A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Estruturas de Dados Aula 14: Recursão 04/06/2014.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Estruturas de Dados Aula 14: Recursão 04/06/2014."— Transcrição da apresentação:

1 Estruturas de Dados Aula 14: Recursão 04/06/2014

2 Fontes Bibliográficas Livros: –Projeto de Algoritmos (Nivio Ziviani): Capítulo 2; –Estruturas de Dados e seus Algoritmos (Szwarefiter, et. al): Capítulo 1; –Algorithms in C (Sedgewick): Capítulo 5; Slides baseados nas aulas de Sedgewick (http://www.cs.princeton.edu/~rs/)

3 Máximo Divisor Comum mdc (p, q): encontre o maior divisor comum entre p e q; Ex.: mdc (4032, 1272) = 24 = 2 2 x 3 1 –4032 = 2 6 x 3 2 x 7 1 –1272 = 2 3 x 3 1 x 53 1 Uso de mdc: –Simplificação de frações: 1272/4032 = 53/168 –Importante em mecanismos de criptografia

4 Introdução O que é recursão? – É um método de programação no qual uma função pode chamar a si mesma –Relação estreita com árvore e pilha Por que precisamos aprender recursão? –Paradigma de programação poderoso –Nova maneira de pensar Muitas estruturas têm natureza recursiva: –Estruturas encadeadas –Fatorial, máximo divisor comum –Uma pasta que contém outras pastas e arquivos

5 Introdução (cont.) Uma forma visual de recursão conhecida como efeito Droste

6 Introdução (cont.)

7 Máximo Divisor Comum (2) Algoritmo de Euclides mdc (p, q) = mdc (4032, 1272) = mdc (1272, 216) mdc (216, 192) mdc (192, 24) mdc (24, 0) 24 pse q =0 mdc (q, p%q) caso contrario - caso base - passo de redução, converge para o caso base / 1272 = 3 x

8 Máximo Divisor Comum (3) mdc (p, q) = pse q =0 mdc (q, p%q) caso contrario - caso base - passo de redução, converge para o caso base p = 8x q = 3x mdc mdc (8x, 3x) mdc (3x, 2x) mdc (2x, x) mdc (x,0) mdc (p, q) = x

9 Máximo Divisor Comum (4) mdc (p, q) = Implementação em C int mdc (int p, int q) { if (q == 0) return p; //caso base else return mdc(q, p % q); //passo de redução } pse q =0 mdc (q, p%q) caso contrario - caso base - passo de redução, converge para o caso base

10 Memória abab “constante”“constante” Sist.OperacionalSist.Operacional HeapPointer Início da Área Alocável StackPointer Inicio da Pilha Topo da Memória Base da Memória Variáveis estáticas Código objeto Constantes

11 Sist.OperacionalSist.Operacional StackPointer Inicio da Pilha Topo da Memória Base da Memória Variáveis estáticas Código objeto Constantes Programa: int mdc (int p, int q) { if (q == 0) return p; //caso base else return mdc(q, p % q); //passo de redução } main () { int n = mdc(6, 4); }

12 Sist.Operacional StackPointer Topo da Pilha Topo da Memória Base da Memória Variáveis estáticas Código objeto Constantes n (?) &main- #1 (?) p (6) q (4) Programa: Programa: int mdc (int p, int q) { if (q == 0) return p; else return mdc(q, p % q); } main () { int n = mdc(6, 4); }

13 Sist.Operacional StackPointer Topo da Pilha Topo da Memória Base da Memória Variáveis estáticas Código objeto Constantes n (?) &main- #1 (?) p (6) q (4) &mdc- #2 (?) p (4) q (2) Programa: Programa: int mdc (int p, int q) { if (q == 0) return p; else return mdc(q, p % q); } main () { int n = mdc(6, 4); }

14 Sist.Operacional StackPointer Topo da Pilha Topo da Memória Base da Memória Variáveis estáticas Código objeto Constantes n (?) &main- #1 (?) p (6) q (4) &mdc- #2 (?) p (4) q (2) Programa: Programa: int mdc (int p, int q) { if (q == 0) return p; else return mdc(q, p % q); } main () { int n = mdc(6, 4); } &mdc- #3 (?) p (2) q (0)

15 Programa: Programa: int mdc (int p, int q) { if (q == 0) return p; else return mdc(q, p % q); } main () { int n = mdc(6, 4); } Sist.Operacional StackPointer Topo da Pilha Topo da Memória Base da Memória Variáveis estáticas Código objeto Constantes n (?) &main- #1 (?) p (6) q (4) &mdc- #2 (?) p (4) q (2) &mdc- #3 (2) p (2) q (0)

16 Programa: Programa: int mdc (int p, int q) { if (q == 0) return p; else return mdc(q, p % q); } main () { int n = mdc(6, 4); } Sist.Operacional StackPointer Topo da Pilha Topo da Memória Base da Memória Variáveis estáticas Código objeto Constantes n (?) &main- #1 (?) p (6) q (4) &mdc- #2 (2) p (4) q (2)

17 Programa: Programa: int mdc (int p, int q) { if (q == 0) return p; else return mdc(q, p % q); } main () { int n = mdc(6, 4); } Sist.Operacional StackPointer Topo da Pilha Topo da Memória Base da Memória Variáveis estáticas Código objeto Constantes n (?) &main- #1 (?) p (6) q (4) &mdc- #2 (2) p (4) q (2) vale 2!

18 Programa: Programa: int mdc (int p, int q) { if (q == 0) return p; else return mdc(q, p % q); } main () { int n = mdc(6, 4); } Sist.Operacional StackPointer Topo da Pilha Topo da Memória Base da Memória Variáveis estáticas Código objeto Constantes n &main- #1 (2) p (6) q (4)

19 Sist.Operacional StackPointer Topo da Pilha Topo da Memória Base da Memória Variáveis estáticas Código objeto Constantes n &main- #1 (2) p (6) q (4) Programa: Programa: int mdc (int p, int q) { if (q == 0) return p; else return mdc(q, p % q); } main () { int n = mdc(6, 4); } vale 2!

20 Programa: Programa: int mdc (int p, int q) { if (q == 0) return p; else return mdc(q, p % q); } main () { int n = mdc(6, 4); } Sist.Operacional StackPointer Topo da Pilha Topo da Memória Base da Memória Variáveis estáticas Código objeto Constantes n (2) vale 2!

21 Gráficos Recursivos

22 Árvore H

23 Árvore-H de ordem n –Desenha uma letra H –Recursivamente desenha 4 árvores-H da ordem de n-1 (e metade do tamanho), cada árvore conectada em um “topo” (tip). ordem 1 ordem 2 ordem 3

24 Implementação Recursiva da Árvore H (em C) void draw(int n, double tam, double x, double y) { if (n == 0) return; //condição de parada double x0 = x - tam/2; double x1 = x + tam/2; double y0 = y - tam/2; double y1 = y + tam/2; DesenhaLinha(x0, y, x1, y); DesenhaLinha(x0, y0, x0, y1); DesenhaLinha(x1, y0, x1, y1); draw(n-1, tam/2, x0, y0); draw(n-1, tam/2, x0, y1); draw(n-1, tam/2, x1, y0); draw(n-1, tam/2, x1, y1); } desenha o H centralizado em (x, y) recursivamente desenha 4 Hs com a metade do tamanho

25 Animação Árvore H

26 Torres de Hanói

27 Objetivo Mover os discos do pino mais a esquerda para o pino da direita –Somente um disco por vez pode ser movido; –Um disco pode ser colocado num pino vazio ou sobre um disco de tamanho maior; InícioFinal Torres de Hanói: animação

28 Torres de Hanói: Solução Recursiva

29 Lenda das Torres de Hanói Mundo vai acabar quando um grupo de monges conseguirem mover 64 discos de ouro em 3 pinos de diamante. Algoritmos de computação irão ajudar a resolver o problema?

30 Torres de Hanói: Implementação Recursiva void moves (int N, boolean left) // N=número do disco, left no pino 1 = pino 3 (cíclico) { if (N == 0) return; // se não houver discos, retorna moves(N-1, !left); if (left) printf(“Disco %d left”, N); else printf(“Disco %d right”, N); moves (N-1, !left); }

31 Torres de Hanói: Implementação Recursiva (para 3 discos) moves (3, left) moves (2, right) moves (1, left) moves(0,right) “Disco 1 left” “Disco 2 right” moves (1, left) moves(0,right) “Disco 1 left” “Disco 3 left” moves (2, right) moves (1, left) moves(0,right) “Disco 1 left” “Disco 2 right” moves (1, left) moves(0,right) “Disco 1 left”

32 Torres de Hanói: árvore de recursão

33 Torres de Hanói: Propriedades da solução Leva h n = 2 n – 1 “moves” para resolver o problema com n discos: h n = h n h n-1 ; O algoritmo revela um fato: –São necessários 585 bilhões de anos para n=64 (considerando que cada movimento de disco leve 1 segundo, os monges não cometam erros e que os monges saibam exatamente para onde movimentar o disco, sem pestanejar) (crescimento exponencial) Outro fato: qualquer solução possível para as torres de Hanói levará no mínimo esse tempo!

34 Dividir para Conquistar Consiste em dividir o problema em problemas menores Problemas menores são resolvidos recursivamente usando o mesmo método Resultados são combinados para resolver problema original Vários algoritmos são resolvidos com essa técnica (e.x., quicksort, mergesort)

35 Pontos Negativos da Recursão Considere a sequência de Fibonacci: 0,1,1,2,3,5,8,13,21,34...

36 Sequência de Fibonacci

37 Sequência de Fibonacci e a Natureza

38

39 Solução Recursiva? long F(int n) { if (n == 0) return 0; if (n == 1) return 1; return F(n-1) + F(n-2); } -> Código muito ineficiente! -> Leva muito tempo para computar F(50)!

40 Problema com Recursão Pode facilmente levar a soluções incrivelmente ineficientes! F(50) é chamado uma vez F(49) é chamado uma vez F(48) é chamado 2 vezes F(47) é chamado 3 vezes F(46) é chamado 5 vezes F(45) é chamado 8 vezes... F(1) é chamado 12,586,269,025 vezes

41 Resumindo Como escrever programas recursivos simples? –Condição de parada, passo da recursão –Use desenhos Dividir para conquistar –Técnica elegante de resolver problemas (não somente recursivos)

42 Implementação Recursiva de Listas Considere a lista sem sentinela e sem cabeçalho Definição recursiva: –Uma lista é: Uma lista vazia; ou Um elemento seguido de uma (sub)-lista

43 Implementação Recursiva de Listas Exemplo – função imprime –Se a lista for vazia, não imprime nada –Caso contrário: Imprime o conteúdo da primeira célula (l->Item ou l- >Item.campo) Imprime a sub-lista dada por l->Prox, chamando a função recursivamente

44 Implementação Recursiva de Listas /* Função imprime recursiva */ void lst_imprime_rec (TipoLista* l) { if ( !lst_vazia(l)) { /* imprime primeiro elemento: lista de inteiros */ printf(“Item: %d\n”,l->Item); /* imprime sub-lista */ lst_imprime_rec(l->Prox); }

45 Implementação Recursiva de Listas Exemplo – função retira –retire o elemento, se ele for o primeiro da lista (ou da sub-lista) –caso contrário, chame a função recursivamente para retirar o elemento da sub-lista

46 Implementação Recursiva de Listas /* Função retira recursiva */ TipoLista* lst_retira_rec (TipoLista* l, int v){ if (!lst_vazia(l)) { /* verifica se elemento a ser retirado é o primeiro */ if (l->Item == v) { TipoLista* t = l; /* temporário para liberar */ l = l->Prox; free(t); } else { /* retira de sub-lista */ l->Prox = lst_retira_rec (l->Prox,v); } return l; }

47 Implementação Recursiva de Listas Exemplo – função que testa igualdade entre duas listas int lst_igual (TipoLista* l1, TipoLista* l2) –se as duas listas dadas são vazias, são iguais –se não forem ambas vazias, mas uma delas é vazia, são diferentes –se ambas não forem vazias, teste: se informações associadas aos primeiros nós são iguais se as sub-listas são iguais

48 Implementação Recursiva de Listas boolean lst_igual (TipoLista* l1, TipoLista* l2){ if (l1 == NULL && l2 == NULL) return TRUE; if (l1 == NULL || l2 == NULL) return FALSE; boolean itemIgual= l1->Item == l2->Item; if( !itemIgual ) return FALSE; return lst_igual(l1->Prox, l2->Prox); }


Carregar ppt "Estruturas de Dados Aula 14: Recursão 04/06/2014."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google