exig. L.P. Disponível (Caixa e Bancos) 600 Duplicatas a Receber (Clientes) 1.700 Estoques 700 Total 3.000 Fornecedores 600 Empréstimos a pagar 1200 Contas a Pagar 800 Total 2.600 Títulos a Receber 500 Empréstimos a Coligada 500 Total 1.000 Investimentos 600 Imobilizado 1.000 Diferido 400 Total 2.000 Empréstimos a Pagar 1.000 Total 1.000 Capital Social 2.000 Reservas 100 Lucro do Exercício 300 Total 2.400 TOTAL DO ATIVO 6.000 TOTAL DO PASSIVO 6.000 CONTEXTO

11 Movimentação de Estoques CUSTOS E DESPESAS - EMPRESA COMERCIAL BALANÇO DEMONSTR. RESULTADOS RECEITA LÍQUIDA ( - ) ( - ) Custo da Mercadoria Vendida ( = ) ( = ) LUCRO BRUTO ( - ) ( - ) Despesas Operacionais ( = ) ( = ) LUCRO LÍQUIDO Compra de Mercadorias ESTOQUE ESTOQUE Venda de Mercadoria Apuração de Resultados

12 Movimentação de Estoques PEPS ou FIFO Primeiro a Entrar, Primeiro a Sair First In, First Out Conceito: Conceito: A valorização do volume movimentado se dá considerando a ordem cronológica de entrada em estoque.

13 UEPS ou LIFO Último a Entrar, Primeiro a Sair Last In, First Out Conceito: Conceito: A valorização do volume movimentado se dá considerando a ordem de entrada em estoque a partir do último – ordem inversa. Movimentação de Estoques

14 Conceito: Conceito: A valorização do volume movimentado se dá considerando o valor médio existente em estoque Média Ponderada Considera os valores médios em estoque, independente de sua data de entrada. Movimentação de Estoques

15 Exemplos: PEPS UEPS Média Ponderada Movimentação de Estoques

16 Mensuração dos Estoques

17 Nº ENTRADASAÍDASALDO QUANT.V.U.TOTALQUANT.V.U.TOTALQUANT.V.U.TOTAL Ei 80 400,00 32.000,00 01 80 600,00 48.000,00 80 400,00 32.000,00 80 600,00 48.000,00 160 80.000,00 02 40 400,00 16.000,0040 400,00 16.000,00 80 600,00 48.000,00 120 64.000,00 03 40 400,00 16.000,0040 600,00 24.000,00 40 600,00 24.000,00 80 40.000,00 04 120 700,00 84.000,00 40 600,00 24.000,00 120 700,00 84.000,00 160 108.000,00 05 20 600,00 12.000,0020 600,00 12.000,00 120 700,00 84.000,00 140 96.000,00 Critério PEPS

18 FORNECEDORESCLIENTESMERCADORIAS 48.000,00 60.000,00 32.000,00 16.000,00 84.000,00 160.000,00 48.000,00 40.000,00 132.000,00 30.000,00 84.000,00 12.000,00 250.000,00 164.000,00 68.000,00 96.000,00 VENDASCMVRCM 60.000,00 16.000,00 68.000,00 250.000,00 160.000,00 40.000,00 182.000,00 30.000,00 12.000,00 250.000,00 68.000,00 CONTABILIZAÇÃO

19 Nº ENTRADASAÍDASALDO QUANT.V.U.TOTALQUANT.V.U.TOTALQUANT.V.U.TOTAL Ei 80 400,00 32.000,00 01 80 600,00 48.000,00 80 400,00 32.000,00 80 600,00 48.000,00 160 80.000,00 02 40 600,00 24.000,0080 400,00 32.000,00 40 600,00 24.000,00 120 56.000,00 03 40 600,00 24.000,0040 400,00 16.000,00 40 400,00 16.000,00 80 40.000,00 04 120 700,00 84.000,00 40 400,00 16.000,00 120 700,00 84.000,00 160 100.000,00 05 20 700,00 14.000,0040 400,00 16.000,00 100 700,00 70.000,00 140 86.000,00 Critério UEPS

20 FORNECEDORESCLIENTESMERCADORIAS 48.000,00 60.000,00 32.000,00 24.000,00 84.000,00 160.000,00 48.000,00 40.000,00 132.000,00 30.000,00 84.000,00 14.000,00 250.000,00 164.000,00 78.000,00 86.000,00 VENDASCMVRCM 60.000,00 24.000,00 78.000,00 250.000,00 160.000,00 40.000,00 172.000,00 30.000,00 14.000,00 250.000,00 78.000,00 CONTABILIZAÇÃO UEPS

21 Critério CMP

22 FORNECEDORESCLIENTESMERCADORIAS 48.000,00 60.000,00 32.000,00 20.000,00 84.000,00 160.000,00 48.000,00 40.000,00 132.000,00 30.000,00 84.000,00 13.000,00 250.000,00 164.000,00 73.000,00 91.000,00 VENDASCMVRCM 60.000,00 20.000,00 73.000,00 250.000,00 160.000,00 40.000,00 177.000,00 30.000,00 13.000,00 250.000,00 73.000,00 CONTABILIZAÇÃO CMP

23 -Valores contábeis (Contas)  ou BP ou DRE -BP: Ativo  Itens que trazem benefícios para a empresa  Quando gastos transformam-se em despesas  Material de escritório  Seguros a vencer Apuração do Resultado e Regimes de Contabilidade BALANÇO PATRIMONIAL X D.R.E e Regime de Competência Contas Patrimoniais Contas de Resultado

24 Apuração do Resultado e Regimes de Contabilidade BALANÇO PATRIMONIAL X D.R.E e Regime de Competência Material de escritório * - Lançados no Ativo. - São bens que trarão benefícios no futuro. - A medida que consumidos, serão baixados do Ativo e contabilizados como despesa. - O restante (não consumido) ficaria no Ativo Circulante como Despesa do Exercício Seguinte. * Dependendo do volume, a empresa considera como gasto imediato

25 Apuração do Resultado e Regimes de Contabilidade BALANÇO PATRIMONIAL X D.R.E e Regime de Competência Seguros a vencer - Em geral, é feito por um ano. - Se o seu período fosse de 01/01 a 31/12 (coincidisse com o exer. social), todo gasto com seguro seria contabilizado como despesa, pois nada se aproveitaria para o ano seguinte. - Na pratica, se o período for (Ex.) 01-07-X1 a 30-06-X2, dessa quantia será considerada como despesa em 31-12-X1 apenas o referente a 6 meses, o restante será considerado Ativo Circulante, pois é um pagamento que beneficiará o ano seguinte (Despesa do Exercício Seguinte).

26 Apuração do Resultado e Regimes de Contabilidade BALANÇO PATRIMONIAL X D.R.E e Regime de Competência Seguros a vencer Ativo Passivo Balanço Patrimonial Circulante Disponível Duplicatas a Receber Estoques Despesas do Exerc. Seguinte compreendem itens que trarão benefícios à empresa, mas serão utilizados (consumidos) no pró- ximo ano, tornando-se despesas.

27 Apuração do Resultado e Regimes de Contabilidade BALANÇO PATRIMONIAL X D.R.E e Regime de Competência Exemplo: Admita-se que a Cia. Desconfiada faça um seguro por um ano, em 30-9-X1, pagando $ 18.000 (prêmio de seguro) e, nesta data, adquira $ 10.000 de material de escritório. Em 31-12-X1 constata-se que havia em estoques apenas $ 2.000 de material de escritório. Como fica o Balanço Patrimonial em 31-12-X1 ?

28 Apuração do Resultado e Regimes de Contabilidade BALANÇO PATRIMONIAL X D.R.E e Regime de Competência Exemplo: (Solução) Ativo Passivo Balanço Patrimonial 31-12-X1 Circulante.__________ xxxxx. Desp. Exer. Seg. - Seguros 13.500 - Mat. de escr.* 2.000 em $ mil * Poderia ser classificado como estoque de consumo. Companhia Desconfiada

29 Apuração do Resultado e Regimes de Contabilidade BALANÇO PATRIMONIAL X D.R.E e Regime de Competência Exemplo: (Solução) DRE X1 Receita ------- (-) Despesa ------- ________... ------- Seguros 4.500 Material Escritório 8.000 ________... ------- Lucro / Prejuizo ------- Em $ mil Companhia Desconfiada

30 Devedores duvidosos:  Perdas estimadas, referentes ao período em questão Depreciação:  Gastos relativos ao uso de bens do Ativo Imobilizado  Taxas fixadas pelo Imposto de Renda Apuração do Resultado e Regimes de Contabilidade OUTROS AJUSTES (com relação ao regime de competência) Ao final do exercício social – Para apurar o Lucro do Período

31 Apuração do Resultado e Regimes de Contabilidade EFEITO DO LUCRO NO BALANÇO Lucro apurado Prejuízo Pertence ao proprietário Deve assumi-lo Parte do Lucro pode ser reinvestido (lucros retidos/acumulados). Entra no Balanço via PL (origem) sendo aplicada no Ativo. A parte do lucro distribuída aos proprietários é denominada dividendos

32 Apuração do Resultado e Regimes de Contabilidade EFEITO DO LUCRO NO BALANÇO Exemplo Uma Empresa tem $ 900 de capital aplicado no caixa. Durante o ano tem uma receita de $ 800 a vista, por prestação de serviços e uma despesa de $ 500. Apure-se o lucro e observe os efeitos no balanço, sabendo-se que não houve distribuição de dividendos.


Carregar ppt "André Amorim. . 1 – O restaurante Saborearte entra com uma ação na justiça para receber creditos tributários referente ao IPI. A empresa pleiteia ganhar."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google