A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PRÉ ESCOLAR E ESCOLAR: ANEMIA FERROPRIVA X RECOMENDAÇÕES NUTRICIONAIS Alcides Gomes Jacqueline Bairros.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PRÉ ESCOLAR E ESCOLAR: ANEMIA FERROPRIVA X RECOMENDAÇÕES NUTRICIONAIS Alcides Gomes Jacqueline Bairros."— Transcrição da apresentação:

1 PRÉ ESCOLAR E ESCOLAR: ANEMIA FERROPRIVA X RECOMENDAÇÕES NUTRICIONAIS Alcides Gomes Jacqueline Bairros

2 FERRO  Atua principalmente na síntese das células vermelhas do sangue e no transporte do oxigênio para todas as células do corpo. ANEMIA FERRORIVA  Consumo insuficiente de alimentos fontes de ferro e/ou com baixa biodisponibilidade.

3 FATORES DE RISCO EM CRIANÇAS  prematuridade,  baixo nível socioeconômico,  baixo peso ao nascer,  alimentação inadequada com ingestão precoce de leite de vaca e/ou alimentos sólidos,  baixa ingestão de carne,  aleitamento materno por mais de 6 meses sem suplementação de ferro. Canadian Paediatric Society. Nutrition Committee. Meeting the iron needs of infants and young children: an update. Can Med Assoc J 1991;144:

4 DIAGNÓSTICO  Hemograma (hemoglobina).  O ponto de corte proposto pela OMS em crianças de 6 a 60 meses e em gestantes é abaixo de 11,0 g/dl (indicativo de anemia).

5 SINAIS E SINTOMAS  Os principais sinais e sintomas são: fadiga, falta de apetite, palidez de pele e mucosas, menor disposição para o trabalho, dificuldade de aprendizagem nas crianças, apatia.  Em crianças a anemia está associada ao retardo do crescimento, fadiga, falta de atenção, baixo desenvolvimento cognitivo, da coordenação motora.

6 RECOMENDAÇÃO DE FERRO  É de 0,27mg/dia de zero aos seis meses,  De 11mg/dia dos sete aos doze meses,  De 7mg/dia de 1 a 3 anos.  De 10 mg/dia entre 4 e 5 anos.  De 8 mg/dia entre 6 a 10 anos. Valores baseados nos valores de AI/ IOM.- IOM (IOM, 1997; IOM, 1998; IOM, 2000b; IOM, 2001).

7 BIODISPONIBILIDADE DE FERRO  Ferro heme: presente em carnes e vísceras. Sua absorção é de 20-30%.  Ferro não heme: contido em ovos, leguminosas e hortaliças. É absorvido de 2% a 10% pelo organismo.  Classificação da dieta: Baixa (5-10%) Intermediária (11-18%) Alta (>19%) G.A. BORTOLINI & M.R. VITOLO. Alimentação no primeiro ano de vida e deficiência de ferro. Rev. Nutr., Campinas, 23(6): , nov./dez., 2010.

8 FONTES DE FERRO  carnes vermelhas - Fígado e miúdos  folhosos verde-escuros  leguminosas

9  Anemia: problema de saúde pública nos países desenvolvidos e nos países em desenvolvimento.  A OMS (2008) publicou uma análise da prevalência de anemia no mundo, no período de 1993 a Afeta 1,62 bilhões de pessoas. As crianças em idade pré-escolar são as mais afetadas, com prevalência de 47,4% (293 milhões).  Peru: país com maior prevalência de anemia em toda América Latina  Brasil: 35% das crianças de 1 a 4 anos estão anêmicas (OPAS).  Assim sendo, seriam quase 5 milhões de crianças com anemia no Brasil, apenas nessa faixa etária. Mora JO, Mora LM. Deficiencias de micronutrientes en América Latina Y el Caribe: anemia ferropriva. Washington (DC): Organización Panamericana de La Salud; EPIDEMIOLOGIA NO MUNDO

10 EPIDEMIOLOGIA NO BRASIL  No Brasil, um estudo de revisão, realizado em 1996 a 2007, demonstrou que prevalência mediana de anemia foi de 53,0% em crianças menores de 59 meses (JORDÃO, et. al, 2009).  Outro trabalho realizado com o objetivo estimar a prevalência de anemia em crianças brasileiras segundo diferentes cenários epidemiológicos mostrou que a prevalência de anemia em crianças que frequentam:  Dados PNDS-2006, demonstrou que para as crianças menores de 59 meses a situação é classificada, segundo a OMS, como problema moderado de saúde pública. Prevalências em pré-escolares, chega ao redor de 50%, e em adolescentes de cerca de 20%.

11 PROGRAMA NACIONAL DE SUPLEMENTAÇÃO DE FERRO - PNSF  Ministério da Saúde (MS): prevenir a anemia por deficiência de ferro  Objetivo: promover a suplementação de crianças de 6 a 18 meses, gestantes a partir da 20ª semana e mulheres no pós-parto  Os suplementos são encaminhados para as Secretarias Municipais de Saúde sob a forma de xarope ou comprimido.

12 Resolução RDC nº 344 de 13 de dezembro de 2002 Determinou a adição obrigatória de 4,2mg de ferro e de 150 µg de ácido fólico nas farinhas de trigo e milho, cujo prazo para as indústrias se adequarem foi até 17 de junho de Podem ser utilizados os seguintes compostos: sulfato ferroso desidratado (seco); fumarato ferroso; ferro reduzido – 325 mesh Tyler; ferro eletrolítico – 325 mesh Tyler; EDTA de ferro e sódio (NaFeEDTA) e ferro bisglicina quelato. Portaria nº 1793 de 11 de agosto de 2009 Com intuito de monitorar a efetividade da fortificação das farinhas como estratégias na redução de anemia, o MS institui a Comissão Interinstitucional para Implementação, Acompanhamento e Monitoramento das Ações de Fortificação de Farinhas de Trigo, de Milho e de seus Subprodutos. Atribuições:

13 Efeito da fortificação de farinhas com ferro sobre anemia em pré- escolares, Pelotas, RS OBJETIVO: avaliar o impacto da fortificação sobre nível de hemoglobina em crianças menores de seis anos. MÉTODOS: O estudo foi realizado em Pelotas, RS, com três avaliações a cada 12 meses, foram medidos níveis de hemoglobina. CONCLUSÃO: O presente estudo não mostrou diferença estatisticamente significativa no nível médio de hemoglobina entre as crianças examinadas antes e após a fortificação das farinhas. O que pode ser parcialmente explicado pelo consumo insuficiente de farinhas e/ou pela baixa biodisponibilidade do ferro adicionado. ASSUNCAO, Maria Cecília FormosoASSUNCAO, Maria Cecília Formoso et al. Effect of iron fortification of flour on anemia in preschool children in Pelotas, Brazil. Rev. Saúde Pública [online]. 2007, vol.41, n.4, pp Epub June 12, ISSN

14 Sri Lanka - Efetividade Do Uso De Farinhas De Trigo Fortificadas Com Ferro Em pré-escolares de 9 a 71 meses e em escolares de 6 a 11 anos. O consumo médio de farinhas foi de 120g e 150g/dia para pré-escolares e escolares, respectivamente. Nenhum dos dois tipos de farinha de trigo fortificada foi capaz de promover aumento na concentração média de hemoglobina, após um e dois anos de consumo. Nestel P, Nalubola R, Sivakaneshan R, Wickramasinghe AR, Atukorala S, Wickramannayake T, et al. The use of iron- fortified wheat flour to reduce anemia among the state population in Sri Lanka. Int J Vitam Nutr Res 2004; 74:35-51.

15 NO ENTANTO...  A efetividade das farinhas fortificadas no controle da anemia pode ser comprovada em grupos populacionais onde o consumo dos derivados do trigo é frequente e a quantidade com que é consumida é regular.  Queiroz et al. verificaram entre escolares ingressantes de um município paulista, cuja merenda escolar compreendia o almoço e um lanche, a diminuição na prevalência de anemia de 30% para 5,8%.  Costa et al. encontraram resultado similar entre crianças de 2 a 5 anos que frequentavam creches assistenciais da regional Butantã, São Paulo. De 64% de anêmicos descritos para a população de creches da região em 2002, este estudo descreve a anemia em 21% dos pré-escolares. Queiroz AL, Szarfarc SC, Marchioni DML. A fortificação das farinhas de trigo e de milho no fornecimento de ferro para a merenda escolar. Nutrire Rev. Soc. Bras. Aliment. Nutr. 2008;33(2): Costa CA, Machado EHS, Colli C, Latorre WC, Szarfarc SC. Anemia em pré-escolares atendidos em creches de São Paulo (SP): perspectivas decorrentes da fortificação das farinhas de trigo e de milho. Nutrire Rev. Soc. Bras. Aliment. Nutr. 2009;34(1):59-74.

16  Venezuela: Redução pela metade da prevalência de anemia em escolares após um ano de fortificação de farinha de milho pré-cozida.  Chile, a baixa prevalência de anemia entre menores de cinco anos é atribuída à fortificação da farinha de trigo com ferro desde a década de 50.  África do Sul: eficácia do consumo de pão preto enriquecido com dois tipos de compostos de ferro sobre a anemia, em escolares de 6 a 11 anos de idade, com níveis séricos de ferritina menores que 20mcg/L. As crianças foram distribuídas em três grupos. Um primeiro grupo recebeu pão não- fortificado; o segundo, pão fortificado com ferro eletrolítico; e o terceiro, pão fortificado com bisglicinato ferroso (35mg/kg de farinha). Cada criança recebeu quatro fatias (120g) de pão por dia. Após sete meses, apenas o grupo que consumiu o pão com adição de bisglicinato ferroso apresentou um incremento significativo da medida de hemoglobina.

17  Indonésia: balas fortificadas com ferro elementar (30mg/ferro/semana), em crianças com quatro a seis anos de idade. Após 12 semanas, a concentração média de hemoglobina no grupo que recebeu balas fortificadas aumentou 10,2g/L, enquanto que no grupo controle aumentou 4,0g/L (p < 0,001). A prevalência de anemia decresceu de 50,9% para 8,8% e de 43,3% para 26% nos grupos intervenção e controle, respectivamente.  Brasil: experimentos com leite fluido fortificado com ferro proveniente de diferentes fontes. Das 270 crianças, 74,4% eram anêmicas. Ao final de cinco meses, anemia baixou para 45,6%, e, ao final de 13 meses, apenas 4,1% das crianças apresentavam um diagnóstico positivo para anemia.  Concluíram que a eficácia era maior quando o composto utilizado era o ferro bisglicina quelato. Torres MAA, et al. Anemia em crianças menores de dois anos atendidas nas unidades básicas de saúde no Estado de São Paulo, Brasil. Rev. Saúde Pública, São Paulo, 1994;28: Layrisse M, et al. Early response to the effect of iron fortifi cation in the Venezuelan opulation. Am J Clin Nutr. 1996;64(6): Manuel Olivares G, Tomás Walter K. Consecuencias de la defi ciencia de hierro. Rev Chil Nutr. [periódico na Internet].2003;30(3): Disponível em: arttext&pid=S &lng=es&nr m=iso&tlng=es Sari M, Bloem MW, de Pee S, Schultink WJ, Sastroamidjojo S. Effect of iron-fortified candies on the iron status of children aged 4-6 y in East Jakarta, Indonesia. Am J Clin Nutr 2001; 73: van Stuijvenberg ME, Smuts CM, Wolmarans P, Lombard CJ, Dhansay MA. The efficacy of ferrous bisglycinate and electrolytic iron as fortificants in bread in iron- deficient school children. Br J Nutr 2006; 95:532-8.

18 Anemia: consequências econômicas e sociais  Ausência de um levantamento nacional, mas existe consenso na comunidade científica de que a anemia ferropriva atinge todas as classes de renda.  Estimativa de custo anual: De US$ 605 milhões em tratamentos e perdas de dia de trabalho De US$ 2 bilhões com baixos rendimentos escolares Investimento anual de US$ 0,06 por habitante para a execução de ações integradas de combate a esta deficiência Em 2008, no Brasil foram gastos 116 bilhões, para tratar anemia. CANCADO, Rodolfo D.; CHIATTONE, Carlos S.. Guia multidisciplinar para a condução da deficiência de ferro e anemia ferropriva. Rev. Bras. Hematol. Hemoter., São Paulo, Available from. access on 16 Nov

19 FORTIFICAÇÃO DE ALIMENTOS COM FERRO E VITAMINA A  A revisão mostra vantagens das fortificações (alta cobertura populacional, o fato de não modificar os hábitos alimentares, baixo risco de toxicidade) e dificuldades (ligadas ao consumo massivo do alimento, sua distribuição e preço).  Leite e cereais são veículos que apresentam vantagens, porque são muito usados e bem adaptados à alimentação de crianças.  A biofortificação pode representar um novo e importante método no combate dessa deficiência. Ela é uma técnica da engenharia genética, que consiste em adicionar os micronutrientes na semente dos alimentos. As sementes biofortificadas com minerais e vitaminas podem ser usadas para consumo direto ou na produção de alimentos enriquecidos. ZANCUL, Mariana de Senzi. Fortificação de alimentos com ferro e vitamina A. Departamento de Medicina Social / USP; 37(1/2):45-50, jan.-jun Acessado em Nov http://www.fmrp.usp.br/revista/2004/vol37n1e2/1_revisao_fortificacao_alimentos.pdf

20 Programa FOOD DUDES  O Programa Food Dudes foi desenvolvido pela Bangor University (País de Gales) e atualmente é utilizado em vários países do mundo.  É dirigido à alimentação das crianças em todas as faixas etárias, incentivando o consumo de alimentos mais saudável através da apresentação de histórias infantis com super-heróis, recompensas, gráficos, etc.

21  Crianças com idade entre 5-11 anos de duas escolas de Londres;  Período de cinco meses  Divididas escola em um experimental e escola de controle  Todos alunos receberam frutas e legumes na hora do almoço.  Na escola experimental houve a intervenção (apresentação de vídeos e recompensas, e embalagem para casa).


Carregar ppt "PRÉ ESCOLAR E ESCOLAR: ANEMIA FERROPRIVA X RECOMENDAÇÕES NUTRICIONAIS Alcides Gomes Jacqueline Bairros."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google